FOTO CAPA

JOBSON TEM LESÃO NO JOELHO E DESFALCA PEIXE NA DECISÃO

Publicado às 21h40 desta segunda-feira, 18 de janeiro de 2021.

O volante Jobson está fora da final da Libertadores da América e será desfalque por alguns meses. Após realização de exames, foi constatado que o meio-campista Jobson sofreu uma lesão no ligamento cruzado anterior e no menisco lateral do joelho direito, na reapresentação do elenco, na tarde desta segunda-feira (18), no CT Rei Pelé.

O jogador utilizou as redes sociais para falar sobre o assunto:

"Infelizmente, tive uma lesão no ligamento cruzado constatada nesta segunda-feira. Ficarei fora por um tempo, mas quero agradecer a cada mensagem de apoio que venho recebendo durante o dia. Agora é trabalhar muito para voltar o quanto antes. Família Santos estarei na torcida sempre! Deus abençoe a todos." escreveu o camisa 8.

Para o duelo diante do Fortaleza, na próxima quinta-feira (21), no Estado do Ceará, o técnico Cuca não contará além do meio-campista Jóbson, que vai ter que se submeter a intervenção cirúrgica, com o futebol de Luan Peres com um entorse no tornozelo esquerdo e Alison em quarentena imposta pelo covid-19. Em compensação, os goleiros João Paulo que cumpriu suspensão, Jhon que saiu do isolamento do coronavírus, além dos defensores Wagner Palha que também estava com o covid-19 e o zagueiro Veríssimo, devem estar a disposição.

O caso de Jobson não foi a primeira lesão ligamentar de joelho em jogadores do Santos nesta temporada. Durante a fase de classificação da Libertadores, o meio-campista Sánchez também teve de realizar cirurgia após ter constatado o rompimento no jogo diante do Olímpia, na fase de grupos, em Assunção.

Leia Mais »

ALISON ESTÁ ISOLADO EM QUARETENA, APÓS SER DIAGNOSTICADO COM COVID-19

Publicado às 13h desta segunda-feira, 18 de janeiro de 2020.

O meio-campista e capitão do Santos, Alison, testou positivo para Covid-19 em exame realizado na última sexta-feira (15).

É a segunda vez que o jogador testa positivo com o coronavírus. A primeira foi em novembro do ano passado.

O jogador realizou uma contraprova neste domingo (17) e o resultado foi idêntico. O médio-volante já está isolado em regime de quarentena. Ele passa a ser dúvida para a decisão da Libertadores da América, dia 30, diante do Palmeiras, mas deve ter tempo hábil para retornar e estar em campo no Maracanã.

Para que Alison esteja com a braçadeira de capitão, na decisão continental, ele terá de cumprir 10 dias isolados, conforme prevê o protocolo e realizar um novo exame de PCR após o dia 25. Se o resultado for negativo, ele fica a disposição do técnico Cuca para o duelo decisivo.

Entretanto, Alison é desfalque certo nas próximas três partidas pelo Campeonato Brasileiro diante Fortaleza, Goiás e Atlético-MG, partidas que antecedem a decisão da competição continental.

Leia Mais »

NO ALTO, ELE RESOLVE

Publicado às 18h50 deste domingo, 17 de janeiro de 2021.

O Santos voltou a oitava colocação do Brasileiro ao vencer o Botafogo-RJ por 2 a 1, na ensolarada tarde deste domingo (17), na Vila Belmiro em partida válida pela 30a. rodada da competição. Com o resultado, o alvinegro chegou aos 45 pontos.

Sem Jhon e Wagner Palha em final de quarentena imposta pelo covid-19; Luan Peres com entorse no tornozelo; João Paulo e Alison suspensos e Lucas Veríssimo com virose e um corte na cabeça sofrido no jogo diante do Boca Juniors, obrigaram o técnico Cuca a realizar diversas modificações no time.

Conforme o BLOG DO ADEMIR QUINTINO anunciou na tarde de sábado (16), o comandante técnico tinha apenas uma dúvida: Se Pituca jogava. E o camisa 21 foi a campo. As outras modificações foram as entradas de Laércio, Alex e Sandry entre os titulares. Todas confirmadas.

A tarefa parecia que ficaria mais fácil, quando Soteldo de voleio abriu o placar com três minutos de jogo. Na teoria, obrigaria o time carioca, lanterna da competição, a sair um pouco mais para o jogo e dar espaço. Mas isso, não aconteceu.

O alvinegro da Vila famosa, demonstrou dificuldade de furar o bloqueio defensivo do time da estrela solitária e no fim da primeira etapa, Laércio se posicionou mal, a bola chegou no atacante Babi e o camisa 6 santista cometeu a penalidade máxima. Pedro Raul bateu e igualou o marcador. O Peixe apesar de finalizar mais que o dobro do adversário foi para o intervalo com a igualdade no placar.

Cuca voltou com Jobson na vaga de Lucas Braga. Mas o jogo estava muito dentro da área adversária. Faltava alguém mais preciso no jogo aéreo. Cheguei a escrever que era jogo para Bruno Marques e alguns minutos depois, Cuca colocou o 'pirulitão' da Vila, em campo. Na primeira tentativa, o goleiro Diego Loureiro pegou, na segunda, o jovem de 21 anos não perdoou e colocou o Santos novamente na frente do placar. - 2 a 1. 

Podia ter sido mais tranquilo, mas valeu pela segunda vitória consecutiva no Brasileiro, a terceira em uma semana que colocou o Glorioso da Vila em mais uma decisão de Copa Libertadores da América, a quinta em sua história.

O Santos volta a campo na próxima quinta-feira (21), no Ceará, diante do Fortaleza, pela 31a. rodada do Campeonato. Será o antepenúltimo jogo do clube antes da final da Libertadores, dia 30.


FICHA TÉCNICA

SANTOS 2x1 BOTAFOGO

Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP)

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)

Cartões amarelos: Laércio e Soteldo (SFC), Kevin (BOT)

GOLS: Soteldo, 3/1T (1-0), Pedro Raul, 46/1T (1-1) e Bruno Marques, 36/2 (2-1).

SANTOS: Vladimir, Pará, Laércio, Alex e Felipe Jonatan; Pituca, Sandry (Jean Mota, 26/2T) e Soteldo (Madson, 44/2T); Marinho (Arthur, 49/2T), Kaio Jorge (Bruno Marques, 26/2T) e Lucas Braga (Jobson, intervalo). Técnico: Cuca

BOTAFOGO: Diego Loureiro; Kevin (Gustavo Cascardo, intervalo), Marcelo Benevenuto, Kanu e Victor Luis; Zé Welison (Cícero, 32/2T), Caio Alexandre e Bruno Nazário (Lecaros, 32/2T); Kelvin (Davi Araújo, 13/2T), Matheus Babi e Pedro Raul (Matheus Nascimento, 34/2T). Técnico: Eduardo Barroca.

Marinho colocou duas bolas na trave do adversário. Segue vice-artilheiro do BR.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Vladimir: Uma boa defesa na segunda etapa. - 6,5

Pará: Bem na marcação, não avançou tanto como vinha fazendo. - 6,0

Laércio: Levou um cartão bobo e logo em seguida se posicionou mal e cometeu uma penalidade máxima. Se ficar mano a mano, não é defensor rápido. - 4,0

Alex: Parece ganhar confiança e tem crescido. - 6,5

Felipe Jonatan: Roubou todas as bolas possíveis e imagináveis. Antes da rodada era o terceiro maior roubador de bola do campeonato e o melhor do Santos nesse item. - 7,5

Pituca: Não reeditou a grande partida de quarta-feira. Melhorou na segunda etapa, quando jogou de primeiro volante. - 6,0

Sandry: Começou de primeiro volante. Não foi tão bem como de costume. Quando Cuca inverteu no segundo tempo, foi melhor. Deixou o campo substituído. - 5,5

Jean Mota: Depois de jogar de lateral, entrou na sua posição: a meia. Tentou chute de fora da área. - 6,0

Soteldo: O nome do jogo. Um lindo voleio no primeiro gol e a assistência para o gol de Bruno Marques. Voltou a jogar bem. - 8,0

(Madson): Jogou poucos minutos. - SEM NOTA

Marinho: Travou um duelo a parte com o goleiro botafoguense em bolas paradas. Participativo, buscou assistências, cavou faltas e chutou a meta adversária. - 7,0

(Arthur): Pegou uma vez na bola. - SEM NOTA

Kaio Jorge: Como o Botafogo não deu o contra-ataque participou pouco com jogadas ofensivas. Teve uma única chance de finalizar. Foi substituído. - 5,5

(Bruno Marques): Entrou para decidir a partida. Tem um senso de colocação na área de grande qualidade. Fora da área, não tem a mesma produtividade. No alto é quase imbatível. Na primeira, o goleiro pegou, na segunda, 'Deus perdoa, Bruno Marques, não' - 7,5

Lucas Braga: Dos últimos jogos, foi o que o atacante menos rendeu. Substituído no intervalo. - 5,5

(Jobson): Perdeu umas bolas bobas em jogadas individuais. Desconcentrado em alguns lances. - 5,5

Técnico: Cuca: Apesar da demora, acertou em colocar Bruno Marques que entrou para decidir a partida. - 7,0

Leia Mais »

ATAQUE É ÚNICO SETOR QUE NÃO SOFRERÁ ALTERAÇÕES DIANTE DO BOTAFOGO-RJ

Publicado às 18h15 deste sábado, 16 de janeiro de 2021.

O Santos encerrou neste sábado (16) os preparativos para encarar o Botafogo-RJ, pela 30a. rodada do Campeonato Brasileiro, neste domingo (17), às 16h, na Vila Belmiro. O técnico Cuca tem apenas uma dúvida: Pituca ou Jobson.

Sem João Paulo e Alison suspensos, Luan Peres com entorse no tornozelo e John e Wagner Palha no final da quarentena em razão de terem contraído covid-19, o técnico Cuca vai obrigatoriamente ter que mandar um time alternativo a campo diante do alvinegro carioca.

Sendo assim, Cuca armou um time na atividade deste sábado, totalmente diferente do que vem colocando em campo. Vladimir que não atua desde quase cinco meses será o titular do gol santista. O camisa 1 se lesionou nas primeiras rodadas do Brasileiro deste ano. Veríssimo que já assinou com o Benfica, dá vaga a Laércio na zaga central e novamente fará a dupla de zagueiros com Alex pela esquerda.

No meio campo, Sandry é um dos escolhidos com Soteldo de falso 10. O ataque é o único setor que não sofrerá alterações e terá Marinho, Kaio Jorge e Lucas Braga.

Se as informações estiverem corretas, o Peixe vai a campo com Vladimir; Pará, Laércio, Alex e Felipe Jonatan; Pituca (Jobson), Sandry e Soteldo; Marinho, Kaio Jorge e Lucas Braga.

O alvinegro é o nono colocado do Brasileirão com 42 pontos.

Leia Mais »

SANTOS RECEBERÁ R$ 8,8 MILHÕES Á VISTA POR 50% DE PITUCA

Publicado às 07h50 deste sábado, 16 de janeiro de 2021.

O meio-campista Pituca está de saída do Santos. A confirmação aconteceu em entrevista coletiva nesta sexta-feira (15) dada pelo presidente Andres Rueda Garcia. O Blog do ADEMIR QUINTINO já havia antecipado a informação há duas semanas, de que o destino do jogador era mesmo o Kashima Antlers

Pelo que apuramos, não houve nova proposta dos orientais e o clube receberá U$ 1,6 milhão de dólares (R$ 8,8 milhões). A direção santista preferiu não revelar de forma oficial os valores.

Os outros 50% do atleta pertencem ao empresário Gali. O jogador desembarcou na Vila, em 2017 sob indicação do técnico Dorival Junior. Na oportunidade, o alvinegro adquiriu 50% dos direitos econômicos do então jogador do Botafogo de Ribeirão Preto.

Para o negócio ter um final feliz, o staff do jogador que teria direito a quase 10% do montante - aproximadamente U$ 150 mil, ficará apenas com 1/3 do valor, ou seja, U$ 50 mil.

Vivendo uma crise financeira sem precedentes e mesmo com os valores não sendo considerados altos, a idade do jogador que completará 29 anos, em 2021 e o fato de ter jogadores com potencial na posição como Sandry e Balieiro fizeram com que o Peixe aceitasse as condições do negócio.

Se o Santos for campeão da Libertadores, o Blog apurou que Cuca terá o jogador no Mundial. Como a janela no continente asiático vai até um pouco mais tarde em relação a Europa, a pretensão do atleta é viajar direto de Doha, no Catar para o Japão, caso o alvinegro seja participantes do torneio inter-clubes, em fevereiro. 

Pituca é presença certa no time de Cuca, na grande decisão da Libertadores da América, marcada para o dia 30 de janeiro, no Estádio do Maracanã, contra o Palmeiras.

Leia Mais »

CHOCOLATE NOS ARGENTINOS E QUINTA FINAL DE LIBERTADORES

Publicado às 08h20 desta quinta-feira, 14 de janeiro de 2021.

O Santos pela quinta vez está na final da Copa Libertadores da América e vai buscar ser o primeiro brasileiro a ganhar quatro vezes. O alvinegro amassou o Boca Juniors e passou o 'carro' em cima dos argentinos com uma goleada de 3 a 0, na noite desta quarta-feira (13), em Vila Belmiro. O Peixe enfrentará o Palmeiras, em jogo único, dia 30, no Maracanã.

Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO publicou na antevéspera, Lucas Braga foi mantido no time, de fato. O camisa 30 seguiu como titular e o jovem e ótimo Sandry ficou como opção para a segunda etapa. A única modificação em relação ao jogo de ida foi a entrada de João Paulo no gol, no lugar de John que cumpre quarentena por ter contraído o covid-19.

O primeiro tempo do Santos foi quase perfeito. Com 50 segundos de jogo, Marinho acertou a trave de Andrada. O alvinegro sufocou o Boca na marcação e explorava os erros adversários. Os meias do time de Buenos Aires que aparecem pelos lados não conseguiam pegar na bola e o Glorioso da Vila terminou a primeira etapa com 11 finalizações contra apenas duas dos argentinos, além da vantagem parcial com o gol de Pituca.

Mas o melhor estava por vir. E o Boca colaborou. O técnico Miguel Angel Russo trocou Jara e González por outro lateral e um outro médio volante - Bufarini e Capaldo. O que já não estava bom, ficou ainda pior. Soteldo e Lucas Braga ampliaram o placar, antes dos 6 minutos da etapa complementar e daí por diante os argentinos abriram a 'caixa de ferramentas' e tiveram Fabra expulso e foi só esperar o apito final e comemorar a vaga na decisão da competição.

De todos os times ao longo da história que o Santos colocou em uma final de Libertadores, este é o mais improvável. Em 62 e 63 era um esquadrão comandado por Pelé. Em 2003, era uma geração extremamente talentosa que tinha os promissores Robinho e Diego, campeões brasileiros no ano anterior. E esse time comandado por Cuca, com 'transfersban' e que parte da mídia paulistana dizia que era a 'bola da vez' para cair para a segunda divisão no Brasileiro e taxados como a quinta-força do Estado, atrás do Bragantino?

Em 15 edições de Libertadores, o Peixe chega a quinta final. Tem DNA da competição continental e realizará diante de um rival, uma final histórica. 

Todos os caminhos levam o torcedor santista ao Rio de Janeiro, no dia 30. Deixa falarem que o favorito é o Palmeiras. Foi assim, diante de LDU, Grêmio e Boca. E foi assim que o alvinegro passou por todos eles.

Por fim. Me perguntaram na véspera da final, se os salários estavam em dia? Limitei a dizer se poderia responder na noite de quarta-feira ou na manhã da quinta-feira. O pagamento dos vencimentos de dezembro ainda não foram depositados. Mas eu não ia revelar isso, na véspera de um jogo decisivo.

O professor Ximenes, superintendente do clube disse enquanto Marinho fazia uma live, após a partida que pagará nesta quinta-feira (14).

Esse elenco formado por um grupo de desacreditados que coloca o Santos no patamar mais alto do continente, merece no mínimo o respeito de todos os torcedores.

Que venha o Palmeiras, no fim do mês.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 3 x 0 BOCA JUNIORS

Jogo de volta Semifinal da Libertadores da América 2020

Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP)

Árbitro: Wilmar Roldan (Colômbia)

GOLS: Diego Pituca, aos 15min do 1ºT; Soteldo, aos 3, Lucas Braga, aos 5min do 2ºT

Cartões amarelos: Salvio e Izquierdoz (BOCA) e Pituca (SFC)

Cartão vermelho: Fabra (BOCA)

SANTOSJoão Paulo; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Madson); Alison (Vinícius Balieiro), Diego Pituca (Sandry), Soteldo (Jobson), Marinho, Kaio Jorge e Lucas Braga (Jean Mota). Técnico: Cuca

BOCA JUNIORSAndrada; Jara (Buffarini), Lisandro López, Izquierdoz e Fabra; Diego González (Capaldo), Campuzano e Villa; Salvio (Más), Soldano (Ábila) e Tevez. Técnico: Miguel Ángel Russo


Soteldo desequilibrou no segundo tempo

NOTAS DOS JGADORES DO SANTOS

João Paulo: Não foi exigido. - 6,5

Pará: Bem na marcação do rápido e perigoso Villa. - 7,0

Lucas Veríssimo: 'Literalmente' deu o sangue. Perfeito no posicionamento. Se despede do clube na decisão do dia 30. - 7,5

Luan Peres: Bem colocado. Terá seu passe adquirido pelo Santos. No prolongamento do empréstimo tem uma cláusula que obriga o Peixe a comprá-lo por 2,7 milhões de euros. - 7,0

Felipe Jonatan: Como evoluiu na marcação. O maior roubador de bolas do futebol brasileiro. Só pegar os scouts. Botou Sálvio no Bolso. Alguém viu este meia-atacante em campo? - 7,5

(Madson): Teve uma chance de ouro para ampliar nos minutos finais. Entrou improvisado de atacante pelo lado esquerdo. - 6,5

Alison: Líder. Roubadas de bola e antecipações monstruosas. Esse não pipoca nunca. - 7,0

(Balieiro): Poucos minutos em campo. - SEM NOTA

Pituca: Marcou, tabelou, pisou na área e abriu o placar. Pode estar realizando suas últimas partidas no clube. - 7,5

(Sandry): Jogador de qualidade técnica diferenciada. Melhorou a saída de bola após a sua entrada. - 7,0

Soteldo: Um primeiro tempo razoável, com muita doação na recomposição e um segundo tempo maravilhoso, onde foi o dono do time. Marcou o segundo gol do jogo. - 8,5

(Jobson): Entrou com a partida definida. Ainda assim distribuiu bem o jogo. - 6,5

Marinho: Só faltou o seu gol. Uma bola na trave no começo da partida, uma assistência maravilhosa no terceiro gol e ainda levou o fraco Fabra para o chuveiro, pois o ala foi expulso após entrada maldosa no atacante. - 8,0

Kaio Jorge: Muita entrega e jogo coletivo. Belo toque no nascedouro da jogada do terceiro gol. - 7,0

Lucas Braga: Taticamente perfeito. Ainda apareceu na grande área para empurrar para o fundo da rede e sepultar os argentinos com o terceiro gol. - 7,0

(Jean Mota): Guardou posição improvisado pela ala canhota e não comprometeu. - 6,5

Técnico: Cuca: O grande responsável por unir o elenco e colocar o clube na final da Libertadores. Consegue fazer o time entrar ligado nos 220 de uma maneira pouco vista nos dias atuais. Anulou os principais pontos positivos do adversário, sem perder agressividade. Rei em mata-mata. - 8,0

Leia Mais »

CHEGOU O DIA DE FAZER HISTÓRIA

Publicado às 08h30 desta quarta-feira, 13 de janeiro de 2021.

Nesta quarta-feira, às 19h15, na Vila Belmiro com transmissão da ENERGIA 97 FM, o Santos decide a sua vida na Libertadores da América. O alvinegro precisa apenas de uma vitória simples diante do Boca Juniors para enfrentar o Palmeiras na final da Taca Libertadores da América, dia 30, no Maracanã.

O técnico Cuca não deu pistas de qual o time vai mandar a campo. O comandante técnico tem apenas uma dúvida: Sandry ou Lucas Braga. Na última atividade antes da partida, o treinador deu apenas um rachão e fez os jogadores treinarem penalidades máximas. Com Lucas Braga, Cuca tem um jogador mais alto para ajudar na bola aérea e Soteldo, uma vez mais segue como armador. Com Sandry, Soteldo retorna para a ponta-esquerda e o time ganha um jogador de melhor passe e bom lançamento na bola longa.

O Boca Juniors, já está na Baixada Santista desde a noite de terça-feira (12). Os argentinos estão instalados em um hotel no bairro da Aparecida, próximo a Ponta da Praia. Os 'Xeineses' não atuam na Vila há 52 anos. A última foi em 1968, com vitória do time de Buenos Aires por 1 a 0, em um amistoso. Na outra, em 1956, deu Peixe 3 a 2.

O Glorioso da Vila confia no futebol de Marinho, o grande jogador do time na temporada com quatro gols na competição. 

Um empate sem gols, dá decisão por pênaltis. Qualquer igualdade com gols, os argentinos vão a decisão e uma vitória para qualquer lado dá a vaga ao time vencedor.

Que Nossa Senhora do Monte Serrat, padroeira da cidade e a imagem que Cuca tem usado na camisa que utiliza nos jogos na competição continental da Virgem Maria, mãe de Jesus, ilumine o Peixe e faça com que o clube chegue a sua quinta decisão de Libertadores em sua história. As primeiras foram nos títulos de 62 e 63, depois 2003 diante do próprio Boca e a última na conquista de 2011.

Jhon e Wagner Palha com covid-19 são os desfalques. João Paulo começa o jogo como titular no gol.

O provável Santos vai a campo com João Paulo; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Pituca e Soteldo; Lucas Braga (Sandry), Kaio Jorge e Marinho.

Leia Mais »

PEIXE VENCE NOVAMENTE UM LÍDER COM TIME RESERVA

Publicado às 23h30 deste domingo, 10 de janeiro de 2020.
Mesmo com um time quase todo composto de jogadores reservas, o Santos se reabilitou no Brasileirão, após quatro rodadas sem conhecer o doce sabor dos três pontos e venceu o São Paulo, no Morumbi, por 1 a 0, gol de Jóbson. O resultado manteve o time na oitava colocação, porém pulou para 42 pontos. Foi a primeira vitória do alvinegro em um clássico regional, após 15 meses.


Desentrosado e com o objetivo de explorar o contra-ataque, os comandados de Cuca deram a bola para o São Paulo. No fim da primeira etapa, o alvinegro tinha 30% de posse de bola apenas, ainda assim foi quem mais chegou perto do gol, em um chute de Arthur Gomes que parou na trave a direita de Thiago Volpi.

Veio a segunda etapa e o alvinegro da Vila, mesmo fora de casa, viu que apesar da liderança na competição do tricolor paulista, percebeu que o 'bicho não era tão feio assim' e em uma roubada de bola, no primeiro minuto da etapa complementar, Jobson roubou a bola, tocou para Arthur, recebeu de volta e ganhou na dívida do volante Luan. Em seguida, o camisa 8 chutou de bico, sem muita força, mas o suficiente para a bola parar no fundo da rede e abrir o marcador.

Daí em diante, o desespero dos donos da casa passou a ficar maior. Já Cuca começou a colocar os titulares em campo: Pituca, Pará, Luan Peres, Alison e Kaio Jorge.  O Peixe controlava o jogo e não era 'amassado'. A única exceção foi uma cabeçada de Pablo que João Paulo fez grande defesa.

Vitória maiúscula de um time que soube o que pretendia e realizou com exatidão o que objetivava. Pela terceira vez na competição, o Santos bate um líder do Brasileiro. A segunda com uma equipe reserva. A primeira foi diante do Inter, na Vila, dirigido por Marcelo Fernandes. A outra vitória foi contra o Galo, no primeiro turno, também no alçapão de Urbano Caldeira.

No próximo fim de semana, diante do Botafogo-RJ, na Vila, o goleiro João Paulo e o volante Alison são desfalques certos, pois receberam o terceiro amarelo. 

Apesar da primeira vitória em clássico, neste Brasileiro, fora de casa, a torcida alvinegra só pensa na semifinal da Libertadores, diante do Boca Junior, na quarta-feira (13), às 19h15 na Vila Belmiro. O goleiro Jhon e o zagueiro Wagner Palha diagnosticado com covid-19, são desfalques certos. Uma vitória simples, classifica o Glorioso alvinegro praiano a decisão continental pela quinta vez.

FICHA TÉCNICA 
SÃO PAULO 0 x 1 SANTOS
Estádio do Morumbi - São Paulo (SP) 
Árbitro: Bráulio da Silva Machado (SC)
Cartões amarelos: Pablo e Hernanes (SP); Alex, Alison, João Paulo e Vinícius Balieiro (SFC)
GOL: Jobson (Santos), a 1 minuto do 2º tempo.
SÃO PAULO: Tiago Volpi; Juanfran, Arboleda, Léo (Vitor Bueno) e Reinaldo; Luan (Hernanes), Daniel Alves, Gabriel Sara (Paulinho Bóia) e Igor Gomes (Tréllez); Pablo (Gonzalo Carneiro) e Brenner. Técnico: Fernando Diniz. 
SANTOS: João Paulo; Madson, Laércio, Alex e Jean Mota (Luan Peres); Sandry, Jobson (Alison) e Balieiro (Pituca); Lucas Braga, Arthur Gomes (Pará) e Bruno Marques (Kaio Jorge). Técnico: Cuca. 

Boa parte dos titulares ficaram no banco de reservas. Cinco deles entraram no segundo tempo.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
João Paulo: Teve dificuldade em algumas bolas cruzadas na área, mas garantiu o resultado com uma brilhante defesa na cabeça de Pablo. - 7,0
Madson: Tem potencial para jogar mais. Não comprometeu na marcação, mas não foi tão presente no apoio pela direita. - 6,0
Laércio: Bem na marcação. Deu apenas um susto em uma saída em que o atacante adversário Pablo, quase roubou a bola. -  6,0
Alex: Jogou sério. Não comprometeu. - 6,5
Jean Mota: Limitou-se a marcação. Não apoiou. - 5,5
(Luan Peres): Bem na marcação e ainda se aventurou no apoio. Vive ótimo momento. - 6,0
Sandry: Novamente, um monstrooooo. Muita qualidade no passe. Distribuiu o jogo. Um dos melhores do clássico. - 7,0
Jobson: Um primeiro tempo apenas discreto e alguns erros de passe na bola longa. Melhorou na etapa complementar e fez o gol da vitória. - 6,5
(Alison): Deu poder de marcação maior ao meio-campo. - 6,0
Balieiro: Tomou o cartão muito cedo, o que fez com que se preocupasse em entrar mais firme. Não comprometeu. Foi substituído. - 6,0
(Pituca): Entrou e deu folego novo na marcação. - 6,0
Lucas Braga: A dedicação, a leitura tática deste rapaz é algo interessante. Um comprometimento enorme para o time. - 6,0
Arthur: Criou as principais jogadas do ataque. Chutou uma bola na trave e deu a assistência para o gol de Jobson. - 6,5
(Pará): Entrou bem pela direita da defesa e acabou com a farra São Paulina pelo setor. - 6,0
Bruno Marques: Começou muito bem, fazendo o pivô, segurando a bola na marcação alta do tricolor. Depois, desapareceu. - 5,5
(Kaio Jorge): Outro jogador taticamente interessante. Saiu da área, prendeu bola. Cumpriu seu papel. - 6,0
Técnico: Cuca: Estratégia perfeita. Poupou seus principais jogadores, soube utilizar alguns titulares do banco quando precisou. Tem o elenco na mão. - 7,0




Leia Mais »
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by