FOTO CAPA

CLASSIFICAÇÃO SOFRIDA

Publicado às 08h desta quarta-feira, 2 de dezembro de 2020.

O Santos está nas quartas de final da Copa Libertadores da América. Mas o que parecia resolvido virou um 'parto'. Por pouco, uma tragédia não deixou de ocorrer na noite desta terça-feira (1), em Vila Belmiro. Com um segundo tempo sofrível, o alvinegro perdeu a invencibilidade na competição ao ser derrotado pela LDU (EQU) por 1 a 0. Como venceu em Quito, por 2 a 1, o gol qualificado fora de casa, colocou o Peixe na outra fase. O glorioso alvinegro praiano abocanha US$ 1,5 milhão (R$ 8,4 milhões), por avançar entre os oito melhores de continente como premiação.

Conforme informamos na manhã de terça-feira (1), no programa Resenha Santista da TV Cultura Litoral, Cuca que não pode ficar no banco de reservas, em razão dos protocolos do Covid-19, impostos pela Conmebol, improvisou Soteldo de armador, manteve Lucas Braga no auxílio da marcação a Perlaza pelo lado esquerdo da defesa e Alison foi mantido na cabeça da área

Taticamente, não funcionou. Ainda assim, o Santos teve sete finalizações e três reais oportunidades claras, mas desperdiçou-as. Perdeu a agressividade pela extrema esquerda sem Soteldo, mas ganhou a força e a recomposição que fizeram com que o lateral equatoriano, melhor jogador adversário no jogo de ida, fosse figura decorativa e o alto atacante que defendeu a Inter de Limeira no estadual, cumpriu muito bem a função de auxiliar Felipe Jonatan.

Mas o pior ainda estava por vir. Sem alterações para a segunda etapa, o time recuou, assistiu o adversário avançar as linhas de forma pacífica, fez 45 minutos finais horríveis e parecido com que aconteceu no fim de semana, quando permitiu um adversário de qualidade técnica inferior, tomar conta do meio campo e dominar a partida. O gol da LDU era questão de tempo e veio no meio da etapa complementar com Zunino.

Daí para a frente, o time abdicou totalmente até de contratar e jogou com o regulamento debaixo do braço. Somente após levar o primeiro gol, o auxiliar Cuquinha começou a mexer no time.

No fim do jogo, após o árbitro argentino Nestor Pitana dar seis minutos de acréscimo e com mais de sete, não acabar o jogo, houve uma briga generalizada e Luiz Felipe, defensor santista que estava no banco ser expulso.

Dos três brasileiros que foram a campo na Libertadores nesta noite de terça-feira (1), somente o Santos se classificou  (mesmo perdendo o jogo em casa). Atlético Paranaense e Flamengo, ficaram pelo caminho. 

Mesmo com incêndio para apagar no dia do jogo e com o presidente do clube Orlando Rollo, funcionando de bombeiro, após vazar informação, ex-presidente que sofre impedimento por gestão temerária , inúmeras dívidas, transferban que impede de contratar jogador, jogadores com Covid, treinador que não dirige o time no gramado, direito de imagem em atraso, consegue passar de fase e o rubro-negro carioca com folha de 18 milhões/mês, não. Só os deuses do futebol podem explicar.

O Santos aguarda o vencedor do confronto Guarani-PAR e Grêmio, na noite desta quarta-feira (2) para conhecer seu adversário na próxima fase da competição continental. Provavelmente será o time brasileiro que venceu o jogo de ida por 2 a 0, na casa do adversário. 

Pelo Campeonato Brasileiro, o alvinegro volta a campo no fim de semana, no clássico diante do Palmeiras, na Vila Belmiro.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 0 x 1 LDU

Estádio da Vila Belmiro - Santos (SP)

Árbitro: Néstor Pitana (ARG)

Gols: 0-1 Zunino (19'/2T)

Cartões amarelos: Alison, Soteldo, Wagner Leonardo e John (Santos); Ayala (LDU)

Cartões vermelhos: Luiz Felipe (SFC); Aguirre, Villarruel (LDU)

SANTOS: John; Pará, Lucas Verissímo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Wagner Leonardo, aos 41'2ºT); Alison, Pituca e Soteldo (Sandry, aos 36'2ºT); Lucas Braga (Madson, aos 36'2ºT), Marinho e Kaio Jorge (Bruno Marques, aos 24'2ºT). Técnico (interino): Cuquinha.

LDU: Gabbarini; Perlaza (Zunino, aos 08'2ºT), Luis Caicedo, Ordóñez e Ayala (Cruz, aos 11'2ºT); Villarruel (Aguirre, aos 37'2ºT), Alcívar, Quintero, Billy Arce (Marcos Caicedo, aos 12'2ºT) e Jhojan Julio; Martínez Borja. Técnico: Pablo Repetto.

Jogadores e membros da Comissão técnica do Santos pressionam a arbitragem e pedem o fim da partida


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

John: Sem culpa no gol sofrido. Nenhuma grande defesa. - 6,0

Pará: Não foi o mesmo jogador do duelo de ida, mas ainda assim, um dos poucos com produção individual satisfatória no Santos. - 6,0

Lucas Verissímo: Seguro. - 6,0

Luan Peres: Fez o simples. - 6,0

Felipe Jonatan: Limitou-se mais a parte defensiva. Saiu no fim do jogo. - 6,0

(Wagner Leonardo): Jogou bem pouco. Por ter recuperação, entrou para dar sangue novo pela esquerda da defesa. Pela primeira vez teve dificuldade em marcar o atacante adversário. - SEM NOTA

Alison: Não roubou tantas bolas como de costume. - 5,5

Pituca: Bom primeiro tempo, participativo. Caiu junto com o time na segunda etapa. - 6,0

Soteldo: Perdido. Fora de posição. Longe do jogador atrevido, rápido e insinuante quando atua dos lados. - 5,0

(Sandry): Melhorou a saída de jogo na bola longa. - 6,0

Lucas Braga: No trabalho de recompor e marcar Perlaza, ala direito dos equatorianos foi perfeito, porém, não apareceu como homem forte pelo lado esquerdo do campo no setor ofensivo. - 5,5

(Madson): Demorou demais para entrar no jogo. Somente quando faltavam menos de 10 minutos para o fim sem os acréscimos. - SEM NOTA

Marinho: Não foi protagonista. Apesar das tentativas, tomadas de decisões erradas nos chutes ao gol. Tem potencial para render mais. - 5,5

Kaio Jorge: Sacrificado no esquema, por recompor e ajudar o coletivo. Ao contrário dos últimos jogos, quando sequer finalizou a gol, teve no mínimo duas grandes chances para abrir o marcador e desperdiçou. - 5,0

(Bruno Marques): Entrou para mudar a característica do ataque santista. Fazer o pivô ou conclusão no jogo aéreo. A bola não chegou. - 5,5

Técnico (interino): Cuquinha: Demorou para mexer e assistiu passivamente o time recuar as linhas e viu a LDU avançar na segunda etapa. Não foi feliz ao centralizar Soteldo no meio-campo. Posição carente no elenco. Ninguém quer ficar com a vaga de coordenação. - 5,0


Leia Mais »

FABRICA DE CRAQUES

Publicado às 22h deste sábado, 28 de novembro de 2020.

Na volta de Cuca ao comando técnico depois de 20 dias ausente, se recuperando do covid-19, o Santos venceu o Sport por 4 a 2, na tarde deste sábado (28), no estádio da Vila Belmiro pela 23a. rodada do Campeonato Brasileiro.

O resultado levou o alvinegro para 37 pontos, mesmo número do Palmeiras, porém, o time da capital tem vantagem no critério de desempate e com isso, o Peixe está na quinta colocação. Os gols foram de Marinho, Lucas Braga, Soteldo e Bruno Marques. O jovem de 21 anos de idade, estreou no profissional e na primeira partida marcou seu primeiro gol.

Cuca disse recentemente que não tinha opção para mudar as características do time, caso necessitasse do jogo aéreo ofensivo. Enganou-se. Tinha sim. 

Mesmo com o 'transferban' que impede contratações de jogadores, em razão de 'calotes' feitos pela gestão 'impedida' do presidente José Carlos Peres, a solução estava no próprio clube, porque no Santos, os talentos são 'fabricados' em casa. 

Bruno Marques, marcou no Campeonato Brasileiro de aspirantes, onde o Peixe já foi eliminado, sete gols, sendo cinco de cabeça. Mesmo fora da competição segue como artilheiro da mesma. Precisou, ele sair do banco, marcar o terceiro gol e ganhar no alto para Marinho sofrer o pênalti para o alvinegro vencer por 4 a 2, após largar na frente com 2 a 0, em 11 minutos, permitir o empate ainda na primeira etapa para um dos piores times da série A em 2020 e quase complicar uma vitória simples.

Bruno Marques pertence ao Lagarto de Sergipe. Por 70% dos direitos econômicos, o Peixe precisa pagar R$ 600 mil até 30 de dezembro. O jogador já havia agradado Sampaoli no primeiro semestre do ano passado durante os treinos. Ele chegou a Vila em setembro de 2018 por empréstimo.

Com 1,94 m de altura é um homem de área, característica que o elenco santista 'não tinha', bastava alguém da comissão técnica do profissional olhar com um pouco mais de carinho os jogos do sub-20 e sub-23 para perceber que apesar de 'mal tratada' ultimamente, ainda tem jogadores a serem garimpados, embaixo.

Alguém duvida que se José Welison, Elias e outros tivessem desembarcado na Vila, Balieiro e Bruno Marques seriam descobertos? Pouco provavelmente, não.

A lição da partida de hoje é que se fosse um adversário de maior quilate, pontos poderiam ter sido desperdiçados quando a partida estava na mão. Que seja um sinal de alerta para o jogo diante da LDU, na próxima terça-feira (1), na partida de volta das oitavas de final da Copa Libertadores da América. O time da Vila pode perder por 1 a 0 que ainda assim irá as quartas de final para provavelmente enfrentar o Grêmio-RS, que venceu o Guarani-PAR no jogo de ida, fora de casa por 2 a 0.

Pelo Brasileirão, o Peixe volta a jogar no próximo fim de semana, também na Vila, diante do Palmeiras.


FICHA TÉCNICA

SANTOS 4x2 SPORT

Estádio da Vila Belmiro - Santos (SP)

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)

GOLS: 1-0 Marinho (6'/1T); 2-0 Lucas Braga (10'/1T); 2-1 Marquinhos (27'/1T); 2-2 Leonardo Barcia (45'/1T); 3-2 Bruno Marques (25'/2T); 4-2 Soteldo (36'/2T).

Cartões amarelos: Lucas Veríssimo, Jobson e Lucas Lourenço (SFC); Adryelson, Marquinhos e Lucas Mugni (SPO).

SANTOS: John, Pará, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Felipe Jonatan; Pituca, Jobson (Sandry) e Lucas Lourenço (Soteldo); Kaio Jorge (Bruno Marques), Lucas Braga (Madson) e Marinho. Técnico: Cuca.

SPORT-PE: Luan Polli, Patric, Iago Maidana, Adryelson (Gomez), Chico e Júnior Tavares; Márcio Araújo (Ronaldo), Ricardinho (Bruninho), Lucas Mugni (Mikael) e Marquinhos (Maxwell); Leandro Barcia. Técnico: Lucena.

Marinho e Soteldo marcaram cada um, uma vez, de pênalti


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

John: Sem culpa nos gols sofridos. No segundo tempo foi mero expectador. - 5,5

Pará: Foi o capitão do time. Após uma maravilhosa apresentação na Libertadores, foi pouco a frente, mas não comprometeu na defesa. - 6,0

Lucas Veríssimo: Curtiu uma de 'falso 9' na boa assistência para o gol de Lucas Veríssimo. - 6,0

Luiz Felipe: Não evitou o cruzamento que originou o primeiro gol do adversário. - 5,5

Felipe Jonatan: Jogou no sacrifício. O jogador se recuperou de uma lesão na coxa que o tirou do fim da partida no Equador. Bem no apoio. - 6,0

(Wagner Palha): Jogou pouco. Sem nota

Pituca: Não foi tão combativo como de costume após a cobrança de lateral no primeiro gol do Sport. - 5,0

Jobson: Também foi envolvido no primeiro gol do Sport. Saiu no intervalo substituído. - 5,0

(Sandry): Melhorou a saída de bola no meio-campo com sua precisão nos lançamentos de média e longa distância. Muita qualidade. - 6,5

Lucas Lourenço: Tomou cartão cedo. Desperdiçou uma oportunidade de demonstrar sua capacidade técnica. Também não é menos verdade que o meia precisa de uma sequência para provar o seu valor. - 5,0

(Soteldo): Com o nome de Maradona nas costas, na homenagem feito pelo clube saiu do banco e participou do último gol com assistência e a cobrança da penalidade máxima. - 7,0

Kaio Jorge: Sacrificado no esquema de Cuca. Joga pra time com muito empenho. Pouco finalizou, mais uma vez. Substituído no segundo tempo. - 6,0

(Bruno Marques): Aproveitou a oportunidade e marcou seu gol na primeira cabeçada contra a meta adversária em sua primeira oportunidade no time de cima. Tem muita qualidade no jogo aéreo. Participou do último gol, ganhando de cabeça no meio-campo. - 7,5

Lucas Braga: Boa apresentação do jovem atacante. Marcou o segundo gol, recompôs para auxiliar o meio-campo na marcação. - 6,5

(Madson): Jogou pouco: Sem nota

Marinho: Apesar de ter sido decisivo no Equador, ao sofrer a penalidade máxima e converter em gol, a cobrança, há algumas rodadas não repetia uma grande apresentação. Ela veio neste sábado (28). Conseguiu dois pênaltis, marcou um gol e ainda deu a assistência para o gol do estreante Bruno Marques. - 8,5

Técnico: Cuca: Feliz nas mudanças, principalmente de Bruno Marques. - 6,5

Leia Mais »

100% FORA DE CASA NA LIBERTADORES

Publicada às 4h desta quarta-feira, 25 de novembro de 2020.

O Santos surpreendentemente venceu mais uma fora de casa na Libertadores da América e largou na frente do confronto, diante da LDU, pelas oitavas de final da competição continental ao vencer em Quito, por 2 a 1, na noite desta terça-feira (24). Os gols da vitória foram de Soteldo e Marinho. Com isso, o alvinegro pode até perder por 1 a 0, no jogo de volta, que ainda assim estará na próxima fase e receberá a premiação de U$ 1,5 milhão (R$ 8,25 milhões) para ir as quartas de final. 

Foi o quarto triunfo do Glorioso da Vila como visitante na Libertadores, este ano. Na fase de classificação, o Peixe já havia vencido o Defensa y Justica na Argentina, o Delfin no Equador e o Olímpia no Paraguai.

O interino Marcelo Fernandes, que substituiu o ausente Cuca que se recupera de saúde, após ter ficado internado, vítima de Covid-19, confirmou Jhon no gol, Pará na ala-direita, Luiz Felipe na quarta-zaga e Alison na cabeça na área em substituições a João Paulo, Madson, Luan Peres e Jobson respectivamente, sendo os três primeiros com testes positivos do coronavírus e o último, suspenso com três amarelos. 

Com uma proposta solidária de transição rápida e um time compactado para não ser surpreendido na altitude, o Peixe fez um jogo de muita transpiração e entrega. Aos oito minutos, Pará, um dos melhores do jogo, foi a linha de fundo e cruzou para trás; Soteldo na marca do pênalti, chutou e abriu o marcador aos 8 minutos.

Quando tudo levava a crer que o Peixe iria para o intervalo com vantagem, a bola nos pés do Santos no campo ofensivo, o time perde a bola e num contragolpe sofre a igualdade nos acréscimos.

Veio os 45 minutos finais e o time se doando e evitando chutes de média e longa distância do adversário, 'achou' a bola do jogo com Marinho. O camisa 11 recebeu, fingiu que ia chutar de canhota, trouxe para a perna 'ruim' ameaçou bater, puxou de volta para a perna 'boa' e sofreu a penalidade máxima, cobrada e convertida com muita precisão pelo próprio, aos 14 minutos da etapa complementar.

Na meia hora final de jogo, o Santos 'fechou a casinha' e com poucas intervenções do goleiro Jhon segurou o resultado e trouxe uma vantagem significativa na bagagem para o jogo de volta, no dia 1, semana que vem, na Vila.

Antes, porém, o alvinegro da Vila recebe o Sport-PE, pela 23a. rodada do Campeonato Brasileiro, no sábado (28). Ambos, vem de derrota no torneio nacional. A partida deve marcar a volta de Cuca no comando técnico da equipe.


FICHA TÉCNICA

LDU 1 x 2 SANTOS

Estádio Casa Blanca, Quito (EQU)

Árbitro: Fernando Rapallini (ARG)

Gols: 0-1 Soteldo (07'/!T); 1-1 Julio (46'/1T); 1-2 Marinho (14'/2T)

Cartões amarelos: Vega, Aguirre, Ordoónez e Alcívar (LDU); Luiz Felipe, Soteldo, Felipe Jonatan e Wagner Leonardo (SFC). 

LDU (EQU): Gabbarini; Perlaza (Zunino, 47'/2T), Luís Caicedo, Ordónez e Cruz (Ayala, intervalo); Vega (Marcos Caicedo, 20'/2T), Alcívar, Quintero (Aguirre, 10'/2T) e Billy Arce; Martínez e Julio. Técnico: Pablo Repetto.

SANTOS: John; Pará, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Felipe Jonatan (Lucas Braga, 35'/2T) ; Alison, Pituca e Jean Mota (Wagner Palha, 46'/1T); Marinho, (Lucas Lourenço, 43'/2T) Kaio Jorge e Soteldo (Vinicius Balieiro, 43'/2T). Técnico: Marcelo Fernandes.

Alison retornou o time e foi o capitão.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

John: Nenhum milagre, mas pontual e atento. Quando precisou, estava bem colocado e não comprometeu. - 7,0

Pará: Ótimo na marcação, apareceu duas vezes a frente com assistência inclusive no primeiro gol e no fim do jogo parecia um menino mesmo aos 34 anos. Uma das melhores partidas do jogador pelo Santos. - 8,0

Lucas Veríssimo: Bem colocado. Fez o simples. - 6,5

Luiz Felipe: Também não comprometeu. No gol dos equatorianos, preferiu não dar o bote no jogador que tinha a bola. - 6,5

Felipe Jonatan: Não teve cobertura na marcação de Perlaza durante grande parte do primeiro tempo. Dobraram em cima do ala canhoto que teve que se virar sozinho. Depois Jean Mota e Soteldo tentaram ajudar em vão. No fim do primeiro tempo foi para o meio-campo. - 6,5

(Lucas Braga): Jogou 10 minutos, mais os acréscimos. Segurou uma bola na linha de fundo por um tempo. - SEM NOTA.

Alison: Não jogava há quase um mês. Começou discreto, mas com o decorrer do jogo melhorou o posicionamento na marcação. - 6,5

Pituca: No gol dos equatorianos deixou de disputar a bola de cabeça. Melhorou na segunda etapa. - 6,0

Jean Mota: Entrou para armar a equipe na transição da bola longa. Depois virou uma espécie de volante pela esquerda para auxiliar Felipe Jonatan. Foi substituído ainda no primeiro tempo. Pela TV pareceu sentir os efeitos da altitude, pois pouco antes de sair estava com a boca aberta. - 5,5

(Wagner Palha): Também sofreu com Perlaza. Depois conseguiu encaixar a marcação. Levou um certo tempo. - 6,0

Marinho: Não realizava grande partida, mas quando fez grande jogada decidiu o duelo ao sofrer um pênalti e converter o mesmo. - 7,5

(Lucas Lourenço): Jogou pouquíssimos minutos. - SEM NOTA

Kaio Jorge: Jogou para o time. Muita entrega na recomposição. Na sua função mesmo de camisa 9, não apareceu. - 6,0

Soteldo: Fez uma grande partida. Marcou um gol e quebrou a linha de defesa equatoriana, por diversas vezes. - 7,0

(Vinicius Balieiro): Entrou nos acréscimos. - SEM NOTA

Técnico: Marcelo Fernandes: Melhorou muito a maneira com que monta o time defensivamente. Ainda assim, viu seu time levar um gol até certo ponto ingênuo no final do primeiro tempo. Compactou bem as duas primeiras linhas da defesa e do meio-campo. - 7,0

Leia Mais »

O JOGO MAIS IMPORTANTE DO ANO

Publicado às 21h25 desta segunda-feira, 23 de novembro de 2020.

Com cinco desfalques, o Santos está no Equador e nesta terça-feira (24), às 19h15 (horário de Brasília) com transmissão da ENERGIA 97 FM, enfrenta a LDU, em Quito, em jogo de ida das oitavas de finais da Libertadores da América. O alvinegro não contará com o técnico Cuca que se recupera após sair do hospital, vítima do Coronavírus, além de Luan Peres em quarentena do covid-19, Jobson suspenso e o goleiro João Paulo, o ala Madson e o meio-campista Sandry que ainda tem sequelas do fim da doença e nos exames realizados na última sexta-feira (20) ainda constaram como positivo e não viajaram com a delegação.

Quem está de volta é o atacante Soteldo. O jogador desfalcou o Peixe nos últimos jogos pelo Brasileiro, pois estava a disposição da Seleção Venezuelana em jogos das eliminatórias. 

Quanto ao trio que esteve a disposição do auxiliar Marcelo Fernandes, no último fim de semana na derrota no Paraná para o Athlético: Sandry, Madson e o goleiro João Paulo, não apresentam mais nenhum quadro clínico ou sintomas, o que indica que eles têm cicatrizes do vírus, porém, não são transmissores, todavia, eles puderam atuar no Brasileiro normalmente, mas não puderam sequer viajar para Quito. A proibição é por conta de uma conduta de soberania nacional do Equador e seu Ministério da Saúde. O país veta a entrada de qualquer pessoa nessas condições, mesmo após quarentena e testes negativos anteriores.

Sem João Paulo e Madson, Jhon e Pará serão titulares. Sem Jobson e Sandry, Alison é o favorito em herdar a vaga. Balieiro que agradou nos dois últimos jogos é outra opção. Sendo assim, o único setor com todos os titulares será o ataque com Soteldo, Marinho e Kaio Jorge. 

Além do adversário que classificou-se em segundo lugar, num grupo que o River Plate (ARG) foi o líder e o São Paulo ficou em terceiro e eliminado, tem a altitude de 2.850 m acima do nível do mar da capital equatoriana, que faz com que a bola ganhe velocidade. O Santos segue invicto na competição continental. Venceu cinco partidas e empatou uma em casa, diante do Olímpia (PAR).

Para o Santos, a classificação a próxima fase é fundamental. Sem receitas previstas até o fim do ano e com quatro imagens atrasadas, além de ter pago apenas 40% dos valores da carteira em outubro, o prêmio de U$ 1,5 milhão (R$ 8,25 milhões) se avançar de fase é importantíssimo para o clube.  

Dono da segunda melhor campanha geral da fase de grupos, o Glorioso da Vila define a eliminatória em casa. A partida de volta está marcada para o dia 1 de dezembro na Vila Belmiro, no mesmo horário.

Se confirmar a classificação, o time praiano enfrenta o vencedor do duelo entre Grêmio e Guaraní (PAR).

O provável Santos vai a campo com  John, Pará, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Felipe Jonatan; Alison (Balieiro), Pituca e Jean Mota; Marinho, Kaio Jorge e Soteldo.

Leia Mais »

RESERVAS PERDEM PELO BRASILEIRO E ELENCO GANHA DESFALQUES NA LIBERTADORES

Publicado às 08h50 deste domingo, 22 de novembro de 2020.

O Santos desperdiçou nova oportunidade de entrar noG-4 do Brasileiro 2020. Na noite deste sábado (21), o alvinegro foi derrotado na Arena da Baixada em Curitiba por 1 a 0 para o Athlético Paranaense, em jogo válido pela 22a. rodada da competição. O Peixe segue com os mesmos 34 pontos na tabua de classificação. Se conseguisse os três pontos, no mínimo 'dormiria' na vice-liderança.

Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO bancou na véspera do encontro, o interino Marcelo Fernandes mandou a campo um time inteiro de jogadores reservas. Os titulares foram preservados para o duelo de terça-feira (24), em Quito, no Equador, diante da LDU, em partida de ida das oitavas de finais da Copa Libertadores da América.

Com um time todo modificado, o auxiliar técnico fixo que substituiu Cuca pela segunda partida seguida, montou um meio-campo forte na marcação, com uma postura atrás da bola e novamente com a aposta em uma única bola. 

Contra o Colorado a estratégia deu certo e neste fim de semana, teve a chance na tal 'bola vadia', ainda na primeira etapa. Lucas Braga 'arrastou' por dentro da defesa adversária e achou Arthur dentro da área. O camisa 23 finalizou e o goleiro Santos do time paranaense desviou para escanteio. Foi a grande oportunidade do time santista na partida.

Na segunda etapa, o Peixe não se expunha e parecia ter o jogo controlado, mesmo com poucas aparições a frente, porém, em uma bola parada, após cobrança de escanteio e o 'mundo sabe' que o defensor veterano Thiago Heleno tem essa qualidade no jogo aéreo ofensivo e ainda assim, o beque cercado por três alvinegros, cabeceou e fez o único gol da partida.

O Alvinegro praiano ainda teve uma oportunidade com Madson, após belo lançamento do 'ótimo' Sandry, mas a bola parou, após desvio do goleiro do time da casa, em uma das traves.

A delegação santista embarca neste domingo (22) direto do Curitiba para o Equador para o duelo da Libertadores da América. Para a viagem internacional, o clube sabe que terá quatro ausências: o goleiro João Paulo, o ala Madson e o volante Sandry por questões clínicas, além de Jobson, suspenso, estão fora contra LDU.

Os três primeiros, cumpriram quarentena de 10 dias, realizaram exames de COVID-19 na última quarta-feira (18) e receberam resultado negativo. No entanto, em novas avaliações clinicas realizado na última sexta-feira (20), o trio recebeu resultado positivo, o que é considerado normal pela medicina, em razão da realização de múltiplos exames em pessoas que já tiveram a doença. Os atletas não apresentam nenhum quadro clínico ou sintomas, o que indica que eles têm cicatrizes do vírus, porém, não são transmissores, todavia, eles podem atuar no Brasileiro normalmente, mas não poderão sequer viajar para Quito. A proibição é por conta de uma conduta de soberania nacional do Equador e seu Ministério da Saúde. O país veta a entrada de qualquer pessoa nessas condições, mesmo após quarentena e testes negativos anteriores.

Pelo Campeonato Brasileiro, o Santos volta a atuar no final de semana que vem diante do Sport, na Vila Belmiro.

FICHA TÉCNICA

ATHLETICO-PR 1 X 0 SANTOS

Arena da Baixada, Curitiba (PR)

​​Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Cartões amarelos: Sandry e Marinho (Santos)

GOL: Thiago Heleno (30'/2T - 1x0)

ATHLETICO-PR: Santos; Erick, Pedro Henrique, Thiago Heleno e Abner Vinícius; Wellington (Ravanelli, 17'/2T), Crhistian (Fabinho, 23'/1T) e Léo Cittadini; Reinaldo (Alvarado, 17'/2T), Renato Kayser e Nilão. Técnico: Paulo Autuori. 

SANTOS: John; Pará (Madson, 12'/2T), Laércio (Alex, 42'/1T), Luiz Felipe e Wagner Palha; Vinicius Balieiro, Ivonei (Sandry, 13'/2T) e Jobson (Jean Mota, 22'/2T); Lucas Braga, Marcos Leonardo (Marinho, 22'/2T) e Arthur. Técnico: Marcelo Fernandes. 

O auxiliar técnico Marcelo Fernandes substituiu Cuca no comando técnico pela segunda vez.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

John: Fez boas defesas e não comprometeu. Bom teste para o jogo mais importante do semestre, na próxima terça-feira, em Quito. - 6,5

Pará: Limitou-se a marcação. Foi substituído. - 5,5

(Madson): Mesmo com poucos minutos em campo, quase empatou o jogo numa cabeçada. - 6,0

Laércio: No fim do primeiro tempo, sofreu uma lesão e teve que deixar o gramado. Não tinha comprometido até então. - 6,0

(Alex): Fazia uma partida regular até o gol. Não conseguiu acompanhar Thiago Heleno e bloquear o beque no lance do gol. - 5,0

Luiz Felipe: Fez uma partida satisfatória. - 6,0

Wagner Palha: Defensivamente perfeito. Tem muita personalidade. - 6,0

Balieiro: Novamente bem. Um dos poucos destaques individuais da equipe na partida. Roubou muitas bolas. - 6,5

Ivonei: Participou pouco na passagem da bola da primeira para a segunda linha. Foi substituído. - 5,5

(Sandry): Muita qualidade na bola longa. Vários lançamentos certeiros. Um deles quase culminou no gol de empate. Tem feito muitas faltas. Quando pegar o tempo de antecipação vai ser difícil tirá-lo do time. - 6,5

Jobson: Errou alguns passes curtos, seu principal fundamento. - 5,5

(Jean Mota): Tentou ajudar Alex na marcação da bola aérea que originou o gol, mas não conseguiu. Pouco apareceu na armação. - 5,0

Lucas Braga: O melhor do Santos, ao lado de Balieiro, no jogo. Puxou contra-ataque e deu maravilhosa assistência para Arthur no primeiro tempo. - 6,5

Marcos Leonardo: Com a propositura de jogo do Santos em transição, bola longa, ficou preso na marcação e com poucas funções. Apareceu um pouco mais quando colaborou na recomposição. - 5,0

(Marinho): Bem marcado, inclusive com sobra, tentou colaborar mas não teve êxito. - 5,5

Arthur: Teve a melhor oportunidade do jogo após receber passe de Lucas Braga, mas parou nas mãos do goleiro adversário. Caiu de produção na segunda etapa. - 5,0

Técnico: Marcelo Fernandes: Sabedor das limitações do material humano que mandou a campo, procurou se defender e contra-atacar, assim como havia feito, na semana passada diante do Inter. O meio e o ataque pouco produziram e a equipe ficou limitada a marcação. - 5,5

Leia Mais »

TIME TODO RESERVA EM BUSCA DA VICE-LIDERANÇA

Publicado às 07h10 deste sábado, 21 de novembro de 2020.

Após vencer o Internacional de Porto Alegre, no sábado (14) passado, o Peixe tem nova oportunidade de entrar no G-4 do Brasileirão. Para isso, precisa vencer o Athlético Paranaense, neste sábado (21), às 19h com transmissão da ENERGIA 97 FM, em jogo válido pela 22a. rodada. Se o alvinegro conseguir os três pontos será o vice-líder da competição, pelo menos até o fechamento da rodada de domingo (22).

Pelo que o Blog do ADEMIR QUINTINO apurou e vem divulgando desde as primeiras horas de sexta-feira (20), o Peixe vai poupar seus jogadores na rodada deste fim de semana, pensando na importante batalha de terça-feira (24), no Estádio Rodrigo Paz Delgado, também conhecido como Casa Blanca, em Quito, no duelo de ida das oitavas de finais da Libertadores da América diante da LDU, às 19h15, horário de Brasília. A delegação santista embarca direto de Curitiba para o Equador.

Os atletas que se recuperaram de covid-19 contraídos no começo da semana passada, já estão recuperados e a disposição, mas devem ser poupados para o duelo internacional do meio de semana. A baixa é Luan Peres. O quarto-zagueiro é desfalque certo para os próximos três duelos. O jogador está em quarentena.

O técnico Cuca, já está de alta, em sua residência, mas só deve comandar a equipe no jogo da semana que vem, diante do Sport. Sendo assim, , Eudes Pedro ou Marcelo Fernandes são as opções para comandar a equipe.

O provável Santos terá Jhon (João Paulo); Pará (Madson), Luiz Felipe, Laércio e Wagner Palha; Vinícius Balieiro, Ivonei e Sandry; Arthur Gomes, Marcos Leonardo e Lucas Braga.

O Santos tem 34 pontos e uma vitória o leva aos 37, um a menos que o líder Atlético Mineiro.

Leia Mais »

LUAN PERES É DESFALQUE COM CORONAVÍRUS

Publicado às 21h30 desta quinta-feira, 19 de novembro de 2020.
A maré literalmente não está para 'Peixe'. Depois de ter 10 jogadores diagnosticados com covid-19, semana passada, foi a vez de ter mais um atleta com o 'coronavírus' e terá de cumprir quarentena e ser afastado do elenco. Trata-se do defensor Luan Peres. Além dele, outro membro da comissão técnica do time profissional alvinegro também teve o teste positivo, entretanto, o clube não revelou de quem se trata. 

Com isso, o quarto-zagueiro canhoto é desfalque certo para o confronto de terça-feira (24), em Quito, em jogo de ida das oitavas de finais da Copa Libertadores da América, diante da LDU.

Além do duelo internacional, o beque também não atuará no sábado (21), em Curitiba contra o Athlético Paranaense e contra o Sport-PE, na Vila Belmiro, dia 28.

Se Luan Peres, está fora, o treino desta quinta-feira(19), o penúltimo antes do embarque para a capital parananese marcou os retornos do goleiro João Paulo, do ala Madson e do zagueiro Lucas Veríssimo com o restante do elenco. Os três cumpriram os 10 dias de isolamento exigidos pelo protocolo da CBF, realizaram exames cardiológicos e foram liberados. 

Os outros sete jogadores diagnosticados com o coronavírus - Alex, Jobson, Alison, Sandry, Pituca e Jean Mota vão realizar os testes nesta sexta-feira (20). A tendência é que todos possam ser liberados para os jogos contra o Athletico e LDU.

Leia Mais »

PARA PAGAR ATRASADOS SANTOS PRECISA VENDER

Publicado às 20h10 desta terça-feira, 17 de novembro de 2020.

Sem receitas ordinárias para receber, pois muitas verbas adiantadas comprometeram a vida financeira do clube, o alvinegro tem necessidade de vender um dos ativos do seu elenco urgentemente. O dinheiro será utilizado para resolver  débitos de salário, direito de imagens e luvas que já estão atrasados. A bola da vez para venda é a de Lucas Veríssimo, entretanto, como manda o estatuto nos três últimos meses de mandato de cada gestão no clube, o Conselho Deliberativo do Santos precisa ser consultado e na noite desta terça-feira (11), reprovou a ida do zagueiro nestas condições.

A decisão de não acompanhar o pedido do Comitê de Gestão para a conclusão da negociação veio de acordo com parecer do Conselho Fiscal e não foi colocado em votação.

A proposta do Benfica previa o empréstimo de um ano e pagamento de 6,5 milhões de euros parcelados ao Santos, a partir de 2022. Seria um empréstimo com obrigação de compra e o clube adiantaria esse dinheiro com uma instituição financeira e pagaria juros. Ficaria com 5,1 milhões de euros do montante. O Peixe é dono de 80% dos direitos econômicos do atleta.

O risco de perder atletas de graça na justiça caso esses compromissos não sejam honrados, é eminente e pode fazer com que o clube fique em uma situação pior do que já está. Isto já aconteceu em 2015. Na oportunidade, inicio de uma nova gestão, salários e direitos de imagens atrasados fizeram com que atletas procurassem os seus direitos. Entre eles Mena, Arouca, Damião e outros.

Duas propostas chegaram a Vila Belmiro para o defensor santista e apesar do atleta não dizer abertamente, uma ida para o mercado europeu, em vez do mundo árabe é visto com melhores olhos por ele. Os portugueses do Benfica seguem interessado pelo camisa 28 do Peixe. O time de Lisboa espera contar com o atleta na janela de janeiro de 2021.

Na semana retrasada, a atual gestão em exercício, conseguiu pagar apenas 40% dos valores na carteira profissional referente aos vencimentos de Outubro. Com uma venda concretizada, algumas pendências seriam quitadas imediatamente.

Os valores da venda de um dos zagueiros mais rápidos do país, seriam utilizados para quitar pendências com o elenco, tranquilidade financeira para a sequência das competições e a possibilidade de renegociar com clubes credores e enfim liberar o Santos para inscrever jogadores nas competições, com o fim do 'transferban' da FIFA.

Leia Mais »
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by