FOTO CAPA

OPERAÇÃO VAGNER LOVE CUSTARIA R$ 23 MILHÕES

Publicado às 10h20 desta quinta-feira, 16 de agosto de 2018.
O Santos esteve muito próximo de contratar o tão sonhado camisa 9. Era Vagner Love, revelado no Palmeiras, com passagens por SCCP e Flamengo, no futebol brasileiro. Porém, não houve tempo suficiente para o acerto. A janela de transferência do exterior para o Brasil se encerrou às 23h59, desta quarta-feira, 18 de agosto. As partes estavam acertadas. Entre Santos e jogador estava tudo apalavrado. 

A necessidade de um atacante fez com que os valores ficassem bem inflacionados para um jogador de 34 anos. O Blog do ADEMIR QUINTINO apurou todos os valores que envolviam a negociação. Todo o montante, entre salários, comissão, bonificação e outros giraria em torno de R$ 23 milhões até o fim do contrato.

O jogador tinha acordado com os dirigentes do Peixe um contrato até 31/12/2020. O Peixe desembolsaria ao Besikitas 1,8 milhão de euros (quase R$ 8 milhões) em duas parcelas pela liberação do atleta, que ainda tem vínculo com  o clube turco.  Os vencimentos mensais do jogador ficariam em R$ 500 mil, sendo R$ 300 mil de salário e outros R$ 200 mil de direitos de imagem. 

Além desses números, o Santos ficaria responsável por pagar R$ 1 milhão de comissão ao agente, o que corresponde a 7% do valor total da remuneração que seria recebida por Vagner Love até o término do seu contrato que dariam R$ 15 milhões. 

Além disso, existia no contrato metas que se atingidas elevariam ainda mais os valores, tais como como 60% dos jogos como titular, artilheiro na temporada, se o time for campeã da série A do Brasileiro, Libertadores ou Copa do Brasil.
"O presidente do Besiktas fez uma tremenda covardia. Estava tudo certo, e ele sumiu”, disse Eduardo Ferreira, empresário do jogador, em entrevista ao portal Globoesporte.com
Sem a rescisão de contrato com o clube da Turquia e enquanto no Brasil, se aproximava da meia-noite e em Istambul, era de madrugada, o acerto não aconteceu.

Sem Love, o Santos tem de priorizar para o mercado nacional. Junior Brandão, artilheiro da série B do Brasileiro, pode ser a bola da vez. O Peixe já fez proposta oficial pelo jogador. 
.
strutura.com.br
 

Leia Mais »

O FUTEBOL VOLTOU E A ARBITRAGEM CONTRA TAMBÉM

Publicado às 23h20 desta quarta-feira, 15 de agosto de 2018.
O Santos quebrou o jejum de não vencer há 10 jogos. Na noite desta quarta-feira (15), o alvinegro, em pleno Mineirão, virou a partida diante do Cruzeiro por 2 a 1, com gols de Gabriel Barbosa e Bruno Henrique, pela Copa do Brasil e esteve próximo da classificação. Não fosse a arbitragem e a cobrança de pênaltis, o alvinegro seria semifinalista da competição.

Cuca surpreendeu na escalação. Foi para um 4-2-4 com Arthur na vaga de Jean Mota e Rodrygo de armador e Renato no lugar de Alison para melhorar o passe. Cheguei a escrever em uma das minhas redes sociais que era 8 ou 80. Ou ia vencer, como aconteceu ou ia levar um baile. 

O time perdeu Luiz Felipe, com dores na posterior da coxa deixou o gramado com seis minutos de partida. Mas se teve algo que sobrou ao Santos, foi entrega, o time se doou e mesmo com carências em algumas posições, encarou o rival que tinha a vantagem, de igual para igual. Levou um gol cedo, mas se recuperou na partida e empatou com um bonito gol de Gabriel Barbosa.

Na segunda etapa, o jogo permaneceu aberto. O Santos deu espaços, mas também atacava e após assistência do 'rayo' Rodrygo e conclusão de Bruno Henrique virou a partida aos 38 minutos do segundo tempo. Festa alvinegra em Belo Horizonte.

Mas o jogo não tinha encerrado. Aos 49 minutos, após Dodô cometer falta pela esquerda da defesa, o árbitro paranaense - que tem de ir para a geladeira - Rodolpho Tosky Marques, deu mais um minuto de acréscimo. A falta foi cobrada e no rebote, Ferraz lançou Gabriel Barbosa no contra-ataque e ele teria chances reais de marcar o terceiro gol, que daria a (improvável antes de a bola rolar) classificação santista a semifinal da Copa do Brasil. Mas a covardia (quero eu acreditar que tenha sido isso), fez o dono do apito encerrar o jogo, segundos antes do que ele mesmo determinou. 

Como bem disse Cuca, isso destruiu emocionalmente os jogadores do Santos que foram um fiasco na cobrança dos pênaltis e todos desperdiçaram - Bruno Henrique, Rodrygo e Jean Mota e o time das Minas Gerais, seguiu adiante na competição (3 a 0).

Nada adiantará, mas até para ter um pouco, pois hoje não tem nenhuma representatividade na CBF, a direção santista precisa enviar as imagens, provando que o árbitro errou ao não dar continuidade no último lance da partida.

Foi a primeira vitória de Cuca no comando técnico, a primeira vez que o Cruzeiro foi derrotado pelo Peixe na história da Copa do Brasil. Nas outras cinco partidas foram dois empates e três derrotas.

Apesar do revés nas penalidades máximas, o torcedor santista tem de estar confiante. Deu orgulho do time. Agora, nós torcedores temos de fazer nossa parte, à partir de sábado (19) e lotar a Vila em mais uma decisão diante do Sport. O torcedor tem de esquecer os problemas políticos, se jogador A, B ou C não tá bem e empurrar o clube rumo a vitória. Seis pontos diante do rubro-negro do nordeste e Bahia, adversários diretos na luta contra o rebaixamento serão fundamentais para a permanência na série A.

Para o jogo do fim de semana, Luiz Felipe com desconforto na coxa esquerda, dificilmente deve reunir condições de jogo. Ele será reavaliado assim que a delegação chegar na Baixada para saber a gravidade da lesão.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 1 (3) X (0) 2 SANTOS
Estádio do Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR) 
Público e renda: 43.464 pagantes/R$ 1.432.225,00
Cartões amarelos: Edilson (CRU), Bruno Henrique, Gabriel, Vladimir e Gustavo Henrique (SFC)
Cartões vermelhos: Vladimir (SFC)
GOLS: Thiago Neves (12'/1ºT) (1-0), Gabriel (41'/1ºT) (1-1), Bruno Henrique (38'/2ºT) (1-2)
CRUZEIRO: Fábio; Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Robinho (Rafinha, aos 31'/2ºT), Thiago Neves e Arrascaeta (David, aos 42'/2ºT); Barcos (Raniel, aos 23'/2ºT). Técnico: Mano Menezes.

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Gustavo Henrique, aos 6'/1ºT) e Dodô; Renato (Daniel Guedes, aos 26'/2ºT) e Diego Pituca; Arthur Gomes (Jean Mota, aos 16'/2ºT), Rodrygo e Bruno Henrique; Gabriel. Técnico: Cuca.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Falhou no gol sofrido. Mal colocado. Não conseguiu defender nenhum dos três pênaltis cruzeirenses. - 4,5
Victor Ferraz: Bem na defesa e no meio-campo, quando Daniel Guedes entrou na ala. Faltaram as tabelas com o 'rayo' Rodrygo. - 6,5
Lucas Veríssimo: Um monstro. Bem no mano a mano, nas antecipações e ainda tirou bolas providenciais. - 8,0
Luiz Felipe: Seis minutos apenas e foi substitudo com lesão na coxa. - SEM NOTA
(Gustavo Henrique): Ainda não reencontrou o bom futebol de antes da lesão. Teve muitas dificuldades na marcação no segundo tempo. - 4,5
Dodô: Mal na marcação. Fez sua primeira assistência no ano no primeiro gol do Peixe convertido por Gabriel Barbosa. - 5,5
Renato: Compensou a falta de velocidade com bons passes na saída de bola. Se posicionou a frente dos zagueiros. Foi substituído. - 5,5
(Daniel Guedes): Não conseguiu imprimir a sua destacada velocidade, mas tentou ajudar no apoio. - 5,5
Pituca: Não reeditou as boas atuações de outras partidas. Errou alguns passes, algo não muito comum. - 5,0
Arthur: Se perdeu em alguns momentos no posicionamento. Primeiro jogo com o novo comandante. - Substituído. - 5,0
(Jean Mota): Fechou o setor do meio-campo. Desperdiçou uma das penalidades máximas. - 5,5
Rodrygo: Como meia, apagado. Na ponta direita, deu o cruzamento do gol de Bruno Henrique. - 6,5
Bruno Henrique: Não realizava boa partida. Mas bem colocado, deu linda cabeceada para desempatar a partida. - 6,5
Gabriel Barbosa: Melhor partida na temporada. Deu opções, se deslocou e marcou um belo e difícil gol. O segundo melhor do jogo. - 7,0
Técnico: Cuca: Contagiou o time. Fez com que a equipe carente em algumas posições, marcasse melhor. - 7,0


SEM UM NOVO CAMISA 9

O Peixe chegou a acertar as bases salarias para assinar com Vagner Love. Mas a janela do Brasil fechava às 23h59 e a justificativa foi de que o presidente do clube turco, onde joga o Brasileiro, não foi encontrado para assinar a rescisão do artilheiro do amor com o clube de Istambul.

Pelo que o Blog do ADEMIR QUINTINO apurou o jogador iria receber na Vila aproximadamente R$ 500 mil (300 de salário e R$200 mil de imagem).

No próximo post do Blog nesta quinta-feira, vou informar todos os detalhes do contrato que não foi assinado. O negócio todo ia tomar R$ 23 milhões por dois anos e meio de contrato.
.
strutura.com.br

Leia Mais »

SANTOS JOGA POR CLASSIFICAÇÃO E FIM DE DOIS JEJUNS

Publicado às 21h01 desta terça-feira, 14 de agosto de 2018.
O Santos vive a primeira das suas decisões no mês de agosto, na noite desta quarta-feira (15), no Mineirão, diante do Cruzeiro, às 19h30. A partida é pelas quartas de finais da Copa do Brasil. No jogo de ida, na Vila Belmiro, o time de Belo Horizonte venceu por 1 a 0. Por isso, o Peixe só avança a semifinal da competição nacional, se vencer por dois gols de diferença ou uma vitória mínima para levar a partida para as penalidades máximas. O alvinegro não vence há dez jogos. A última vitória foi em 13 de junho diante do Fluminense, no Maracanã.

O técnico Cuca tem quatro desfalques certos. Os três estrangeiros Bryan Ruiz, Derlis Gonzáles e Carlos Sánchez. Todos os três não foram inscritos há tempo para a competição nacional. Além dos três gringos, Eduardo Sasha que se recupera de lesão, completa a lista de ausentes.

O Peixe está na capital das Minas Gerais, desde sábado (11). Perdeu no domingo(12) para o Atlético-MG e treinou segunda (13) e terça-feira(14) no Centro de Treinamento do América.

Cuca não deu pistas de qual o time começa a partida. A tendência é de que o time que jogou bem no primeiro tempo do fim de semana, seja repetido.

Se isso, se confirmar , o alvinegro vai em busca da classificação com Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Lucas Veríssimo e Dodô; Alison, Pituca e Jean Mota; Rodrygo, Gabriel Barbosa e Bruno Henrique.
/
Além de quebrar o incomodo jejum da maior série sem vitórias na última década, com 10 jogos sem vencer, o Santos tenta quebrar outro incomodo tabu. Jamais venceu o Cruzeiro na Copa do Brasil. Até o momento foram cinco jogos - com três vitórias para o time da Toca da Raposa e dois empates.

O presidente José Carlos Peres acompanhou o último treino.
O presidente José Carlos Peres está em Belo Horizonte com a delegação. Isso é algo incomum. O mandatário dificilmente acompanha os jogos da equipe fora de casa, mas em breve contato com o Blog do ADEMIR QUINTINO por telefone disse:
"Esse é um momento que precisamos estar juntos, colaborar e por isso estou aqui. É difícil, mas creio que possamos nos classificar, sim. O time já melhorou e estou bastante esperançoso de que possamos fazer uma grande partida."
Uma vitória e a improvável classificação seria fundamental para acabar com o clima pesado que sobrevoa o estádio Urbano Caldeira com a ameaça de rebaixamento. Ajudaria a retomar a confiança perdida e acalmaria os bastidores do clube que andam quente, tanto na política, como no futebol.
.
strutura.com.br 
Leia Mais »

EM MEIO AO CAOS, UMA LUZ NO FIM DO TÚNEL

Publicado às 07h20 desta terça-feira, 14 de agosto de 2018.
Apesar pífia campanha da equipe profissional na temporada e principalmente no Campeonato Brasileiro, do pesado clima político que vive o clube, existem projetos em execução que começam a dar retorno ao alvinegro praiano. Um no departamento de marketing e outro no de futebol.

O novo planejamento estratégico do departamento de Marketing, gerenciado por Marcelo Frazão, já dá resultados mesmo em curto espaço de tempo. O Blog do ADEMIR QUINTINO manteve contato com o profissional que falou sobre o que foi realizado desde que desembarcou na Vila Belmiro e o que ainda estar por vir na pasta que o carioca comanda:
"Creio que nestes quatro meses iniciais obtivemos bom resultados especialmente em patrocínios, licenciamentos e escolinhas em fase de organização e melhoria dos processos. Apontaria como maior desafio, e o foco hoje, a reformulação do Sócio Rei em termos de benefícios e serviços de compra e acesso para que tenhamos o crescimento desejado no número de associações"
Frazão discorreu com detalhes dessa reformulação no programa de sócios, inclusive diminuindo o preço médio do ingresso, o que na teoria, dá condição do torcedor comparecer em maior número de jogos:
"Em relação ao Sócio Rei, um grande passo foi a mudança na precificação dos ingressos, dando um benefício real para o associado na compra dos mesmos, a receptividade e ocupação das arquibancadas tem comprovado ter sido um acerto. Em relação ao plano de sócios e venda de ingressos, ainda prematuro falarmos sobre um valor de retorno financeiro. Ao final da temporada teremos uma base mais sólida para avaliar o que se conquistou a mais em bilheteria e associações. Mas o objetivo inicial é muito mais o aumento da frequência do nosso torcedor nos estádios do que financeiro, vide os valores de ingressos para o jogo da Libertadores a partir de R$ 7,50 para associados." avaliou Frazão. 
O responsável pelo marketing santista e que também acumula a pasta de comunicação no novo organograma do clube, acredita que o torcedor tem papel primordial para tirar o time dessa situação perigosa de estar na zona do rebaixamento. Frazão já elaborou estratégias para bons públicos nas duas decisões que o clube tem em casa, nos dois próximos jogos do Campeonato Brasileiro.  
"Agora todo foco voltado para o engajamento do público no “ReageSantos” para as duas próximas partidas pelo Brasileiro: Sport e Bahia. Serão jogos decisivos e o apoio e presença do nosso torcedor serão fundamentais. Mantivemos os preços no menor patamar possível, conseguimos alteração do horário da partida contra o Sport das 21h para as 16h e seguimos no trabalho de divulgação e estímulo em nossas redes".
O outro projeto que também começa a dar frutos é o gerenciado pelo representante internacional do clube Fabio Barrozo. O Blog do ADEMIR QUINTINO teve acesso ao projeto elaborado pelo profissional que já está em andamento desde maio desse ano. O mesmo trouxe economia e receita aos cofres da instituição.

Yaya emprestado a Ponte Preta.
O projeto teve êxito em duas negociações que foram concretizadas. A primeira envolve o meia-atacante YaYa Banhoro, nascido em Burquina Faso. O jogador pertencia a equipe sub 23 do Peixe e foi emprestado a Ponte Preta para disputa da série B do Brasileiro. O seu salario está sendo pago integralmente pelo clube campineiro e com uma opção de compra de R$ 1 milhão por 80% dos direitos econômicos.

Serginho com a camisa do Kashima.
O Blog entrou em contato com o representante que explicou um pouco mais sobre a concepção e os objetivos deste plano:
"O projeto visa  recuperar o investimento que o clube fez em determinados atletas  que por um motivo ou outro, ainda não foram promovidos a equipe profissional ou mesmo os atletas que já tiveram oportunidade no time de cima, mas foram emprestados ou regressaram as divisões de base. Existem alguns pilares principais do projeto de negociações para esses atletas. Recuperar o investimento feito pelo clube , obter lucro e manter um percentual sobre os direitos econômicos de uma negociação futura ou ceder o atleta em definitivo ou por empréstimo, mantendo um percentual sobre os direitos econômicos." disse Barroso.
Perguntado se além de Ya Ya e Serginho, se existem outras propostas em andamento, o representante internacional cita jovens do juvenil e do aspirante, que são alvos de gigantes clubes europeus.
"Existe uma proposta de um gigante italiano por um atleta do sub 17 e também interesses de um clube da primeira divisão de Portugal por dois atletas da equipe sub 23. Por ética e profissionalismo eu só comento as propostas que o clube aceitou e que já foram divulgadas pela imprensa. As demais propostas estão sob a análise do Sr. Maturana (gerente executivo da Base) e do presidente José Carlos Peres." disse Barrozo.
strutura.com.br
Leia Mais »

MAIS UMA SAÍDA NO COMITÊ DE GESTÃO

Publicado ás 10h57 desta segunda-feira, 13 de agosto de 2018.

Mais um membro deixa o Comitê de Gestão que administra o Santos. Após Andres Rueda e Urubatan Helou há quarenta dias, na manhã desta segunda-feira (13) foi a vez de Hanie Issa pedir o desligamento. 

Se mais dois elementos do CG pedirem demissão, os atos do Comitê não terão validade, pois não terão a maioria simples. Atualmente existem seis dos nove membros.

O Blog do ADEMIR QUINTINO teve acesso a carta que o Issa escreveu para justificar a sua saída (foto). Primeiramente, a informação foi publicada pelo Santista Roxo e em seguida, mantivemos contatos no clube que nos confirmaram a informação.

A pessoas próximas, Hanie afirmou que sentia que não estava colaborando com o Comitê da maneira que queria, que ele desejava ajudar mais e que não sabe administrar dessa forma.

As saídas e as entradas de novos membros no Comitê de Gestão só poderão acontecer após o conhecimento e aprovação do Conselho Deliberativo, e para isso, é necessário que seja em uma reunião dos mesmos.

Paralelamente aos problemas políticos, o Santos completou nessa segunda-feira (13), exatos 60 dias sem vencer no Campeonato Brasileiro. A última vez foi no dia 13 de junho, no Maracanã, diante do Fluminense. De lá para cá, o alvinegro praiano entrou em campo mais 10 vezes, sendo sete pelo Brasileirão e não venceu nenhuma delas.

strutura.com.br

"
Leia Mais »

DE VOLTA AO Z-4

Publicado às 18h54 deste domingo, 12 de agosto de 2018.
O Santos perdeu mais uma vez na temporada, a oitava no Campeonato Brasileiro. Na manhã deste domingo (12), o alvinegro praiano foi derrotado por 3 a 1, na Arena Independência. O único gol santista foi marcado por Gabriel Barbosa. Com a derrota em Belo Horizonte e a vitória da Chapecoense diante do SCCP, o Glorioso da Vila voltou a zona de rebaixamento com 18 pontos em 18 jogos.

Cuca fez mudanças na equipe. Lucas Veríssimo recuperado de lombalgia voltou como titular na vaga de Gustavo Henrique por opção do técnico. Sánchez com dores na posterior da coxa direita, mesmo com seu nome na lista de relacionados, não viajou e deu vaga a Jean Mota no meio-campo e Gabriel Barbosa recuperava a posição com Yuri Alberto voltando para o banco de reservas.

Apesar de ter levado um gol cedo, o Peixe fez seus melhores 45 minutos nesse período de jejum sem vencer. São sete jogos no Brasileiro, um na Copa do Brasil e dois amistosos no México. A última vitória foi há quase dois meses, diante do Fluminense, no Maracanã, em 13 de junho. O time reagiu e teve forças para empatar a partida, após linda jogada individual de Rodrygo e na sobra, a assistência de Bruno Henrique para a conclusão de Gabriel.

Na volta do intervalo, o time teve oportunidade para pular na frente do marcador, mas em seguida, Cuca que está sendo obrigado a trocar o pneu do carro com o mesmo em andamento, o time dava mostra de evolução, errou nas substituições. Sacou Jean Mota, que fazia de razoável para boa partida e Bruno Henrique para as entradas de Cittadini e Copete. As alterações, alem de não surtirem efeito, fez com que o time perdesse o ímpeto e após falhas individuais de Rodrygo, Ferraz e Luiz Felipe no mesmo lance, Ricardo Oliveira, ele mesmo, desempatou a partida.

Já no desespero, o comandante santista sacou o outro volante Alison e colocou o centroavante Yuri Alberto. Ficou num perigoso e ousado 4-2-4, Já nos acréscimos, em contra-ataque, após Copete desperdiçar a chance de empatar, Ricardo Oliveira novamente ele, colocou números finais no jogo e ampliou o marcador - 3 a 1.

Teve gente que dizia que quem achava há meses que o time brigaria para não cair, não é santista e a situação é mais do que preocupante. Para não correr riscos, o Santos precisa fazer 29 pontos nos 20 jogos que restam. Se isso, não acontecer, vai ser rebaixado. 

Para não dizer que não falei das flores, fica o alento de o time ter jogado melhor, principalmente no primeiro tempo. Cuca não terá tempo para treinar a equipe e a falta de coragem da direção em não ter trocado o técnico na pausa da Copa foi um erro muito grande. Aliado a outros erros, o clube sufoca no Z-4. 

Na próxima quarta-feira (15), também em Minas Gerais, onde o Peixe permanecerá, o time de Cuca volta a campo, desta vez no Mineirão pela Copa do Brasil. No Brasileiro, no próximo sábado (18), às 16 horas enfrenta o Sport. Contra o time do Nordeste, qualquer resultado que não seja o de vitória, será péssimo.  

ATLÉTICO-MG 3 X 1 SANTOS
Arena Independência, Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Rodrigo D'alonso Ferreira (SC)
Público e renda: 22.062 presentes/R$ 369.140,00
Cartões amarelos: Iago Maidana e Elias (AMG)
Gols: Elias (7'/1ºT) (1-0), Gabriel (26'/1ºT) (1-1), Ricardo Oliveira (25'/2ºT) (2-1), Ricardo Oliveira (49'/2ºT) (3-1).
ATLÉTICO-MG: Victor; Emerson, Leonardo Silva, Iago Maidana e Hulk; José Welison e Elias (Matheus Galdezani, aos 44'/2ºT); Chará, Nathan (Luan, aos 15'/2ºT) e Tomás Andrade (Cazares, no intervalo); Ricardo Oliveira. Técnico: Thiago Larghi
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Dodô; Alison (Yuri Alberto, aos 31'/2ºT), Pituca e Jean Mota (Cittadini, aos 17'/2ºT); Rodrygo, Bruno Henrique (Copete, aos 17'/2ºT) e Gabriel Barbosa. Técnico: Cuca. 

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Fez uma grande defesa em cabeçada de Ricardo Oliveira, mas fiquei com a sensação de que a bola do primeiro gol de Elias, era defensável. - 5,5
Victor Ferraz: Perdeu a bola do primeiro gol e deu espaços na marcação na segunda etapa. Conseguiu trocar algumas bolas com Rodrygo. Era a jogada mais perigosa do Santos. - 5,0
Lucas Veríssimo: Fazia boa partida, mas perdeu alguns lances para Ricardo Oliveira que marcou dois gols. - 5,5
Luiz Felipe: Bem no primeiro tempo. Caiu na segunda etapa. Não estava bem posicionado e permitiu que Ricardo Oliveira ganhasse no alto no lance do segundo gol. - 5,0
Dodô: Discreto. - 5,5
Alison: Junto com Victor Ferraz não evitaram o avanço do ataque do Galo no primeiro gol. - 5,0
(Yuri Alberto): Jogou apenas 14 minutos. - SEM NOTA
Pituca: Fazia uma partida apenas regular, mas escorregou no lance que originou o terceiro gol do adversário.O mais regular da equipe  - 6,0
Jean Mota: Não realizava má partida, exceção feita as bolas paradas, pois tanto no escanteio, como nas faltas. Não era para ter sido substituído. - 5,5
(Cittadini): Entrou para dar mais velocidade na bola vindo do meio-campo, mas não conseguiu. - 5,0
Rodrygo: Apenas um grande lance do rayo, o que originou o gol do empate. Entretanto, colaborou quando perdeu a bola que originou o segundo gol do Galo. - 5,5
Bruno Henrique: Boa assistência para o gol do Gabriel Barbosa. Bem abaixo da sua capacidade. - 5,0
(Copete): Entrou como secretário de lateral. Perdeu um gol que poderia dar o empate. - 5,0
Gabriel Barbosa: Marcou um gol como visitante cinco meses depois do último, no Morumbi diante do São Paulo. Correu e se movimentou mais. - 6,0
Técnico: Cuca: Está a apenas duas semanas no clube, mas é visível que o time está melhor. Porém, o técnico errou nas substituições e deixou o time mais lento e propício para que os donos da casa vencessem o jogo. - 4,0

strutura.com.br
Leia Mais »

PASSOU DA HORA DE VOLTAR A VENCER

Publicado ás 18h57 deste sábado, 11 de agosto de 2018.
Sem vencer há quase dois meses (a última vitória foi em 13 de junho, no Maracanã, diante do Fluminense, o Peixe volta a campo, na manhã deste domingo (12), diante do Atlético-MG, às 11h, no estádio Independência, em busca da primeira vitória após a Copa do Mundo, na Rússia. Nos últimos nove jogos, sendo seis pelo Brasileirão, foram seis empates e três derrotas.

Cuca não revelou se vai realizar modificações no time titular, já que na próxima quarta-feira (15), o Peixe tenta reverter a situação na Copa do Brasil, diante do Cruzeiro, também em Minas Gerais. A delegação só volta a baixada santista, na próxima quinta-feira (16).

Como o elenco que viajou para a capital mineiro foi bastante numeroso, existe possibilidades de um time alternativo em um dos jogos (principalmente o deste domingo), porém, se os titulares forem mantido, para o duelo diante do Galo, Dodô será a maior novidade. Ele desfalcou a equipe diante do Ceará, em razão de três cartões amarelos e teve de cumprir suspensão automática. 

Quem também reaparece recuperado de uma lombalgia entre os relacionados é o zagueiro Lucas Veríssimo. O jogador que quase foi negociado com alguns clubes da Europa, ficou fora de combate nos três jogos que o novo comandante Cuca dirigiu o time e viajou com mais 24 jogadores para Belo Horizonte.

Antes de a rodada começar, o alvinegro ocupa a incomoda 15a. colocação com apenas 18 pontos em 17 jogos. Nas últimas nove partidas da equipe, marcou apenas três míseros gols.

RELACIONADOS:
Goleiros:
Vanderlei e Vladimir.
Laterais:
Daniel Guedes, Dodô e Victor Ferraz.
Zagueiros:
Luiz Felipe, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Robson Bambu.
Meio-campistas:
Guilherme Nunes, Alison, Pituca, Bryan Ruiz, Calabrês, Jean Mota, Renato, Carlos Sanchez e Cittadini.
Atacantes:
Rodrygo, Bruno Henrique, Gabriel Barbosa, Yuri Alberto, Derlis Gonzales, Arthur e Copete.

APOIO, MAS COM RESSALVAS

Após o Santos divulgar, nesta sexta-feira (10), em seu site oficial, relatório sobre a auditoria feita pelo clube em relação aos últimos cinco anos, alguns grupos políticos se manifestaram sobre o assunto.

As associações Santos 2.1, O Santos Que Queremos e Santos Autêntico, assinaram nota em conjunto e criticaram a atual gestão por não ter contemplando os últimos 15 anos como chegou a prometer e em seguida recuou, o presidente santista José Carlos Peres:
"A auditoria deveria contemplar os últimos 15 anos de gestão, o que foi inclusive prometido pelo Presidente, viemos a público comunicar nosso total apoio e compromisso com a apuração e responsabilização dos envolvidos em atos ilícitos praticados contra a centenária instituição Santos FC, porém nos causa grande tristeza e revolta ver pessoas ou empresas fazerem uso de seus cargos ou influências políticas para benefício próprio em detrimento dos interesses do clube, seus associados e torcedores." cita parte da nota.
As três associações desejam que se for provado que o clube for lesado, os mesmos tem de ser punidos. 
"Vivemos um novo tempo. Chega de impunidade! Tolerância zero contra aqueles que se dizem santistas mas que usaram o clube e seus milhões de torcedores para obter vantagens ilícitas e imorais. Precisamos passar o Santos F.C a limpo e recolocá-lo no caminho das grandes vitórias e conquistas, de onde jamais deveria ter se desviado." 

OBRIGADO
É a primeira vez, desde que soube do encerramento dos canais Esporte Interativo, na última quinta-feira (9). Agradeço a todas as manifestações que recebi nas redes sociais. Por enquanto, sigo aqui no Blog, como por hábito, há quase 10 anos, e se pintar algum convite em Televisão, avisarei a todos. 

Vivi 18 meses incríveis no Esporte Interativo, tanto no Mais 90, como no De Placa. Agora, bola para frente e esperar um novo convite.



strutura.com.br
Leia Mais »

ANGUSTIANTE

Publicado às 23h05 desta quarta-feira, 8 de agosto de 2018.
O Santos escapou de levar uma sonora goleada na noite desta quarta-feira (8), em Fortaleza. A equipe sofreu muito e se não fosse o goleiro Vanderlei, nem o empate em 1 a 1 contra o Ceará, teria acontecido. Jean Mota de peito marcou o gol do alvinegro.

Cuca confirmou as mudanças esperadas na escalação. Pituca e Yuri Alberto entraram nas vagas de Renato e Gabriel Barbosa, mas o futebol do Peixe permaneceu desaparecido.

O primeiro tempo do Santos foi medonho. Sem criatividade, velocidade, sem absolutamente nada. Ah, sem trabalho também deixado pelo antecessor de Cuca, o alvinegro da Vila não conseguiu jogar. Somente o atacante Artur, sozinho, finalizou mais do que o Peixe nos primeiros 45 minutos com seis tentativas. O Peixe não acertou o gol com três chutes apenas. 

Na segunda etapa, o técnico santista mexeu por atacado no intervalo. Sacou Pituca e Yuri Alberto e promoveu a estréia de Bryan Ruiz e o retorno de Gabriel Barbosa no comando do ataque com Carlos Sánchez recuado para segundo volante.

E de tanto tentar, Vanderlei defender e a trave salvar, o Ceará marcou seu gol com Arthur, após um chutão da defesa e o centroavante que defenderá o Palmeiras em 2019, abrir o marcador.

Quando tudo caminhava para uma derrota, a sorte parece ter retornado. Cruzamento improvável de Alison, o goleiro do time da casa Everson escorregou e Jean Mota de peito, no melhor estilo futevôlei, injustamente, empatava o jogo em 1 a 1.

O cenário é pavoroso. Os inteligentes que acusavam os temerosos na possibilidade de rebaixamento de não serem santistas, desapareceram. O time involui, não dá sinais de reação, deixando o torcedor mais do que preocupado. 

No domingo (12), dia dos Pais, o Santos vai a Belo Horizonte e enfrenta o Atlético Mineiro, às 11h da manhã. o ala-esquerdo Dodô, que cumpriu suspensão nesta rodada, retorna ao time.

Agora são nove jogos sem vencer. Dois amistosos, um jogo pela Copa do Brasil e seis partidas pelo Brasileiro. Nesse período apenas três gols. o Santos não vence desde 13 de junho, quando ganhou do Fluminense no Maracanã.


Jean Mota empatou o jogo aos 42 minutos do segundo tempo.

FICHA TÉCNICA
CEARÁ 1 X 1 SANTOS
Estádio: Presidente Vargas, Fortaleza (CE)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Cartões amarelos: Ricardinho, Leandro Carvalho e Edinho (CEA); Victor Ferraz e Jean Mota (SFC)
Gols: Arthur (33'/2ºT) (1-0) e Jean Mota (41'/2ºT) (1-1)

CEARÁ: Everson; Fabinho, Tiago Alves, Luiz Otávio e João Lucas; Edinho, Richardson e Juninho Quixadá (Ricardinho, aos 20'/2ºT); Felipe Azevedo (Leandro Carvalho, aos 13'/2ºT), Calyson (Luidy, aos 43'/2ºT) e Arthur. Técnico: Lisca.
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Jean Mota; Alison, Carlos Sánchez (Calabres, aos 26'/2ºT) e Pituca (Bryan Ruíz - intervalo); Rodrygo, Bruno Henrique e Yuri Alberto (Gabriel Barbosa). Técnico: Cuca.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Graças ao melhor goleiro em atividade do país e a trave, o empate veio. Poderia ser pior. - 7,0
Victor Ferraz: Não conseguiu trocar passes com Rodrygo como em alguns jogos. Deixou espaços na defesa. - 5,0
Luiz Felipe: O melhor da defesa. Sofreu no jogo aéreo no duelo contra Arthur. -5,5
Gustavo Henrique: Bem no alto, não teve boa saída de bola e em alguns lances teve dificuldade diante de Arthur. - 5,0
Jean Mota: Fazia tempo que não atuava como ala. Fazia partida discreta, mas foi rápido na tomada de decisão ao estufar o peito e empatar o jogo. - 6,0
Alison: Não conseguiu parar os meias cearenses, porém, deu uma assistência maravilhosa para o empate ao realizar cruzamento da direita. - 6,0
Carlos Sánchez: Um maravilhoso lançamento a Bruno Henrique. Lutou bastante. Assim que se adaptar e entrosar pode ajudar bastante na luta contra o rebaixamento. - 6,0
(Calabres): Cuca deu a oportunidade que Jair não deu ao jovem. No lance do gol, não estava bem posicionado. Precisa de ritmo para ser melhor avaliado. - 5,0
Pituca: Limitou-se a passes laterais. Foi substituído. - 5,0
(Bryan Ruíz): Sem ritmo e demonstrou lentidão em alguns momentos. Não conseguiu armar. - 4,5
Rodrygo: Apagado. Marcação do lado direito do ataque do Peixe tava bem encaixado e o jovem talentoso não conseguiu criar nada. - 5,0
Bruno Henrique: Longe de ser a referência do ataque que o caracterizou como um dos melhores do país, o ano passado. Após a lesão na vista, ainda não brilhou. - 4,0
Yuri Alberto: Lutou, brigou, fez muitas faltas, mas não recebeu uma bola em condições de finalizar. É garoto, apenas 17 anos, precisamos ter um pouco mais de paciência. - 5,0
(Gabriel Barbosa): Amargou o banco e quando entrou participou apenas de um lance. Não justificou a entrada. - 4,0
Técnico: Cuca: Acertou ao sacar Gabriel Barbosa e apostar no menino Yuri. Ganhou a referência, mesmo não sendo o melhor momento para o garoto assumir essa responsabilidade. Tentou com um armador ao promover a estréia de Ruiz, mas o costa-riquenho está bem abaixo. Ainda não venceu em três jogos. Ainda assim com os dois empates , os resultados foram melhores que o desempenho. - 5,0


strutura.com.br
Leia Mais »
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by