FOTO CAPA

109 ANOS DA MAIS BELA PÁGINA QUE O FUTEBOL CONSTRUIU

Publicado às 12h40 desta quarta-feira, 14 de abril de 2021.

Nesta quarta-feira, 14 de abril, o Santos completa 109 anos, da mais bela página que o esporte construiu. Em 1912, surgiu aquele que seria o maior clube do Mundo. O planeta conheceria, principalmente entre o fim dos anos 50 e começo dos anos 70, a essência do melhor futebol já visto no Universo.

De todos os motivos de orgulho que um clube de futebol já deu foi ter parado duas guerras (a do Congo e a de Biafra, na Nigéria, no fim dos anos 60) ambas foram interrompidas para que a população desses países pudessem ver Pelé & Cia.

E o mais curioso nessa caminhada, já mais do que centenária é que o Santos é o único dos grandes do futebol brasileiro e um dos poucos do futebol mundial, que não está em uma capital. Sofre demais por isso. A mídia paulistana, por exemplo, em grande quantidade, discrimina o clube e o trata como o "patinho feio", muitas vezes desmoralizando-o e relegando-o a um patamar longe da sua representatividade.

Porém, a nobreza e a grandeza do glorioso praiano supera qualquer discriminação e principalmente despeito.

O Alvinegro da Vila Belmiro é gigante porque a divindade quis assim e colocou nesta rota Pelé, Giovanni, Robinho, Neymar, Rodrygo e tantos outros; e o raio vai continuar caindo no templo sagrado do futebol.

Foram 102 títulos conquistados nesse período, entre eles 22 estaduais, oito brasileiros, uma Copa do Brasil, uma Copa Conmebol, uma Recopa Sul-americana, além das três libertadores (que o clube não venceu mais pois desistiu de disputa-la por alguns anos) e dois mundiais.

Torcer para o Santos, como diz o hino "é um orgulho que nem todos podem ter", jogue onde jogar.

Parabéns Santos Futebol Clube, por mais um ano de existência.

O Peixe é uma das, se não, a maior razão da minha existência e o primeiro amor da minha vida.

Como repórter, comentarista e torcedor já vivi e viverei outros momentos inenarráveis.

Vida longa ao Embaixador do Mundo!


NOVOS UNIFORMES

Na data do seu aniversário, a UMBRO que confecciona, aproveitou para lançar os novos uniformes alvinegros. Os novos mantos tem como conceito, os 'raios' que percorrem por inteiro as novas vestimentas.

O clube usou suas redes sociais para divulgar as novas camisas e usou a seguinte sentença:

"Não tem jeito. Todo ano troveja na Vila e outro raio cai no mesmo lugar. O SANTOS é isso: magia, história e paixão. Apresentamos hoje os novos mantos do Peixe para a temporada e claro, para os futuros raios da Vila."

Leia Mais »

SINAL DE ALERTA

Publicado às 09h desta quarta-feira, 14 de abril de 2021.

O Santos está na fase de grupos da Libertadores da América/2021. O alvinegro confirmou sua participação na principal competição do continente mesmo sem jogar um grande futebol ao empatar em 2 a 2 com o San Lorenzo, nesta terça-feira (13), em Brasília, em partida válida pela terceira e última fase preliminar. Como venceu na ida por 3 a1, na Argentina, o Peixe abriu vantagem novamente na partida, porém, não soube atuar com um a mais em campo, abriu 2 a 0, mas deixou o time argentino empatar. A igualdade deixou um sinal de alerta.

Com a classificação, o time da Vila tem garantido US$ 3 milhões apenas por disputar a fase de grupos – a equipe brasileira vai encarar Boca Juniors(ARG), Barcelona de Guayaquil (EQU) e The Strongest (BOL), no grupo C.

O Peixe começou a partida recheado de modificações. Lucas Braga foi para o banco e deu vaga a Soteldo, no ataque. Sem Balieiro que não viajou, Holán improvisou Felipe Jonatan que completou sua 100a. partida pelo alvinegro. Com isso, Pará virou ala pela esquerda e Madson, que não foi inscrito no estadual reapareceu na direita.

Já o San Lorenzo começou com quatro mudanças em relação ao jogo anterior, mas as mudanças pouco adiantaram. Desde o início, o Santos dominou a partida, deixando para o time argentino apenas os contra-ataques como arma.

Com 21 minutos de partida, o time brasileiro abriu o placar. Soteldo tocou para Pirani, que lançou para Felipe Jonatan, que achou Marcos Leonardo livre na esquerda. O jovem centroavante levou a bola para a linha de fundo e mesmo sem ângulo, chutou forte para marcar o primeiro gol do jogo.

A enorme desvantagem no placar agregado fez com que o San Lorenzo passasse a abusar das faltas mais duras e abrir a 'caixa de ferramentas'. O time argentino 'começou a gostar  do jogo' e o Santos apenas tocava a bola. Na base da imposição, quase surge o gol de empate. Aos 36, Donatti foi para a área em um escanteio, subiu mais que Kaiky e cabeceou com muito perigo. Em quatro bolas aéreas na grande área, o alvinegro perdeu todas.

No segundo tempo, o contra-ataque passou a ser a arma usada pelo Santos. No primeiro lance de maior perigo, a defesa do time paulista afastou a bola com um lançamento primoroso para Marinho, que partiu sozinho no campo de ataque e foi derrubado por Rojas, que recebeu o cartão vermelho direto. O Glorioso praiano ficava com um jogador a mais.

Aos 11 minutos da etapa complementar, Soteldo caminhou com a bola, esperou a marcação e deu passe primoroso para Pará, que entrou na área e bateu no canto esquerdo de Davecchi para anotar o segundo gol do Santos e do jogo. Porém, dois minutos depois, em escanteio para o San Lorenzo, Di Santo ganhou de Luan Peres e testou firme para o gol, diminuindo o placar.

Marinho que estava se estranhando com os defensores argentinos, recebeu o amarelo e foi substituído. O jogador não gostou e deixou o campo sem cumprimentar o técnico Arial Holan. Após a partida, o jogador disse através de redes sociais que pediu desculpas ao técnico.

O Santos desacelerou demais o jogo e o San Lorenzo partiu com tudo para o ataque. Os argentinos chegaram ao empate aos 32. Ángel Romero, ex-Corinthians, tabelou com seu irmão gêmeo Óscar e de longe, bateu no canto direito de João Paulo, que demorou para ir na bola.

Daí em diante, um misto de momento ruim com displicência em alguns lances e o time brasileiro não conseguia encaixar nenhum contra-ataque. Faltou pouco para o San Lorenzo virar o jogo com um jogador a menos aos 38. Após cobrança de escanteio, Óscar Romero cabeceou no canto esquerdo, mas João Paulo fez grande defesa.

Aos 43, Óscar Romero dominou fora da área e arriscou. Mais uma vez João Paulo salvou o Santos de levar a virada, espalmando a bola. Por fim, aos 50 minutos, em cobrança de falta levantada na área do time brasileiro, mais uma vez o goleiro precisou entrar em ação – ele defendeu uma cabeçada à queima-roupa de Peruzzi.

Valeu pela classificação, mas a apresentação não foi nada animadora. Inadmissível o segundo tempo do Santos com um jogador a mais.

Na sexta-feira (16) e no domingo (18), o time volta a campo pelo estadual, diante de Ponte Preta e Inter de Limeira, respectivamente, em Campinas e na Vila. Na libertadores, na semana que vem, a estreia na fase de grupos diante do Barcelona, na terça-feira (20), em Santos.


FICHA TÉCNICA

SANTOS 2 X 2 SAN LORENZO

Estádio Mané Garrincha - Brasília.

Juiz: Esteban Ostojich (URU)

GOLS: Marcos Leonardo, aos 21 do 1º Tempo; Pará, aos 11, Di Santo, aos 13, e Ángel Romero, aos 32 do 2º Tempo.

Cartões amarelos: Alison, Marcos Leonardo, João Paulo, Lucas. Peres e Marinho (SFC); Di Santo,  Peruzzi e Rodríguez (SLA)

Cartões vermelhos: Rojas (SLA)

SANTOS: João Paulo; Madson, Kaiky, Luan Peres e Pará; Alison, Gabriel Pirani (Jean Mota) e Felipe Jonatan; Marinho (Lucas Braga), Marcos Leonardo (Kaio Jorge) e Soteldo (Copete). Técnico: Ariel Holan.

SAN LORENZO: Devecchi; Peruzzi, Donatti, Gattoni e Rojas; Rodríguez (Elías), Ramírez e Óscar Romero; Ángel Romero, Di Santo (Franco Troyansky) e Fernández (Melano). Técnico: Diego Dabove.

O Santos voltou a sofrer com a bola aérea ofensiva do adversário.


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

João Paulo: Melhor em campo. Falhou no segundo gol, mas fez três defesas maravilhosas de puro reflexo. Precisa melhorar a saída de bola e ter mais confiança na saída do gol. - 7,0

Madson: Deixou espaços. Visivelmente sem ritmo. Apoiou, como de costume. - 5,5

Kaiky: Bem com a bola no chão e nem tanto no jogo aéreo. - 5,5

Luan Peres: No primeiro gol do adversário não achou Di Santo no alto. - 5,0

Pará: Jogador que erra poucos passes. Tem bom tempo de bola. Joga sério. E ainda marcou o segundo gol do Santos, apenas o seu terceiro pelo Santos. - 6,5

Alison: Tomou o cartão cedo, mas teve maturidade suficiente para não correr riscos de ser expulso. Fez bom jogo. - 6,0

Gabriel Pirani: Não armou tanto como no jogo passado, mas quando foi substituído, o time caiu de rendimento. - 5,5

(Jean Mota): Errou algumas bolas paradas. - 5,0

Felipe Jonatan: Sacrificado ao jogar improvisado. Deu a assistência no gol de Marcos Leonardo. Rende muito mais em sua posição. - 6,0

Marinho: Ainda longe do atacante da temporada passada, ainda assim puxou o contra-ataque que causou a expulsão de Rojas. - 6,0

(Lucas Braga): Entrou ligado no jogo. Algumas tomadas de decisão errada. - 5,5

Marcos Leonardo: Aproveitou a chance e fez jogo interessante. Marcou gol e se movimentou bastante. Podia ter feito mais um gol no fim da partida, mas tomou a decisão equivocada. - 6,5

(Kaio Jorge): Poucos minutos em campo. - SEM NOTA

Soteldo: Estupidamente desconcentrado na segunda etapa, mesmo dando juma ótima assistência para o gol de Pará. Perdeu uma bola bola ao tentar dar de trivela e foi imediatamente substituído pela displicência. - 5,5

(Copete): Jogou pouco tempo. - SEM NOTA

Técnico: Ariel Holan: A vantagem construída na primeira partida, permitiu que o argentino que comanda o Peixe fizesse testes. Mas houve um exagero. Para deixar Felipe Jonatan no meio, mexeu em três funções. Além disso, não conseguiu fazer com que o time reagisse, mesmo com um atleta a mais em campo e ver o adversário de quilate técnico inferior, dominar todo o segundo tempo. Por fim, voltou a demorar para mexer e as alterações, nenhuma delas, fez efeito. - 4,5

Leia Mais »

FELIPE JONANTAN COMPLETA 100 JOGOS PELO SANTOS EM DUELO DECISIVO PELA LIBERTADORES

Publicado às 14h28 desta terça-feira, 13 de abril de 2020.

O Santos está quase pronto para a última das batalhas antes da fase de grupos da Libertadores da América. Na noite desta terça-feira (13), no estádio Mané Garrincha em Brasília, o alvinegro enfrenta o San Lorenzo (ARG), em jogo de volta da terceira fase preliminar da competição continental. Como venceu na Argentina por 3 a 1, o alvinegro pode perder por até dois gols de diferença que estará classificado. A partida também marca a 100a. de Felipe Jonatan com o manto alvinegro.

Pelo que o Blog do ADEMIR QUINTINO apurou durante a segunda-feira (12), após a atividade comandada por Ariel Holán, o técnico argentino que dirigirá o Santos pela sexta vez tem duas dúvidas. Uma no meio-campo e outra no ataque. O comandante trabalhou na véspera do enfrentamento entre brasileiros e argentinos, várias formações.

Pelo que o Blog obteve de informação Balieiro, volante titular no jogo de ida, que sofreu um trauma no joelho diante do Botafogo-SP, no último fim de semana, sequer viajou. Para o seu lugar existem duas possibilidades. Cm isso, Felipe Jonatan será o segundo volante improvisado com Pará na lateral esquerda e o não inscrito no estadual, Madson, como titular da direita. 

No ataque, o titular na campanha do vice das Américas - Kaio Jorge poderia retornar a titularidade. Mas Marcos Leonardo será mantido. A outra alteração é a entrada de Soteldo no meio e Lucas Braga mantido no ataque. Pirani deve sair do time.

O duelo internacional marca a 100a. partida do canhoto Felipe Jonatan pelo Santos. O ala chegou no Peixe em 2019, quando Jorge Sampaoli comandava a equipe. O alvinegro depositou a multa junto ao Ceará no valor de R$ 6 milhões. Desde então, o lateral-esquerdo já disputou 99 partidas, marcou quatro gols e deu seis assistências.

"Somente o fato de eu defender um clube da grandeza do Santos, por si só, já é especial. Alcançar uma marca significativa como essa, de 100 partidas, em tão pouco tempo, então, nem se fala. É um privilégio enorme. Não pensei duas vezes quando surgiu a possibilidade de vir pra cá e, realmente, não poderia ter feito uma escolha melhor", afirmou o jogador.

Felipe  Jonatan que recentemente deu entrevista exclusiva ao canal do ADEMIR QUINTINO no youtube também falou que vive o melhor momento na carreira. No campeonato brasileiro de 2020 que se encerrou em fevereiro deste ano, o camisa 3 da Vila foi o segundo maior ladrão de bolas da competição.

"Estou muito feliz e acredito que esse está sendo o meu melhor momento como atleta. Seguirei trabalhando duro para retribuir o carinho que recebo de todos os santistas desde o meu primeiro dia aqui. Espero seguir vestindo essa camisa por mais tempo e continuar ajudando o time a conquistar títulos”, completou o jovem atleta de apenas 24 anos e que semana que vem será 'papai' pela primeira vez.

O provável Santos deve começar o duelo desta noite que terá transmissão da ENERGIA 97 FM com João Paulo, Madson , Kaike ,Luan Peres e Pará; Alisson, Felipe Jonatan e Soteldo, Lucas Braga, Marinho e Leonardo.

Confirmando a classificação, o alvinegro estará no grupo C ao lado de Boca Juniors (ARG), Barcelona (EQU) e The Strongest (BOL). A estreia na fase de grupos está marcado para a próxima terça-feira (20), diante do Barcelona de Guayaquil, às 19h15, na Vila Belmiro.

Leia Mais »

NA VOLTA DO PAULISTÃO, PEIXE SÓ EMPATA E USA A COMPETIÇÃO COMO LABORATÓRIO

Publicado às 11h30 deste domingo, 11 de abril de 2021.

No retorno do estadual de São Paulo, o Santos com um time completamente reserva, só empatou sem gols, 'nos embalos de sábado a noite', no estádio da Vila Belmiro, diante do Botafogo-SP. A partida foi válida pela nona rodada da fase de classificação, porém, foi apenas o quinto jogo do Peixe na competição. O campeonato estava paralisado em razão da pandemia do covid-19.

Sem o ala Madson que não foi inscrito no estadual, em razão de erro administrativo, pois o alvinegro completou a lista A da competição, que pode ter até 26 jogadores com o jovem Derick que tem 18, e deveria estar na lista B, que são destinados aos atletas pratas da casa, com menos de 23 anos e não tem limites, Ariel Holán colocou Sandro que não estava nem relacionado no seu lugar. Lucas Lourenço também a chance de começar o jogo desde o início. 

O time do interior que estreava o técnico Argel e até então, tinha apenas um ponto no campeonato, se portava atrás da bola, com duas linhas de cinco, mas percebendo os problemas do Santos de entrosamento e dificuldade de quebrar as linhas, começou a contra-atacar pelos lados e levar perigo, principalmente com o ótimo Dudu Hatamoto. 

O alvinegro teve um gol anulado, marcado por Luiz Felipe, após cobrança de falta efetuada por Lucas Lourenço. O defensor e capitão santista na partida estava um pouco a frente.

Antes do intervalo, também teve um chute de Jean Mota e foram as únicas jogadas perigosas do time santista nos primeiros 45 minutos.

Antes de começar a segunda etapa, Holán retirou Sandro e improvisou Balieiro para conter as boas investidas de Hatamoto e acabou com a farra. Porém, pode ter custado caro. O meio-campista dono da camisa 17 teve um trauma no joelho esquerdo. Balieiro  foi medicado ainda no vestiário da Vila Belmiro e será reavaliado neste domingo (11).

O trauma do volante é preocupante porque o Santos sofreu com três lesões recentes no ligamento cruzado anterior do joelho. No ano passado, o uruguaio Carlos Sánchez passou por cirurgia no local. No começo deste ano foi a vez do volante Jobson e, nesta semana, o garoto Sandry.

Se o primeiro tempo, o time não conseguia atacar, no segundo tempo foi pior ainda. Teve uma oportunidade com Kaio Jorge que voltou ao time depois de dois meses e entrou no segundo tempo na vaga de Bruno Marques e outra com Venuto que o goleiro Igor defendeu.

Apesar do resultado ruim, sou favorável sim de priorizar o Paulista e testar os meninos utilizando a competição como laboratório. O Santos já conseguiu colocar três meninos de titular no time principal e não vai conseguir fazer isso de 'baciada' inclusive do time alternativo. Quem tem qualidade vai ser mais utilizado e quem não comprovar, o clube que empreste no segundo semestre.

Antes do jogo acabar ainda teve o colombiano Copete, que não atuava há nove meses, reestreou na equipe. O jogador se recuperou recentemente da Covid-19 e teve que se "sacrificar" na lateral-direita, já que Madson, como explicamos acima, não foi inscrito no Campeonato Paulista e sem opções para o setor foi para a ala-direita.

Pelo Paulistão, o time volta a campo, muito provavelmente novamente com um time alternativo, sexta-feira às 20h, diante da Ponte Preta, em Campinas. Antes, porém, enfrenta o San Lorenzo, em Brasília, na segunda e última partida da terceira fase, a última antes da fase de grupos, na terça-feira (13), às 21h30 com transmissão da Energia 97 FM.


FICHA TÉCNICA 

Santos 0 x 0 Botafogo-SP

Estádio da Vila Belmiro - Santos (SP) 

Árbitro: Adriano de Assis Miranda

Cartões amarelos: Luiz Felipe (SFC); Victor Ramos e John (BOT)

SANTOS: John; Sandro (Vinícius Balieiro) (Copete), Luiz Felipe, Alex e Jhonnathan; Kevin Malthus, Lucas Lourenço e Jean Mota (Renyer); Ângelo, Bruno Marques (Kaio Jorge) e Allanzinho (Lucas Venuto). Técnico: Ariel Holan. 

BOTAFOGO-SP: Igor; Rodrigo, Victor Ramos, Fabão e Pará; Emerson (John Everson), Victor Bolt (Matheus Santos), Renatinho (Michel); Dudu (Luketa), Neto Pessôa (Kaio Magno) e Richard. Técnico: Argel Fucks.

Venuto após empréstimo ao Sport, também reestrou com a camisa santista.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS: 

John: Fez uma grande defesa no primeiro tempo, num chute que a bola ainda tocou no travessão. No mais, foi um mero expectador. - 6,5

Sandro: Não estava relacionado e foi pego as pressas com o erro administrativo do esquecimento da inscrição de Madson. Sofreu para conter o bom Dudu Hatamoto. Foi substituído. - 5,0

(Vinícius Balieiro): Acabou com a farra impondo-se na marcação do lado direito da defesa. Vai ser reavaliado neste domingo (11) e tomara que algo ruim não tenha acontecido após a dividida com o jogador botafoguense que o levou a ser substituído. - 6,0

(Copete): Exemplo de profissionalismo. Um coringa. Vai em todas. Não deu espaços, apesar de pouco tempo em campo. - 6,0

Luiz Felipe: Bem colocado na hora do gol, que infelizmente foi anulado. Tentou colaborar na cobertura de Sandro no primeiro tempo. Algumas vezes conseguiu, outras não. - 5,5

Alex: Errou muitos passes na saída de bola, principalmente no primeiro tempo. - 5,0

Jhonnathan: É zagueiro e sabe atuar como volante. Foi usado muitas vezes assim com o técnico Luciano Santos na base. Não teve explosão para apoiar. Limitou-se a marcação. - 5,5

Kevin Malthus: Prefiro-o jogando mais a frente. Mas com a política de poupar os principais jogadores para a terça-feira, teve que jogar na cabeça da área. - 5,5

Lucas Lourenço: Prendeu a bola demais em alguns instantes. Pensei que como tinha outro coordenador, jogaria mais solto, mas isso não aconteceu. - 5,0

Jean Mota: Não reeditou as boas atuações do fim do Brasileiro e começo do estadual. Não conseguiu ser o coordenador de jogadas para abastecer o ataque. - 5,0

(Renyer): Pouco tempo em campo. - SEM NOTA

Ângelo: Bastante personalidade. Quando viu que o conjunto não estava funcionando, chamou a responsabilidade. Foi o melhor do time. Potencial enorme. - 6,5

Bruno Marques: Tem muitas dificuldades com a bola no chão. Não chegou nenhuma bola no alto, sua melhor característica. - 5,0

(Kaio Jorge): Tem fundamentos melhores que o antecessor e boa leitura de jogo. Quase deu uma assistência para Venuto marcar. Teve uma oportunidade de cabeça e desperdiçou. Precisa melhorar esse quesito para crescimento na posição. - 5,5

Allanzinho: Esteve tímido. Costuma agredir mais nos jogos da base. Tudo normal. Apenas o terceiro jogo no profissional. Sentiu falta de um jogo mais apoiado, já que Jhonnathan não subia ao ataque. - 5,0

(Lucas Venuto): Perdeu um gol de cabeça e após rabiscar bem deixou de finalizar em um lance que Kaio Jorge entrou na frente. Botou uma fumaça maior que o antecessor. - 5,5

Técnico: Ariel Holan: Poupou os principais jogadores. Tenho dúvidas se ele conseguiu treinar esse time mais que uma vez. Creio que algumas escolhas podiam ser diferentes como Copete desde o inicio e Guilherme Nunes na cabeça da área e Kevin, um pouco mais a frente. Prejudicado e muito com o erro administrativo da inscrição de Madson. Faltou um jogador mais maduro com velocidade e o reserva da ala direita era esse atleta. - 5,0

Leia Mais »

PAULISTÃO RETORNA E PEIXE COM TIME ALTERNATIVO JOGA NESTE SÁBADO, ÀS 22H

Publicado às 05h20 deste sábado, 10 de abril de 2021.

Após o anuncio do governador do Estado de São Paulo que o futebol está de volta, no começo da tarde desta sexta-feira (9), já que esteve proibido desde o dia 15 de março, quando entrou em vigor o plano emergencial de combate à propagação da Covid-19, a bola voltará a rolar e o Paulistão retoma neste sábado (10). O Santos com um time reserva enfrenta o Botafogo-SP, às 22h, no estádio da Vila Belmiro. A Energia 97 FM transmite a partida e a jornada ao publico tem inicio às 21h30.

Focado no duelo de volta da Libertadores, na próxima terça-feira (13), em Brasília, às 21h30, diante do San Lorenzo (ARG), o técnico Ariel deve mandará um time alternativo a campo, neste fim de semana pelo torneio regional. Na próxima sexta-feira (16), o alvinegro volta a jogar pelo estadual, desta vez diante da Ponte Preta, em Campinas, às 20h. 

Com apenas uma vitória em quatro jogos, o time da Vila ocupa a terceira colocação no seu grupo com cinco pontos, um a menos que o Guarani, segundo lugar e três atrás do Mirassol que tem oito, porém, os dois clubes a frente do alvinegro jogaram cinco vezes, uma a mais que o Peixe.

O provável Santos deve ir a campo com John, Balieiro, Luiz Felipe, Alex e Jhonnathan (Copete);Guilherme Nunes (Ivonei), Kevin Malthus e Jean Mota; Ângelo, Bruno Marques (Kaio Jorge) e Alanzinho (Copete).

Leia Mais »

SANTOS OFICIALIZA RESCISÃO DO ZAGUEIRO SABINO

Publicado às 16h30 desta sexta-feira, 9 de abril de 2021.

Na tarde desta sexta-feira (9), através do site oficial do clube, o Santos anunciou a rescisão do zagueiro Sabino que tinha vínculo com o clube até janeiro de 2025. 

O alvinegro da Vila Belmiro fica com 10% dos direitos econômicos em uma futura venda. O jogador tem um acerto verbal com o Sport-PE. Ele está em Recife, desde o começo da semana, onde realizou exames médicos.

Os dirigente do Peixe alegam economia para abrir mão dos 60% dos direitos econômicos do jogador que o clube detinha.  Outros 30% eram do próprio Sabino e 10% do agente do atleta.

Sabino atuou as duas últimas temporadas pelo Coritiba. Seus vencimentos antes de deixar a Vila eram de R$ 40 mil, porém como tinha bons números no time paranaense, a equipe do Coxa aumentou seu salário para R$ 120 mil.

No fim do ano passado, chegou uma proposta de 750 mil dólares (R$ 4 milhões) pelo atleta e como estava no período de finalização da gestão, em meio as eleições, o Conselho Deliberativo tinha que ser ouvido e 40 conselheiros (24%) votaram favorável a venda, enquanto a maioria, 123 conselheiros (76%) reprovaram a ida do atleta para o Kashiwa Reysol do Japão. A proposta salarial ao jogador dos nipônicos eram de R$ 450 mil/mensais.

O Santos achou por bem , então, trazer o atleta de volta, logo após terminasse o Campeonato Brasileiro de 2020, em fevereiro de 2021 atraso esse devido a pandemia do covid-19. 

Ainda no fim do ano passado, logo após a negativa da venda aos japoneses, a gestão do então presidente Orlando Rollo decidiu adequar os vencimentos do jogador, estender seu vínculo que até então terminaria em 2022. 

Os valores dos novos salários vazaram na imprensa e opinião pública - R$ 200 mil no primeiro ano e R$ 280 mil, no quarto e último e depois do zagueiro estrear diante da Ferroviária de Araraquara, inclusive marcando o único gol do Santos na partida que terminou empatada em 1 a 1, nunca mais foi aproveitado.

Sabino ficou 10 anos na Vila. O clube deu alojamento e fez investimentos no atleta. Em razão da 'briga política' que este caso virou, o clube não vai ter ganho técnico e pouco ganho financeiro com o jogador, pois terá direitos a apenas 10%. 

Todavia , os atuais administradores do clube entendem que a economia feita ao deixar de pagar aproximadamente R$ 14 milhões em salários, direito de imagem e comissão, com aumentos escalonados a cada temporada é o suficiente para se desfazer do defensor revelado em Vila Belmiro e que tem ótimos números, segundo scouts dos dois últimos anos.

O presidente Andres Rueda afirma que o caso gerou conflito na renovação de outros atletas recém saídos da base, que usavam os vencimentos de Sabino para não aceitarem as ofertas feitas pelo departamento de futebol:

"Já tivemos exemplos claros internamente com alguns atletas”, disse o novo mandatário alvinegro.

Leia Mais »

PEIXE JÁ SABE QUAIS OS POSSÍVEIS ADVERSÁRIOS NA FASE DE GRUPOS DA LIBERTADORES

Publicado às 15h15 desta sexta-feira, 9 de abril de 2021.

A Conmebol realizou há pouco, no começo da tarde desta sexta-feira (9), em Luque, no Paraguai, o sorteio da fase de grupos da Copa Libertadores 2021. O vencedor do confronto Santos X San Lorenzo (ARG) está no Grupo C, ao lado de Boca Juniors (ARG), The Strongest (BOL) e Barcelona de Guaiaquil (EQU).

Flamengo e Fluminense também caíram em chaves teoricamente difíceis, enquanto Palmeiras e Grêmio devem se enfrentar no grupo A, desde que o time gaúcho avance na terceira fase preliminar do torneio e elimine o Independiente Del Valle (EQU).

O alvinegro como venceu na ida, fora de casa o San Lorenzo (ARG), por 3 a 1, pode até perder por 2 a 0, na terça-feira (13), em Brasília, que ainda assim estará na fase de grupos da competição continental.

A fase de grupos da Libertadores começa daqui a duas semanas. A primeira rodada acontecerá entre os dias 20, 21 e 22 de abril. A tabela ainda será desmembrada pela Conmebol.  

Segue abaixo os respectivos grupos:

Grupo A:

Palmeiras, Defensa y Justicia (ARG), Universitario (PER) e o vencedor de Independiente dell Vale x Grêmio. 

Grupo B

Olímpia (PAR), Internacional, Deportivo Táchira (VEN) e Always Ready (BOL) 

Grupo C: 

Boca Juniors (ARG), Barcelona (EQU), The Strongest (BOL) e vencedor de San Lorenzo x Santos 

Grupo D:

River Plate (ARG), Independiente Santa Fé (COL), Fluminense e vencedor de Bolívar x Junior Barranquilla 

Grupo E: 

São Paulo, Racing (ARG), Sporting Cristal (PER) e Rentistas (URU) 

Grupo F: 

Nacional (URU), Universidad Católica (CHI), Argentinos Juniors (ARG) e vencedor de Libertad x Atlético Nacional 

Grupo G: 

Flamengo, LDU (EQU), Vélez (ARG) e Unión la Calera (CHI) 

Grupo H: Cerro (PAR), Atlético-MG, América de Cali (COL) e Deportivo la Guaira (VEN)

Leia Mais »

PRIMEIRO TEMPO DE ALMANAQUE E PEIXE DÁ PASSO IMPORTANTE PARA CLASSIFICAÇÃO

Publicado às 14h55 desta quarta-feira, 7 de abril de 2021.

O Santos deu um passo importante para carimbar a classificação a fase de grupos da Libertadores/2021 ao vencer o San Lorenzo, na Argentina, por 3 a 1, na noite desta terça-feira (6). Com o resultado, o alvinegro pode até perder por 2 a 0, em Brasília, no dia 13 que ainda assim estará em sua 16a. participação da competição continental.

A escalação que Holán mandou a campo, foi a mesma que o Blog publicou na véspera do jogo com Lucas Braga para fortalecer o jogo aéreo. E o camisa 30 foi o nome do jogo. Abriu o marcador com um golaço e teve importante participação durante a partida. Ainda no primeiro tempo Pirani lançou Marcos Leonardo que sofreu pênalti. Marinho bateu e ampliou.

Os primeiros 45 minutos do Peixe foram de almanaque. Linhas compactas e recomposição rápida. Com exceção do jogo aéreo, que ainda necessita de correções, foi um time próximo da perfeição, independente da qualidade técnica adversária. 

Na segunda etapa, o alvinegro seguia com jogo controlado, porém, em um momento que o ala esquerdo Felipe Jonatan foi ser atendido, os donos da casa diminuíram o placar.

Emocionalmente, mais do que fisicamente, o time sentiu o gol do ex-corintiano Romero. Holán que até então tinha sido perfeito, demorou para substituir. Quando fez, três das quatro alterações, os atletas participaram do último gol do jogo, marcado por Romero. O gol histórico de Ângelo, o mais jovem a marcar na história da competição com 16 anos e três meses.


FICHA TÉCNICA

SAN LORENZO 1 X 3 SANTOS

Estádio El Nuevo Gasometro, em Buenos Aires (ARG)

Árbitro: Wilmar Roldán (COL)

Cartões amarelos: Diego Rodríguez (San Lorenzo);

GOLSan Lorenzo: Ángel Romero (26 minutos do 2º tempo)/ Santos: Lucas Braga (seis minutos do 1º tempo), Marinho (de pênalti, 45 minutos do 1º tempo) e Ângelo (49 minutos do 2º tempo)

San Lorenzo: Devecchi; Andrés Herrera, Alejandro Donatti, Braghieri, Bruno Pittón; Palacios (Óscar Romero), Diego Rodríguez (Elías), Juan Ramírez; Angel Romero, Di Santo e Franco Troyansky (Nicolás Fernández)

Técnico: Diego Dabove

Santos:  João Paulo, Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Vinicius Balieiro e Pirani (Soteldo); Marinho (Ângelo), Lucas Braga e Marcos Leonardo (Bruno Marques).

Técnico: Ariel Holan


Lucas Braga abriu o marcador com um golaço.


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS:  

João Paulo: Indecisão em algumas saídas de bola e reposição de jogo com os pés. Seguro debaixo dos três paus. Duas defesas importantes. - 6,5

Pará:  Fazia uma grande partida. No gol foi fazer a cobertura como central e não conseguiu interceptar. Bem no apoio. - 6,5

Kaiky: Sempre disse e agora no profissional é bom repetir. Lembra o Valber, joga muito. Não rifa uma bola. Impressionante. Com a bola no chão é Monstruoso. - 7,0

Luan Peres: No alto, ainda deixa a desejar. Pode melhorar. No chão, bem demais. Foi dele o bote para o passe do primeiro gol. - 7,0

Felipe Jonatan: Taticamente como evoluiu. Perfeito no desarme e posicionamento. O que roubou de bola foi uma grandeza. - 7,0

Alison: Preciso nos desarmes e sem faltas. Como amadureceu. - 6,5

Vinicius Balieiro: Fez o que se espera dele, muita transpiração na marcação. - 6,5

Pirani: Demorou para entrar no jogo, mas quando o fez, foi muito bem. Bela assistência para Marcos Leonardo sofrer a penalidade máxima. - 7,0

(Soteldo): Entrou com cinco minutos para o término, porém participativo no lance do último gol. - 6,5

Marinho: Visivelmente sem ritmo. Precisa de mais alguns jogos para aquecer a turbina. Bela cobrança de pênalti. - 6,5

(Ângelo): Na hora certo, no momento certo para deixar seu nome na história. O mais jovem a marcar na história da Libertadores. 16 anos e três meses. - 6,5

Lucas Braga: O 'The Man of the match'. Recompôs, acelerou deixou os zagueiros e lateral pela direita do San Lorenzo, malucos. - 7,5

Marcos Leonardo: Boas movimentações e foi inteligente para sofrer a penalidade que proporcionou o segundo gol. - 6,5

(Bruno Marques): Jogou pouco e não participou de nenhum lance decisivo. - SEM NOTA

Técnico: Ariel Holan: A direção santista acertou na escolha do treinador. Teve tempo de trabalhar e mesmo sem reforços faz o time agredir, compactado e rápido na reposição. Só não vai levar 10 porque demorou para substituir. - 9,0

Leia Mais »
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by