FOTO CAPA

FORA DA ZONA, MAS SEGUE EM SITUAÇÃO PERIGOSA

Publicado às 12h10 desta segunda-feira, 18 de outubro de 2021.

O Santos foi até o Recife, neste domingo (17) e voltou com um empate em 0 a 0 diante do Sport, em partida da 27a. rodada do Brasileirão. 

Com o resultado, o Peixe deixa a zona de rebaixamento, onde entrou na noite do sábado (16), após o empate entre América e Bahia e com isso, ocupa no momento a 15a. colocação da competição, a penúltima, antes dos times que estão no Z-4 com 29 pontos.

Mesmo contra o pior ataque do campeonato, Carille manteve três zagueiros. Ficou nítido e notório que o alvinegro jogava por uma bola. 

No primeiro tempo, Lucas Braga acertou a trave de Maílson. Na verdade, o Santos teve três oportunidades na primeira etapa, apenas. Além do chute do camisa 30, uma cabeçada de Raniel e uma tentativa de Sánchez que foi para fora. A preocupação foi totalmente defensiva. As investidas supracitadas eram pontuais do time paulista.

Na segunda etapa, o que já não estava bom, ficou ainda pior. O Peixe não tinha e não tem, há muito tempo, ligação entre o meio e o ataque e tampouco encaixava contragolpes. O Sport tomou as ações e mesmo limitado tecnicamente buscava o gol.  Zé Welison encontrou a trave aos dois minutos da etapa complementar.

Aos 20, Carille sacou Palha da zaga e colocou Felipe Jonatan. Também alterou outras peças como Madson na ala no lugar de Marcos Guilherme e Tardelli no posicionamento de Raniel. Com as alterações, o esquema de três zagueiros deu lugar a uma linha de quatro com dois defensores. 

Entretanto, aos 24, quando Velázquez e Boza bobearam no lance, o atacante pernambucano Mikael surgiu diante de Jandrei, após longo lançamento, e acabou parando no melhor jogador da partida e estreante da meta santista, pois o pior, poderia ter acontecido.

O esquema tático mudou, mas o futebol seguiu pouco inspirado. Erros de passes com pouco metros de distância que proporcionavam contragolpes ao adversário de forma constante. O ponto fora de casa acabou se tornando uma conquista para a manutenção do clube na série A.

O Peixe tem dois jogos seguidos na Vila Belmiro. O América-MG no sábado (22), às 17h e na quarta-feira que vem (27), às 19h, diante do Fluminense em partida remarcada da 23a. rodada. É fazer o 'dever de casa' e sair o mais rápido possível desta posição incomoda. 

O que me dá alento de que o time não vai passar a maior vexame de sua história  é a mediocridade dos adversários e o fator torcida nos jogos na Baixada. A galera santista que apoiou muito e de forma que tem de ser contra o Grêmio, vai ser o diferencial nestes sete jogos que restam ao time no Urbano Caldeira. 

Se depender do comportamento do elenco nas partidas fora de casa, onde tem uma única vitória, seis empates e sete derrotas, com o segundo pior aproveitamento como visitante, não será o suficiente para sair desta vergonha colocação.

O defensor Wagner Palha recebeu o terceiro amarelo e cumprirá suspensão diante do Coelho Mineiro, no próximo fim de semana. Em compensação, João Paulo e Jean Mota ficam à disposição. Pirani, pelo que disse em entrevista coletiva o comandante técnico, deve retornar entre os relacionados. Os demais - Léo Baptistão, Luiz Felipe, Jóbson e Kaiky devem permanecer de fora.


FICHA TÉCNICA

SPORT 0 X 0 SANTOS

Arena Pernambuco, no Recife (PE)

Árbitro: Anderson Daronco (RS)

Cartões amarelos: Sánchez, Wagner Palha, Madson (SFC)

SPORT: Mailson; Ewerton, Thyere, Sabino e Sander; Marcão, Zé Welison e Gustavo Oliveira (Trellez); Luciano (Paulinho), Everaldo (Leandro Barcia) e Mikael; Técnico: Gustavo Florentín.

SANTOS: Jandrei; Danilo Boza, Emiliano Velázquez e Wagner Palha (Felipe Jonatan); Marcos Guilherme (Madson), Camacho, Vinícius Zanocelo, Carlos Sánchez (Luiz Henrique) e Lucas Braga; Marinho (Ângelo) e Raniel (Diego Tardelli) Técnico: Fábio Carille.

Mas uma vez, o ataque santista passou sem ser abastecido e sem marcar gols.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS: 

Jandrei: Não jogava desde 14 de outubro do ano passado. Mesmo sem ritmo, foi o grande nome do time e fez uma defesa milagrosa no segundo tempo, após Mikael se desvencilhar de Velázquez e Boza. - 6,5 

Danilo Boza: Quando  mudou o esquema, perdeu duas jogadas inadmissíveis. - 5,5

Velazquez: Foi em envolvido num lance com Boza e quase o pior aconteceria. Quando tem de jogar com dois zagueiros, fica exposto e não transmite a mesma segurança. - 5,0

Wagner Palha: Recebeu o terceiro amarelo e desfalca o time na próxima rodada. Não reeditou as boas partidas de quando estava no Náutico. - 5,0

(Felipe Jonatan): Jogou menos da metade de um dos tempos. Compôs bem a linha de quatro, mas pouco apoiou. - 5,5

Marcos Guilherme: Não defende como lateral e muito menos ataca como ponta. Perdido na função. - 4,5

(Madson): Tem muito mais qualidade que seu antecessor na função, mas não tem rendido fisicamente. - 5,0

Camacho: Fazia bom jogo, até que resolveu driblar na frente da área e proporcionou contra-ataques perigoso. - 5,5

Zanocelo: Muitos toques para trás e para o lado. Não me agrada a falta de verticalidade. - 5,0

Sanchez: Muitos passes errados. Sem jogos no meio de semana, pode colaborar a recuperação do veterano. - 5,0

(Luizinho): Jogou pouco tempo. Perdeu uma bola que proporcionou um contra-ataque perigoso aos donos da casa. - SEM NOTA

Lucas Braga: Dos jogadores de linha, foi o que mais tentou sair do comum. Algumas jogadas pontuais individuais pela esquerda. Chutou uma bola na trave. - 6.0

Marinho: Bem marcado. Não conseguiu chutar ao gol, nem se livrar dos marcadores. - 5,5

(Ângelo): Cinco minutos em campo. Perdeu uma jogada individual. - SEM NOTA

Raniel: Muita entrega, mas pouco produtividade. - 4,5

(Tardelli): Uma pena ter limitações na parte física. Quando entra dá uma alternativa no abastecimento ao ataque. - 5,5

Técnico: Carille: Colocou quatro laterais no banco e optou pelas improvisações na função. Mesmo contra o pior ataque do campeonato, permaneceu com três zagueiros. Podia ousar um pouco mais com adversários de qualidade técnica inferior. - 5,0

Leia Mais »

BATALHA DE RECIFE

Publicado às 13h20 deste sábado, 16 de outubro de 2021.

A delegação santista deixou o Centro de Treinamento Rei Pelé no começo da tarde em direção a Recife. Na bagagem, a esperança do torcedor alvinegro de que o time conquiste uma vitória importante neste domingo (17), às 20h30, diante do Sport na luta pela permanência na série A do Brasileiro. O técnico Fábio Carille não contará com o futebol de João Paulo e Jean Mota, suspensos, além de Baptistão, Jobson e Pirani, no departamento médico.

O meia-atacante Pirani, com entorse no tornozelo direito, e o volante Jobson, com tendinite no tornozelo direito, além de Baptistão com lesão na panturrilha esquerda não foram relacionados para o jogo. Os jovens Dérick e Robson reapareceram na lista de convocados por Fábio Carille.

Em relação ao time que começou o duelo quarta-feira (13), na derrota contra o Atlético-MG, Carille mexerá em quatro posições. No gol, Jandrei substituiu João Paulo. Na zaga, Boza ganha a posição de Balieiro que estava improvisado. No meio, Sánchez retoma a posição que era sua e após cumprir a automática retoma de Jean Mota que por sua vez, recebeu o terceiro amarelo e é desfalque. Na frente, Baptistão com lesão na panturrilha esquerda dá vaga a Raniel.

O time do Santos vai a campo com Jandrei; Boza, Velasquez e Palha; Marcos Guilherme, Camacho, Zanocello, Sánchez, e Lucas Braga; Marinho e Raniel.

O Peixe começa a rodada na 16a. colocação, a última, antes do Z-4 com 28 pontos. O Sport é o 18o. com 26.

Leia Mais »

NOVA BATALHA NA LUTA PELA MANUTENÇÃO NA SÉRIE a

Publicado às 13h15 desta sexta-feira, 15 de outubro de 2021.

O alvinegro praiano tem nova batalha importante neste domingo (17), às 20h30, diante do Sport-PE, em Recife com transmissão da ENERGIA 97 FM . Com a derrota do adversário do fim de semana, em Cuiabá, nesta quinta-feira (14), o Santos segue na 16a. colocação com 28 pontos, última vaga antes da zona do rebaixamento. O Leão da Ilha do Retiro é o 18o. com 26, ou seja, a próxima partida será o famoso jogo de 'seis pontos'.

Para a batalha na Arena Pernambuco, na Grande Recife, Fábio Carille não contará com João Paulo e Jean Mota. Ambos receberam o terceiro amarelo em Belo Horizonte. Em compensação, terá a disposição o futebol de Sánchez e Felipe Jonatan que cumpriram suspensão diante do Atlético-MG, na derrota por 3 a 1, no meio de semana.

O Santos tem 13 partidas a realizar nesta edição do Brasileiro, sendo sete delas em casa e outras seis fora. 

O comandante técnico Fabio Carille deu sinais que vai manter os três zagueiros, mesmo sofrendo três gols em dois jogos desde a sua chegada - Juventude e Galo:

"Os três gols não foram por uma questão de posicionamento. Se eu começar a olhar para trás, estamos ferrados. Temos que olhar daqui para frente. Faltam 13 jogos e é isso que eu tenho que olhar. Se eu começar a olhar e levar pro meu grupo o que o Santos fez até agora, acho que é uma situação muito ruim, que não vai nos levar a nada. Temos que olhar daqui para frente, melhorar com os erros e com o que temos feito de bom para que a gente saia disso. Não posso olhar para trás. É olhar os 13 jogos que tenho para frente” afirmou o técnico santista.

Para a vaga de João Paulo, o goleiro Jandrei de 28 anos deve enfim, estrear na meta santista. No meio-campo, Sánchez é o cotado para reassumir a vaga que Jean Mota herdou em Minas Gerais e agora o camisa 41 cumprirá suspensão.

Leia Mais »

SÉTIMA DERROTA COMO VISITANTE

Publicado às 01h00 desta quinta-feira, 14 de outubro de 2021.

O Santos saiu na frente, mas tomou a virada para o Atlético-MG por 3 a 1, na noite desta quarta-feira (13) em Belo Horizonte. Com o resultado, o alvinegro da Vila permanece na última colocação, antes da zona de rebaixamento, ou seja a 16a. colocação. Se o Sport-PE, vencer nesta quinta-feira (14), o Cuiabá, no Mato Grosso, o Peixe entra novamente no Z-4.

O técnico Fábio Carille manteve a trinca de zagueiros e os alas com jogadores de ataque. A única modificação em relação ao jogo passado foi a entrada de Jean Mota na vaga de Sánchez suspenso.

O primeiro tempo do time santista foi bastante seguro na parte defensiva, porém, não conseguia encaixar os contragolpes.

Na segunda etapa, logo no início, Lucas Braga fez grande jogada e a bola foi parar em um dos pés de Raniel. O camisa 12 que havia entrada na vaga de Baptistão, que deixou o gramado lesionado e será reavaliado pelo departamento médico do Santos, batou forte a abriu o marcador para o time da baixada.

O líder da competição foi todo para o ataque e o técnico Cuca colocou Calebe e Nacho. Os dois mudaram o panorama da partida e contaram com falhas individuais dos defensores santistas.

Em seis minutos, o time da casa virou o jogo. Primeiro com um pênalti de Lucas Braga na pequena área e depois numa cobrança de falta e nova falha na bola área. Cinco minutos depois, Velazquez fez outro pênalti e Nacho novamente cobrou e após defesa de João Paulo colocou números finais na partida.

Como visitante, o Santos jogou 13 vezes. Tem a segunda pior campanha com apenas uma vitória, cinco empates e sete derrotas, ou seja, são oito pontos em 39 disputados.

O Santos volta a campo no fim de semana, em Recife, diante do Sport. Ambos lutam desesperadamente para deixarem a zona da confusão.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 3 X 1 SANTOS

Estádio do Mineirão

Àrbitro – Paulo Roberto Alves (PR).

GOLS – Raniel aos três, Nacho aos 24, Nathan Silva aos 29, Nacho aos 35 minutos do segundo tempo.

Público e renda:  16.514 espectadores /R$ 495.619,00.

cartões amarelos – Raniel, Pará, Wagner Leonardo e Jean Motta (SFC) e Dodô (ATL).

ATLÉTICO-MG – Everson; Mariano (Calebe), Nathan Silva, Rever e Dodô; Allan, Jair (Tchê Tchê) e Zaracho; Dylan Borrero (Nacho), Keno (Igor Rabello) e Diego Costa (Sasha). Técnico: Cuca.

SANTOS – João Paulo; Vinícius Balieiro (Diego Tardelli), Velázquez e Wagner Leonardo; Marcos Guilherme (Madson), Camacho, Vinícius Zanocelo, Jean Mota (Gabriel Pirani) e Lucas Braga; Marinho e Léo Baptistão (Raniel). Técnico: Fabio Carille.

O Santos volta a campo, domingo, em Recife diante do Sport.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS


João Paulo:
O melhor goleiro do Brasileirão. Fez grandes defesas. Sem culpa na derrota. - 6,5

Vinícius Balieiro: Jogando fora de posição, não tem o mesmo rendimento. - 5,0

(Diego Tardelli): No meu entender, demorou para entrar. - SEM NOTA

Velázquez: Foi para a bola com o pé de apoio quando cometeu um pênalti infantil no atacante Calebe. - 5,0

Wagner Leonardo: Falhou no segundo gol sofrido pelo Peixe. Ainda não reeditou uma sequência boa, como tinha acontecido no Naútico. - 4,5

Marcos Guilherme: Não atacou e na defesa tem dificuldades na marcação, apesar de não ter comprometido. - 5,0

(Madson): Ainda longe de forma física ideal. Não entrou bem. - 5,0

Camacho: Distribuiu o jogo. Ficou órfão na marcação solitária quando o Atlético veio para cima. - 5,5

Vinícius Zanocelo: Falta uma maior consistência na colaboração de armação de jogadas. - 5,0

Jean Mota: Não foi brilhante, erros algumas bolas paradas, mas teve alguns momentos bons no jogo. - 5,5

(Gabriel Pirani): Entrou no jogo em um momento em que o Santos se desconcentrou e levou a virada. Jogou pouco tempo. - 5,0

Lucas Braga: Só não teve uma nota mais elevada, porque cometeu o primeiro pênalti que deu o gol de empate. Fez grande jogada para o gol de Raniel. - 6,0

Marinho: Foi mais assistente de lateral do que um atacante. Empenho não faltou, entretanto, não chamou o jogo para si, tampouco tentou levar o time a frente nos contra-ataques. - 5,0

Léo Baptistão: Jogou poucos minutos e se lesionou. Passará por nova avaliação e exames para saber a gravidade da contusão na panturrilha. - SEM NOTA

(Raniel): Bonito gol de fora da área. Ainda requer uma melhor composição de ritmo de jogo. - 6,0

Técnico: Fabio Carille:  O esquema funcionou no esquema tático, porém, falhas individuais, culminaram com os gols sofridos. O time tem dificuldade de contra-atacar. - 5,0

Leia Mais »

SEMANA DESAFIADORA E ATAQUE NÃO MARCA HÁ QUASE 90 DIAS

Publicado às 08h25 desta terça-feira, 12 de outubro de 2021.

Após quebrar um longo jejum de 11 jogos sem vitória e sair do Z-4, o Santos tem dois jogos fora da Vila Belmiro na luta em manter-se como um dos três times que jamais sentiram o dissabor de disputar uma segunda divisão. Somente o alvinegro da Vila, Flamengo e São Paulo jamais caíram para a 'segundona' do Brasileirão. Nos próximos cinco dias, o Peixe encara o líder Atlético Mineiro, em Belo Horizonte e no final do domingo (17), pega o Sport-PE, em Pernambuco.

A vitória sobre o Grêmio, além de levar o alvinegro para a 16a. colocação, a última antes do Z-4, elevou o moral do elenco. Eram nove jogos sem vitória, somente se contarmos as partidas do Campeonato Brasileiro.

O time passa por reconstruções e é nítido e notório que tem diversos problemas em vários setores do campo. O maior deles, sem dúvida é no ataque. 

A última vez que um atacante do Santos marcou gol em jogos do clube pelo Brasileiro, se vão quase três meses. Foi do jovem Marcos Leonardo, dia 18 de julho, diante do Red Bull Bragantino, em Bragança Paulista, pela 12a. rodada da competição, no empate em 2 a 2. De lá para cá, foram 13 jogos em que o time balançou as redes pouquíssimas vezes e com gols apenas de defensores e meio-campistas.

O meio-campo é ouro setor que requer melhorias. O 'coordenador de jogadas', talvez a maior delas. O homem que vai levar a bola para os jogadores da frente. 

O técnico Fábio Carille, em pergunta que realizamos durante a última entrevista coletiva, disse que Tardelli pode ser este homem, porém fez algumas ressalvas:

"Antes do jogo contra o São Paulo, eu fiz um teste assim, com ele (Tardelli) fazendo a função de armar e o treinamento não foi bom. Por isso, mudei. Tardelli ainda busca uma condição física melhor. O vejo com quatro jogadores por dentro e ele mais perto do 9, como quarto homem. Num losango, ele seria a ponta dele. Ele também pode jogar como um falso 9. Hoje, o vejo assim, mas ele pode melhorar fisicamente. Não é tão jovem, mas trabalha muito. Pode ser um quarto homem pelo lado também, mas hoje, nessas condições, o quarto homem em um losango ou falso 9", afirmou Carille, logo após a vitória diante do Grêmio, no fim de semana.

Para o jogo diante do Atlético-MG, o time tem duas baixas certas. O meia Carlos Sánchez e o lateral Felipe Jonatan receberam o terceiro cartão amarelo e, consequentemente, estão suspensos para o confronto desta quarta-feira (13). 

O elenco santista treina na manhã desta terça-feira (12) e em seguida embarca para o Estado das Minas Gerais. 

Atlético-MG e Santos se enfrentam pela 26a. rodada do Brasileirão, nesta quarta-feira (13), às 19 horas, no Mineirão. O segundo duelo consecutivo fora de casa, será domingo (17), às 20h30, diante do Sport-PE, em Recife. Ambas as partidas terão transmissão da Rádio Energia 97 FM.

Leia Mais »

VENCER OU VENCER

Publicado às 08h deste domingo, 10 de outubro de 2021.

Não existe outro resultado que interesse ao Santos na tarde deste domingo (10), na Vila Belmiro, que não seja o da vitória, diante do Grêmio-RS. Com os sucessos de Sport-PE e Bahia, diante de Corinthians e Athlético Paranaense, respectivamente, o alvinegro praiano entrou na zona de rebaixamento e ocupa a 18a. colocação do Brasileiro, a frente apenas do adversário de logo mais e Chapecoense. O Peixe não vence há 11 partidas. 

A última vitória do clube na temporada foi diante da Chapecoense, no Sul do país, há mais de dois meses - 1 de agosto de 2021.

Para o duelo diante do tricolor gaúcho que também vive situação 'periclitante', o comandante Fábio Carille, que ainda não venceu a frente do Santos, em cinco jogos, optou por manter o esquema com três zagueiros e faz uma única modificação em relação ao time que empatou com o São Paulo na última quinta-feira (7). Saca Felipe Jonathan e coloca Lucas Braga como ala pela esquerda.

Esta sequência ruim sem vitórias é a pior da história do clube desde 1986. 

A partida também marca o retorno do torcedor santista a Vila Belmiro, após mais de 500 dias. A última vez que o alçapão de Urbano Caldeira recebeu público foi em Março do ano passado, na vitória do alvinegro sobre o Mirassol, pelo estadual daquele ano.

A situação não é nada confortável, como nunca visto anteriormente na história vitoriosa do clube. E será com esse elenco, com esse grupo, somente ele, que pode tirar o Santos dessa situação vexatória que a instituição se encontra na luta pela manutenção na série A.

Sendo assim, peço encarecidamente, pois o momento agora é de união de toda coletividade santista. Agora o foco é único: Torcedor, dê carinho, incentive, aplauda, emane energias positivas para o time dentro de campo. Principalmente, você que estará entre os 4.644 que conseguiram ingresso e presenciarão 'in loco' a partida na Vila mais famosa do mundo, neste domingo (10).

Deixe para fazer algum tipo de protesto, se não gostar do que viu, após o apito final. O momento é critico e só nos resta dar apoio incondicional. Depois, escolhemos os culpados e façamos as análises devidas. O instante é de somar pontos e chegar ao objetivo, os 44 pontos que livram o clube do descenso. 

Um novo empate neste fim de semana, não é o suficiente para sair do Z-4, portanto só o reencontro com a vitória serve.

O Santos vai a campo com  João Paulo; Balieiro, Velázquez e Wagner Palha; Marcos Guilherme, Camacho, Zanocelo, Sánchez e Lucas Braga; Marinho e Léo Baptistão.

Leia Mais »

VOLTOU A FAZER GOL. PRECISA VOLTAR A VENCER.

Publicado às 9h desta sexta-feira, 8 de outubro de 2021.

Na volta do público ao estádio, em seu primeiro clássico, sendo que o Morumbi palco do duelo da noite desta quinta-feira (8) e todos estádios no estado só podem receber 30% de sua capacidade, que aumentará para 50% a partir do dia 16 e 100%, a partir de 1º de novembro, o São Paulino compareceu de forma tímida, apenas com 5.529 torcedores e no clássico diante do Santos, viu seu time ficar na igualdade em 1 a 1. Os dois rivais seguem na zona da confusão, próximo do perigo do rebaixamento. Pior para o time da baixada que segue em posição periclitante na tabela.

O duelo foi válido pela pela 24ª rodada do Brasileirão. Carlos Sánchez fez um golaço no começo da partida e encerrou a seca de mais de um mês sem gols do alvinegro da Vila. Eram mais de quatro jogos. Foi a primeira balançada de rede na Era Carille.

O resultado não alivia a pressão do Peixe na classificação. O Santos, agora tem 25 pontos, e segue, por enquanto, como  o primeiro time fora do grupo do descenso. Está a dois pontos do Grêmio, seu próximo adversário, que abre a zona de rebaixamento com 23.

No começo do jogo, o tricolor foi para cima, mas também deu espaço para o melhor jogador do Santos abrir o placar na única vez em que o time treinado por Carille chegou ao ataque, no primeiro tempo, aos 5 minutos de partida. 

Após o gol, os donos casa tomaram o controle do jogo, empataram e ficaram perto da virada. O gol de empate surgiu em uma cobrança de pênalti. Na jogada, Rodrigo Nestor finalizou de longe, a bola desviou no braço de Vinícius Balieiro, e o árbitro Raphael Claus assinalou a marca da cal após rever o lance no monitor do VAR.

Durante a segunda etapa, Carille abriu mão de Wagner Palha e o esquema com três defensores e colocou o atacante Lucas Braga em seu lugar. O time teve maior presença ofensiva e melhorou, mas não a ponto de balançar as redes novamente.

Nos acréscimos, o Santos viveu seu melhor momento na partida e teve a possibilidade de conquistar a vitória no contra-ataque, mas não o fez. Volpi, muito criticado pela torcida tricolor, salvou o São Paulo em chute de Felipe Jonatan, aos 46 minutos. 

O alvinegro completou seu 11o. jogo sem vitória, sendo nove pelo Campeonato Brasileiro. No domingo (10), enfrenta o Grêmio-RS, na Vila Belmiro. Todos os ingressos colocados a venda, apenas 4.644, foram comercializados.


FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 x 1 SANTOS

Estádio do  Morumbi - São Paulo (SP)

Árbitro: Raphael Claus (Fifa/SP)

GOLS: Carlos Sánchez, aos 6, e Calleri (pênalti), aos 34min do 1ºtempo

Cartões amarelos: Vinícius Balieiro, Marinho, Danilo Boza, Marcos Guilherme (SFC)

Renda: R$ 393.437

Público: 5.529 pagantes 

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Igor Gomes, Miranda, Léo e Welington; Luan (Gabriel Neves), Rodrigo Nestor (Liziero), Luciano; Wellington (Gabriel Sara), Rigoni e Calleri (Benítez). Técnico: Hernán Crespo

SANTOS: João Paulo; Vinícius Balieiro, Emiliano Velázquez e Wagner Leonardo (Lucas Braga); Marcos Guilherme, Camacho (Danilo Boza), Vinícius Zanocelo, Carlos Sánchez (Gabriel Pirani) e Felipe Jonatan; Marinho e Léo Baptistão (Diego Tardelli). Técnico: Fábio Carille

O Santos volta a campo diante do Grêmio, no domingo, na Vila.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS: 

João Paulo: Fez duas boas defesas. O grande nome da equipe na atualidade. - 6,0

Balieiro: Infelizmente, teve a atuação comprometida, pois participou do lance do pênalti polêmico, ao abrir levemente o braço. Como zagueiro teve dificuldades para cobrir Marcos Guilherme, e no meio foi bem na marcação como de costume. Tem tudo para virar o 'cão de guarda1 de Carille no 4-1-4-1 que o comandante gosta de adotar. - 5,5

Velázquez: Errou saídas de bola e deu alguns botes errados que me assustaram. - 5,0

Wagner Palha: Melhorou na segunda etapa. No primeiro tempo passes errados e espaços na marcação. Tem condições de jogar melhor. - 5,0

(Lucas Braga): Não pode ser reserva neste time. Entrou e colocou uma fumaça no lado esquerdo do ataque. - 6,0

Marcos Guilherme: No apoio foi razoável. Não tem cacoete para a marcação. - 5,5

Camacho: Não foi eficiente na marcação no primeiro tempo e nem as bolas longas, sua marca, conseguiu realizar. - 5,0

(Boza): No primeiro lance após entrar no jogo, levou amarelo. Depois não comprometeu mais e foi seguro no jogo aéreo. - 5,5

Zanocelo: Discretíssimo na primeira etapa e um pouco mais participativo nos 45 minutos finais, na marcação. Sigo aguardando a sua estreia. - 5,0

Sánchez: No primeiro tempo estava mais adiantado do que Marinho. Belo gol de fora da área. Ainda falta melhorar o desarme. - 6,0

(Pirani): O time ficou mais leve e com mais presença na frente após a sua entrada. - 6,0

Felipe Jonatan: Com os três zagueiros e se transformando em ala, rende um pouco mais. Sentiu a falta de um companheiro pela esquerda, que só veio após a entrada de Lucas Braga. Com uma referência pelo lado canhoto, conseguiu subir e finalizar no fim da partida. Poderia ser o gol da vitória. - 6,0

Marinho: Com a marcação dobrada, não conseguiu finalizar. Teve boa doação durante os 90 minutos. No primeiro tempo chegou, equivocadamente no meu entender, ser assistente do ala Marcos Guilherme, voltando constantemente. - 5,5

Léo Baptistão: A bola não chegou e teve que sair muito fora da área. Não finalizou ao gol. - 5,0

(Tardelli): Prefiro-o de coordenador de jogadas, como nos tempos de Atlético-MG e no jogo diante do Juventude, na rodada passada. Mas mesmo de referência no ataque foi mais participativo que Baptistão. - 5,5

Técnico: Fábio Carille: O time esteve atento na marcação, o tempo todo, mas o comandante podia ter aproveitado melhor o espaço e a improvisação do lado direito da defesa do São Paulo. Lucas Braga, demorou muito para ir a campo. No primeiro tempo, se limitou a marcar e não conseguiu contra golpear. Nem parece que tinha tido tempo para treinos durante 10 dias. - 5.5


SUB-20 CLASSIFICADO NO PAULISTA

No CT Rei Pelé, em partida válida pela última rodada da fase de classificação, o Santos venceu o Santo André pelo Paulista sub-20 e garantiu presença na próxima fase da competição. Os gols da vitória santista por 3 a 0 foram de João Vitor, Nycollas e Andrey Quintino.

Com o resultado, o Peixe terminou a primeira fase na vice colocação do grupo 9 com 15 pontos e segue na disputa do campeonato. 

Agora, na segunda fase, serão 32 times divididos em oito grupos com quatro equipes, sendo que os dois primeiros colocados avançam para a terceira fase.

O alvinegro estará no grupo 13 ao lado de Amparo, Taubaté e Guarani.

No ano passado, o time foi semifinalista da competição, algo que não acontecia há quase 10 anos.

Os comandados de Thiago Lima voltam a campo no feriado desta terça-feira (12) e cumprem tabela diante do Vasco-RJ, pelo Brasileiro da categoria. Nesta competição, o alvinegro não reúne chances de classificação.

No confronto diante do Ramalhão, os 'Meninos da Vila' comandandos por Thiago Lima jogaram com Edú Araújo; Andrey Quintino, Gustavo Moreira (Yalle), Jair Paula e João Pistelli (Diogo Correia); Cadu, Matheus Nunes e Lucas Barbosa (Gabriel Santana); Kaio Henrique (Nycollas Lopo), João Victor (Rafael Moreira) e Victor Michell (Brayan Krüger).

Leia Mais »

PEIXE SÓ JOGA NO DIA 7, NO CLÁSSICO CONTRA O SÃO PAULO

Publicado às 17h30 desta terça-feira, 28 de setembro de 2021.

Em reunião do Conselho Técnico de Clubes da Série A realizado na tarde desta terça-feira (28), ficou decidido que  a volta do público aos estádios acontecerá à partir da 23ª rodada, neste final de semana. Como nos Estados de São Paulo e na Bahia a presença de público ainda não está liberada, a CBF deu a opção aos clubes mandantes que pudessem adiar suas partidas e o Santos solicitou que o seu confronto no dia 3 de outubro diante do Fluminense, no próximo fim de semana, seja reagendado, o que foi aceito pela entidade máxima do futebol nacional. O governo paulista só libera a presença de 30% do público, à partir de segunda-feira (4).

Com isso, o enfrentamento entre Santistas e tricolores carioca pelo returno do Brasileiro deve ser realizado no fim de outubro. 

Sendo assim, como o Grêmio- RS tem dois jogos a menos que o Santos, nos confrontos adiados contra Flamengo e Atlético Mineiro, se os gaúchos conseguirem vitória diante do Sport-PE, neste domingo (3), jogarão o Peixe para a zona de rebaixamento, neste fim de semana. O time dos Pampas tem 22 pontos em 20 jogos. 

Porém, o alvinegro com técnico recém contratado, Fábio Carille que dirigiu o time em quatro jogos, terá mais tempo de treinar seus atletas em busca de recuperação na competição.

Com o adiamento do confronto entre Santos e Fluminense, o próximo duelo do time da Vila será diante do São Paulo, no Morumbi dia 7 de outubro. 

Com a sua torcida de volta podendo empurrar o time, o Glorioso da Vila enfrentará o Grêmio, no fim de semana seguinte, dia 10 de outubro.

O Santos atualmente é o 16o. colocado, a última colocação, antes da zona do rebaixamento com 24 pontos.

Leia Mais »
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by