FOTO CAPA

TEM QUE RESPEITAR. PEIXE ALCANÇA PALMEIRAS NA LIDERANÇA, APÓS QUINTA VITÓRIA

Publicado às 16h deste domingo, 21 de julho de 2019.
O Santos conseguiu uma importante resultado no Rio de Janeiro, diante do Botafogo-RJ, por 1 a 0, com gol de Marinho, no final da manhã, deste domingo (21). Foi a quinta vitória seguida no Brasileiro e com o triunfo, o Peixe igualou a pontuação do Palmeiras, primeiro lugar, mas perde no critério de desempate no saldo de gols para o time paulistano. O time da Vila foi beneficiado pela derrota diante do Ceará, no sábado (20), em Fortaleza.

O técnico Sampaoli voltou a não repetir a mesma escalação em duas partidas seguidas. As novidades foram a saída do capitão Victor Ferraz da equipe, com Lucas Veríssimo como 'falso' lateral e Jean Mota no meio, como um dos armadores com Sánchez mais pela direita. 

Para manter Uribe 'centralizado', o técnico argentino mexeu em muitos setores e a exemplo do que aconteceu na vitória da semana passada, diante do Bahia, o time ficava limitado as jogadas pela esquerda com Soteldo, que cruza melhor com a perna direita (e eu particularmente, não entendo porque ele não atua por esse setor. O atacante Sasha que tinha encaixado como referência 'espetada'  foi deslocado aberto pela direita e novamente para o 'sacrifício'. Porém, o camisa 27, não tem como característica, o drible e a velocidade para levar o time a frente e apesar de o alvinegro propor o jogo, teve dificuldade de oferecer perigo a meta de Gatito Fernandes nos 45 minutos iniciais.

No intervalo, Sampaoli desfez o erro da insistência equivocada da escalação. Retirou Uribe, que não se encontrou ainda com a camisa santista, colocou Marinho para abrir uma nova opção pela direita e Sasha foi 'espetado', como deveria ser, desde o início. 

Entretanto, Lucas Veríssimo que estava improvisado pelo lado direito da defesa, tinha recebido cartão amarelo ainda na primeira etapa. Pela intensidade que os donos da casa jogavam pelo seu setor, recomendava-se que o camisa 28 fosse substituído, mas o maior responsável pela excelente campanha que o clube realiza na competição, Sampaoli, erra como qualquer outro ser humano e não retirou o jogador de campo. Em menos de cinco minutos da segunda etapa, o jogador foi expulso e comprometeu a performance e o resultado do jogo.

Sampaoli teve que alterar novamente o time e arriscar porque queimou as duas substituições que lhe restava. Sacou Jean Mota do meio e colocou Victor Ferraz para recompor o setor. Em seguida, tirou Sasha, que mal tinha ido para a posição que melhor rende e deu vaga ao lateral Felipe Jonatan. Com isso, Jorge virou armador. Mesmo com as alterações, o time da estrela solitária parou de esperar o jogo e dar a bola ao Santos  para começar a acreditar na vitoria.

Porém, a equipe do bom treinador Barroca, deu um contra-golpe e apesar de contar com um jogador a mais em campo ficou com três jogadores santistas contra um botafoguense e no lance, o ala esquerdo Gilson, que já tinha amarelo, levou o vermelho, em lance que envolvia o atacante Marinho. Com isso, as coisas voltaram para o lugar. Com a igualdade no placar, a equipe de 'Jorgito' voltou a comandar as ações e ir para o ataque. E ele 'Marinho', é mesmo? Sim, ele... 'Não sabia não?' Marcou um golaço de fora da área aos 30 minutos do segundo tempo.

Daí em diante, não restava outra alternativa aos donos da casa do que tentar empatar o jogo. O time carioca deu o contra-ataque ao Santos, que teve outras quatro chances para matar o jogo e ampliar o marcador, porém, pecava na finalização. Apesar da má pontaria, o resultado não foi alterado e o objetivo foi alcançado.

Desde o começo da semana tenho revelado nas minhas redes sociais e na Rádio 9 de Julho, muito incomodo, pois a opinião pública insiste na polarização da competição apenas a Flamengo, terceiro lugar e Palmeiras que perdeu cinco dos seis pontos disputados nos dois últimos jogos e com isso ignorava-se o vice-líder Santos. 

Respeito todos os que tem opinião contrária a minha, porém, já que utilizam tanto a matemática, por que não a utilizaram e chegaram a simples conclusão de que 23 é maior que 20 (pontuação de santistas e flamenguistas na rodada passada)? 

O Santos pode até não ter fôlego para lutar pelo título, porém, não se pode ignorar este 1/3 de competição e cumprimentar a equipe dirigida por Jorge Sampaoli que faz um campeonato acima da expectativa.

Tem muita competição pela frente. O Peixe carece de material humano em algumas posições - a de armador é uma delas. A equipe joga com uma marcação intensa que exige muito do físico dos atletas, além do problema de cartões, suspensões e as convocações dos estrangeiros em datas FIFA que a CBF não obedece que podem arrebentar com a bela campanha e interromper o sonho de conquista.

Na próxima rodada, domingo (28), o alvinegro recebe o lanterna Avaí, na Vila Belmiro. Cueva que viajou para o Peru, pois o seu terceiro filho nasceu prematuramente com complicações pode ficar a disposição do comandante técnico. A previsão de retorno do meio-campista é terça-feira (2). Por enquanto, só peço para que respeitem a campanha do Santos, sem mais.

FICHA TÉCNICA 
BOTAFOGO 0x1 SANTOS 
Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Público e renda: 16.248 / R$ 480.278,70
Cartão Amarelo: Gilson, Joel Carli (BOT), Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo, Marinho (SFC)
Cartão Vermelho: Lucas Veríssimo (SFC), Gilson (BOT)
GOLS: Marinho (29'/2ºT)
BOTAFOGOGatito Fernández; Marcinho, Carli, Gabriel e Gilson; Cícero, Alex Santana (Victor Rangel; 12'/2ºT), João Paulo; Erik, Diego Souza (Jonathan; 27'/2ºT) e Luiz Fernando (Rodrigo Pimpão; 18'/2ºT). Técnico: Eduardo Barroca.
SANTOSÉverson; Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique; Jorge, Diego Pituca, Carlos Sánchez, Jean Mota (Victor Ferraz; 6'/2ºT), Eduardo Sasha (Felipe Jonatan; 9'/2ºT), Uribe (Marinho; intervalo) e Soteldo. Técnico: Jorge Sampaoli.

Sampaoli teimou em manter Uribe centralizado. Manteve Veríssimo com amarelo e viu o ala improvisado ser expulso.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS: 
Éverson: Não foi exigido. Bem na saída de bola. - 60
Lucas Veríssimo: Tava no sacrifício e com certeza não suportaria os 90 minutos, principalmente por ter amarelo. Podia ter evitado o primeiro dos dois cartões. Foi expulso. - 4,0
Aguilar: O defensor mais rápido do elenco foi bem tanto na marcação com a bola no chão, como no jogo aéreo. - 7,0
Gustavo Henrique: Atuação quase perfeita na defesa. Faltou uma melhor performance na bola aérea ofensiva. Vive grande momento. - 6,5
Jorge: Dono de grande técnica, foi bastante participativo na segunda etapa. Apesar de não ser profissional da preparação física, ele me dá a sensação de que precisava de um trabalho específico para melhorar sua explosão. - 7,0
Pituca: Tomou conta do meio-campo na primeira etapa. No segundo teve que se virar quando o time ficou com quase 25 minutos com um jogador a menos. - 6,5
Sánchez: Não gosto do uruguaio pelo lado. Creio que é um desperdício quando ele não joga na sua, centralizado. No segundo tempo, jogou melhor. - 6,5
Jean Mota: Começou bem a partida, porém, com o passar da primeira etapa, não conseguiu jogar próximo da área, onde rende melhor. - 6,0
(Victor Ferraz): Recompôs o setor pela direita, após a expulsão de Veríssimo. Teve momentos em que foi para o meio. - 6,0
Sasha: Jogador de grupo, extremamente dedicado. Mesmo não jogando na posição que tinha encaixado no time, se doa, ajuda na marcação, fez a parede. Quando ia retornar a posição que tem rendido foi sacrificado e teve que deixar o campo após a expulsão de Veríssimo. - 7,0
(Felipe Jonatan): Marcou bem e teve uma grande oportunidade de aumentar o placar no fim do jogo. - 6,5
Uribe: Não encaixou ainda. Sigo aguardando sua estréia. - 5,0
(Marinho): Tem que pedir o 'bicho' de Sampaoli porque livrou o cara do treinador. Participou da jogada que expulsou Gilson e marcou um golaço. O maior responsável pelos três pontos neste fim de semana. - 8,0
Soteldo: Segue em evolução. É jovem, porém ainda não tem eficiência na última bola. Tem recurso no drible, mas ainda exagera pois quer ir todas 'para dentro' e tem que variar para confundir a marcação. Levou perigo para a meta adversária. Perdeu dois gols feitos no fim da partida. - 7,0
Técnico Jorge Sampaoli: Errou ao insistir na escalação de Uribe com Sasha pelo lado. Voltou a errar, a manter Veríssimo 'amarelado' no um contra um pela direita. É o grande responsável pela ótima campanha da equipe, apesar de ter falhado como qualquer ser humano e outros técnicos nesta rodada. Acertou e foi ousado ao fazer as duas últimas substituições, mesmo correndo risco de perder algum jogador por lesão e não poderia mexer mais e arrumar a equipe após a expulsão de Veríssimo. - 5,5

strutura.com.br
Leia Mais »

FAZER A QUINA E SE APROXIMAR DA LIDERANÇA

Publicado às 14h05 deste sábado, 20 de julho de 2019.
Os jogadores do Santos embarcam na tarde deste sábado (20), com destino a 'cidade maravilhosa' do Rio de Janeiro. Neste domingo (21), o time dirigido por Jorge Sampaoli busca sua quinta vitória consecutiva no Brasileiro e se aproximar, ainda mais do líder Palmeiras na classificação geral. O alvinegro da Vila enfrenta o Botafogo-RJ, no estádio Nilton Santos às 11h. O meia Cueva que teve que retornar ao Peru, em razão do nascimento prematuro do seu terceiro filho é desfalque certo.

Antes da viagem da delegação santista, o argentino que comanda o Peixe deu entrevista coletiva e os jogadores realizaram sua última atividade antes do duelo, no CT Rei Pelé. Como de costume, Sampaoli fechou os portões a imprensa e mantém mistério na escalação. O treinador ainda não repetiu a mesma formação uma única só vez em 10 rodadas do Campeonato Paulista. 

Pelo que o Blog do ADEMIR QUINTINO apurou, mesmo com a equipe rendendo mais na segunda etapa da vitória diante do Bahia, sábado (13) passado com Sasha 'espetado', o camisa 27 deve jogar aberto pelo lado direito. Se isso for confirmado, Uribe tem nova oportunidade 'centralizado' com Soteldo pela esquerda. Outra dúvida é se Alison que acompanhou o nascimento do filho semana passada e desfalcou a equipe no nordeste retornará como titular. Se o técnico fizer essa opção, um dos três zagueiros - Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo ou Felipe Aguilar terão que deixar a equipe.

Sampaoli ainda não repetiu a escalação seguidamente.
O provável Santos deve ir a campo com Éverson; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Lucas Veríssimo e Jorge; Alison (Gustavo Henrique), Pituca e Sánchez; Sasha, Uribe e Soteldo.

Os cariocas vivem um drama de os salários estarem atrasados. Já o Peixe é o vice-líder e está três pontos atrás do Palmeiras, primeiro lugar. Mesmo com uma derrota deste sábado do alviverde no Ceará e uma vitória santista amanhã, ainda não dá a liderança para o Glotioso da Vila. As equipes igualariam a pontuação em 26 pontos, porém, a diferença de saldo de gols é muito grande entre o clube da baixada e o time paulistano - 16 a 6.

Enquanto, grande parte da mídia tenta polarizar a disputa pelo título entre as maiores potências econômicas esportivas do país na atualidade - Palmeiras e Flamengo, o alvinegro tenta pelas 'beiradas', manter-se nas primeiras colocações e seguir surpreendendo. 

Gustavo Henrique de 26 anos é o meu próximo convidado.
GUSTAVO HENRIQUE NO PRONTO, EU FALEI DO YOUTUBE

O zagueiro Gustavo Henrique é o próximo convidado do meu canal no Youtube - Pronto, eu falei, na próxima terça-feira (23), às 19 horas. 

O jogador revelado no Santos e que chegou ao clube em 2007 tem seu contrato para se encerrar em janeiro do próximo ano. 

O programa vai abordar de tudo um pouco. O começo de carreira, a saída da base do Vitória-BA, o relacionamento com os torcedores e óbvio, a possibilidade de renovação.

Quem deseja assistir a entrevista, acesse o link, dê o like, se inscreva no canal e terá a oportunidade de ver outros quinze programas que já estão na lista- https://t.co/CuzCQ86Rj4

strutura.com.br
Leia Mais »

VICE-LÍDER DENTRO DE CAMPO, PORÉM, ANTEPENÚLTIMA MÉDIA DE PÚBLICO

Publicado, às 14h30 deste quinta-feira, 18 de julho de 2019.
O Santos faz até o momento um ótimo Campeonato Brasileiro. O time dirigido por Jorge Sampaoli vem de quatro vitórias consecutivas e é o vice-líder, três pontos apenas atrás do primeiro lugar, o Palmeiras. Paralelamente a isso, o torcedor alvinegro que é o quarto colocado em números absolutos nas redes sociais entre os times da série A, não mantém os mesmos registros quando o assunto é a média de público nessas 10 rodadas. O alvinegro é o antepenúltimo lugar com média de 10.779 pagantes.

Nesta semana tenho  registrado nos locais que trabalho e redes sociais, a  minha total indignação com a falta de reconhecimento de parte da imprensa  com a  insistência na polarização da disputa entre o primeiro lugar, o alviverde da capital paulistana e o terceiro lugar, o rubro-negro carioca. O Peixe é o segundo lugar da competição com 23 pontos contra 20 do time da cidade maravilhosa. O atual campeão e líder do Brasileiro 2019 em 10 rodadas tem 26.

Para não dizer que não falei das flores, o octa-campeão brasileiro não tem um estádio que lhe dê condições de ser um dos líderes na média de público, porém, com o esforço de seu torcedor é perfeitamente possível melhorar esses números, principalmente se criar um mecanismo de os proprietários de cadeiras cativas que não forem utilizar, puderem receber um valor de um ingresso que possa ser vendido para outra pessoa usar. O ticket médio cobrado pelo Peixe nestas rodadas é de R$ 33,00.

As melhores média de público são do Flamengo com 50.304, SCCP 35.323 e Palmeiras com 31.468, respectivamente. Em quarto está o São Paulo com 31.431, seguido pelo Fortaleza com 26.313 e Internacional com 25.989. Em sétimo está o Fluminense com 23.933, números parecidos com o do Bahia 23.105, Ceará 22.649 e Cruzeiro com 19.967.

Na 11a. posição entre melhores médias de público está o Botafogo-RJ, próximo adversário do Peixe, no domingo (21), às 11h, no estádio do Engenhão. O cacula da série A - CSA é o 12o. com 16.892. Em seguida, pela ordem vem Atlético-MG com 16.526, o Goiás tem 15,416 e o Vasco é dono de 14.921. O 16o. é o Grêmio com 14.392 e posteriormente vem o Atlético-PR com 14.009. O Peixe vem apenas em 18o., a frente dos catarinenses Avaí, último colocado na classificação geral com média de 7.655 e Chapecoense com 6.817. 

Como mandante, o Peixe teve seu melhor público no empate diante do Internacional, no fim de Maio, na Vila Belmiro com 12.756 pagantes. Os outros jogos que o alvinegro atuou em casa até o momento foram diante de Fluminense e SCCP também no estádio Urbano Caldeira, na Baixada Santista e Vasco da Gama, no Pacaembu.

Entendo, a recessão que o pais atravessa, numa crise econômica e financeira que parecem intermináveis e o fato do Santos ter perdido a oportunidade de também construir sua Arena, às vésperas da Copa do Mundo que aconteceu no país, em 2014. Tanto o templo sagrado do futebol mundial por sua história, a Vila Belmiro, como o melhor estádio localizado em São Paulo, o Pacaembu, não oferecem o conforto que outros concorrentes tem a disposição dos seus sócios e torcedores.  

Porém, para poder contratar, manter um time competitivo, que no momento não tem um patrocinador master e não goza de números parecidos na distribuição das cotas de TV em relação a Flamengo, SCCP e Palmeiras, é necessário que seu torcedor compareça em maior número, até para despertar a atenção de possíveis interessados pela marca. Portanto,  se faz necessário que o público saia dos teclados do celular, notebooks e computadores e vá incentivar sua equipe de fato, no estádio.

O clássico Santos x SCCP teve 11.831 pagantes.
As receitas de bilheteria representam menos de 10% do orçamento do clube anualmente, mas o fato, não é só esse. O incentivo e o carinho do seu torcedor, são combustíveis importantes na luta pela realização e conquista de um sonho e o fim de um jejum de 15 anos, numa ainda 'improvável' conquista contra as poderosas finanças com orçamentos estruturados bem acima da capacidade do Glorioso da Vila, que no momento mais gasta do que arrecada. Ou seja, torcedor, aquele que puder, deixe de acompanhar o seu clube pela TV e vá ao Estádio, incentivar seu time que tem números de campeão até o momento com 77% aproveitamento dos pontos (os campeões normalmente tem 72% nos últimos anos) e uma derrota somente em 10 partidas. 

strutura.com.br

Leia Mais »

PEIXE VENCE PELA QUARTA VEZ SEGUIDA, LÍDER PALMEIRAS EMPATA E DIFERENÇA DIMINUI

Publicado às 04h00 deste domingo, 14 de julho de 2019.
O Santos conquistou um importante resultado neste sábado (13), em Salvador ao vencer pela sétima vez em dez partidas pelo Brasileirão. O Peixe aproveitou-se do empate do Palmeiras no clássico diante do São Paulo em 1 a 1 e ao bater o Bahia por 1 a 0, em Pituaçu, diminuiu a vantagem para o primeiro colocado que era de cinco pontos para três (26-23). O único gol do jogo foi de Sánchez, aos 40 min. do segundo tempo.

Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO bancou na véspera, Soteldo foi confirmado no ataque santista como o atacante pela esquerda com Uribe centralizado e Sasha pelo lado direito. Marinho ficou no banco como opçao. O volante Alison, liberado para acompanhar o nascimento do filho, não viajou com a delegação e Sampaoli escalou a equipe num 3-5-2.

Porém, com a formação que o argentino mandou a campo, a equipe santista ficava limitada na jogada individual pelos lados. Sasha não tem característica de quebrar as linhas com dribles curtos e Soteldo, sozinho, era pouco para o time que tem pretensões maiores no campeonato. O Primeiro tempo alvinegro foi tímido, com um Uribe apagado e Jorge, dono de grande capacidade técnica pouco presente no apoio.

Veio a segunda etapa e ao final do primeiro terço dela, Sampaoli resolveu mexer. Marinho e Jean Mota entraram nas vagas de Uribe e Victor Ferraz. Com as alterações, Lucas Veríssimo virou lateral pela direita e quase abriu o marcador com uma bola que caprichosamente tocou no travessão. Sasha saiu da direita e foi para o local onde, no momento, tem de permanecer, 'espetado' como centroavante. Foi a senha para o Glorioso da Vila tomar conta do jogo. 

Com dois homens abertos com caraterísticas de 'quebrar as linhas', mesmo com um deles com algumas tomadas de decisões erradas, o alvinegro alugou o meio-campo e pressionou. O gol, era questão de tempo. Com Jean Mota, o passe melhorou e Sánchez na sua real posição, não pelo lado, comandava o meio-campo. 

Quando a partida se aproximava do fim, o gol saiu com Soltedo, indo do meio para a linha de fundo pela direita. O venezuelano cruzou, Sasha 'espetado' brigou no alto e a bola sobrou para Sánchez que foi calçado por trás. O uruguaio sofreu pênalti que ele mesmo bateu. O bom goleiro Douglas defendeu e no rebote, o camisa 7 abriu o placar e marcou o único gol do jogo. Foi um prêmio pelas alterações certas do comandante técnico.

O Bahia até então não havia perdido como mandante na competição e o Peixe, segue com sua invencibilidade no estádio de Pituaçu. Foi a terceira partida, na história do time praiano nesse estádio e a segunda vitória.

O alvinegro da baixada tem a semana livre para os treinos. A próxima rodada é somente no próximo domingo (21). o Santos novamente joga fora de casa e enfrenta o Botafogo-RJ, às 11h da manhã, no estádio Nilton Santos, na cidade maravilhosa. Alison fica à disposição do técnico Sampaoli para a partida. 

'Para não dizer que não falei das flores' , ainda fico com a impressão que o time precisava vibrar um pouco mais em alguns jogos, principalmente como o desta rodada. As alterações foram feitas, a equipe cresceu de rendimento, mas até em razão da derrota parcial do principal rival ao título (que conseguiu empatar, mas ainda assim perdeu dois pontos), o time precisa acelerar mais o jogo e poucos procuraram fazer isso. Ainda assim, o resultado veio e classifico como sensacional e fundamental na caça ao primeiro colocado.

Em outras circunstâncias, o empate fora de casa seria bom, entretanto, para quem sonha com o título, tem de vencer dentro e fora de casa e isto, o Peixe conseguiu. Foi o quarto triunfo seguido da equipe no Brasileiro. Os outros foram Ceará, Atlético-MG e SCCP.

FICHA TÉCNICA 
BAHIA 0 x 1 SANTOS
Estádio de Pituaçu, em Salvador (BA)
Árbitro: Jean Pierre Goncalves Lima (RS)
Público e Renda: 18.853 torcedores - R$ 258.374,00
Cartões amarelos: Elton (BAH), Aguilar, Soteldo e Pituca(SFC). 
GOL: Carlos Sánchez (41'/2ºT)
BAHIADouglas; Ezequiel, Lucas Fonseca, Juninho e Moises; Elton, Eric Ramires e Shaylon (Guerra; 16'/2ºT); Arthur Caike (Élber; 24'/2ºT), Artur e Fernandão (Gilberto; 24'/2ºT). Técnico: Roger Machado. 
SANTOSEverson; Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique (Luiz Felipe;36'/2ºT) e Aguilar; Victor Ferraz (Jean Mota; 15'/2ºT), Pituca Sánchez e  Jorge; Soteldo, Uribe (Marinho; 15'/2ºT) e Eduardo Sasha. Técnico: Jorge Sampaoli.

Uribe fez apenas o seu quarto jogo oficial pelo Santos. Segue devendo.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS: 
Everson: Fez uma grande defesa quando o Bahia atacou pela direta, na segunda etapa, pouco antes de Sánchez sofrer pênalti. Time soteropolitano pouco exigiu do camisa 1 santista. - 6.5
Lucas Veríssimo: No primeiro tempo, perdeu um duelo individual contra Arthur Caíke, mas fez boa partida. Na segunda etapa meteu uma bola no travessão. Mesmo depois que virou ala, tentou ajudar a frente, mesmo contra as suas características. - 7,0
Gustavo Henrique: Defensivamente sempre bem colocado. No ataque quase chega em uma jogada aérea na primeira etapa. Saiu contundido há cinco minutos, mais os acréscimos do fim do jogo. - 6,5 
Luiz Felipe: Aos poucos recupera seu espaço no elenco. Já havia entrado na vitória no clássico diante do SCCP. Jogou apenas seis minutos, mais cinco de acréscimo. Pouco participou da partida. Não comprometeu. - 6,0 
Aguilar: Como costuma dizer meu amigo Alan Otacílio do Ponto da Chuleta, jogou o 'arroz com feijão bem temperado'. Não fez a sua melhor apresentação e tampouco comprometeu. - 6,0
Victor Ferraz: Um dos jogadores que a torcida mais pega no pé fez ótimo primeiro tempo. Foi quem carregou a bola pela direita do ataque, pois Sasha não tem essa característica. No segundo tempo foi substituído. - 6,5
(Jean Mota): Foi um risco calculado a sua entrada, mas tinha tudo para dar certo, como efetivamente aconteceu. Jean jogou diversas vezes de volante no estadual e até de primeiro cabeça de área, diante do Grêmio, na primeira rodada do Brasileiro. Não tem grande capacidade de marcação, mas tem um bom passe. Como o Santos dominou o setor, após as alterações na segunda etapa, dividiu na distribuição de jogadas com Sánchez e foi muito útil. - 6,5 
Pituca: Prefiro o camisa 21, mais a frente. Com três volantes ele piso mais na área e tem velocidade para rodar a bola a frente da defesa adversária. Entendo também que com a saída de Jean Lucas, a ausência de Alison e a não renovação do jovem Sandry, ele teve que ser um dos sacrificados na função de cabeça de área. Deu conta do recado, mas não se destacou como costumeiramente acontece. - 6,0
Sánchez: Um dos melhores da partida ao lado do venezuelano Soteldo. Na sua real função de um meia que marca e chega, seu futebol cresceu novamente. Pelo lado direito aberto na extrema, rende muito menos. Sofreu o pênalti e marcou o gol da vitória. - 7,5
Jorge: Não sou preparador físico e tampouco quero nas entrelinhas, criticar alguém, em razão do meu comentário a seguir. Este rapaz é dono de uma técnica refinada, entretanto, pelo que já assisti dele no Flamengo, antes de ir para a Europa, me parece estar sem explosão e neste futebol dos dias atuais que mudou demais, sua qualidade não se sobressai. Fez um primeiro tempo bem abaixo e uma leve melhora na segunda etapa. Tem recuso para jogar muito mais. - 5,5
Soteldo: Sacrificado na primeira etapa, pois com a formação que Sampaoli mandou a campo era o único com capacidade de quebrar as linhas e foi bem neutralizada pela defesa baiana. Na segunda etapa, após a entrada de Marinho, o venezuelano 'deitou' com dribles curtos e foi dele a assistência no cruzamento que originou o pênalti em cima de Sánchez. - 7,0
Uribe: Sigo aguardando a estréia do colombiano. Que a bola pouco chegou na grande área para que ele finalizasse, foi fato, mas o centroavante, não tentou, uma única vez, voltar na intermediária e fazer uma tabela com seus companheiros de ataque. Entendo a necessidade dele ter que jogar, pois foi uma aposta alta da direção e do técnico, mas o momento dele vai chegar. Hoje é do Sasha e não adianta querer inventar. - 5,0
(Marinho): Tem o um contra um, muito forte e mesmo com algumas tomadas de decisões erradas, sua entrada na equipe movimentou o ataque e era necessário na busca dos três pontos. No esquema que o Santos atua, abrir mão de velocistas e jogadores de capacidade de quebrar as linhas, principalmente nos jogos fora de casa é um desperdício. - 6,5
Sasha: Grande sacrificado do ataque. Na fase que está não pode sair da função centralizada para ir para o lado. Não tem característica de drible curto e jogada individual pela extrema. Batalhou como sempre, mas foi aparecer com destaque novamente quando voltou na sua - 'espetado'. Uma cabeçada a queima roupa que Douglas defendeu milagrosamente e participação decisiva quando brigou com os zagueiros no alto, no lance do que originou o pênalti que deu a vitória ao time. - 7,0
Técnico: Jorge Sampaoli: Sem Jean Lucas negociado, Alison e Sandry ausentes dos relacionados, acertou ao escalar três zagueiros. O Bahia nitidamente tinha dificuldade de entrar na defesa santista. Errou ao retirar Sasha 'espetado' entre os zagueiros adversários e colocar Uribe na funcão e que nem no jogo aéreo, sua maior qualidade, ainda funcionou. O colombiano se movimentou pouco e não saiu da área. Jorgito desfez o erro na segunda etapa ao colocar mais um jogador que tem o drible pelo lado- Marinho e melhorar a qualidade no passe com Jean Mota, além de retornar Sasha para o lugar que ele encaixou nas últimas rodadas, mesmo sem ser centroavante. - 6,5

strutura.com.br
Leia Mais »

CAÇA AO LÍDER COM DOIS JOGOS FORA DE CASA

Publicado ás 12 de julho de 2019.
A volta do Santos após a Copa América não será de muitas novidades no elenco para a 'caça' ao líder Palmeiras no Campeonato Brasileiro. O técnico Jorge Sampaoli perdeu o atacante Rodrygo e o meio-campista Jean Lucas para o futebol europeu. Em compensação, só ganhou um reforço em relação ao time que realizou o nono jogo na competição, na vitória diante do SCCP por 1 a 0, há um mês. Apenas o meio-campista Evandro foi contratado, está relacionado mas deve ficar no banco neste sábado (13), diante do Bahia, ás 19h, pela 10a. rodada, no estádio de Pituaçu, já que a Fonte Nova, principal praça de esportes de Salvador tem show da dupla Sandy & Junior.

A mudança mais significativa na equipe deve acontecer no setor ofensivo. Apesar dos três jogos seguidos com gols e a conquista da artilharia do Brasileirão. Uribe que realizou até aqui apenas dois jogos como titular, deve começar o jogo centralizado e Sasha que vinha em ação 'espetado' entre os zagueiros deve atuar pelo lado do campo com o venezuelano Soteldo pela esquerda.  Se esta formação que o Blog do ADEMIR QUINTINO apurou, for confirmada por Sampaoli, o paraguaio Dérlis e o recém chegado Marinho, ficam como opção entre os suplentes.

O recém contratado Evandro participou ativamente da segunda divisão da Inglaterra. Porém ,não atua desde o começo da segunda quinzena de abril, quando terminou as atividades na temporada de seu ex-clube. Durante sua apresentação, o meia disse que precisava de tempo para melhor condicionamento e por isso, ainda é incerto que seja utilizado durante o jogo.

No meio-campo Sánchez deve receber nova oportunidade no setor que gosta de atuar. O jogador se queixou que não deseja mais atuar aberto pela direita do ataque. Pituca é presença certa na equipe e Alison deve herdar a vaga de titular de Jean Lucas que foi negociado pelo Flamengo, dono dos seus direitos econômicos com o Lyon-FRA. Outra opção do técnico e recuar Pituca para a cabeça de área com Jean Mota, eleito melhor jogador do estadual, também no setor. 

O peruano Cueva é desfalque certo. O clube concedeu 10 dias de descanso para o jogador que participou da final da Copa América, semana passada. Seu compatriota Guerrero e o atacante brasileiro Evérton que também estiveram em ação na decisão do Maracanã, não tiveram folga e atuaram no meio de semana, pelas suas respectivas equipes - Internacional e Grêmio-RS, na Copa do Brasil, competição que o Santos foi eliminado na fase anterior.

Na defesa, são duas vagas para quatro concorrentes, Felipe Aguilar, trazido por Sampaoli no começo da temporada deve atuar pela esquerda e Gustavo Henrique e Lucas Veríssimo brigam pela vaga no setor direito. Luiz Felipe, que entrou no último clássico, aos poucos recupera seu espaço para entrar na briga.

O provável Santos deve ir a campo com Everson, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Aguilar e Jorge; Alison (Jean Mota), Pituca e Sánchez; Sasha, Uribe e Soteldo.

Os jovens Alanzinho de 19 anos e Ivonei de 17 anos, foram relacionados e ficarão entre os reservas do time de cima pela primeira vez.

O Peixe é o vice-lider do campeonato com 20 pontos, cinco a menos do líder Palmeiras. O alvinegro depois da Bahia, vai ao Rio de Janeiro e enfrenta o Botafogo-RJ no domingo (21), às 11h, no estádio Nilton Santos no bairro do Engenho de Dentro. O Verdão tem o clássico diante do São Paulo, neste fim de semana e o Ceará, no nordeste brasileiro, na próxima rodada.

Sampaoli concedeu entrevista.
SAMPAOLI REQUISITA E DÁ ENTREVISTA

O técnico Jorge Sampaoli não estava designado para dar entrevista nesta sexta-feira (12), mas após vazamentos de um e-mail enviado pelo comandante técnico, o argentino que está no Brasil desde o começo da temporada, fez questão de prestar alguns esclarecimentos, em coletiva. 
"Impossível (deixar o Santos). Tenho um compromisso muito grande com todos aqui dentro. Tenho compromisso com todos os jogadores que estão aqui. Impossível, não abandonaria. Com o recurso que temos, temos que remendar. É isso que reclamo. Reclamarei todos os dias para que o Santos cresça." garantiu. O argentino tem contrato até o fim do ano que vem.
Sampoli afirmou que ficou incomodado com o vazamento do documento. Que se critica e cobra é porque deseja o melhor a instituição:
"Me pareceu muito ruim que o e-mail vazou. Foi algo pessoal entre o treinador e o presidente. Trabalhamos para o Santos. Quero declarar que é algo que já passou. Não sou ninguém para criticar a função do presidente. Temos que encontrar o Santos de Pelé e superar. Era um time insuperável." relembrou Jorgito.


SEGUNDA FASE PAULISTA SUB-15,17 E 20

A Federação Paulista anunciou no fim desta quinta-feira (11), os grupos, datas e locais dos jogos das equipes na próxima fase do estadual. 

O sub-15 santista estreia dia 27, em Ribeirão Preto diante do Botafogo-SP. Já o sub-17 do técnico Márcio Griggio vai a Osvaldo Cruz  e enfrenta os donos da casa, no mesmo dia. 

No sub-20, os 'Meninos da Vila' a equipe pega a Ponte Preta, em Santos.

strutura.com.br
Leia Mais »

EMERSON LEÃO, COMANDANTE DA GERAÇÃO QUE TIROU O PEIXE DA FILA, COMEMORA 70 ANOS

Publicado às 08h50 desta quinta-feira, 11 de julho de 2019.
O ex-jogador e técnico Emerson Leão comemora 70 anos nesta quinta-feira, 11 de julho. Ele foi o grande responsável em recuperar a auto-estima do torcedor santista ao apostar nos 'meninos' em 2002 e tirar o clube de uma longa fila de 18 anos sem títulos com a conquista do Campeonato Brasileiro daquele ano. Como atleta esteve na delegação do Brasil que foi campeão do Mundo na Copa de 70, realizada no México. 

Um dos maiores goleiros da história do pais foi reserva de Félix em 1970, aos 20 anos. Leão também participou de mais três mundiais: 74,78 e 86. Foram 105 jogos como atleta da Seleção Brasileira. Também foi treinador do escrete canarinho em 2001. 
Joguei profissionalmente pela primeira vez aos 14 anos de idade. Quando fui convocado, era muito novo e já jogava em time grande, mas era capaz. Lembro que percebi muito prematuramente que o gol do Brasil ficaria vago. Fui aprovado nos testes e, assim, convocado. A minha dedicação serviu como experiência. Naquela época, era um mundo e um esporte diferentes. A concentração durava de dois a três meses. Era um tempo mais do que suficiente para todos se entenderem e se conhecerem”, relembrou Leão, em recente entrevista ao meu canal no youtube 'Pronto,eu falei'.
Leão disputou quatro Copas pela Seleção Brasileira.
No coração de nós santistas, a maior lembrança de Leão é como responsável por comandar uma geração talentosa na conquista do Campeonato Brasileiro de 2002. Naquela oportunidade, liderados por Robinho e Diego, o alvinegro encantou o Brasil. Mesmo após quase duas décadas, a relação entre o ex-técnico e a torcida santista é de muito carinho, admiração e principalmente gratidão.
"O diferencial que nós tínhamos Ademir, era a sinceridade que hoje não está na moda no Brasil. É desagradável ter que falar que sinceridade e honestidade estão em desuso. Eu já me sinto recompensando por aquilo que fizemos junto ao Santos. Muitos dizem que o Leão é bravo, é isso, é aquilo. Não, eu trilho por uma sinceridade, por uma honestidade e por isso estou afastado do futebol. Eu acho que tem muito desonesto e eu não faço acordo. Pegamos o Santos com muita dificuldade, mas deixamos um legado." afirmou o técnico Leão.
Se foram 18 anos sem conquista significativa, a nível de títulos do país, o jejum era ainda maior. O último campeonato nacional do Peixe havia acontecido em 1968. Pelé havia parado de jogar na década de 70 e o alvinegro viveu um período de "vacas magras". As exceções foram os títulos paulistas de 1978 e 1984, além de dois vice-campeonato brasileiros de 1983 e 1995. Muitos podem se recordar do torneio Rio-SP de 1997 e a Conmebol de 1998, mas o torcedor queria um título estadual ou melhor ainda, um brasileirão. E não poderia haver um roteiro melhor. A decisão contra o maior rival, recheado de dramas e emoções.

Leão vibra com os meninos, o título brasileiro de 2002.
Sem dinheiro para contratações em 2002, o Peixe montou um time recheado de garotos para não cair para a série B e sob a batuta do técnico Emerson Leão, os 'Meninos da Vila' provaram que talento se faz em casa e em uma campanha onde o time ficou como o último classificado (8o.) eliminou os demais favoritos e bateu campeão com duas vitórias (2 a 0 e 3 a 2 sobre o SCCP).

O último trabalho de Leão como técnico foi em 2012, no São Caetano. No Peixe é o quinto técnico que mais dirigiu a equipe. Foram 276 jogos em três passagens - 1998 à 1999/ 2002 à 2004 e 2008. Conquistou 142 vitórias, 68 empates e perdeu m 66 partidas. Como técnico do Glorioso da Vila perde apenas Lula (961 jogos), Antoninho Fernandes (380 jogos), Pepe (371 jogos) e Luxemburgo (305 jogos). Além do Brasileiro de 2002 conquistou a Copa Conmebol em 98 e levou o time a final da Libertadores de 2003.
"Felizmente, deixamos algum legado, todos nós coletivamente. Acho que essas homenagens são importantes para eles e para nós. Porque não é o diferencial do dinheiro que a gente ganhou, o futebol mudou muita coisa. Mas o que me deu mais foi o que meu coração sente todas as vezes que eu atravesso uma calçada e sou convidado para alguma coisa, para algum time, não só para o Santos, mas nos outros que trabalhei. Sinto-me recompensado por tudo aquilo que eu encontro na rua.” disse Leão ao Blog do ADEMIR QUINTINO
Tive o prazer e a honra de trabalhar com Leão como comentarista do Mais 90 no Esporte Interativo entre 2017 e 2018.
Finalizo este texto, reconhecendo que sou suspeito para escrever de Emerson Leão. Ele tem a fama de ser carrancudo, de ter pouquíssimos e seletos amigos. Eu discordo do primeiro termo e tenho o privilégio de ser um membro do seu ciclo de amizades. Isso aumentou ainda mais, quando tive a oportunidade de aprender mais de futebol com ele, durante um ano e meio que convivemos juntos, quase que diariamente no Programa Mais 90 do Esporte Interativo, entre 2017 e 2018. 

Líder nato. Grande conhecedor de futebol, um excelente profissional, tanto como goleiro, técnico e comentarista de futebol. Um caráter fora de série e acima de tudo, uma pessoa íntegra e verdadeira.

Se o presidente do clube a época Marcelo Teixeira e o supervisor de futebol Zito não acreditassem em Leão, no começo do século, eu confesso que não sei o que seria do Santos, que voltou a ser protagonista no futebol, após aquela conquista.

Feliz aniversário Leão. Obrigado por tudo.

strutura.com.br

Leia Mais »

"O QUE O SANTOS OFERECESSE EU IA ACEITAR. MEU SONHO ERA JOGAR AQUI E DINHEIRO NENHUM IA ME TIRAR"

Publicado às 23h25 desta terça-feira, 9 de julho de 2019.
Que o futebol virou um grande negócio é fato, há algum tempo. Eu mesmo questiono a falta de identificação dos novos atletas e os últimos no meu entender que fizeram carreira em único clube tinham sido os goleiros Rogério Ceni no São Paulo e Marcos no Palmeiras. Porém, surpreendentemente, eu encontrei mais um que creio pode fazer parte deste pequeno e seleto grupo de jogadores. Me refiro a Diego Pituca, que é o meu convidado como entrevistado no meu canal no Youtube - 'Pronto, eu falei' desta semana.
"Sempre fui Santos, de coração. Por toda a vida quis jogar e ficar aqui, mesmo aparecendo outras equipes. Eu já te disse, lá atrás, quando ainda estava no time B, que eu queria e vou fazer história neste time. Eu ficaria por qualquer valor para renovar com o Santos. Era o meu sonho jogar aqui e agora estou realizando".
O Blog do ADEMIR QUINTINO apurou que o dono da camisa 21, um dos melhores da posição na atualidade teve três propostas para deixar a Vila Belmiro. Pituca tinha um dos menores salários do elenco até o começo do ano. Eram pouco mais de R$ 20 mil mensais. O Cruzeiro e o Atlético-MG, além do rival SCCP ofereceram cada um deles, mais de R$ 300 mil/mês para o jogador deixar o time praiano. O atleta nascido em Mogi-Guaçu mandou apenas um recado a seus agentes:
"Tem razão Ademir. Eu tinha mesmo proposta com valores maiores do que eu ganho no Santos, hoje, mas o meu sonho era jogar aqui. O que o Santos me oferecesse, eu ia aceitar. Eu deixei bem claro para o Adalberto e ao Eli (Coimbra FIlho), meus empresários, que eu queria ficar no Santos, não importava o time que fosse vir atrás do meu futebol, não importava o valor, eu queria permanecer aqui." confirmou Diego.
Pituca deu entrevista exclusiva ao meu canal no YouTube.
Quem pensa que a vida de Pituca foi fácil até chegar ao Peixe, se engana. Prestes a completar 27 anos, até dois anos e meio atrás, o jogador dividia suas atenções com o Campeonato Paulista da série B (quarta divisão), Paulista da série A-III e jogos em times amadores:
"Sempre joguei na várzea, em paralelo a minha atividade de jogador profissional. Jogava de manhã pela Matonense na série A-III ou Guaçuano na série B e à tarde ia para várzea. Eles davam um trocadinho a mais e eu usava para passear com a minha namorada. Só não podiam postar fotos em rede social para não me prejudicar, mas era a forma de eu ter um dinheiro a mais." revela o meio-campista em uma entrevista emocionante.
O santista declarado, incentivado pelo Tio na infância, conta como chegou ao Peixe, em 2016:
"Eu jamais imaginei que com 25 anos surgiria uma oportunidade de jogar no Santos. Teve o dedo do Dorival Junior, que precisava de um volante e me indicou, mas infelizmente, quando cheguei, ele saiu."
Simples ao extremo e principalmente verdadeiro, o atleta lembra que quando chegou a Vila Belmiro para jogar no time de aspirantes, tinha pouco dinheiro e queria ir com a namorada Lidiane, com quem agora vive. Sem rodeios, contou como algumas pessoas lhe arrumavam ingressos para ir com sua companheira assistir os jogos do time principal, enquanto aguardava sua chance: 
"A época, eu estava no time B e precisava de mais um ingresso para a minha esposa, pois, eu tinha a carteirinha e só liberavam a minha entrada. Então, eu pedia aos amigos um ingresso a mais. O Luizinho, um desses que colaboravam comigo, eu pedia através de mensagens de zap e ele me arrumava uma carteirinha de um senhor na cativa e era caro o ingresso e o senhor, acho que parou de pagar a mensalidade. Eu tinha que arrumar outra forma e graças a Deus, você (Ademir) me arrumou este ingresso que eu precisava até mais de uma vez." revelou.
Pituca tem quatro gols no time principal do Santos.
Pituca só pode realizar seu sonho de jogar no time de cima do Peixe no Brasileiro de 2018. Segundo o atleta, Jair Ventura o chamou assim que foi contratado e prometeu-lhe esta chance:
"Eu queria jogar. Um dos fisioterapeutas do profissional, me ligou, dizendo que o Jair (Ventura) ia me dar uma oportunidade. Quando cheguei ao CT, ele (Jair) me disse que eu ia ter a oportunidade, mas teria que ter paciência. Não fui inscrito no Paulistão, estreei contra o Ceará, no Pacaembu, na primeira rodada do Brasileiro, voltei para o banco e depois do último jogo da fase da classificação da Libertadores, diante do Real Garcilaso-PER, não saí mais do time." conta Pituca.
Pituca disse que seus sonhos, ainda não estão todos realizados. E quer sagrar-se campeão com o manto alvinegro. Perguntado, se deseja ir para a Europa, o jogador disse que tem outros objetivos:
"Acabei de renovar por quatro anos, até 2023. Meu sonho era jogar no Santos e graças a Deus eu realizei. Mas tenho mais sonhos. Um deles é fazer história aqui no Santos. Meu objetivo é ficar no Santos e conquistar títulos. Não penso em Europa, não."
Indagado durante a entrevista se já tem futebol para concorrer a uma vaga na Seleção Brasileira, o jogador dá mais uma lição de humildade e sinceridade:
"Ainda não. Eu acho que ainda estou muito abaixo. O que tenho de melhor é o passe e o que tenho de melhorar é a finalização que para mim é muito abaixo e eu posso crescer bastante. Estou treinando diariamente esse fundamento." disse o jogador que tem quatro gols como profissional do time principal do Peixe.
O atleta que não nega suas origens do interior de São Paulo, contou com riqueza de detalhes por quantos e quais times já passou:
"Comecei em Mogi-Guaçu, minha cidade  pelo Guaçuano e acabei em seguida indo para o Itapirense. Depois fui parar no Brasilís, em Águas de Lindóia, onde eu jogava de lateral-esquerdo. Em seguida, virei profissional em Goiás, no Mineiros. Prometeram um valor que já era baixo e chegamos lá só pagavam a metade. Período difícil. Em seguida, vim para o XV de Piracicaba, mas fiquei um dia só. Após o treino, fui tomar banho e todos os chuveiros só com água gelada. Estava um frio danado. Fui dormir a noite e me colocaram no chão com um colchonete fino. Disse a meu Pai. Melhor eu parar. Não deu certo" confessa com a voz um pouco embargada."
Com a insistência do Pai, seu maior incentivador, Pituca volta a jogar futebol e recomeça do zero novamente, mesmo com 23 anos de idade.
"Voltei para a minha cidade no Guaçuano, disputei a série A-III. Depois tava acertado com o Olímpia mas fui mesmo para a Matonense e o Marcelo Veiga me viu e me levou para o Botafogo-SP. Fui para Ribeirão Preto em 2015, onde fomos campeões na série D no Brasileiro e disputei o estadual, antes de surgir o Santos pela segunda vez na minha vida. Eu disse para mim mesmo que não desperdiçaria esta chance novamente" afirmou.
Pituca é um dos pilares do esquema de Jorge Sampaoli.
Pituca é bem simples. É comum quem mora no bairro do Marapé vê-lo passeando com uma camisa regata e seu cachorro pelas ruas. Ele também demonstra gratidão pela namorada:
"Minha namorada está comigo há sete anos. Teve dia de a gente só ter dinheiro para um pastel e dividíamos. Assim como a Coca-Cola, mas graças a Deus as coisas melhoraram." revela.
Além de jogar pelo Santos, Pituca tinha outro sonho. Fazer com que sua mãe, não precisasse mais trabalhar. A genitora do atleta tem 58 anos.
"Ligar para minha mãe e dizer a ela que não precisava mais trabalhar, esse objetivo eu também consegui de aposentar ela. Agradeço a Deus e ao Santos por ter conseguido." disse Pituca.
Pituca encerrou a entrevista dizendo que a vitória não foi dele e sim do seus pais:
"Não parei de jogar, por causa do meu pai e minha mãe. Quando recusei o Santos pela primeira vez, eu vi meu Pai chorar, algo que jamais tinha visto na vida e este, foi o pior dia da minha vida, quando o Oscar (ex-zagueiro do São Paulo e disputou a Copa de 82 pelo Brasil) disse que o Peixe me queria e eu estava decidido a parar."
Pituca disse que os quase 10 meses que demorou para ajustar e renovar seu novo contrato trouxeram-lhe alguns problemas. E se sente aliviado que tudo terminou bem:
"Saiu uma notícia que eu tinha recusado R$ 400 mil por mês e muita gente me chamando de mercenário. Eu não podia publicar nada em rede social e me dava aquela vontade de falar a verdade, mas fiquei quieto. Eu disse ao Adalberto, meu empresário. Meu sonho é continuar a vestir a camisa do Santos e isso nós conseguimos."
Para acompanhar a entrevista ma íntegra, basta clicar o link ao lado- https://www.youtube.com/watch?v=2sGh5Di_nQY

Aproveite dê o like e se inscreva no canal  - https://t.co/CuzCQ86Rj4


strutura.com.br
Leia Mais »
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by