FOTO CAPA

PRIMEIRA VITÓRIA FORA DE CASA, GRAÇAS A JOÃO PAULO

Publicado às 9h desta segunda-feira, 2 de agosto de 2021.

O Santos conquistou sua primeira vitória fora de casa neste Brasileiro, ao vencer o lanterna da competição, a Chapecoense, no Sul do país, na noite deste domingo (1), no Sul do país por 1 a 0. O único gol do jogo foi convertido através de penalidade máxima por Carlos Sánchez. Com o resultado, o alvinegro pula para a oitava colocação da competição.

Mas se faltou sorte nos duelos diante do América-MG e Fluminense, por exemplo, sobrou na partida deste fim de semana. O segundo tempo do Santos foi horroroso e se não fosse o goleiro João Paulo, o resultado seria bem diferente. 

O time dirigido por Jair Ventura amassou o Peixe na segunda etapa e merecia melhor sorte. Como no futebol, não tem merecimento e sim eficácia, o Glorioso da Vila ficou com os três pontos.

Sem Marinho suspenso, Diniz colocou Lucas Braga aberto pela esquerda, trouxe Marcos Guilherme para direita e Marcos Leonardo herdou a vaga de Kaio Jorge negociado com a Juventus-ITA. 

Os primeiros 45 minutos até foram razoáveis do time paulista. A Chapecoense deu a bola ao Santos que voltou a ter dificuldade na armação e os meio-campistas pouco produziram para deixar os atacantes em condições de finalizar. 

Ainda assim, quando a primeira etapa se encaminhava para o final, Madson foi agarrado dentro da área e com a ajuda do VAR, a arbitragem assinalou pênalti. Sánchez errou a primeira, mas o goleiro se adiantou, mas não deu a mínima chance de defesa na segunda e abriu o placar.

No segundo tempo, Luiz Felipe deixou o gramado ao sentir incomodo muscular e deu vaga a Wagner Palha que foi para a quarta zaga e Kaike veio para direita. 

O time de Diniz recuou de forma assustadora e o centroavante Marcos Leonardo, por exemplo, veio marcar na zona dos volantes. O time de Santa Catarina colocou bola na trave e pressionou. Porém, a ineficiência dos mandantes e a ótima performance de João Paulo garantiram o resultado. É nítido que o time que apresentava evolução, caiu nos últimos cinco jogos.

O Santos teve muito mais sorte do que juízo e bom futebol neste fim de semana.

A equipe parte direto de Chapecó para Bahia, onde na próxima quinta-feira, faz o jogo de volta diante da Juazeirense pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Fernando Diniz ainda não decidiu se vai poupar os principais jogadores para o clássico do fim de semana diante do Corinthians pelo Brasileirão. 

Na Copa do Brasil, o Peixe pode perder por até três gols de diferença que estará classificado a próxima fase por ter vencido o duelo de ida por 4 a 0.

Wagner Leonardo, o Palha, reapareceu no Santos depois de empréstimo ao Náutico.

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE 0 X 1 SANTOS

Arena Condá, em Chapecó (SC)

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR)

Gol: Carlos Sánchez, 42'/1ºT (0-1)

CHAPECOENSEJoão Paulo; Matheus Ribeiro, Kadu, Derlan e Busanello; Léo Gomes (Foguinho, aos 40'/2ºT), Anderson Leite e Felipe Silva (Ravanelli, aos 15'/2ºT); Fabinho (Geuvânio, aos 15'/2ºT), Fernandinho (Mike, aos 31'/2ºT) e Anselmo Ramon (Perotii, aos 15'/2ºT). Técnico: Jair Ventura

SANTOS:João Paulo, Madson, Luiz Felipe (Wagner Leonardo, no intervalo), Kaiky e Felipe Jonatan; Camacho, Jean Mota e Carlos Sánchez (Vinícius Zanocelo, aos 25'/2ºT); Lucas Braga (Bruno Marques, aos 40'/2ºT), Marcos Leonardo e Marcos Guilherme (Gabriel Pirani, aos 13'/2ºT). Técnico: Fernando Diniz


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS:

João Paulo: Ainda peca na saída de gol, mas debaixo dos três paus, quase que perfeito. O nome da partida. Duas defesas lindas, sendo uma milagrosa. - 7,5

Madson: Apoiou pouco, ainda assim, foi ele que sofreu o pênalti que deu o gol da vitória. - 6,0

Luiz Felipe: Novamente se mandou para o meio na tentativa de ajudar os companheiros. Não tinha comprometido até sentir dores musculares. - 5,5

(Wagner Palha): Parecia um veterano. Tomou conta e deu no mínimo dois ótimos desarmes. Vai ser difícil sair do time. - 6,5

Kaiky: Cresceu bastante e era nítido que se sentiu mais seguro quando foi atuar pela direita. Fez um ótimo desarme na segunda etapa. - 6,5

Felipe Jonatan: Não apoiou como de costume. Seguro na marcação. - 6,0

Camacho: Caiu de produção junto com o time nos últimos jogos. - 5,0

Jean Mota: Não conseguiu colaborar na armação do time. Deu um belo chute no começo do jogo. - 5,0

Carlos Sánchez: O meio-campo santista é dependente do uruguaio. Mesmo sem ser brilhante, quando ele sai, o setor não cria absolutamente nada. Cansou e deixou o gramado no segundo tempo. Bela cobrança de pênalti na segunda tentativa, após perder a primeira. - 6,5

(Zanocelo): Jogou apenas metade da segunda etapa, mas ainda não justificou sua contratação. Precisa de uma sequência de jogos para ser testado. - 5,0

Lucas Braga: Pouco acionado. As poucas que tentou, levou vantagem em algumas pela esquerda. - 5,5

(Bruno Marques): Entrou muito provavelmente para segurar a defesa do time mandante, mas de forma incompreensível estava ajudando o lateral. Jogou apenas 10 minutos. - SEM NOTA

Marcos Leonardo: A bola não chegou no centroavante santista. No segundo tempo, a pressão do adversário era tão grande que virou volante. - 5,0

Marcos Guilherme: Visivelmente desgastado com a maratona de partidas. Além disso, foi improvisado pela direita, quando rende muito mais pela esquerda. è um jogador para ser poupado na quinta-feira. - 4,5

(Gabriel Pirani): Não conseguiu elevar o nível do meio-campo do Santos na construção das jogadas. - 5,0

Técnico: Fernando Diniz: O time caiu nos últimos jogos. As mudanças de posição de Marcos Guilherme fizeram com que o atacante não reeditasse os bons primeiros jogos. No segundo tempo, não conseguiu fazer com que o time reagisse e a vitória só chegou graças a performance de João Paulo. - 5,0


Leia Mais »

CLASSIFICAÇÃO BEM ENCAMINHADA NA COPA DO BRASIL

Publicado às 00h30 desta quinta-feira, 29 de julho de 2021.

O Santos conseguiu uma larga vantagem ao golear a Juazeirense-BA, na partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira (28), na Vila Belmiro. O alvinegro venceu com gols no fim da partida, o time do interior baiano por 4 a 0. 

Os gols foram todos na segunda metade da etapa complementar. Madson, Lucas Braga, Marcos Leonardo e Sánchez marcaram. 

O gol do uruguaio foi histórico pois ele entrou para a galeria de maior artilheiro estrangeiro da história do clube superando o colombiano Copete. O camisa 7 agora tem 27 gols com o manto alvinegro.

Sem Camacho que não pode atuar na competição continental, assim como Boza e Moraes, além de Alison que negocia sua ida para o mundo árabe e Kaio Jorge afastado em razão de negociação com a Juventus-ITA, Diniz trouxe Pirani de volta ao meio-campo e recuou Jean Mota para a cabeça de área. Na frente, Lucas Braga ganhou a vaga de atacante de lado e Marcos Guilherme começou como falso 9.

O Santos efetuou 21 cruzamentos no primeiro tempo, sem um centroavante de ofício em campo. No intervalo, Diniz mandou Bruno Marques para aproveitar os lances de cabeça. Foram quatro boas oportunidades na primeira etapa para abrir o placar e novas incompetências na finalização. Nos 45 minutos finais, de forma impressionante, com um jogador alto, o time diminuiu esse fundamento. 

O primeiro gol só apareceu aos 27 minutos da segunda etapa. Jean Mota cruzou e Madson desviou de cabeça. Aos 39 Lucas Braga marcou o segundo. Os dois últimos gols vieram nos acréscimos, aos 46 e 54 minutos.

O time baiano cansou no último terço da etapa complementar e o resultado foi melhor do que a apresentação alvinegra.

Com a goleada, o Santos pode perder por até três gols de diferença na partida de volta na próxima quinta-feira (5), em Juazeiro, que ainda assim avança as quartas de finais da competição. 

O alvinegro deve abocanhar R$ 3,45 milhões por avançar de fase. Antes de enfrentar o Juazeirense novamente, o Glorioso Praiano vai a Santa Catarina e pega a Chapecoense, domingo (1), pelo Brasileiro. O time da região Sul dirigido por Jair Ventura, ainda não venceu na competição de pontos corridos.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 4 X 0 JUAZEIRENSE

Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP)

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)

Gols: Madson, 27'/2Tº (1-0), Lucas Braga, 39'/2ºT (2-0) e Marcos Leonardo, 46'/2ºT, Carlos Sánchez, 54'/2ºT

Cartões amarelos: Marinho e Jean Mota (SFC),  Daniel e Tony Galego (JUA)

SANTOS: João Paulo; Madson, Luiz Felipe, Kaiky e Felipe Jonatan; Jean Mota, Carlos Sánchez e Gabriel Pirani (Bruno Marques, no intervalo); Marcos Guilherme, Lucas Braga e Marinho (Marcos Leonardo, aos 38'/2ºT). Técnico: Fernando Diniz

JUAZEIRENSE: Rodrigo Calaça; Guilherme Lucena (Carlinhos, aos 26'/2ºT), Jamerson, Wendel e Daniel; Waguinho, Sapé, Patrik e Júnior Timbó (Ian Augusto, aos 17'/2ºT); Tony Galego (Waldir, aos 36'/2ºT) e Kesley (Nino Guerreiro, aos 20'/2°T). Técnico: Carlos Rabelo

Lucas Braga marcou o segundo gol do Santos no jogo. Alvinegro jogou com seu terceiro uniforme.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS: 

João Paulo: Livrou a cara de Luiz Felipe que perdeu uma bola no segundo etapa e obrigou o camisa 34 a grande defesa. - 6,5

Madson: Bem no apoio e melhor ainda no jogo aéreo. Responsável pelo primeiro gol após lançamento de Jean Mota. - 6,5

Luiz Felipe: Bela assistência a Marcos Leonardo no último gol. Perdeu uma bola dominada que quase proporciona o gol do adversário. - 5,5

Kaiky: Bem na saída de bola. A defesa do Santos não foi exigida. - 6,0

Felipe Jonatan: Bem no apoio. Quase marcou um gol na primeira etapa. - 6,0

Jean Mota: Errou muitos passes, principalmente no primeiro tempo. Foi dele o lançamento para a abertura do marcador para Madson. - 5,5

Carlos Sánchez: Figura mais lúcida do time. Participou do segundo gol e marcou o seu, histórico e o último da partida. - 7,0

Pirani: Bastantes deslocamentos no gramado, mas pouca objetividade. Foi substituído. - 5,0

(Bruno Marques): No alto, muita qualidade, apesar de perder duas oportunidades. No chão, muita dificuldade com a bola. - 5,0

Marcos Guilherme: Sacrificado pelo esquema. Jogou de falso 9 no primeiro tempo. Melhorou na segunda etapa ao jogar no meio. Ainda assim, abaixo do que pode produzir. - 5,0

Lucas Braga: Depois de Sánchez, foi quem mais se destacou. Boas jogadas em profundidade pelo lado do campo. Bom arremate no segundo gol do jogo. - 7,0

Marinho: Embolou muito pelo meio e não se fixou pelo lado do campo. Um bom arremate na primeira etapa. Foi bem substituído. - 5,0

(Marcos Leonardo): Entrou no fim, mas o suficiente para estar bem colocado e concluir com êxito a gol. - 6,0

Técnico: Fernando Diniz: Escalou um time ofensivo, sabedor que o adversário não sairia do seu campo. Acertou ao trocar Marcos Leonardo por Marinho. Errou ao deixar Marcos Guilherme sem função na primeira etapa. Time insiste em muitos cruzamentos. No primeiro tempo, sem um camisa 9 específico fez 21 cruzamentos, quase um a cada dois minutos. - 6,5

Leia Mais »

SEM CAMACHO NA COPA DO BRASIL

Publicado às 16h desta terça-feira, 27 de julho de 2021.

Sem vencer há três jogos, o alvinegro muda a chave no seu foco e vai jogar a partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, diante da Juazeirense, às 19h15, na Vila Belmiro com transmissão da ENERGIA 97 FM.

Para o duelo diante do clube baiano, que lidera o seu grupo na Série D do Brasileiro e  já eliminou Sport-PE e Cruzeiro-MG, o técnico Fernando Diniz tem três desfalques garantidos - o volante Camacho, o zagueiro Danilo Boza o lateral Moraes, que já atuaram por equipes na competição nacional antes de se transferirem para o alvinegro praiano.

Dos três supracitados, o meio-campista Camacho é o único titular incontentável. O volante atuou pelo Corinthians na última fase. Mesmo o time paulista eliminado precocemente, o regulamento é diferente da Copa Sul-Americana, que permite o atleta atuar em duas equipes diferentes na mesma edição, porém, em fases diferentes. 

As opções do técnico Fernando Diniz são Alison, que também é dúvida se será relacionado em  razão de negociação com o futebol da Arábia Saudita, Zanocelo, Ivonei e Balieiro que tem sido pouco utilizado.

Moraes está praticamente recuperado da lesão de grau um na coxa esquerdo, que o tirou dos dois últimos jogos. Como também já atuou pelo Mirassol, assim como Boza e ambos estão impedidos de serem relacionados.

O técnico Diniz vai definir o time que vai a campo na tarde desta terça-feira (27), na última atividade antes de o time ir a campo, amanhã.
Leia Mais »

DOMÍNIO, SIM. COMPETÊNCIA NA FINALIZAÇÃO, NÃO

Publicado às 10h15 desta segunda-feira, 26 de Julho de 2021

O Santos perdeu sua primeira partida como mandante no Brasileiro. Na noite deste domingo (25) no Estádio da Vila Belmiro, o alvinegro perdeu para o Atlético Goianiense por 1 a 0. Com o resultado, o time caiu para a décima primeira colocação na competição e pode perder mais uma posição nesta segunda-feira (26), caso o Corinthians vença o Cuiabá. O Glorioso praiano completou seu terceiro jogo sem vitória no Campeonato.

Diniz repetiu a mesma escalação do empate na Argentina, diante do Independiente que classificou o time na Copa Sul-Americana. Com Madson, Sanchez e Jean Mora de titulares com Pará e Pirani novamente entre os suplentes.

O alvinegro da Vila finalizou 29 vezes com duas bolas na trave e uma cabeçada do Madson apenas em direção ao gol. Foram 15 finalizações para fora, 12 chutes travados e os números resumem a incompetência da finalização do Santos na partida. O time insistiu em muitos cruzamentos e foram mais de 50 no jogo.

O gol dos goianos que vencem pelo segundo ano seguido na Vila foi de Zé Roberto através de penalidades máximas.

O Peixe volta a jogar pelo Brasileirão no próximo domingo (1) às 18h15 em Chapecó, diante da Chapecoense. Porém, o time de Diniz volta a campo na quarta-feira (28), pela Copa do Brasil contra o Juazeirense, na Vila Belmiro em partida de ida das oitavas de final da competição. Moraes que se recupera de lesão muscular pode ser a novidade entre os relacionados.


FICHA TÉCNICA

SANTOS 0 X 1 ATLÉTICO-GO

Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP)

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)

Gols: Zé Roberto, 19'/1ºT (0-1)

Cartões amarelos: João Paulo e Marinho (SFC), Zé Roberto e Fernando Miguel (ATL)

SANTOS: João Paulo, Madson (Ângelo, aos 40'/2ºT), Luiz Felipe (Lucas Braga, no intervalo), Kaiky e Felipe Jonatan (Marcos Leonardo, aos 40'/2ºT); Camacho, Jean Mota e Carlos Sanchez (Gabriel Pirani, aos 31'/2ºT); Marinho, Marcos Guilherme e Kaio Jorge. Técnico: Fernando Diniz

ATLÉTICO-GO: Fernando Miguel; Dudu, Wanderson, Oliveira e Natanael; André Lima, Baralhas (Arthur Gomes, aos 34'/2ºT), Marlon Freitas e Ronald (Arnaldo, aos 34'/2ºT); Zé Roberto (André Luís, aos 7'/2ºT) e Janderson (Toro, aos 42'/2ºT). Técnico: Eduardo Barroca

Madson foi novamente titular pela direita.


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

João Paulo: Evitou um gol certo de Artur Gomes. Fez o pênalti, mas não tinha o que fazer no lance. - 6,0

Madson: Duas boas cabeçadas. Uma que o goleiro Fernando Miguel defendeu e outra para fora. - 5,5

(Ângelo): Quase não pegou na bola. Pouco tempo em campo. - SEM NOTA

Luiz Felipe: Se mandou para frente no fim da primeira etapa. No lance do pênalti, não estava bem colocado e não interceptou o lançamento. Foi substituído no intervalo. - 4,5

(Lucas Braga): Entrou bem no jogo com jogadas interessantes pelo lado. Com o avançar do tempo , o desespero também caiu no atacante. - 5,5

Kaiky: Ficou como único zagueiro de ofício na segunda etapa. - 5,0

Felipe Jonatan: Faltou sorte no chute forte de esquerda que parou na trave. - 5,5

(Marcos Leonardo): Entrou aos 42 minutos do segundo tempo. - SEM NOTA

Camacho: Caiu bastante de produção nos últimos jogos. Foi dominar a bola em um lance que parou na própria face e proporcionou um contra-ataque que quase termina em gol do adversário. - 4,5

Jean Mota: Não conseguiu colaborar na construção das jogadas. Insistiu muito na bola longa. No segundo tempo virou zagueiro. - 5,0

Carlos Sanchez: O mais lúcido do meio-campo. Porém, não foi suficiente para mudar o panorama. - 5,0

(Gabriel Pirani): Correu, se movimentou, mas com pouca eficácia. - 5,0

Marinho: Vai ter dificuldade para se adaptar ao jogo de aproximação de Diniz. Tem menos espaço. Colocou uma bola no travessão. - 5,5

Marcos Guilherme: Perdeu três oportunidades claras. O futebol não tolera desaforo. - 4,5

Kaio Jorge: Apagado. Teve uma chance de igualar o jogo, mas não dominou tão bem a bola e foi travado pelo adversário. - 4,5

Técnico: Fernando Diniz: Não tem culpa das más finalizações. Mas o Santos mais uma vez para em casa para um adversário que ficará muito provavelmente na segunda metade da tabela como Juventude e Sport, já haviam feito. - 5,0

Leia Mais »

COM ATUAÇÃO DE GALA DE JOÃO PAULO, PEIXE SE CLASSIFICA NA SUL-AMERICANA

Publicado às 08h20 desta sexta-feira, 23 de julho de 2021.

Com uma atuação de Gala do goleiro João Paulo, o Santos empatou com o Independiente (ARG) em 1 a 1, na noite desta quinta-feira (22), em Avellaneda, na Grande Buenos Aires, e garantiu vaga nas quartas de final da Copa Sul-Americana. O gol do time brasileiro novamente foi de Kaio Jorge. Como venceu o jogo de ida por 1 a 0, a igualdade bastou para a classificação. Na próxima fase, o alvinegro enfrentará o Libertad, do Paraguai.

Fernando Diniz realizou as modificações que o Blog publicou na véspera do duelo. O retorno de Jean Mota que havia cumprido suspensão no Brasileiro; Sánchez foi mantido entre os 11 titulares e Felipe Jonatan herdou a vaga de Moraes lesionado. Pirani e Pará foram para o banco de reservas.

O Peixe começou muito bem, trocando bolas e com o controle da partida, entretanto, após o 16o. minuto de jogo, o time brasileiro desnecessariamente recuou absurdamente. Começou a entrar em ação o grande personagem do jogo, o goleiro João Paulo que realizou três milagres com defesas dignas de Rodolfo Rodriguez e Rafael Cabral, só na primeira etapa. 

Como quem não faz toma, pois o 'futebol não tolera desaforo' aos 37 minutos, Marinho roubou bola na intermediária e tocou para Sánchez. O uruguaio efetuou lindo lançamento para Kaio Jorge. O defensor Insaurralde tentou mandar a bola para o lado, mas não conseguiu. A mesma sobrou nos pés do camisa 9 santista, que tentou o domínio, mas não conseguiu, porém, o desvio foi suficiente para matar o goleiro Sosa e abrir o marcador: 1 a 0 que deu uma tranquilidade maior com o gol fora de casa que obrigava os argentinos a marcarem três para ficarem com a classificação.

No segundo tempo, o panorama seguiu. O Santos recuado, levando 'bombardeio' com João Paulo em noite maravilhosa salvando. Foram mais cinco defesas formidáveis.

"Partida especial para mim, rivalidade de Brasil e Argentina e queria dedicar à minha mãe, que está tratando um câncer. Vamos vencer isto juntos e quero dedicar para ela" disse o homem do jogo ao final da partida ao receber sua premiação, o goleiro santista João Paulo.

No meio da etapa complementar, com a ajuda do VAR, o árbitro peruano, fraquíssimo, deu o cartão vermelho para o zagueiro Insaurraude. O Santos não aproveitou a vantagem numérica e levou o gol de empate minutos mais tarde. Lucas González aproveitou a sobra após bate-rebate na área e igualou o marcador.

Os 'rojos' tiveram mais um jogador expulso nos acréscimos e pela primeira vez na história, o Santos eliminou o 'rei do tapete' porque de Copas, só se for no jogo de baralho. Sem seu principal jogador, os tribunais para recorrer a toda poderosa Conmebol e ganhar a classificação por meio escuso, os argentinos, estão eliminados.


FICHA TÉCNICA

INDEPENDIENTE 1 x 1 SANTOS

Estádio Libertadores da América, em Avellaneda (Argentina).

Árbitro - Diego Haro (PER).

GOLS - Kaio Jorge, aos 37 minutos do primeiro tempo. Lucas González, aos 22 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Blanco e Lucas Romero (IND); Jean Mota (SFC).

Cartões vermelhos - Insaurralde e Barreto (IND).

INDEPENDIENTE (ARG): Sebastian Rosa; Bustos, Barreto, Insaurralde e Lucas Rodriguez (Soñora); Blanco (Herrera), Lucas Romero, Palacios (Rodrigo Márquez), Velasco (Braian Martínez) e Roa (Lucas González); Silvio Romero. Técnico: Julio Falcioni.

SANTOS: João Paulo; Madson, Luiz Felipe, Kaiky e Felipe Jonathan; Camacho (Alison), Jean Mota (Zanocelo) e Carlos Sánchez (Pirani); Marinho (Lucas Braga), Kaio Jorge (Marcos Leonardo) e Marcos Guilherme. Técnico: Fernando Diniz.

Sánchez e Kaio Jorge comemoram o gol santista na Argentina.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS 

João Paulo: Só não evitou o gol de empate do adversário. Uma atuação para não ser esquecida. Oito grandes defesas com no mínimo quatro milagres. - 9,5

Madson: Merecidamente começou como titular. Vive um melhor momento. Tem dificuldades na marcação, mas compensação com muita velocidade e apoio pelo lado direito do campo. - 6,0

Luiz Felipe: Bem na saída de bola, mas o coletivo da defesa santista deixou a desejar com os atacantes do Independiente parando apenas em João Paulo. - 5,5

Kaiky: Conseguiu evitar um gol no segundo tempo. Levou a pior nos enfrentamentos individuais com os atacantes do time 'rojo' - 5,0

Felipe Jonathan: Sofreu, principalmente na primeira etapa, quando o técnico do Independiente usou a esquerda da defesa santista para atacar. Estava ficando toda hora com dois homens para marcar. No segundo tempo, Diniz corrigiu e colocou Marcos Guilherme para auxilia-lo, com isso, teve mais espaços e chegou a ajudar nas tentativas de contra-ataques. - 5,5

Camacho: Deu espaços na marcação e errou algumas saídas de bola. - 5,0

(Alison): Demorou para entrar. - SEM NOTA

Jean Mota: Discreto. Não conseguiu objetividade no auxílio na construção de jogadas e pouco desarmou na marcação. - 5,0

(Zanocelo): Demorou um pouco para entrar no jogo. FIcou alguns minutos perdidos. Depois fez a bola rolar até o jogo acabar, fazendo com que ela ficasse com os jogadores do Peixe. - 5,5

Sánchez: Ainda longe da forma física ideal, ainda assim, o mais lúcido no meio campo. Deu linda assistência no gol santista. Quando ele saiu de campo, substituído, o time ficou 'acéfalo'. - 6,5

(Pirani): Teve uma oportunidade de aumentar o placar em chute de fora da área. - 5,0

Marinho: Não realizou um grande jogo, porém, roubou a bola no nascimento do primeiro gol e conseguiu a expulsão do veterano Insaurralde. - 6,0

(Lucas Braga): Algumas poucas tentativas do lado esquerdo. Não conseguiu prender a bola na frente. - 5,0

Kaio Jorge: Maduro taticamente, deu espaços aos companheiros, prendeu bola e fez o gol da classificação. - 7,0

(Marcos Leonardo): Poucos minutos no gramado. - SEM NOTA

Marcos Guilherme: Só foi notado quando foi ajudar na marcação pela esquerda, pois Felipe Jonatan estava ficando com dois homens no seu setor. - 5,0

Técnico: Fernando Diniz: Acertou ao manter Sánchez e escalar Madson. Não conseguiu tirar o time de trás desde os 16 minutos do primeiro tempo. Também teve mérito ao consertar a marcação pela esquerda, quando liberou Marinho e fez Marcos Guilherme ajudar Felipe Jonatan no setor. O Santos teve mais sorte do que futebol em território argentino. Podem dar o bicho todo ao goleiro João Paulo. - 5,5

Leia Mais »

MODIFICAÇÕES PARA A BATALHA DIANTE DO INDEPENDIENTE

Publicado às 22h desta quarta-feira, 21 de julho de 2021.

O Santos já está pronto para encarar o Independiente (ARG), nesta quinta-feira (21), às 19h15 (horário de Brasília), no Estádio Libertadores da América em Avellaneda, em partida de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana. Fernando Diniz vai mexer nas laterais e no meio-campo. A ENERGIA 97 FM transmite o duelo.

Na ala direita Madson, deve começar a partida. Assim como Jean Mota que cumpriu suspensão no Brasileiro, no último fim de semana diante do Red Bull Bragantino, retorna no meio-campo e Sánchez, que já tinha sido titular no domingo passado, será mantido. Com isso Pará e Pirani vão para o banco de reservas. Moares com lesão muscular não viajou e ficou realizando tratamento na baixada e dá novamente a vaga para Felipe Jonatan.

Como venceu o duelo de ida por 1 a 0, um empate é o suficiente para o Santos ir a próxima fase. Se conseguir marcar um gol, obriga o adversário a marcar três gols, pelo fato de não ter sofrido gols em casa no jogo de ida.

O alvinegro que chegou em Buenos Aires, nesta terça-feira (20), treinou nesta quarta-feira (21) no CT do River, em sua última atividade antes do enfrentamento diante dos 'rojos'.

Se todas as informações que o Blog do ADEMIR QUINTINO publica estiverem corretas, o alvinegro da Vila começa o jogo na Argentina com João Paulo, Madson, Luiz Felipe, Kaiky e Felipe Jonatan; Camacho, Jean Mota e  Sánchez; Marcos Guilherme, Kaio Jorge e Marinho.

O Peixe jamais eliminou o adversário em competições. Foram três eliminações em Libertadores (64,65 e 2018) e outras três na extinta Supercopa da Libertadores (89, 94 e 95).

São 16 confrontos até hoje, com sete vitórias para os argentinos e só quatro para o Santos. Na Argentina, o clube brasileiro jamais venceu, com quatro derrotas em seis partidas.

Leia Mais »

'DESFALQUE NA BATALHA DA SUL-AMERICANA, NA ARGENTINA

Publicado às 17h desta segunda-feira, 19 de julho de 2021.

O técnico Fernando Diniz não poderá contar com o lateral-esquerdo Moraes para o duelo diante do Independiente, em partida de volta das oitavas de finais da Copa Sul-Americana na próxima quinta-feira (22), às 19h15 (horário de Brasília) com transmissão da ENERGIA 97 FM, no estádio Libertadores da América, na Grande Buenos Aires. O jogador realizou exames nesta segunda-feira (19) e foi diagnosticado com uma lesão de grau 1 no posterior da coxa esquerda. 

Moraes foi substituído aos 24 minutos do primeiro tempo com dores na perna esquerda, no empate deste fim de semana, em 2 a 2 com o Red Bull Bragantino, em  jogo da 12a. rodada do Campeonato Brasileiro. 

O jogador vai realizar tratamento intensivo no CT Rei Pelé e será reavaliado diariamente pelo departamento médico. Como uma contusão dessa gravidade costume levar em média de 7 a 8 dias, em atletas de alto rendimento, a tendência é de que o ala também dificilmente reunirá condições de enfrentar o Atlético Goianiense, no próximo domingo (25), às 18h15 em Vila Belmiro.

Com isso, o lateral canhoto Felipe Jonatan deve ser o titular nos próximos dois jogos. O camisa 3 santista foi um dos destaques no empate diante do Red Bull Bragantino.

Felipe Jonatan, do Santos, esteve na pré-lista de convocados para a Seleção Brasileira na disputa pelas Olimpíadas, mas acabou não sendo lembrado na lista final de André Jardine que disp

Um empate é o suficiente para o Peixe avançar na competição continental, na próxima quinta-feira (22), em razão de ter batido o Independiente no jogo de ida por 1 a 0. O elenco viaja no fim da manhã desta terça-feira (20), logo após a atividade no CT Rei Pelé e na quarta-feira realiza sua última atividade antes do duelo, no centro de treinamento do River Plate, em Buenos Aires, na Argentina.

Leia Mais »

SANTOS SE ENTREGA ATÉ O FIM E CONSEGUE EMPATE NOS ACRÉSCIMOS

Publicado às 09h10 desta segunda-feira, 19 de julho de 2021.

Ainda não foi dessa vez que o o Santos venceu fora de casa, mas o empate nos acréscimos neste domingo (18), no Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, teve sabor de vitória, com direito a um gol marcado por Marcos Leonardo no último minuto do segundo tempo. O Peixe foi valente e arrancou um empate por 2 a 2 contra o Red Bull Bragantino, em partida válida pela 12ª rodada do Brasileirão que deixa o Santos apenas em 10º lugar, com 16 pontos.

Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO havia revelado na véspera, o técnico Fernando Diniz confirmou Sánchez na vaga de Jean Mota, suspenso. O uruguaio herdou a faixa de capitão do time. Foi o primeiro jogo do camisa 7 nos últimos nove meses, de titular, já que ele ficou ausente durante esse período, em razão de uma cirurgia no joelho e só estava entrando no segundo tempo.

Ainda no começo do jogo, uma troca de passes envolvendo Camacho e Kaiky e o defensor santista perdeu bola dominada no campo de defesa e o ala adversário Aderlan arrancou em velocidade até entrar na área e cruzar para Alerrandro, que apenas empurrou para o fundo da rede e abriu o placar.

Pouco minutos depois e por pouco, o alvinegro da Vila não levou o segundo, após finalização de Cuello. A bola caprichosamente bateu no travessão de João Paulo. 

O primeiro tempo do Santos foi novamente no estilo 'slow motion' (câmera lenta), o time estatístico demais com apenas uma finalização de bola parada efetuada por Marinho que chutou e a mesma tocou no corpo do adversário e quase morreu dentro da rede.

Ainda no primeiro tempo com desconforto muscular, Moraes deu vaga a Felipe Jonatan. Com essa alteração, o destino do resultado da partida começava a ser alterado. Além disso, no intervalo Diniz sacou Pirani e Pará para as entradas de Madson e Lucas Braga e o time cresceu muito de produção. 

Aos 24 minutos da etapa complementar, o lateral Felipe Jonatan, o melhor do jogo, entrou com 'sangue nos olhos' fez o seu segundo cruzamento certeiro, ambos com a perna direita. O baixinho Marcos Guilherme cabeceou, a bola parou em grande defesa de Cleiton e no rebote, igualou o placar e dava justiça pelo bom futebol do Peixe na segunda etapa: 1 a 1. 

Mesmo jogando melhor, o time de Diniz sofreu um duro golpe. Os santistas reclamaram muito com a arbitragem de Luiz Flávio de Oliveira e com o V.A.R, pois no início da jogada, a bola bateu na mão de Lucas Evangelista e na sequência, aos 37 minutos, Ytalo aproveitou cruzamento feito por Arthur e deixou o time da casa novamente em vantagem. Uma ducha fria para o alvinegro praiano que segue com aproveitamento muito ruim fora da Vila Belmiro, apenas dois pontos em seis jogos disputados.

Entretanto, quando tudo parecia perdido, Felipe Jonatan, novamente ele, recebeu de Zanocelo e agora de perna esquerda, acertou novo cruzamento certeiro para o cabeceio de Madson. O ala santista forte no jogo aéreo, acertou a trave e no rebote, brilhou a estrela do jovem Marcos Leonardo de 18 anos, que empurrou para o fundo do barbante e delírio da galera alvinegra, bola que decretou números finais da partida no 'apagar das luzes' nos acréscimos. Um castigo para o time da casa e um prêmio a insistência do time do litoral: 2 a 2. 

O Santos volta a campo na batalha de Buenos Aires, na próxima quinta-feira (22) diante do Independiente pelas oitavas de final da Sul-Americana, em partida de volta. Pelo Brasileirão, o Peixão enfrenta o Atlético-Goianiense, no domingo (25), em Vila Belmiro, às 18h15.


FICHA TÉCNICA

RED BULL BRAGANTINO 2 x 1 SANTOS

Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP)

Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)

GOLS: Alerrandro, aos 9min do 1ºT; Marcos Guilherme, aos 24, Ytalo, aos 37, e Marcos Leonardo, aos 50min do 2ºT

Cartões amarelos: Cuello, Léo Ortiz e Weverson (RBB)Luiz Felipe, Felipe Jonatan, Marcos Leonardo, Marinho Carlos Sánchez,  e Vinícius Zanocelo (SFC)

RED BULL BRAGANTINOCleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Natan e Weverson (Luiz Felipe); Lucas Evangelista, Raul (Fabrício Bruno) e Praxedes (Eric Ramires); Cuello, Alerrandro (Ytalo) e Helinho (Artur).Técnico: Maurício Barbieri

SANTOSJoão Paulo; Pará (Madson), Luiz Felipe (Marcos Leonardo), Kaiky e Moraes (Felipe Jonatan); Camacho, Carlos Sánchez (Vinícius Zanocelo) e Gabriel Pirani (Lucas Braga); Marinho, Kaio Jorge e Marcos Guilherme Técnico: Fernando Diniz.

Felipe Jonatan entrou no segundo tempo e participou de duas assistências nos gols. 


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

João Paulo: Quando exigido, deu conta do recado. No segundo gol do adversário após cruzamento de Artur, a bola correu por toda a pequena área e o goleiro não tentou espalmar o cruzamento. - 6,0

Pará: Limitou-se a marcação pela direita. Não apoiou. Foi substituído no intervalo. - 5,0

(Madson): Peca na marcação com alguns botes perigosos, mas o time cresce muito com sua velocidade e forte jogo aéreo. Foi dele a cabeçada que bateu na trave antes de Marcos Leonardo marcar o segundo gol do Santos, o de empate nos acréscimos. - 6,5

Luiz Felipe: Tem boa saída de bola e forte jogo aéreo defensivo. No lance do segundo gol do Bragantino, não chegou a tempo de evitar a conclusão de Ytalo. - 6,0

(Marcos Leonardo): Iluminado. Mal entrou e estava no lugar certo, na hora certa para empatar o jogo. - 7,0

Kaiky: Recebeu uma 'batata quente' de Camacho e se atrapalhou com a bola no lance do primeiro gol do Red Bull. Tem apenas 17 anos e muito a evoluir. - 5,0

Moraes: Ao contrário dos outros jogos, estava discreto. Além disso, Barbieri, técnico do Red Bull Bragantino mandou seu time atacar nas costas do ala santista. Foi substituído com desconforto na posterior de uma das coxas. É dúvida para o duelo diante dos argentinos. - 5,0

(Felipe Jonatan): Entrou e mudou o jogo. Foi dele as duas assistências com dois cruzamentos (um de direita e outro de esquerda) para os dois gols do Santos. Além disso salvou um gol certo de Helinho. O melhor do jogo. - 7,5

Camacho: O técnico do Bragantino matou o início da jogada santista com marcação individualizada no volante alvinegro. O camisa 29 estava tão desconfortado que tocou para Kaiky na fogueira no primeiro gol do time do interior. Melhorou um pouco na segunda etapa. - 5,0

Carlos Sánchez: A qualidade do passe melhora muito com o uruguaio em campo. Quase marcou um lindo gol após cruzamento de Felipe Jonatan. Foi substituído no fim da partida extenuado. Primeiro jogo como titular após sua volta depois de meses afastado em razão de cirurgia no joelho. - 6,5

(Zanocelo): Ainda não brilhou com a camisa do SFC, mas deu início ao gol de empate nos acréscimos. - 6,0

Pirani: Começou ligado nos 220 volts, mas se apagou no meio do primeiro tempo. Substituído no intervalo. - 5,5

(Lucas Braga): Ainda não é o jogador que viveu brilhante momento com dribles longos em jogos decisivos da temporada passada, mas sua entrada deu novo gás ao time após o intervalo. - 6,0

Marinho: Ainda não é o Marinho da brilhante temporada de 2020, mas com a melhora física, tem chutado e procurado jogo. Tem evoluído. - 6,0

Kaio Jorge: Apagado na primeira etapa. Um pouco mais participativo nos 45 minutos finais. - 5,5

Marcos Guilherme: Não foi visto nos primeiros 45 minutos. Quando veio para a meia na segunda etapa melhorou. Atento ao cabecear e marcar no rebote no primeiro gol santista. - 6,5

Técnico: Fernando Diniz: O time evoluiu a cada rodada com o seu comando, mas a insistência com Pará, por exemplo, que não vive melhor momento que seu concorrente, pode atrapalhar o trabalho. Acertou o time com as alterações na segunda etapa. Zanocelo, Felipe Jonatan, Marcos Leonardo e Madson, todos os jogadores que entraram participaram do gol de empate nos acréscimos. - 7,0

Leia Mais »
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by