FOTO CAPA

VITÓRIA ESCAPA NOS ACRÉSCIMOS

Publicado às 20h59 deste domingo, 9 de agosto de 2020.
O Santos esteve muito próximo de estrear com vitória no Campeonato Brasileiro de 2020, na tarde deste domingo (8), na Vila Belmiro. O alvinegro vencia o Red Bull Bragantino e a partida já estava nos acréscimos, porém, quando o cronômetro apontou 48 minutos do segundo tempo, após cobrança de escanteio, o time do interior chegou ao empate e em seguida, muitas reclamações de jogadores e comissão técnica alvinegra e o Peixe só levou um ponto e ficou apenas no 1 a 1 e interrompeu a sequência de vitórias na primeira rodada dos anos passado e retrasado, na competição nacional. O gol do Peixe foi de Marinho.

A terceira era Cuca no comando técnico, começou sem novidades na escalação. Praticamente foi repetido a formação dos últimos jogos.

O alvinegro começou a partida diante de um adversário qualificado, bem arrumado com enormes dificuldades na saída de bola. A bola não chegava limpa para o meio de campo construir. Ainda assim, aos 19 minutos, após bobeada do defensor do time de Bragança, Kaio Jorge sofreu pênalti que Sánchez bateu para fora e desperdiçou.

Foi um Santos melhor que o de Jesualdo Ferreira, mas ainda longe do ideal e normal, porque Cuca, só deu um treino e foi comandar o time na tarde deste domingo. 

No segundo tempo, o Peixe teve algumas chances para matar no contra-ataque e desperdiçou com Uribe e Soteldo.

Como o futebol não tolera desaforo, no último lance da partida, Cuca ia colocar Jóbson e Madson para elevar a estatura da defesa no escanteio. Segundo Cuca, Sánchez largou o rebote pelo lado direito porque se diria para dar o seu lugar aos que entraria. A arbitragem autorizou a cobrança. Soteldo, inexplicavelmente ficou sozinho marcando dois defensores. Luan Peres tirou quase de joelho, após a cobrança de escanteio e Claudinho, 'menino revelado da Vila' chutou forte e empatou a partida. Um pecado para quem teve tudo para ampliar o placar e pecou na finalização.

O alvinegro volta a campo pela segunda rodada do Brasileirão, na quinta-feira (13), no gigante da Beira-Rio, diante do Internacional-RS, às 19h15.

Marinho será reavaliado pelo departamento médico nesta segunda-feira (10).A princípio, o jogador sente cansaço, fadiga muscular e não preocupa para o jogo do meio de semana diante do Colorado. As informações sobre a avaliação preliminar são da assessoria da imprensa do clube. 


FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 1 RED BULL BRAGANTINO
Estádio da Vila Belmiro - Santos (SP)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG) 
Cartões amarelos: Ricardo Ryler 18'/2T (Bragantino)
GOLS: Marinho 25'/2T (1-0), Claudinho 48'/2T (1-1)
SANTOS: Vladimir, Pará, Lucas Verissimo , Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Pituca e Sánchez; Marinho (Jean Mota 35'/2T), Kaio Jorge (Uribe 26'/2T) e Soteldo. Técnico: Cuca. 
RED BULL BRAGANTINO: Cleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Fabrício Bruno e Edimar; Matheus Jesus e Ryller (Claudinho 35'/2T); Arthur, Weverson e Morato (Bruno Tubarão 35'/2T); Alerrandro (Ytalo 29'/2T). Felipe Conceição.


Cuca pela terceira vez no Santos, não consegue vencer na estreia. Time mostrou evolução apesar do resultado ruim.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vladimir: Fez duas boas defesas no primeiro tempo. No gol sofrido, não houve falha individual do camisa 1. - 6,0
Pará: Cumpriu funções defensivas. Não utiliza o corredor para dar alternativa a Marinho. Faz o arroz com feijão. - 5,5
Lucas Veríssimo: Voltou a ser o defensor mais seguro do time. Preciso na antecipação. - 6,5
Luan Peres: Era um dos melhores da defesa, mas não conseguiu tirar a bola para tão longe da área, no rebote que proporcionou o gol de Claudinho. Ninguém discute sua capacidade no jogo no chão, mas tem muita dificuldade no jogo aéreo. - 5,5
Felipe Jonatan: Tinha a responsabilidade de marcar o jogador mais habilidoso e rápido do ataque adversário - Arthur. Além de ter ido bem na marcação, reapareceu na frente com força e qualidade, algo que pouco se via com Jesualdo Ferreira. - 6,5
Alison: Foi o melhor do setor na partida. Preciso nos desarmes. - 6,0
Pituca: Longe do Pituca do ano passado, mas jogou em um posicionamento parecido com utilizado por Sampaoli. Responsável pela marcação do lado canhoto. Dos últimos jogos que atuou foi o que teve um percentual maior de acerto, ainda assim, errou alguns passes. Tem capacidade para render mais e isso deve acontecer nas mãos de Cuca. - 5,5
Sánchez: Não sou preparador físico e confio no potencial do Omar Feitosa que chegou com Cuca. Mas pela experiência que adquirir no futebol, sinto que o jogador não está no melhor da sua forma física, depois que o futebol retornou da quarentena da corona vírus. Perdeu um pênalti e outro que pode render bem mais. Tem futebol para crescer. - 4,5
Marinho: Um dos poucos atacantes no Brasil que prepara a jogada para ele mesmo definir. O melhor do jogo.  - 7,0
(Jean Mota): Tem futebol para ser titular. Com sua entrada e coordenação de jogadas, Sánchez foi para o lado direito do ataque e o camisa 41 puxou contra-ataques como autentico armador. - 6,0
Kaio Jorge: Não foi feliz nas conclusões, mas extremamente participativo. Sofreu pênalti, abriu espaço e foi mal substituído. Quando pegar o time de bola na sequência dos jogos, vai fazer muitos gols se antecipando aos goleiros. Sofre por não ter tido 'minutagem' com Sampaoli, o ano passado. - 6,5
(Uribe): Perdeu um gol incrível ao furar de cabeça. No segundo lance, não teve culpa pois teve desvio do goleiro. Sigo com a opinião de quando ele chegou. Contrataram mal. Não é jogador para ganhar o salário que tem e ser o camisa 9 do Santos. - 4,5
Soteldo: Como disse no começo da temporada, ia ter mais dificuldades, em razão de ser conhecido. Não foi tão produtivo como em outras partidas. Ficou sozinho no rebote, no lance do gol adversário, o que é inadmissível. - 5,5
Técnico: Cuca: Não teve tempo de organizar o time em um treinamento. Na segunda etapa, preferiu o contra-ataque. Não tem culpa de os jogadores de frente perderem as oportunidades que tiverem. Explicou na coletiva que Sánchez era o homem do rebote no gol do Red Bull, porque é inadmissível deixar um time que chutou 18 vezes contra Vladimir, colocar o jogador mais baixo na segunda bola contra dois adversários. Aos poucos vai dar padrão ao time é o que o torcedor espera. - 5,5


Leia Mais »

OS PAIS DA BOLA

Publicado às 05h40 deste sábado, 8 de agosto de 2020.
Atualmente, tal como o dia das mães, o dia dos pais é uma das datas mais prestigiadas no mundo como um todo e no Brasil, em especial. O Dia dos Pais é comemorado anualmente no segundo domingo de agosto no Brasil. Nesta data, os filhos homenageiam e agradecem aos papais toda a companhia, suporte e carinho recebido ao longo de suas vidas. Normalmente, neste dia, com ou sem presentes, mas com mensagens, beijos e abraços, os filhos demonstram todo o amor que sentem por eles.

E o futebol tem a magia de criar pais, de multiplicá-los. Para os garotos que nem sempre têm a presença física em casa, o treinador, seja ele da base ou profissional, é aquele paizão que coloca nos trilhos, que exige as boas notas, ensina disciplina e respeito. Uma referência dentro e fora de campo. É fácil a constatação quando você conversa com um garoto, ou um homem já formado, que lembra do treinador que te serviu de horizonte. 

O lateral Pará, hoje no Santos, sabe bem o que é isso. Chegou ao Santo André sozinho, vindo do seu estado natal, e encontrou no treinador o pulso firme necessário pra não desistir de ser um atleta profissional. 
Tenho que agradecer ele muito, chamo de pai. Me deu confiança, dizia pra eu ficar tranquilo que ia ser acolhido”, lembra. “Foi ele quem me abriu as portas. No início, me assustou o pulso firme, tomei um baque. Pensei: ele vai me arrebentar”, brinca, com gratidão ao passado. “Aconteceu o que aconteceu, é uma pessoa fantástica. Esse cara aí, devo muito a ele”. disse o camisa 4 do Peixe.
Pará iniciou sua carreira no Santo André, em 2003. Um ano depois, esteve presente no grupo que surpreendeu o futebol brasileiro e venceu a Copa do Brasil, ao bater o Flamengo, na decisão. Em 2008, já consolidado na equipe principal do time do ABC, foi importante na campanha vitoriosa do Campeonato Paulista - Série A2, título que reconduziu o 'Ramalhão' à elite do futebol no estado. Sérgio Soares também era o técnico nesta conquista.

No mesmo ano, o jogador deixou o Santo André e transferiu-se para o Santos. Polivalente, ganhou espaço por atuar em várias posições, não só como lateral-direito, mas também lateral-esquerdo e volante. No time da Baixada Santista, levantou os títulos do Paulistão, em 2010 e 2011, da Copa do Brasil, em 2010 e da Copa Libertadores da América, em 2011. 

Após passagens por Grêmio e Flamengo, oito anos depois - em 2019, Pará retornou ao Peixe. Aos 34 anos e com contrato até o fim desta temporada, o jogador acumula em suas duas passagens pelo alvinegro - 209 jogos e dois gols.

Sérgio Soares, o 'pai postiço' de Pará.
O técnico Sérgio Soares, o 'pai postiço' de Pará, também teve essa figura paternal quando começou no futebol. Desde o primeiro deles, o Eidi, lá no campinho do bairro da Saúde na capital São Paulo, até o técnico Candinho, quando subiu para o profissional no Juventus. 
O Eidi me ensinou todos os movimentos dentro do futebol. Depois veio o seu Vicente, lá no Tipicar, em São Bernardo, que me tratou como filho. Na chegada ao Juventus, o Borracha, um cara especial que mantenho amizade até hoje”, afirmou o técnico.
O pai costuma nos dar códigos que servem como bússolas capazes de definir nossos caminhos, não sem antes regular nossas morais, demarcando limites, regras e padrões de comportamento social.

Além disso, um pai desempenha um papel significativo no desenvolvimento emocional de seu filho. Isso, não necessariamente tem de ser feito pelo pai biológico. Pode ser um 'pai da vida'.
Trato até diferente, tenho uma preocupação maior de cuidar da parte de fora do campo, saber como andam os pais, a vida. Até pra que se sintam mais à vontade. Foi assim com todos esses garotos e todo esse cuidado é importante na caminhada deles”, garante Sérgio Soares.
Com ou sem os pais biológicos presentes, que 'nosso filhos' continuem correndo atrás dos seus sonhos, nunca desista do que lhe dá felicidade, paz e bem-estar. Até por que, “tudo o que um sonho precisa para ser realizado é alguém que acredite que ele possa ser realizado.
Leia Mais »

CUCA CONFIRMADO COMO TÉCNICO

Publicado Às 13h15 desta sexta-feira, 7 de agosto de 2020.
Alex Stival, o Cuca é o novo técnico do Santos. Ele trabalhará no clube pela terceira vez como comandante técnico. Em 2008, o ex-jogador do próprio alvinegro no começo dos anos 90, não deixou saudades a frente do time praiano e ele voltou nas mãos da atual gestão, em 2018. O treinador comanda a atividade desta tarde no CT Rei Pelé e dirige o time na estreia do Campeonato Brasileiro de 2020, na Vila Belmiro, domingo (09), diante do Red Bull Bragantino, às 16h.

Ao lado do treinador chegam o auxiliar Cuquinha e o preparador físico Omar Feitosa.

Pelo que o Blog do ADEMIR QUINTINO apurou, as conversas entre Santos e Cuca incluem vencimentos para ele e seu staff de R$ 420 mil a cada 30 dias e com vínculo com o clube de sete meses (até o fim do Brasileiro em fevereiro de 2021). Pelo que colhemos de informações, as partes assinaram um contrato sem multa, ou seja, cada um pode se desfazer da outra parte, no momento que desejar.
"Saí do Santos FC em 2018, em um momento em que precisava cuidar da minha saúde, e sabia que um dia voltaria para ter mais uma oportunidade nesse gigante do futebol. Da última vez, também tínhamos alguns problemas, o clube não estava bem na classificação, mas com o esforço de todos conseguimos evoluir e melhorar a situação, ainda que longe do que queríamos." disse Cuca.
Cuca não trabalhou desde setembro do ano passado, quando esteve no São Paulo. O técnico deixou o Peixe, no fim do Brasileiro de 2018, com a alegação de que que precisava cuidar da saúde. Eles estava com um problema cardíaco e necessitava de uma intervenção cirúrgica. No começo de 2019, até de forma surpreendente, ele foi anunciado pelo tricolor e no fim de março, já dirigia o rival que foi a final do estadual daquele ano e perdeu o título para o Corinthians.

Era muito comum, o técnico campeão brasileiro com o Palmeiras em 2016 e da Libertadores com o Atlético Mineiro em 2013, em sua segunda passagem pelo Peixe, há pouco menos de dois anos, criticar a gestão em entrevistas coletivas. A relação com o atual presidente José Carlos Peres, nunca foi das melhores. Nos bastidores, era ainda pior, com direito a vazamento de áudio com trocas de farpas entre as partes.
"Eu estou completamente recuperado e assumo em um momento que o Santos FC passa por um processo de reestruturação, de organização do futebol, sem condições de fazer grandes investimentos. Estou muito motivado com essa responsabilidade e me sinto extremamente capacitado e comprometido em ajudar este processo." garantiu o novo técnico do Peixe.
Cuca já passou pelo Santos em 2008 e 2018, e dirigiu o time em 41 jogos ao todo. Como atleta, Cuca passou pelo Peixe em 1993, atuando em 46 partidas e marcando 15 gols.

Nascido em Curitiba (PR), Alexi Stival Cuca tem os títulos como técnico da  Libertadores com o Atlético-MG, em 2013, e também conquistou o Campeonato Brasileiro de 2016 com o Palmeiras.
"O torcedor pode ter a certeza que estou muito contente pelo acerto e pelo desafio que será comandar a equipe. Será diferente também, por tudo que está acontecendo no mundo, com novas dificuldades, mas tenho certeza que, com muito trabalho, poderemos alcançar bons resultados.

Não venho pensando em questão financeira, mas sim no prazer de trabalhar no clube. Estou chegando ao Santos FC pelo desafio de fazer um bom trabalho, e acredito que podemos conseguir isso, pois o grupo é qualificado”.
Com a saída de William Thomas da Supervisão de Futebol, o ídolo Renatoassume como novo diretor técnico. Jorge Andrade, gerente das categorias de base, e Everson Rocha, head scout, trabalharão em conjunto com o ex-jogador e serão responsáveis por toda parte administrativa .

Leia Mais »

CAMINHO ABERTO PARA CUCA

Publicado às 17h30 desta quinta-feira, 6 de agosgto de 2020.
O Técnico Alex Stival, o Cuca, está muito próximo de trabalhar no comando do Santos pela terceira vez. Em 2008, o ex-jogador do próprio alvinegro no começo dos anos 90, não deixou saudades a frente do time praiano e ele voltou nas mãos da atual gestão, em 2018. O Blog do ADEMIR QUINTINO apurou que seu concorrente direto ao cargo, Luiz Felipe Scolari, não aceitou a proposta do Peixe para substituir Jesualdo Ferreira.

Pelo que o Blog apurou, as conversas entre Santos e Cuca incluem vencimentos para ele e seu staff de R$ 420 mil a cada 30 dias e com vínculo com o clube de sete meses (até o fim do Brasileiro em fevereiro de 2021). 

Pelo que colhemos de informações, as partes estão próximas de assinar um contrato sem multa, ou seja, cada um pode se desfazer da outra parte, no momento que desejar.

Felipão analisa há praticamente um mês, convites para dirigir duas seleções. Uma do mundo árabe e outra é da Seleção da Coreia do Sul. O treinador campeão do  undo com a Seleção Brasileira em 2002 agradeceu o convite dos dirigentes santistas, mas declinou do mesmo. Ele não trabalha desde setembro do ano passado, quando deixou o Palmeiras.

Quase na mesma época que Felipão deixou o Palmeiras, Cuca foi demitido do São Paulo e também não trabalhou desde então. O técnico deixou o Peixe, no fim do Brasileiro de 2018, com a alegação de que que precisava cuidar da saúde. Eles estava com um problema cardíaco e necessitava de uma intervenção cirúrgica. No começo de 2019, até de forma surpreendente, ele foi anunciado pelo São Paulo e no fim de março já dirigia o rival que foi a final do estadual daquele ano e perdeu o título para o Corinthians.

Era muito comum, o técnico campeão brasileiro com o Palmeiras em 2016 e da Libertadores com o Atlético Mineiro em 2013, em sua segunda passagem pelo Peixe, há pouco menos de dois anos, criticar a gestão em entrevistas coletivas. A relação com o atual presidente José Carlos Peres, nunca foi das melhores. Nos bastidores, era ainda pior, com direito a vazamento de áudio com trocas de farpas entre as partes.

Foi até surpreendente durante a quarentena imposta pela pandemia do coronavírus, em uma entrevista a Rádio Bandeirantes de São Paulo, o mandatário santista dizer:
"O Cuca deu muito certo. Ele veio, fez um grande campeonato. É um cara que eu adoro. A gente não brigou nunca. Até hoje converso com o Cuca, sou fã número um. Tem condições de chegar em um grande time e fazer um bom trabalho. Mas, é um cara pilhado, 150 por hora." afirmou.
Durante a apresentação de Jesualdo Ferreira, no começo do ano, Peres dizia que um dos favoritos para assumir o posto de técnico do Santos neste segundo semestre, era parte do passado:
"O técnico é um grande personagem. A comissão técnica (de Jesualdo) é muito qualificada e isso que temos que valorizar para o torcedor entender o que está vindo agora que é esperançoso. Sampaoli, Cuca, todo mundo que já passou, um adeus, eles estão em outra." afirmou há poucos meses.
Outro indicativo que o técnico deve desembarcar na manhã desta sexta-feira (7), na baixada santista é que na manhã desta quinta-feira (6) foi publicado a rescisão de contrato entre o Cuca e o São Paulo no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O provável comandante técnico do alvinegro deixou o São Paulo em setembro do ano passado, porém,  a formalização do destrato com o tricolor só ocorreu hoje, um dia depois do Santos demitir Jesualdo e seus conterrâneos auxiliares.


Leia Mais »

O SUBSTITUTO DO 'PORTUGA'

Publicado às 06h20 desta quinta-feira, 6 de agosto de 2020.
Há poucos dias da estreia no Campeonato Brasileiro, o Santos está sem técnico. Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO bancou no fim de semana, Jesualdo Ferreira, faz parte do passado e foi demitido pela gestão no começo da tarde desta quarta-feira (5). Dois nomes ganham forças nos corredores da Vila. Pela ordem o de Cuca, que esteve como treinador no começo dessa gestão e do campeão do Mundo com a Seleção brasileira - Luiz Felipe Scolari.

Cuca deixou o Santos no fim de 2018 com o argumento que precisava cuidar da saúde. Eles estava com um problema cardíaco e necessitava de uma intervenção cirúrgica. Poucos meses depois, até de forma surpreendente, dirigia o rival São Paulo que foi a final do estadual de 2019, diante do Corinthians. Ele está desempregado há 11 meses, quando deixou o tricolor Paulista. 

Era muito comum, o técnico campeão brasileiro com o Palmeiras em 2016 e da Libertadores com o Atlético Mineiro em 2013, em sua segunda passagem pelo Peixe, há pouco menos de dois anos, criticar a gestão em entrevistas coletivas. A relação com o atual presidente José Carlos Peres, nunca foi das melhores. Nos bastidores, era ainda pior, com direito a vazamento de áudio com trocas de farpas entre as partes.

Foi até surpreendente durante a quarentena imposta pela pandemia do coronavírus, em uma entrevista a Rádio Bandeirantes de São Paulo, o mandatário santista dizer:
"O Cuca deu muito certo. Ele veio, fez um grande campeonato. É um cara que eu adoro. A gente não brigou nunca. Até hoje converso com o Cuca, sou fã número um. Tem condições de chegar em um grande time e fazer um bom trabalho. Mas, é um cara pilhado, 150 por hora." afirmou.
Durante a apresentação de Jesualdo Ferreira, no começo do ano, Peres dizia que um dos favoritos para assumir o posto de técnico do Santos neste segundo semestre, era parte do passado:
"O técnico é um grande personagem. A comissão técnica (de Jesualdo) é hiper qualificada e isso que temos que valorizar para o torcedor entender o que está vindo agora que é esperançoso. Sampaoli, Cuca, todo mundo que já passou, um adeus, eles estão em outra." afirmou há poucos meses.
Já Luiz Felipe Scoalri está sem trabalhar desde setembro do ano passado, quando foi demitido do Palmeiras. O histórico de bom relacionamento no vestiário, pesa a favor do comandante do penta com a Seleção brasileira em 2002.  

Nem mesmo o fato de o Santos ter que pagar o sexto técnico (fez acordo e ainda deposita mensalmente por Oswaldo de Oliveira e Enderson Moreira em 2014, Dorival Junior e Levir Culpi em 2017 e em um curto espaço de tempo com Jesualdo que tem mais de R$ 5 milhões a receber entre atrasos e o acordo até o fim da temporada, além de outros R$ 2 milhões a seu staff) não parecem incomodar a direção na tentativa de técnicos badalados e caros. Só nos acordos com os ultimos quatro treinadores, o alvinegro gasta quase R$ 1 milhão mensal. O aposentado Levir, autor do livro - 'Um burro com sorte' ainda não começou a receber pela sua saída sem receber as verbas rescisórias há três anos, na administração passada. 

Sérgio Soares, vice estadual em 2010 com o Santo André
Além dos dois favoritos, outros nomes não tão badalados no mercado seguem como plano B da direção como Elano, Sérgio Guedes, Thiago Carpini e Sérgio Soares. Esses técnicos não recebem vultuosos salários e estão mais compatíveis com a atual realidade financeira do clube, onde Santos e dinheiro não cabem na mesma frase.

O espanhol Miguel Angel Ramirez, de apenas 36 anos e que ganhou projeção ao levar o Independiente Del Valle ao título da Copa Sul-Americana 2019, tem multa de aproximadamente quase U$ 300 mil dólares (R$ 1,5 milhão) para deixar o time equatoriano.

O Blog do ADEMIR QUINTINO obteve a informação que o ex técnico do Flamengo, Mauricio Barbieri, foi oferecido ao clube, no começo da semana, porém, não deixou os dirigentes muito animados. Seu último trabalho foi no começo deste ano, com o CSA. O clube de Alagoas o demitiu após apenas seis jogos. A precoce eliminação na Copa do Brasil para o Vitória-ES e a modesta campanha na Copa do Nordeste pesaram no desligamento do técnico que chegou a ser líder do Brasileiro com o rubro-negro carioca em 2018. 

Leia Mais »

JESUALDO NÃO É MAIS TÉCNICO DO SANTOS

Publicado às 16h06 desta quarta-feira, 5 de agosto de 2020.
Jesualdo Ferreira já faz parte do passado. O comandante técnico português e seus auxiliares foram demitidos pelo Peixe, nesta quarta-feira  (3). A atividade do elenco profissional está sendo comandada por Pablo Fernandes técnico do sub-20 e Rodrigo Chip do sub-17.

O Comitê de Gestão decidiu pela saída do treinador, após reunião realizada na noite de sábado (1). O encontro do colegiado que comanda o alvinegro não foi presencial, ocorreu no fim da noite e o técnico só não 'caiu' no mesmo diaem razão de os dirigentes santistas fazerem questão de falar com o técnico pessoalmente.

Até de forma surpreendente Jesualdo comandou treino na segunda e terça-feira, assim como seus auxiliares treinaram o Santos B. 

A eliminação precoce e a péssima campanha realizada pelo Santos no Campeonato Paulista, competição em que o time teve mais derrotas (5) do que vitórias (4), foi determinante para a continuidade de Jesualdo Ferreira e seus 'patrícios': os auxiliares Rui Águas, Antonio Oliveira, Daniel Gonçalves e Pedro Bouças, e o preparador José Pedro Pinto

Grande parte do Comitê de Gestão santista questionava o trabalho do treinador português e entende o seu desligamento como melhor opção. 


Jesualdo Ferreira comandou o Santos em 15 jogos e colecionou seis vitórias (incluindo as duas na Libertadores), quatro empates e cinco derrotas.


A estratégia santista,  após a reunião dos dirigentes era de tentar convencer Jesualdo, a abrir mão dos vencimentos que tem a receber até o fim do ano, assim como dos seus auxiliares, porém, o 'mister' parece não ter aceito.

Leia Mais »

EM NOVA REVIRAVOLTA, YURI DEIXA O SANTOS E VAI PARA O INTER-RS

Publicado às 03h desta terça-feira, 4 de agosto de 2020.
Em nova reviravolta no caso, O Internacional-RS fechou a contratação do atacante Yuri Alberto, no fim da noite desta segunda-feira (3). O clube gaúcho chegou a um entendimento com o Santos, que tinha preferência na renovação e ameaça exercê-la. O alvinegro fica com um percentual (5%) de uma futura venda (mais o mecanismo de solidariedade como clube formador) e o débito da compra de 50% de Eduardo Sasha fica para o próximo presidente do clube, pois só vai ser cobrado em 2021. 

O atacante disputou o pré-olímpico com a Seleção Brasileira entre janeiro e fevereiro, e vinha ganhando espaço com o técnico português Jesualdo Ferreira.
O Santos FC e o SC Internacional, atendendo interesses comuns entre as instituições e o atleta Yuri Alberto, concluíram nesta segunda (03) a negociação que levará o jogador ao clube de Porto Alegre. Desejamos boa sorte ao atleta no prosseguimento de sua carreira”, escreveu o Santos em uma rede social.
Os gaúchos com a ajuda de investidores, bancarão os R$ 10 milhões pelo jogador. O contrato de Yuri Alberto com o Internacional será assinado nesta terça-feira (4) e prevê vínculo de cinco anos com salário mensal de R$ 200 mil, com bonificação chegando a R$ 230 mil caso o jogador faça 20 jogos como titular do time principal. O atacante receberá R$ 5,2 milhões de prêmio por assinatura, além de outros R$ 4,8 milhões como direitos de imagem, igualmente no ato do acordo, pelo tempo de contrato.

O Colorado chegou a emitir uma nota oficial na tarde deste sábado (1º) anunciando que estava fora da negociação com Yuri Alberto. Após ter feito proposta oficial pelo jogador de 19 anos, via Federação Paulista de Futebol (FPF), a equipe gaúcha se viu sem alternativas após ter tido sua proposta coberta pelo clube praiano.

Como o Santos possuía a preferência de renovação com o jogador, restava ao Internacional aguardar que o Peixe honrasse com o pagamento proposto ao centroavante. Os dirigentes do alvinegro teriam o prazo de 15 dias para depositar os valores da proposta igual a feita pelo clube da Região Sul do país.

O presidente José Carlos Peres para não aumentar ainda mais o mal estar pela falta de pagamento de direitos de imagem e a falta de acordo na diminuição de salários de abril a Julho dos atletas, que descontou 70% dos vencimentos acima de R$ 6,1 mil, foi ao CT Rei Pelé na tarde desta segunda-feira (3) e convocou uma reunião no auditório do local. Durante o encontro com o elenco o mandatário garantiu que o alvinegro faria tal investimento  para pagar Yuri Alberto com a ajuda de investidores, o que acabou não se concretizando, horas depois, com a ida do atleta para o colorado gaúcho.


Blog também apurou a época que o Santos fez proposta de renovação pelo atleta por um contrato de mais três anos, com vencimentos de R$ 120 mil, além de R$ 30 mil de bonificação caso atingisse um montante de 25 jogos como titular. Os representantes do atleta não aceitaram. Além disso, o alvinegro ofereceu R$ 1 milhão de luvas para que o companheiro do rayo Rodrygo no sub-15 e 17 do Peixe e que teve nove anos anos no clube, seguisse vestindo o manto alvinegro. 

Yuri Alberto se junta a Gustavo Henrique e Cittadini em que o Santos não recebeu um centavo, após o término dos seus vínculos. O defensor Bambu também faria parte desta estatística, mas o clube recorreu e conseguiu na Câmara Nacional de Resolução de Disputas, com que Athlético-PR fosse obrigado a pagar R$ 7 milhões ao Santos pela contratação do zagueiro, em 2018, pois o clube alegava preferência na renovação. 



NOVA REPROVAÇÃO DAS CONTAS DE 2019

Com 170 votos a favor do parecer do Conselho Fiscal, três votos contrários e três abstenções, o Conselho Deliberativo voltou a rejeitar as contas da gestão do Santos, em 2019. A reunião foi realizada na noite desta segunda-feira (3), através de videoconferência, em razão da pandemia do coronavírus.

Foi a segunda votação das contas do ano passado. No fim do mês de junho, as mesmas já haviam sido reprovadas pelos conselheiros do clube. A gestão teve 10 dias para apresentar sua defesa, que pelo visto, não foram aceitas pelo órgão fiscalizador da instituição.

Entre os apontamentos questionados estão, o uso irregular de algumas compras no cartão corporativo com fins pessoais, a falta de explicação convincente pelo pagamento de intermediação da venda do atacante Bruno Henrique ao Flamengo feito pela empresa de propriedade do filho do empresário Renato Duprat e a falta de pagamento da última parcela do acordo com a Doyen em setembro do ano passado, que fez com que o acordo com o fundo de investimento maltês aumentasse e muito, para ser quitado, entre outros.

Agora, o balanço financeiro vai para a CIS - Comissão de Inquérito e Sindicância. Após os ritos estatutários, o presidente do clube - José Carlos Peres, pode sofrer um novo processo de impedimento a menos de quatro meses do fim de seu mandato.

Leia Mais »

REVIRAVOLTA NO CASO SASHA

Publicado às 07h13 de sábado, 1 de agosto de 2020.
O atacante Eduardo Sasha teve revogada a liminar que havia conseguido na Justiça do Trabalho, na noite desta sexta-feira (31), no começo da noite deste sábado (1).  O juiz que havia assinado o despacho, alegou ser suspeito e para a lisura do processo, saiu do caso. 

O juiz que tinha dado liminar para que o jogador pudesse negociar com outro clube, preferiu sair do caso, pois é torcedor do Atlético Mineiro, clube que tem interesse no futebol do jogador, o que foi determinante e  conflitante para a autoridade jurídica. 

Carlos Ney Pereira Gurgel, juiz da 6ª Vara do Trabalho da cidade de Santos foi muito criticado em rede social por torcedores do Santos, pelo seu amor ao clube das alterosas e por essa razão, outro magistrado avaliará todo o processo desde o começo. 

O atacante entrou na Justiça com a alegação de atrasos salariais e redução sem acordo durante a quarentena proporcionado pelo novo coronavírus. O valor total da causa trabalhista é de R$ 15.532.467,50.

Sasha tem contrato com o Peixe até  31 de dezembro de 2022. Metade dos direitos econômicos do jogador foram em troca de Zeca, lateral, hoje no Bahia. Os 50% restantes o Peixe vinha pagando o Internacional. O investimento no ex-camisa 27 foram de R$ 12 milhões. 

O técnico Jorge Sampaoli que chegou a afastar Sasha no Santos, no começo do ano passado, pediu aos dirigentes do Galo, a sua contratação.

Sasha foi o artilheiro do Santos no último Campeonato Brasileiro. Ele atuou em 37 das 38 partidas do Santos na competição e marcou 14 gols com outras três assistências. 

Em 2020, com o português Jesualdo Ferreira à frente da equipe, o centroavante fez apenas dois gols em oito jogos pelo Campeonato Paulista, além de passar em branco nas duas apresentações pela Copa Libertadores.


Leia Mais »
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by