FOTO CAPA

CHINESES QUEREM INVESTIR NO SANTOS

Publicado às 10h40 desta terça-feira, 28 de outubro de 2014.
O Santos vai anunciar na tarde desta terça-feira (28) que fechou um patrocínio para um pacote de jogos até o final do ano com a empresa de telecomunicações Huawei - terceira maior marca em número de smartphones vendidos em todo o mundo pelo segundo ano consecutivo. 

O Blog do ADEMIR QUINTINO apurou com exclusividade que os chineses que estão entrando com tudo no Brasil e já patrocinam clubes da europa como PSG (FRA) e Atletico de Madrid (ESP) tem interesse e negociam para ser mais do que um patrocinador master no uniforme do Peixe para 2015 e sim realizar uma "parceira oficial".

As tratativas com os empresários chineses  foram  e permanecem sendo feitas diretamente com o gerente de marketing do clube, Fernando Montanha e já se arrastam por mais de um mês. A empresa do ramo de telefonia quer investir alto no Brasil e vê o Santos como essa porta. 

Mesmo no fim de temporada, o alvinegro consegue um valor (não revelado) sem depender de anuncios da Caixa Econômica Federal e outras verbas públicas, como a maioria dos clubes.

O Santos não tem um patrocínio master, há um ano e dez meses. Aliás, não é uma exclusividade do clube da baixada. Entre os grandes do Estado, apenas o SCCP tem patrocinador master. São Paulo e Palmeiras vivem o mesmo drama. 


“Eu ganhei, nós empatamos, eles perderam"
(*) Por Pedro L.N. Conceição

- O texto abaixo não reproduz o pensamento deste repórter. Ele está assinado e as partes citadas se sentirem ofendidas terão o mesmo espaço para responder, como versa a democracia e este espaço é democrático.

Já ouvi, assim como o leitor, muitas histórias do futebol que acabam se tornando folclóricas, verdadeiras ou não. Uma delas versa sobre um técnico renomado, já falecido, que sempre assumia a responsabilidade das vitórias, dividia com os atletas os empates e jogava para seus comandados e/ou comandantes toda a responsabilidade sobre as derrotas.
Por uma questão de respeito, já que o suposto já não está mais entre nós e não poderá defender-se, não vou citar seu nome.

Diferentemente das histórias do futebol, há os fatos e as suas testemunhas. Vou citar alguns fatos, do qual sou apenas uma das testemunhas oculares.

O mercado é o mesmo, o do futebol. As circunstâncias também, o personagem fica somente com o bônus, jogando o ônus para os outros. O personagem, além de estar vivíssimo, não é técnico, mas sim um ex-dirigente, que reprova a sua própria gestão. 

Parece um ato de humildade mas, como veremos, está longe disso.

Ele comandou um dos maiores clubes de futebol do mundo durante 2 gestões que, somadas, lhe garantiram 5 anos (60 meses) à frente dos destinos deste clube. Por motivos de saúde, licenciou-se em agosto de 2013, após cumprir 3 anos e 8 meses, ou seja, 44 meses ou 73% dos seus mandatos. Renunciou em julho de 2014, portanto, faltando cumprir apenas 5 meses ou 8% da gestão.

Conhecido pela sua eloquência, por vezes conseguiu envolver seus ouvintes pela capacidade criativa em multiplicar por dez a importância dos feitos realizados e em minimizar as consequências dos erros cometidos.

Aos mais próximos, na vivência do dia a dia, mostrava-se cada vez mais intolerante com as críticas e apaixonado pelos holofotes. A quem ousou criticá-lo, ainda que de maneira transparente, respeitosa e reservada, o destino era o isolamento. 

Adepto do caos administrativo, pois não exigia de nenhum dos profissionais sob o seu comando o respeito à hierarquia aos seus superiores, sempre dependendo da simpatia pessoal que nutria pelas pessoas, nunca cansou de conjugar todos os verbos na primeira pessoa: “Eu fiz, eu consegui, eu decidi, eu ganhei”.......

Cego com o aparelhamento imposto à gestão por Parte do grupo político, no primeiro mandato de 2 anos, não se rendeu às evidências de que o desaparelhamento era necessário, até mesmo fundamental para o segundo e último mandato, este de 3 anos.

Hoje, 14 meses após o seu afastamento, 5 meses após a sua renúncia e às vésperas da eleição que ocorrerá no dia 06 de dezembro próximo, ele mais uma vez não resiste aos holofotes, reaparece em alto estilo, porém, de forma deselegante, traiçoeira e, desculpem, pouco inteligente: criticando a sua própria gestão.

Não sei dizer se é trágico, se é cômico, pois o seu retorno se dá para apoiar um candidato da oposição, que foi apenas um consultor de futebol do clube, por sinal muito bem remunerado, mas que se auto intitula diretamente responsável pelo sucesso do futebol do clube em 2010 e 2011.

Parece que o “eu ganhei, nós empatamos, eles perderam” continua a fazer seguidores.

Neste caso, o cômico é que o ex dirigente que presidiu o clube de 2010 à agosto de 2013, defendeu em janeiro de 2012 que não se renovasse o contrato deste mesmo consultor de futebol, alegando razões inconfessáveis, no que foi seguido por todos os seus pares do Comitê de Gestão, por unanimidade.

Cômica também foi a recente aparição no programa Bola da Vez, na ESPN Brasil (olha os holofotes aí de novo, pessoal), ao afirmar que o “chefe” do consultor de futebol em 2010 e 2011 não entendia 1% (hum por cento) de futebol.

Este ex dirigente, ultimamente adquiriu um olhar estranho. Dizem que os olhos são o espelho da alma. Se é assim, pode-se supor que sua doença foi além do coração e dos pulmões, cujas debilidades levaram-no primeiramente a licenciar-se e, em seguida, a renunciar ao cargo. Apesar de nossas divergências, que se agravaram no segundo mandato, sinceramente eu preferia que não tivesse sido assim. Desejaria que o ex-presidente não tivesse adoecido. Agora, só desejo que sua saúde esteja totalmente restabelecida.

A esta altura, por óbvio, todos já sabem que o ex dirigente e ex presidente ao qual me refiro é o Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, mais conhecido como Laor.

O consultor de futebol, hoje candidato, que se diz conhecedor de futebol, antes de ser consultor no Santos F.C. exerceu a mesma atividade no Santa Cruz do Recife, quando o clube estava na 4ª divisão do futebol brasileiro. Depois de ser consultor no Santos F.C., apesar de entender muito de futebol, segundo ele e seu principal apoiador, passou a ser consultor no Monte Azul, da série A-II do futebol paulista.

Parece que o mercado do futebol ainda não descobriu o enorme talento deste consultor, apesar de ter sido o responsável , mais uma vez segundo ele próprio e seu principal apoiador, pelos títulos conquistados no Santos Futebol Clube em 2010 e 2011.

A esta altura, por óbvio também, todos já sabem que o consultor e hoje candidato ao qual me refiro é o Fernando Silva.

Agora o trágico: não tendo o seu contrato de consultor remunerado renovado com o clube, Fernando Silva retornou ao seu lugar no Conselho Deliberativo, do qual estava licenciado. Foi o primeiro a puxar a fila do desaparelhamento político do clube. Com o passar do tempo, apesar da resistência de Laor, outros também foram desligados para dar sequência ao desaparelhamento. Como todos eram conselheiros licenciados, também retornaram aos seus lugares e no início deste ano de 2014 reprovaram as contas do clube de 2013. Logo eles, pagos religiosamente pelo clube com polpudos salários, juntamente com Fernando Silva, todos votaram pela reprovação das contas da gestão de Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, ele mesmo, o famoso Laor.

Agora preciso revelar o que talvez não seja tão óbvio quanto a menção que fiz ao ex presidente e ao atual candidato. O “chefe” do consultor de futebol ao qual o Laor se referiu no programa da ESPN, era em 2010 e 2011 o Diretor de Futebol do Clube, por coincidência eu mesmo, o que assina este texto.

Prefiro continuar sem conhecer nem 1% de futebol, do que ser um expert e o mercado não reconhecer as minhas qualidades, exceção feita a alguns clubes da 4ª divisão.
Mas posso garantir-lhes que com mão de ferro, como comandante de um grupo de trabalho coeso, do qual o já citado consultor de futebol fazia parte, GANHAMOS títulos inesquecíveis em 2010 e 2011. 

Sem tragédia nem comédia, a vida e os fatos comprovam que certas pessoas só ganham algum destaque quando bem comandadas. Quando precisam comandar, demonstram não estar preparadas para a responsabilidade. É o caso de Fernando Silva. A vida e os fatos, da mesma forma, nos ensinam que alguns valores pouco nobres são capazes de produzir cegueira assustadora. Como no caso do Luis Alvaro. 

O leitor agora, ouvidas todas as partes, poderá tirar suas próprias conclusões.
Saudações Alvinegras Santistas!

(*) Pedro Luiz Nunes Conceição é empresário, sócio do SFC há 36 anos, conselheiro do clube em três mandatos, diretor de futebol 2010/2011 e membro do Comitê de Gestão de 2012 até agosto de 2013.


ELEIÇÕES 2014

Quatro dos cinco candidatos a presidência do Santos já foram entrevistados pelo Blog. O primeiro foi Fernando Silva da chapa Mar Branco, seguido por Orlando Rollo da Terceira Via Santista. Depois foi a vez de José Carlos Peres da ONG Santos VIVO e Modesto Roma da Santos Gigante. Ainda esta semana, Nabil Khaznadar da Avança Santos será o último sabatinado.

Como disse anteriormente, não teremos os cinco candidatos registrando suas chapas. Um deles deve anunciar a desistência para ser vice de outro ainda essa semana. 

Outros candidatos não tem os mais de 230 nomes para o conselho e a tendência é diminuir ainda mais esse número.

                                                   

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by