FOTO CAPA

ESPETADO DECISIVO E ARTILHEIRO

Publicado às 09h49 desta quinta-feira, 13 de junho de 2019.
Após a terceira eliminação seguida na temporada, o Peixe jogou duas vezes no sagrado gramado 'mágico' da Vila Belmiro, deu a volta por cima e reagiu no Campeonato Brasileiro, única competição que restou para o time praiano em 2019. Depois de vencer o Galo no fim de semana, o Santos bateu o SCCP por 1 a 0, na noite desta quarta-feira (12). Sabe de quem foi o gol? Sasha 'espetado'!

Com o resultado, o alvinegro da Vila assumiu temporariamente a primeira colocação do Campeonato com 20 pontos e torce para o Palmeiras, que não perde há 31 jogos, tropeçar diante do Avaí, na noite desta quinta-feira (13), no Allianz Parque para se manter na posição. O alviverde da capital tem um jogo em litigio diante do Botafogo-RJ e outra partida a menos que o Glorioso da Vila.

O técnico Sampaoli novamente surpreendeu na escalação. Alison foi a grande novidade no esquema do técnico santista. Com isso, liberou Pituca para chegar mais a frente, próximo a grande área e o jogador que renovou recentemente seu contrato com o Peixe, fez muito bem e realizou uma das suas melhores apresentações com a camisa santista.

Entretanto, o Santos tinha posse de bola, mas não conseguia penetrar na defesa adversária. Walter, goleiro corintiano que substitui Cássio, na seleção, pouco trabalhou nos primeiros 45 minutos. O lateral improvisado Bruno Mendes segurava Soteldo até com facilidade e Marinho, aberto pela direita, outro responsável para quebrar as linhas do time da capital, estava em jornada tímida e pouco inspirada.

Veio a segunda etapa e com ela, um Santos com os mesmos jogadores, mas com as linhas um pouco mais avançadas. Aos 13 minutos, Jorge fez brilhante jogada do meio para a ponta-esquerda, Soteldo cruzou e o lateral canhoto passou da bola, porém, o comprometido, 'defenestrado' no começo do ano (quase foi embora), batalhador e 'matador' Sasha, 'espetado' do jeito que eu peço desde fevereiro (esse eu banquei sozinho na imprensa), mandou para o fundo do barbante, para a explosão de alegria dos quase 12 mil santistas que pagaram ingresso e assistiram a partido no Estádio Urbano Caldeira.

Foi a vitória de quem propôs jogo, de quem finalizou muito mais (19x2) e o único time que acertou o meta adversária (4x0).

Os jogadores do Santos ganharam aproximadamente 10 dias de folga e depois retornam para a intertemporada e sequência do Brasileirão. O alvinegro volta a campo somente em Julho, diante do Bahia, dia 13, na Arena Fonte Nova. 

Até lá dá para curtir o bom momento da equipe, a boa classificação na tabela e principalmente Sasha com a artilharia. O camisa 27 marcou três gols nos últimos três jogos do torneio nacional - Ceará (F), Atlético-MG (C) e SCCP (C) e lidera a corrida de artilheiro do campeonato com cinco (marcou outros dois diante de Grêmio e Fluminense). #PoeoSashaEspetado

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 0 SCCP
Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP)
​Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Público e renda: 11.831 pagantes/R$ 438.955,00
Cartões amarelos: Felipe Aguilar, Sasha, Gustavo Henrique e Victor Ferraz (SFC); Danilo Avelar, Vagner Love, Bruno Méndez, Clayson e Fábio Carille (SCCP)
GOL: Eduardo Sasha 13'/2ºT (1-0)
SANTOS: Everson, Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Aguilar e Jorge; Pituca, Jean Lucas (Felipe Jonatan 30'/2ºT) e Alison (Sánchez 23'/2ºT); Soteldo, Sasha e Marinho (Luiz Felipe 34'/2ºT). Técnico: Jorge Sampaoli.
SCCP: Walter, Bruno Méndez, Manoel, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Júnior Urso (Sornoza 41'/2ºT) e Ramiro (Gustagol 33'/2ºT); Jadson (Everaldo 22'/2ºT), Vagner Love e Clayson. Técnico: Fábio Carille.

Jorge construiu toda a jogada do único gol do jogo.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS: 
Everson: Expectador de luxo. Apenas uma participação em cruzamento em que trombou com Aguilar. SCCP não chutou uma bola certa ao gol. - 6,0
Victor Ferraz: Já tinha sido diante do Galo. Com Clayson aberto nas suas costas, guardou mais posição. Recebeu um cartão amarelo no segundo tempo e passou apenas a 'fazer sombra' em cima de Everaldo, o que preocupou. Não comprometeu. - 6,0
Gustavo Henrique: A exemplo de Aguilar, preciso na marcação, sem dar espaços. Como costuma dizer meu amigo, o empresário do ramo de alimentação Alan Otacílio, "Joga o arroz com feijão, bem temperado" - 6,0
Aguilar: O zagueiro mais rápido da zaga do Santos tem um senso de cobertura fantástico. Se tivesse no Palmeiras, São Paulo, SCCP ou Flamengo, seria muito mais badalado. - 6,5
Jorge: No primeiro tempo, estava mais distante de Soteldo para as tabelas. Na segunda etapa, aproximou-se mais do venezuelano e assim saiu o único gol do jogo, quando desfilou sua técnica enfileirando a 'parede' corintiana que ficava a frente da defesa e foi fundamental para que Sasha recebesse a bola e pudesse concluir. - 7,0
Pituca: Um monstro. O que jogou de bola, roubou, se apresentou a frente, pisou na área foi uma grandeza. Com a colocação de Alison, ficou solto para poder ir mais a frente, onde seu futebol rende mais. - 7,5
Jean Lucas: O que tem evoluído o futebol desse jogador em seu primeiro ano de profissional é algo digno de aplausos. Fisicamente 'voa' e tecnicamente a cada rodada melhora. Sentiu dores na coxa e foi substituído. - 7,0
(Felipe Jonatan): Novamente entrou bem. Tem muita força. Alternou com Jorge o lado esquerdo do campo e quando um subia o outro ficava. Jogou pouco tempo. 15 minutos mais 5 de acréscimo. - 6,5
Alison: Taticamente importante para o crescimento do futebol do Pituca e na marcação, a eficiência de sempre. - 6,5
(Sánchez): Entrou na vaga de Alison que saiu com câimbras. Não tem a mesma pegada do jovem revelado na Vila, porém deu mais qualidade no passe no meio-campo. - 6,0
Soteldo: Podia ter ido muito melhor. No primeiro tempo foi engolido pelo lateral uruguaio improvisado Bruno Mendes. No segundo tempo se soltou e ganhou confiança após uma sequência boa de jogadas. Apesar da linda jogada de Jorge foi o venezuelano quem deu a assistência. Ainda precisa melhorar a tomada de decisão na hora de passar, chutar ou ficar com a bola. - 6,5
Sasha: O melhor do time. O que corre, abre espaço, marca pressão com alta intensidade e se posiciona bem dentro da área, parece até ter jogado na Europa, tamanha leitura de jogo. Vive grande momento, talvez o melhor na carreira. 'Espetou' nos três últimos jogos e tornou-se o artilheiro do Campeonato antes da pausa para a Copa América. Faro de artilheiro, mesmo sem ser um autêntico 9. - 8,0
Marinho: Tem potencial para jogar mais. Ensaiou alguns dribles, mas com pouca objetividade. Também foi substituído. - 5,5
(Luiz Felipe): Fazia tempo que não atuava. Se eu não tiver equivocado, confesso que não chequei (foi apenas de memória), não atuava desde a semifinal do estadual, na primeira partida, em Itaquera. Deu qualidade na saída de bola da defesa, sua característica com melhor desempenho. - 6,0
Técnico: Jorge Sampaoli: Acertou ao colocar Alison no time, liberar os alas para apoiarem por dentro e principalmente dar condições de Pituca jogar mais a frente, onde rende melhor. O Santos não deu espaço para o contra-ataque corintiano. Futebol não é uma ciência exata. Precisa de repetição. Sampaoli tem chances de colher os frutos disso, cumprindo seu contrato até o fim de 2020. Não quero ficar empolgado e ser ufanista, mas essa equipe, eu creio que pode trazer bons resultados apenas na temporada seguinte. Título esse ano, apesar do bom momento, eu ainda classifico como muito difícil, assim como o comandante técnico disse em entrevista coletiva, semana passada. - 7,0

ADEUS 'RAYO'

Não foi da maneira que a torcida queria, mas o 'rayo' Rodrygo deu adeus ao Santos na noite desta quarta-feira (12), com uma homenagem durante o intervalo da partida. 

Ao lado dos pais e da irmã, o jogador recebeu uma placa no gramado da Vila Belmiro e recebeu o carinho da torcida santista. Além disso, diversos jogadores que marcaram na base santista, onde o jogador chegou em 2011, deixaram uma mensagem de despedida, além do craque Robinho.

O jogador não segurou as lágrimas. Ele recebeu um uniforme com o número 82, quantidade de partidas que realizou no time profissional santista. Nesse período de um ano e meio desde que Elano, o subiu para o time de cima ele balançou as redes adversárias 17 vezes.


O rayo, Eu com o microfone da Energia 97FM e o craque Edu.
Ainda no intervalo do jogo, tive a satisfação de realizar minha última entrevista com o garoto de Osasco que foi meu vizinho no bairro do Marapé e ao seu lado estava o maior ponta-esquerda que o futebol já viu - Edu. Eu trabalhei na transmissão da Energia 97, no clássico deste meio de semana.

Fiquei extremamente emocionado pela humildade e generosidade. Quem desejar assistir segue o link-

Rodrygo, seja feliz no maior e mais caro time do Mundo. Desejo que você brilhe tanto no Real, como você brilhou rapidamente aqui. Depois de sua família, sou a pessoa que mais torço por você. 

É o 'rayo' xhagalalala, xhagalala, Bummmmm.

strutura.com.br

Leia Mais »

SEM DESPEDIDA E EM BUSCA DA LIDERANÇA PROVISÓRIA

Publicado às 09h20 desta quarta-feira, 12 de Junho de 2019.
Nesta quarta-feira (12), dia dos namorados, o Santos fez sua nona e última partida no Campeonato Brasileiro antes da pausa da competição para a realização da Copa América que começa nesta sexta-feira (14). O Peixe com uma combinação de resultados pode até terminar na liderança provisória se vencer o SCCP, às 21h30 e o Palmeiras, atual líder com 19 pontos (e um jogo sob judice diante do Botafogo-RJ), perder para o Avaí, nesta quinta-feira (13), no Allianz Parque. Pesa contra essa combinação de resultados, o fato do alviverde não sofrer uma derrota no torneio nacional há mais de 30 jogos.  

Rodrygo fez 82 jogos e marcou 17 gols 
O jogo desta noite vai ser de despedida. Poderia ser no campo, não fosse o imbróglio envolvendo Santos e CBF. A entidade máxima do futebol do país, não desconvocou o 'rayo' Rodrygo da Seleção olímpica sub-23, no torneio realizado em Toulon, na França, mesmo não o inscrevendo na competição. Com as liminares que o clube enviou ao Tribunal de Justiça Desportiva negadas, o jovem revelado na base santista, com 82 jogos no time de cima e incríveis 17 gols, vai se despedir do torcedor com uma homenagem no intervalo do jogo. A última partida da joia foi diante do Colorado, há cerca de duas semanas e meia, no empate em 0 a 0.

Na tarde desta quarta-feira (12), às 14h30, será realizada uma entrevista coletiva com o já 'ex-camisa 11' e o presidente do Santos FC - José Carlos Peres. Rodrygo é a venda mais cara do futebol da América Latina na história. Foram 45 milhões de euros . O Peixe já recebeu a primeira parte, o ano passado e agora tem direito a mais 20 milhões de euros (R$ 87,5 milhões).

Nesta temporada, Santos e SCCP se enfrentaram três vezes, com uma vitória para cada lado e um empate. Porém, o rival tem a vantagem de ter eliminado o Peixe nos pênaltis durante o estadual e partiu para o título.

Quanto ao time santista, Sampaoli prega o mistério na escalação. O treinador não tem repetido o mesmo time seguidamente e sempre apresenta mudanças na formação. Além da ausência de Rodrygo, Lucas Veríssimo suspenso pelo terceiro amarelo e Cueva e Derlis González à disposição das seleções peruana e paraguaia, respectivamente, que disputarão a competição sul-americana de seleções, completam os desfalques.

O provável Santos devei ir a campo Everson; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Jorge (Felipe Jonatan); Pituca, Jean Lucas e Jean Mota (Sánchez); Marinho Sasha (Uribe) e Soteldo.

strutura.com.br
Leia Mais »

VICE-LÍDER

Publicado às 08h45 desta segunda-feira, 10 de junho de 2019.
O Santos se reabilitou da eliminação na Copa do Brasil e conquistou um importante resultado ao vencer o Atlético-MG, na noite deste domingo (9), no estádio da Vila Belmiro por 3 a 1. Com o resultado, o Peixe ultrapassou o Galo na classificação, pulou para 17 pontos e assumiu a vice-liderança do Campeonato, atrás apenas do Palmeiras. Os gols do jogo foram de Sasha, Jean Mota e Sánchez para o alvinegro praiano e Alerrandro para os visitantes.

Novamente, Jorge Sampaoli mudou a escalação. O treinador efetivou Evérson de titular, mandou uma formação com apenas dois zagueiros e trouxe Sasha de volta como referência no ataque. Sánchez e Uribe ficaram no banco.

À exemplo da última quinta-feira (6), diante do mesmo adversário, o Glorioso da Vila propôs o jogo e partiu para cima e de novo o 'velho problema' na conclusão das jogadas e a bola não entrava. Marinho acertou a trave. 

Quando o primeiro tempo se aproximava do final, Jean Mota cruzou e Sasha 'espetado' de costas, tocou de cabeça para abrir o placar. 

Logo em seguida, novo cruzamento do camisa 41, eleito melhor jogador do último Estadual e o artilheiro do Campeonato Brasileiro com quatro gols - Sasha, toca de cabeça e a bola é interceptada pelo braço de Fábio Santos. Somente o camisa 27 santista reclamou. O jogo prosseguiu, mas o árbitro é avisado e utiliza o V.A.R (Arbitro assistente de vídeo) para revisar e dar a penalidade máxima. Jean Mota bateu e ampliou.

As equipes voltam para a segunda-etapa e estranhamente, o Santos recua as linhas, passa a rifar a bola e o Galo toma conta do meio-campo. Era questão de tempo para os mineiros diminuírem. 

O atacante Geuvânio, ex-Santos, entrou bem pela direita e serviu Alerrandro, que havia entrado no lugar de Ricardo Oliveira. O camisa 44 bateu na saída de Éverson.

O jogo estava controlado pelo time de casa que começou a ter a vitória ameaçada. Entretanto, após falta na entrada da área. Sánchez que tinha acabado de entrar bateu falta com perfeição no ângulo superior de Vitor e deu tranquilidade ao pequeno público de quase 6 mil pagantes que compareceu ao Urbano Caldeira e deu números finais a partida.

Os três pontos foram fundamentais para o time dar uma resposta após a terceira eliminação consecutiva no semestre e isso foi feito. Só restou o Brasileiro para o time da Vila na temporada.

A torcida Jovem, principal organizada do clube, realizou um protesto pacífico, antes e durante o jogo. Sampaoli que afirmou durante a coletiva que o Santos, apesar de bem colocado na competição de pontos corridos, crê que são pequenas as possibilidades de conseguir o título, não gostou:
"O protesto pela falta de empenho dos jogadores me parece injusto. Totalmente. Eles jogam o que podem. Parece que o mundo ia acabar, se não vencêssemos hoje." disparou.
O capitão Victor Ferraz desabafou em falar sobre a opção dos dirigentes do clube em escolherem o Pacaembu, em jogos importantes. O camisa 4 fez questão de dizer que o Santos deve priorizar mais o estádio localizado na cidade homônima da instituição, assim como Sampaoli já disse algumas vezes:
"Essa é minha opinião, quero deixar claro. Merecemos todas as críticas, já que fomos eliminados dentro dos nossos domínios. A casa do Santos é a Vila Belmiro. Adoro jogar na Vila. Gosto de jogar no Pacaembu, um profissional tem que jogar em qualquer lugar, mas nossa casa é aqui" disse na saída do gramado após o fim da partida.
Não quero ser oportunista, como já havia dito na minha live nos meus stories do instagram, ontem após o jogo, em dizer que se quinta-feira (6), o jogo fosse em Santos, seria sinônimo de classificação. Absolutamente, mas não dá para negar que o retrospecto de jogos decisivos em Urbano Caldeira tem números melhores que no próprio da Municipalidade paulistana e demonstram que os adversários tem mais dificuldade em obter êxito. 

Apesar do discurso da direção, em falar sobre a renda e o dinheiro que proporciona a bilheteria, ela representa pouco mais de 7% do faturamento dos clubes da série A. Não será somente o dinheiro das entradas que vão salvar as finanças. Elas ajudam, mas não é a principal receita. São necessários estádios cheios com grande público para atrair a atenção dos patrocinadores e movimentar o interesse de aumentar a torcida, angariar novos sócios.

O Peixe volta a campo, na quarta-feira (12), no clássico diante do SCCP, às 21h30, novamente em Vila Belmiro. É a última partida antes da pausa do Campeonato para a realização da Copa América de Seleções, no Brasil. 

O atacante Rodrygo, sem a liberação da CBF que 'tinhosamente' segue sem desconvocá-lo da Seleção Brasileira sub-23 que está na França segue como dúvida. A chance do 'rayo' se despedir nesta partida antes de se transferir para o Real Madrid é remotíssima. 

FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 x 1 ATLÉTICO-MG
Estádio da Vila Belmiro, Santos (SP)
Público/Renda: 5.794/ R$ 199.730,00
Cartões amarelos: Lucas Veríssimo (SFC); Fábio Santos, José Welison (ATL)
GOLS: Eduardo Sasha (38’/1ºT, 1-0), Jean Mota (49’/1ºT, 2-0), Alerrandro (25’/2ºT, 2-1), Carlos Sánchez (36’/2ºT, 3-1)
SANTOS: Éverson; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Aguilar e Jorge; Diego Pituca, Jean Lucas, Jean Mota (Felipe Jonatan, 37’/2ºT) e Soteldo; Eduardo Sasha (Uribe, 39’/2ºT) e Marinho (Carlos Sánchez, 20’/2ºT). Técnico: Jorge Sampaoli. 
ATLÉTICO-MG: Victor; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; José Welison (Nathan 39’/2ºT), Elias, Cazares, Luan e Chará (Geuvânio, 12’/2ºT); Ricardo Oliveira (Alerrandro, 25’/2ºT). Técnico: Rodrigo Santana.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Éverson: O Galo não chutou uma bola no primeiro tempo. Na segunda etapa, quando exigido deu conta do recado. - 6,0
Victor Ferraz: Tomou a decisão de não apoiar e guardar a posição. Não comprometeu e não deu espaços na marcação. - 6,0
Lucas Veríssimo: Novamente não deu espaços ao ataque mineiro. Bem na marcação individual a Ricardo Oliveira. Vive bom momento. - 6,5
Aguilar: Errou alguns passes, principalmente na primeira etapa. - 6,0
Jorge: Dono de muita técnica, fez bem a transição da defesa e ataque. Deu espaços nas suas costas. Por ali saiu o gol dos visitantes. - 6,0
Pituca: Com um meio-campo mais técnico, o segundo volante não sobe tanto como fez nos primeiros meses da temporada. - 6,0
Jean Lucas: Não se destacou como em outras vezes quando avançou e até chutou a gol. Para primeira temporada como profissional, faz um ótimo ano. - 6,0
Jean Mota: Participou dos dois primeiros gols. Foi dele a assistência no gol de Sasha e converteu o pênalti. Aos poucos retoma o bom momento do estadual. - 7,0
(Felipe Jonatan): Jogou pouco, mas o suficiente para realizar grande jogada e deixar Sánchez sem goleiro para aumentar o placar. O uruguaio desperdiçou. - 6,5
Soteldo: Driblou bastante, deixou o ala Patric maluco, mas ainda peca na tomada de decisão de passar ou chutar. Prende bastante a bola, mas fez bom jogo. - 6,5
Sasha: O que corre e abre espaços aos companheiros é algo absurdo. Abriu o marcador e participou da jogada do segundo gol. O melhor do jogo. Um dos artilheiros do campeonato com 4 gols. - 7,5
(Uribe): Jogou seis minutos mais os acréscimos. Confesso que não me recordo se pegou na bola. - SEM NOTA
Marinho: Começou bem, botou uma bola na trave, mas a exemplo de Soteldo, ainda toma decisões erradas, como chutes sem estar equilibrado ou um adversário na frente. Caiu após ótimo início de partida. Saiu aplaudido pelo torcedor. - 6,5
(Sánchez): Entrou em uma posição, onde disse que não gosta de atuar. Aberto pela direita. Errou passes, perdeu bola nos primeiros minutos em campo. Porém, fez um golaço em maravilhosa cobrança de falta. Curiosamente, perdeu um outro gol feito na pequena área sem goleiro. - 6,5
Técnico: Jorge Sampaoli: Mudou o esquema e deixou o time mais agressivo. Não correu tanto riscos na exposição a defesa como na última quinta-feira (6). Foi honesto e sincero em dizer na coletiva que classifica como pequenas as chances de título. Outros times tem melhor qualidade em material humano em alguns setores e bem mais entrosado. Precisa começar a repetir mais a equipe. - 6,5

strutura.com.br
Leia Mais »

TEM DESEMPENHO. FALTAM RESULTADOS

Publicado às 09h00 desta sexta-feira, 7 de Junho de 2019.
O Santos conheceu na noite desta quinta-feira (6), em um Pacaembu com pouco mais de 16 mil torcedores, sua terceira eliminação em 2019. A equipe foi derrotada de virada por 2 a 1 para o Atlético Mineiro e está desclassificada da Copa do Brasil. Com o revés, o time deixou de faturar R$ 3,1 milhões por não ter avançado as quartas de finais da competição mais rentável do pais no ano.

As outras duas eliminações no primeiro semestre deste ano, coincidentemente e curiosamente foram no mesmo local. Primeiro para o River (genérico) do Uruguai, na primeira fase da Copa Sul-Americana e posteriormente para o SCCP, nos pênaltis, nas semifinais do Paulistão.

Sem Rodrygo que teve o pedido de liminar negado pelo STJD (Superior Tribunal da Justiça Desportiva), Sampaoli mandou a campo novamente uma formação com três zagueiros e com Marinho e Uribe, na frente. O artilheiro do time no Brasileiro - Sasha, o eleito melhor jogador do Paulista - Jean Mota, além do atacante Soteldo, ficaram como opções no banco. 

O atacante Dérlis e o meio-campo Cueva, ambos nas seleções de Paraguai e Peru, respectivamente, além de Felipe Jonatan, que não podia atuar nesta competição pois tinha jogado a fase inicial pelo Ceará, eram os outros desfalques.

Ainda assim, o Peixe começou o jogo a 200 Km por hora, marcando forte na saída de bola e aos cinco minutos, após cobrança de escanteio de Marinho, Gustavo Henrique foi no segundo andar e cabeceou para o fundo da rede. Não podia começar melhor o duelo para o time da Vila.

Entretanto, os visitantes começaram a ganhar o meio-campo e no segundo terço da primeira etapa, já estavam melhores e chegaram ao empate com o colombiano Chará. As equipes foram para o intervalo com a igualdade. 

No intervalo, 'Tio Sampa' sacou o defensor Felipe Aguilar e colocou Jean Mota para equilibrar o meio-campo, dominado pelos mineiros. Deu certo e o alvinegro da Vila começou a pressionar, porém, pecava na ansiedade e na finalização. Nos últimos cinco jogos, o time marcou apenas dois gols.

Quando o duelo caminhava para as penalidades máximas, o Santos começou a expor em excesso a defesa, como já havia acontecido em outros jogos e no contra-ataque, Chará, novamente ele, recebeu de Cazares e fez com que o Galo pela primeira vez na sua história, eliminasse o Glorioso praiano, em um duelo de mata-mata.

Não serei oportunista e dizer que a 'terra está arrasada'. Vejo um time que tem tido apresentações de médias para boas, o Brasileirão demonstra isso, porém, nenhum pouco decisivo e vitorioso, já que em todos os mata-matas do ano caiu, quando enfrentou equipes de primeira divisão. 

Também não é menos verdade que decisões equivocadas no campo administrativo colaboram para estes resultados. Qual era mais importante? Classificar e faturar a premiação ou aumentar o preço do ingresso (arquibancadas a R$ 90,00)? E a demora para definição do local e consequente venda de ingressos antecipados? O duelo decisivo estava agendado para a Vila. Mudou para o Pacembu e em seguida, tentaram, sem obter êxito, trazer de volta para Urbano Caldeira.

Não bastasse isso, o SCCP costurou um acordo com a CBF. Foi o único a liberar dois jogadores para o time sub-23 (Vital e Pedrinho), desde que a entidade permitisse que Cássio e Fagner, fossem liberados da seleção principal para o confronto diante do Flamengo pela mesma Copa do Brasil. O Santos e o Athlético Paranaense, com pouca, para não dizer nenhuma força na entidade máxima do futebol brasileiro, a mesma que trata desigualmente seus filiados, não puderam e continuam sem poder utilizar Rodrygo e Renan Lordi, respectivamente, por total capricho, mesquinharia e birra da Confederação.

Sampaoli também voltou a se queixar em entrevista coletiva após mais uma eliminação. Lamentou a ausência de público e o fato de não jogar na Vila Belmiro:
"Jogamos no domingo passado contra o Ceará com 60 mil pessoas do rival. Hoje, o estádio não estava de acordo com a uma etapa de definição da Copa do Brasil. Certamente os dirigentes e nós, treinadores e equipe, não estamos convencendo. Ou o preço das entradas, não tenho ideia. Sempre disse minha predileção por jogar na Vila, mas não creio que seja uma maneira de esconder a análise esportiva da eliminação, mas daqui pra frente analisar por que o público do Santos não vai ao estádio." analisou.
Por falar em Sampaoli, o treinador que fez ótimos trabalhos por onde passou, exceto a Seleção Argentina, quando pegou o barco andando e foi 'jantado' pelos cobras do time, precisa de alguma forma, começar a traduzir em resultados, seus desempenhos. Com exceção do futebol chileno, onde foi vitorioso na Seleção ao vencer uma Copa América e na Universidad de Chile, onde conquistou o campeonato local e a Copa Sul-Americana de 2011, não teve mais êxitos para o coroamento de sua prestação de serviços. 

Mas repito, apesar da amarga eliminação, mais uma e como mandante, o que o futebol não tolera, não vejo 'terra arrasada'. Caso Sampaoli, permaneça e cumpra seu contrato até 2020, esta equipe maturada, mais 'malandra' com alguns reforços pontuais, pode dar frutos sim. Vejam Klopp, no Liverpool, atual campeão Europeu. Apenas no terceiro ano, as conquistas chegaram. 

Sem ficar em cima do muro, já havia dito anteriormente, não acredito nesse time em condições de ser Campeão Brasileiro. O campeonato do Santos é conseguir uma vaga na Libertadores da América do ano que vem e olhe lá. 

Apesar dos reforços, vejo outros elencos mais fortes e com conjuntos melhores que o Peixe que sequer tem um time definido. Além disso, o elenco, num todo, necessita de tomadas de decisões corretas e com melhor produtividade para definir, na hora que mais precisa. 

Para encerrar sobre o comandante técnico e que não nego e escondo minha admiração. Só reclamar, não adianta. Emerson Leão em 2002, em vez de reclamar, usou a base do clube, que por sinal tem salvado a equipe ao longo dos anos. Qual jogador das categorias menores, o argentino tem dado chances? Qual o ganho financeiro ao menos e digo isso, em razão da escassez de título da instituição desde 2016, 'amor por él balón' vai deixar na Vila Belmiro?

Por fim, só restou o Brasileiro para o segundo semestre.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 2 ATLÉTICO-MG
Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ)
Público e renda: 16.857 torcedores/ R$ 828.709,00/16.857 
Cartões amarelos: Jean Lucas, Soteldo (SFC) e José Welison, Adilson, Lucas Veríssimo, Fábio Santos (CAM)
GOLS: Gustavo Henrique 5'/1ºT (1-0), Chará 36'/1ºT (1-1) e Chará 39'/2ºT (1-2)
SANTOS: Everson, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Aguilar (Jean Mota 1'2T), Gustavo Henrique e Jorge; Pituca, Jean Lucas e Sánchez (Soteldo 15'/2ºT); Marinho e Uribe (Sasha 31'/2ºT). Técnico: Jorge Sampaoli.
ATLÉTICO-MG: Victor, Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; José Welison (Adilson 18'/2ºT), Elias e Luan (Geuvânio 30'/2ºT); Cazares, Chará e Ricardo Oliveira (Alerrandro 21'/2ºT). Técnico: Rodrigo Santana.

Terceira eliminação seguida com Sampaoli a frente do Santos. Curiosamente e coincidentemente todas no Pacaembu.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Everson: No primeiro gol, eu apesar de não ser goleiro, não via a necessidade de sair no pé de Chará fora da pequena área. Fez duas grandes defesas, uma em cada tempo. Primeiro em chute de Chará e depois fechou o ângulo de Ricardo Oliveira. - 6,0
Victor Ferraz: Um bom primeiro tempo com precisas troca de passes com Sánchez. Na segunda etapa, quando o Santos abriu mão do terceiro zagueiro teve dificuldades na marcação com o camisa 10 do Galo. - 5,5
Lucas Veríssimo: Bem na proteção da lateral-direito no primeiro tempo e manteve a postura firme quando o time voltou a ter dois defensores. Com a defesa exposta no final da segunda etapa, não teve tempo suficiente para impedir a finalização de Chará no segundo gol. - 6,0
Aguilar: Um primeiro tempo regular. Eu, treinador, não o tiraria pois é o defensor mais rápido dos zagueiros do elenco. - 6,0
(Jean Mota): Deu mais dinamismo e melhor movimentação ao meio-campo. Ainda não realizou uma partida do nível das que fez no Campeonato Paulista, após ter tido problemas em um dos joelhos. Tem 'bola' para jogar mais. Entretanto, para eu não ser injusto, vejo que cresceu nos últimos dois jogos. - 6,0
Gustavo Henrique: Belo ataque a bola no único gol da equipe no começo do jogo. Ficou mano a mano com o rápido Chará no gol do empate. - 6,0
Jorge: Bem na marcação pressão da primeira etapa. Apesar de dono de técnica refinada, ficou devendo e muito na construção das jogadas no apoio. Evitou gol certo de Chará na primeira etapa. Caiu de rendimento no segundo tempo. Levou nas costas no gol que definiu a classificação do time de BH. - 5,5
Pituca: Não comprometeu, mas tem potencial para jogar mais do que atuou nessa partida. - 5,5
Jean Lucas: Primeira temporada do jogador que pertence ao Flamengo. Potencial monstruoso. Anulou Elias e ainda finalizou bem de fora da área. Precisa caprichar no passe. Lembra Pogba no começo de carreira. Uma pena que vá embora no fim do ano. - 6,5
Sánchez: Bem na troca de passes com Victor Ferraz na primeira etapa. Quando tentou trocar passes pelo meio, errou bastante. Proporcionou alguns contra-ataques perigosos. A exemplo de Pituca, podia render mais. É o jogador mais experiente do meio-campo santista. - 5,5
(Soteldo): Jogador que tem potencial para quebrar as linhas adversárias. Deu mais velocidade na frente, porém, peca em segurar demais a bola. Também teve tomadas de decisões erradas. - 5,0
Marinho: Apesar de fominha por muitas vezes, foi o único jogador do ataque que levava perigo a meta adversária. Bela cobrança de escanteio na assistência para o gol de cabeça de Gustavo Henrique. Precisa melhorar suas tomadas de decisão. - 7,0
Uribe: Atuação mais que discreta. Seu maior potencial é no jogo aéreo. O Santos não fez um cruzamento no alto para o camisa 9. - 5,0
(Sasha): Jogou apenas 15 minutos. Ainda assim, melhorou a movimentação do lado direita do ataque com seus deslocamentos. Não teve oportunidade para finalizar. - 6,0
Técnico: Jorge Sampaoli: Não adianta só ter a posse de bola e não matar o jogo. Viu seu time dominar toda a segunda etapa e não finalizar bem. Demorou para tirar Uribe visivelmente mal aproveitado, já que não tem tanta qualidade com a bola no chão e o Santos não cruzava bolas para o colombiano. Precisa fazer com que a equipe traduza boas apresentações em resultados para obter as conquistas. - 5,5

strutura.com.br
Leia Mais »

MANTER O TABU PARA CONTINUAR COM SONHO DO TÍTULO

Publicado às 08h55 desta quinta-feira, 6 de junho de 2019.
O Santos volta a campo, nesta noite, no Estádio do Pacaembu, em partida de volta das oitavas de finais da Copa do Brasil. A equipe da baixada necessita de uma vitória simples para avançar na competição de mata-mata, após empate sem gols no duelo de ida, em Belo Horizonte diante do Atlético-MG. Uma nova igualdade leva a decisão do classificado para os pênaltis. O jogo está marcado para às 20h. Apenas 10, 7 mil ingressos vendidos antecipadamente.

O Peixe tenta manter um tabu. Jamais foi eliminado pelo Galo neste tipo de competição. Foram três disputas eliminatórias e em todas deu Peixe - 64 (quartas de finais da Taça Brasil), 83 (semifinal do Brasileiro) e 2010 (quartas de finais da Copa do Brasil).

Dérlis na Seleção do Paraguai, Cueva no Peru, além de Felipe Jonatan que já atuou pelo Ceará na edição desta competição são desfalques certos. O atacante Rodrygo segue como dúvida, mas dificilmente vai jogar.

O 'rayo' santista que vive sua última semana de Santos, pois o calendário de jogos dos clubes da série A, no Brasil, vai parar, à partir da próxima semana para a realização da Copa América de Seleções e em julho, o jovem 'menino da Vila' se apresenta ao seu novo clube - o Real Madrid-ESP. 

O camisa 11 santista torce para que a CBF desconvoque o atleta que não se apresentou a Seleção Brasileira sub-23 que disputa um torneio na França, após o clube ir ao STJD (Supremo Tribunal da Justiça Esportiva) que deu 48h para a entidade máxima do futebol brasileiro se posicionar. O Peixe mandou dois ofícios que foram ignorados pela Confederação na última semana. O prazo dado pela Justiça se encerra no começo da noite desta quinta-feira (6).

O garoto de 18 anos, nascido em Osasco, seguiu com o elenco para a concentração em um hotel na cidade de São Paulo, após o último treino CT Rei Pelé, na tarde de quarta-feira (5).

Se não tem três e provavelmente um quarto jogador, em compensação, Sampaoli terá a sua disposição, os retornos de Pituca, Gustavo Henrique e Soteldo que não atuaram na vitória diante do Ceará, no fim de semana pelo Campeonato Brasileiro por 1 a 0. Além dos dois, os atacantes Uribe e Marinho que já estrearam, entretanto, não jogaram pelo clube na Copa do Brasil também podem ser utilizados.

O comandante técnico argentino não divulga os relacionados e segue a manter o mistério da formação inicial para o confronto desta noite, no 'próprio da municipalidade paulistana.'

O alvinegro quer afastar qualquer possibilidade da terceira eliminação do ano. O clube caiu nas semifinais do estadual nos penais diante do SCCP e foi precocemente desclassificado para o modesto e desconhecido River Plate-UR, na primeira fase da Copa Sul-Americana. 

A arbitragem será do carioca Bruno Arleu de Araujo, o mesmo que apitou a vitória alvinegra na estréia do Brasileirão, diante do Grêmio. 

No próximo domingo (9), as equipes voltam a se enfrentar, porém, na Vila Belmiro e por outra competição - o Campeonato Brasileiro, às 19h.

O provável Santos deve ir a campo com Éverson, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Felipe Aguilar; Victor Ferraz, Jean Lucas, Pituca, Jean Mota (Sánchez) e Jorge (Pituca); Sasha (Marinho), Uribe (Soteldo).

O atacante Andrey  Quintino do Santos em ação diante do Cruzeiro. (Crédito da Foto César Borborema)
SUB-17 GOLEIA CRUZEIRO NO BRASILEIRO DA CATEGORIA

Em partida válida pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro sub-17, o Santos venceu o Cruzeiro na tarde desta quarta-feira (5) no Estádio Ulrico Mursa em Santos por 7 a 1. Os gols foram de Pirani (4), Dérick, Ivonei e Fernando. Foi a primeira vitória do time comandado por Márcio Griggio na competição.

O alvinegro que faz campanha oposta no estadual, onde lidera seu grupo com 100% de aproveitamento, não tem chances matemáticas de classificação no torneio nacional e se despede na próxima quarta-feira (12), no estádio das Laranjeiras no Rio de Janeirodiante do Fluminense, às 15h.

Os 'meninos da vila' foram a campo e golearam com Gustavo, Cadu (Pedrão), Dérick, Kaiky e Pedrinho (Tarik); Rafael Moreira, Ivonei e Kevin; Fernando (Érik), Renyer (Andrey Quintino) e Pirani.

Pelo Estadual, os meninos do sub-17 santista voltam a campo e defendem a liderança e invencibilidade, neste sábado (8) às 11h, diante do Jabaquara no estádio da Caneleira, na zona noroeste da cidade de Santos. A equipe tem sete vitórias em sete jogos com 21 pontos.

strutura.com.br
Leia Mais »

CBF DO FAZ DE CONTA

Publicado às 22h05 desta terça-feira, 4 de junho de 2019.
O presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) Rogério Caboclo declarou nesta terça-feira (4) que a entidade que comanda o futebol brasileiro, não desconvocará os jovens Rodrygo do Santos e Renan Lordi do Atlhético Paranaense. Ambos não se apresentaram a Seleção Brasileira sub-23 para o Torneio de Toulon. 

Os dois clubes temem sofrer represálias, se escalarem os dois jogadores e entraram com uma liminar no STJD (Superior Tribunal da Justiça Desportiva) para que consigam a liberação dos seus atletas. A confederação tem dois dias para responder.

Que Santos e Athletico Paranaense, isoladamente, não tem força nos bastidores do futebol nacional desde “sempre” é fato. Entretanto, se os demais clubes comprassem a briga, a entidade que não trata com isonomia seus filiados (liberou Cássio e Fagner ao SCCP e Evérton ao Grêmio para que atuassem neste meio de semana pelos seus times), fatalmente ia ter que recuar. Porém, o termo 'co-irmão' neste país é só para as entrevistas. Na prática é cada um por si.

Nem mesmo a ida do presidente santista José Carlos Peres, na última semana, ao Rio de Janeiro, parece ter sensibilizado os homens que ficam na sede da Entidade máxima do futebol brasileiro, na Barra da Tijuca.

A CBF demonstra falta de respeito com o jovem negociado com o Real Madrid-ESP. O menino que só queria se despedir do clube que o revelou de forma descente, e vai vestir a 'amarelinha' do time principal, em breve, em razão do seu talento e da evolução tática que vai ganhar na Europa. Ele é o maior prejudicado nesse episódio.

O 'rayo' revelado na Vila, encarou o desafio de mesmo já jogador profissional, sem férias, com prejuízos a sua preparação para esta temporada, entre o fim do ano passado e inicio de 2019, para atender o chamado da mesma CBF e jogar com dores nas costas, em um time desarrumado, durante o Sul-Americano de Seleções sub-20. 

A seleção sub-20 decepcionou e amargou apenas a quinta colocação no torneio, ficando de fora do Mundial da categoria. Vexame à parte, Rodrygo revelou ter recorrido a injeções durante a competição no Chile, tudo para atender o pedido da CBF. O atacante Vinicius Junior, por exemplo, futuro companheiro da 'jóia' revelada no Santos, por ordem do time merengue, não disputou a competição.

Em 2014, escrevi um texto "Sou Brasileiro, mas não torço pela Seleção" , é isso mesmo que você leu. E muitos a época me chamaram de anti-patriota.

Não é novidade pra ninguém que apesar de eu ser formado em comunicação, habilitação em Jornalismo, desde 2000, trabalhar como radialista esportivo, há 22 anos e ter um Blog, o que moveu a seguir nesta profissão foi efetivamente a paixão assumida publicamente que eu  tenho pelo Santos FC. 

Dito isso, também não é nenhum surpresa que a CBF já fez inúmeras armações e prejudicou um dos maiores amores da minha vida, o clube que eu torço.

Quer alguns exemplos, então vamos lá: 
Em 1995, um dos comentaristas de arbitragem da maior empresa de TV do país, ganhou como prêmio ao não validar um gol legal de Camanducaia e consequentemente, o título de Campeão Brasileiro ao Santos, melhor time da competição, o posto de árbitro brasileiro na Copa seguinte na França em 1998.


Quer mais? 
Copa das Confederações em 2005 e coordenador técnico da Seleção canarinho no 1x7 na Copa realizada no Brasil em 2014, Sr. Carlos Alberto Parreira, convocou Robinho e Léo, sem nenhuma necessidade, pois somente o primeiro jogava com regularidade e o Peixe deixou de vencer a Libertadores, pois não tinha reservas a altura e foi eliminado precocemente para o Atlético Paranaense (4as. final) que perderia para o São Paulo, na decisão. 

Sem desmerecer a conquista do time do Morumbi, o Santos tinha uma equipe infinitamente superior ao time paulistano e se não fosse esse infeliz, ganharia.

Você acha que acabou? Não.
2012- O atual técnico do Cruzeiro - Mano Menezes, que era o treinador da Seleção Brasileira, promete ao chefe da delegação do escrete canarinho nos EUA (o ex-presidente santista Luís Álvaro) que não iria convocar Neymar para alguns amistosos, e não cumpre com sua palavra. Enquanto isso, não convocou um jogador do então Campeão Brasileiro, o time de Itaquera e o melhor jogador santista é chamado propositadamente para jogos caça-niqueis e chega extenuado para a primeira semifinal da competição continental na Vila Belmiro e pouco produz. Contra quem era o duelo? O time do então diretor de Seleções, o mesmo que administrou a construção da Arena e palco da abertura da Copa por condições políticas, com o dinheiro do contribuinte, que dizem serão pagos ao BNDES (Você acredita que será pago? Eu não.). Me refiro ao atual presidente do SCCP e ex-deputado federal - André Sanchez.

Que fique claro, notem que em nenhum momento afirmei que não torcia pelo Brasil. Aí existe uma diferença, talvez sutil, mas existe. Ela está lá. Basta você querer enxergar. 

Também não disse que torço contra a Seleção Brasileira de Futebol, eu apenas assisto.

Dito isso, não quero convencer ninguém a fazer como eu, não quero tirar a empolgação do fã da Seleção Brasileira, mas eu, particularmente, torço de forma "apaixonada" e até com críticas de muita gente da minha profissão é pro Santos FC. 

Também não é menos verdade de que quando estou a trabalho, tenho discernimento suficiente de separar a paixão da profissão. E não é tão difícil, como alguns possam pensar.

Antes que eu me esqueça - Que a maioria dos personagens citados não estão mais na Seleção é fato, mas e daí, o estrago já foi feito. 

E a tal entidade que deveria tratar seus filiados com a mesma igualdade, estão próximos de realizarem mais uma injustiça. Ou alguém aqui dúvida que o menino Rodrygo não seria (ou será) importante na próxima quinta-feira (6) para o clube conquistar uma vaga a próxima fase da Copa do Brasil, diante do Atlético-MG? 

O Peixe já não terá Dérlis na Seleção do Paraguai e Cueva na Seleção Peruana. Ambos se preparam para a disputa da Copa América pelas suas respectivas Seleções. Se jogassem nesta terça-feira (4), mesma data de Flamengo X SCCP que também decidem uma vaga, as mesmas quartas de finais, da mesma competição, poderiam ser utilizados e não desfalcariam o time de Sampaoli. 

"Aos amigos tudo, aos inimigos, a lei.

strutura.com.br
Leia Mais »
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by