FOTO CAPA

NILMAR ENTRA NA JUSTIÇA COM AÇÃO TRABALHISTA CONTRA O SANTOS

Publicado às 21h45 desta quinta-feira, 12 de dezembro de 2019.
Não foi somente Sampaoli e sua comissão técnica. O atacante Nilmar também entrou na justiça contra o Santos. O  Blog do ADEMIR QUINTINO apurou que o atleta deseja receber as verbas rescisórias, que ele alega não terem depositado em sua conta, após deixar o Peixe, em dezembro de 2017. 

O atacante revelado no Inter-RS e com passagem pela Europa, atuou apenas 39 minutos com a camisa do Peixe, quando entrou em campo somente em dois jogos, contra Coritiba e Cruzeiro – ambos realizados em agosto daquele ano e que acabaram empatados. O jogador pleiteia em sua ação, pouco mais de R$ 400 mil. Ele ficou menos de cinco meses no clube (10 de julho à 1 de dezembro).

Na reclamação trabalhista que deu entrada no inicio deste mês de dezembro, Nilmar requer um dia de salário do mês da rescisão contratual no valor de R$ 8 mil, além de 13o. e férias proporcionais, além da multa prevista, mais a atualização monetária.

Antes de chegar ao Santos, contratado pela gestão passada com vencimentos mensais de R$ 250 mil, além de luva no valor de R$ 3,6 milhões, Nilmar ficou parado por quase um ano e meio. 

O jogador ficou sem atuar desde maio de 2016, pelo Al Nasr, seu ex-clube até sua estréia pelo Peixe em agosto do ano seguinte. 

Um dos principais motivos para a carreira do atacante não ter sido maior do que foi teve como razão, a depressão. A doença, inclusive, fez com que Nilmar fosse cortado do clássico diante do SCCP em cima da hora. Pouco depois, a notícia da suspensão de seu contrato com o alvinegro foi confirmada. Desde sua saída da Vila, jamais voltou aos gramados.

strutura.com.br

Leia Mais »

RANIEL VEM E VITOR BUENO VAI EM DEFINITIVO

Publicado às 21h00 desta quarta-feira, 11 de dezembro de 2019.
O Santos confirmou no começo da noite desta quarta-feira (11), a contratação do atacante Raniel. A informação nós trouxemos com EXCLUSIVIDADE durante o Programa Esporte 9, da Rádio 9 de julho, no fim da tarde. O jogador foi envolvido em uma troca com o meia Vitor Bueno, que já estava no Morumbi por empréstimo. Santos e São Paulo sempre tiveram um histórico interessante de troca de jogadores.

O time da capital repassou os 50% dos direitos econômicos que detinha do centroavante Raniel. A outra metade pertence ao Cruzeiro. Em compensação o Peixe repassa 50% de Vitor Bueno dos 60% que o clube detém. O atacante assina com o Peixe até o final de 2023, mesmo período que Vitor Bueno assinou com o São Paulo.

Raniel quase parou no alvinegro, no começo do ano. Antes de desembarcar no Morumbi, o jogador quase foi envolvido em uma compensação por Bruno Henrique que interessava ao Cruzeiro.

Raniel tem apenas 23 anos de idade e custou a bagatela de R$ 13 milhões ao clube paulista. Em 14 jogos marcou apeas um gol e deu uma assistência. 


Revelado pelo Santa Cruz, Raniel chegou à base do Cruzeiro em 2016, e subiu para o profissional no ano seguinte. No time mineiro fez 88 jogos e 16 gols.

strutura.com.br
Leia Mais »

FIM DA ERA SAMPAOLI

Publicado às 02h20 desta quarta-feira, 11 de dezembro de 2019.
O Santos confirmou que Sampaoli deixou o comando técnico do clube. O treinador que está de férias no Rio de Janeiro, tomou a decisão na última segunda-feira (9), após longa reunião com o presidente José Carlos Peres. O anúncio oficial só aconteceu por parte do clube às 23h50 desta terça-feira (10).

Pelo que o Blog do ADEMIR QUINTINO apurou,  a multa de R$ 10 milhões do treinador valia até 10 de dezembro deste ano e dos demais membros da comissão técnica são mais R$ 3 milhões. O clube pretende receber os valores e coloca isso na nota oficial:
"O Santos FC comunica que, na data de 09/12/2019, em reunião realizada pela manhã no CT Rei Pelé, o treinador Jorge Sampaoli pediu demissão do cargo. Uma vez comunicada a demissão pelo treinador, Jorge Sampaoli, o caso foi entregue aos Departamentos Jurídico e de Recursos Humanos do Clube. O Santos FC agradece ao treinador Jorge Sampaoli pelo trabalho realizado na temporada de 2019."
A relação desgastada com o presidente Peres, onde ficaram cinco meses sem se falar, o desejo de um time competitivo para 2020 com um alto investimento de R$ 100 a R$ 150 milhões, sendo que  "Santos e dinheiro não cabem na mesma frase" há algum tempo, além de algumas outras exigências, fizeram com que o argentino deixasse a Vila Belmiro.

Sampaoli comandou o Peixe em 65 jogos. Foram 35 vitórias, 15 empates e 15 derrotas com aproveitamento de 61,5%. O contrato do argentino ia até o fim do ano que vem. Jamais balançou no cargo. No primeiro semestre foi eliminado precocemente em três competições e a direção jamais o cobrou - Paulista, Sul-Americana e Copa do Brasil.

O argentino que se apaixonou pela baixada e amado pelos torcedores santistas, pode parar no rival Palmeiras. Tem proposta do clube paulistano, além do Racing-ARG. 

O técnico Sampaoli no meu entender, parece que esqueceu na sua decisão, que o Santos o ressuscitou, pois 'estava morto para o futebol', após o fracasso da Seleção do seu país sob seu comando no Mundial da Rússia, mesmo com o melhor jogador do Mundo - Messi. Ele ficou seis meses parado. O Santos precisava de Sampaoli, assim como Sampaoli precisava do Santos, mas o competente treinador, só pensou única e exclusivamente nele. 

Que o técnico deu padrão ao time e elevou o patamar da equipe de futebol, é fato, mas errou ao não revelar ninguém da base e a teimosia em zagueiro de ala que custou 27 pontos no Brasileiro.

O mais curioso, é que quem o criticasse, como algumas vezes o fiz, era questionado por alguns torcedores e a opinião pública. Mesmo sem ganhar títulos, o técnico era tido como onipotente, acima do bem e do mal. Existia um encantamento que impedia que muitos fizessem as devidas críticas que todo o trabalho do técnico está sujeito.

Miguel Àngel Ramirez.
O alvinegro não trabalhava com um plano B. O presidente Peres gosta de Rogério Ceni que tem proposta encaminhada com o Athlético Paranaense e com Miguel Ángel Ramirez, jovem espanhol de 35 anos, campeão da Sul-Americana com o Independente del Vale. 

O Peixe estréia no Paulistão em 22 de janeiro, diante do Bragantino na Vila. Parece que tudo que foi construído em 2019, pode ser perdido.
strutura.com.br

Leia Mais »

GOLEADA E FAIXA CARIMBADA

Publicado às 23h40 deste domingo, 8 de dezembro de 2019.

O Santos é o vice-campeão brasileiro da temporada. Como premiação, o clube da Vila Belmiro vai receber a premiação de R$ 31,3 milhões e o segundo lugar na competição foi confirmado após o time ter feito uma de suas melhores apresentações diante do campeão Flamengo neste domingo (8), em partida válida pela última rodada. O alvinegro não tomou conhecimento do atual campeão das Américas e emplacou uma impiedosa goleada por 4 a 0. A intensidade e o encaixe da partida foi tanto que o resultado que ficou barato para o campeão nacional. Não teve gol de Gabriel Barbosa para o time carioca, mas teve dois de Sanchez, um de Marinho e outro de Sasha.

Uma das coxas foi para o jogo.. E foi decisivo. Ele quem abriu o marcador, após o Flamengo começar o melhor o encontro. Após jogada de Soteldo, o “carne seca” enfiou um bólide no canto baixo direito de Diego Alves, abrindo o marcador.

O Flamengo no melhor estilho do seu técnico Jorge Jesus tomou a iniciativa e tomou as ações. Mas depois do gol inaugural, o Santos que foi pra uma decisão e ganhava todas as bolas, ‘amassou’ o adversário e fez 2,3,4 e podia ter feito 5,6, pois teve bicicleta, bola na trave e defesa de Diego Alves.errada do Peixe e chutou, mas no meio da meta de Everson, que fez a defesa sem grandes dificuldades. E esse "lá e cá" seguiu até a marca dos 10 minutos, com as duas equipes marcando pressão. Após isso, porém, o Santos tomou conta do jogo.

O Santos marcava bem a saída de bola e comandava as ações ofensivas. Soteldo ganhava com facilidade a marcação de Rodinei que substituía Rafinha, único ausente entre os titulares do time Da Gávea. 

Foi uma ‘santastica’ tarde aos quase 14 mil pagantes na Vila Belmiro, que puderam assistir dois times que propõe jogo é dois treinadores que gostam do time pra frente. 
O Peixe termina o Campeonato Brasileiro deste ano  com 22 vitórias, oito empates e oito derrotas é sua melhor pontuação na era dos pontos corridos. Também interrompeu a série invicta de 29 jogos dos comandados do time do Rio de Janeiro na temporada, 

Sampaoli na coletiva novamente desconversou se permanecerá no clube. Ele disse que terá reunião com o presidente nesta segunda-feira (9).

FICHA TÉCNICA 
Santos 4 x 0 Flamengo
Estádio da Vila Belmiro - Santos, SP
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Gols: Marinho (14'1T), Carlos Sánchez (23'1T e 39'2T) e Sasha (17'2T).
Cartões amarelos: Jorge Sampaoli (13'1T); Filipe Luís (19'1T), Gabriel Barbosa (42'1T) 
Público e renda: 13.310/ R$ 574.130,00
SANTOS: Everson; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e Jorge; Alison (Jobson), Diego Pituca e Carlos Sánchez (Sandry); Marinho, Eduardo Sasha e Soteldo. Técnico: Jorge Sampaoli
FLAMENGO: Diego Alves; Rodinei, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Willian Arão, Gerson e De Arrascaeta (Diego); Everton Ribeiro, Gabigol e Bruno Henrique (Vitinho). Técnico: Jorge Jesus.

Sanchez foi artilheiro do time na temporada e Sasha no Brasileiro.
NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS: 
Everson: Expectador de luxo. Flamengo quase não chegou - 6,0
Victor Ferraz: - Marcou Bruno Henrique com eficiência. Deu a assistência de um dos gols. - 7,0
Gustavo Henrique: Comandou a defesa. Bem colocado. - 7,0
Lucas Veríssimo: Não deu espaços a Gabriel Barbosa. - 7,0
Jorge: Foi se soltando aos poucos na partida. Participativo na segunda etapa. - 7,0
Alison: Um Leão. Ninguém marca tão bem no Brasil. Termina o campeonato por cima. Incansável. - 7,5
(Jobson): Tem condições de crescer. Precisa de uma sequência pra ter melhor ritmo de jogo. Tem recurso. - 6,5
Pituca: Dá uma dinâmica boa de jogo. Está em todos os lugares do campo. - 7,0
Sánchez: Um dos melhores do jogo. Acelera a bola no meio-campo e finaliza bem. Marcou dois gols. - 8,0
(Sandry): Entrou apenas no fim. - SEM
NOTA.
Marinho: Quase não jogou. Fez tratamento a noite toda. Raçudo. Abriu o marcador. - 7,5
Sasha: Deixou os dois defensores do Flamengo loucos com seus constantes deslocamentos. Deixou a sua marca - 14 gols na temporada. - 7,5
Soteldo: Fez as melhores jogadas e deixou Rodinei maluco. O rubro-negro tinha que ser expulso. Cresceu na temporada. - 8,0
Técnico: Jorge Sampaoli: Deu padrão ao time. Extraiu quase ao máximo seus comandados. Apostou na marcação pressão e se deu bem. Importante na construção de um time competitivo. - 8,0
 
strutura.com.br
Leia Mais »

“CARNE SECA NA MANTEIGA” É DÚVIDA, MAS QUER JOGAR

Publicado as10h40 deste domingo, 8 de dezembro de 2019.
O Peixe se despede do Campeonato Brasileiro neste domingo (8) na luta para ser o vice e ganhar R$ 1,65 milhão a mais que o terceiro lugar. Sampaoli tem desfalques mas quer carimbar a faixa do campeão Flamengo e quebrar a invencibilidade do time rubro-negro. O duelo está marcado para as 16h, na Vila Belmiro. Todos os ingressos estão esgotados.

Luan Peres e Felipe Jonatan suspensos são desfalques certos. Pará por força contratual também. Dérlis Gonzales já viajou para o Paraguai e o atacante Marinho é dúvida.


Se a escalação for confirmada, o Santos terá o trio SMS desde o início do jogo após três partidas. Marinho cumpriu suspensão diante do Fortaleza, Soteldo cumpriu suspensão diante da Chapecoense e Sasha começou entre os suplentes na partida diante do Athletico-PR, na derrota do meio de semana.


Para ser o segundo lugar do Brasileiro e não depender de nenhum outro resultado basta uma vitória. O alvinegro chegaria aos 74 pontos e 22 vitórias. Se não vencer, para ser vice-campeão, o Palmeiras não pode sair vitorioso do Mineirão. Caso isso aconteça, o time da capital fica com a segunda posição.

O Peixe deve começar a partida com Everson, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Alison, Pituca (Evandro) e Sanchez, Marinho Sasha é Soteldo. 

strutura.com.br
Leia Mais »

TEIMOSIA QUE CUSTA CARO

Publicado às 11h30 desta quarta-feira, 4 de dezembro de 2019.
O Santos sofreu sua oitava derrota no Campeonato Brasileiro deste ano. Com seis alterações em relação a sua última partida, a equipe perdeu para o Athlético Paranaense por 1 a 0, na noite desta quarta-feira (4), na Arena da Baixada, em Curitiba, em partida válida pela penúltima rodada da competição. O time permanece na vice-liderança, porém, se o Palmeiras vencer o Goiás, nesta quinta-feira (5), em Campinas, obriga o Peixe a bater o Flamengo na última rodada para não depender do resultado entre Cruzeiro x Palmeiras, no Mineirão, no mesmo dia. 

Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO informou e publicou no post sobre o jogo no dia de ontem, Sampaoli poupou alguns atletas que estavam pendurados com dois amarelos para ter força máxima, diante do Flamengo, na Vila Belmiro, no próximo domingo (8). Pará e Soteldo retornaram ao time titular, Veríssimo deu lugar a Aguilar do lado direito da defesa e Luan Peres, mais uma vez foi improvisado como ala canhoto. Além destes, Pituca reapareceu no time na vaga de Sánchez e na frente Jean Mota herdou a vaga de Sasha 'espetado'.

No primeiro tempo, apesar de não ter a maior posse de bola, o alvinegro levou muito mais perigo a meta do goleiro do Furacão do que os donos da casa em cima de Evérson. O Santos teve no mínimo três oportunidades: Uma com Soteldo, outra com Pituca e também com Sasha. Não fosse a boa apresentação do goleiro Santos do Athlético e a imprecisão na finalização, o Peixe poderia largar na frente.

Entretanto, o futebol não tolera desaforo e não existe justiça e sim 'bola na rede'.  

As duas últimas derrotas do Santos, antes dessa em Curitiba, coincidência ou não, foram com um zagueiro de ofício improvisado como ala. Elas aconteceram diante do Atlético Mineiro em Belo Horizonte e contra o Fortaleza, no Castelão.

Particularmente, repito, não sou contra o esquema com um defensor pela ala, mas precisa ter material humano para isso, algo que Sampaoli não tem neste instante. O time é otimamente bem treinado pelo 'amor pelo balón', a equipe demonstra padrão, mas é óbvio que o zagueiro que está acostumado a marcar dentro da área, é mais lento que os atacantes rápidos de beirada.

O técnico interino do Furacão percebeu isso e depois de Luan Peres levar amarelo ao chegar atrasado em Marco Ruben, inverteu o rápido Rony de lado para jogar nas costas do zagueiro improvisado e amarelado. 'Tio Sampa' não o substituiu e o defensor acabou sendo expulso, assim como aconteceu no Engenhão, quando Veríssimo 'quebrando um galho' de ala também levou vermelho, diante do Botafogo, no primeiro turno.

O único gol da partida, ainda foi com o Peixe com 11 jogadores em campo. Por qual setor? O que tinha o zagueiro improvisado. Luan não colou em Rony que cruzou. Aguilar que estava bem no jogo, chegou atrasado e Marco Ruben, o mesmo que Cuca não quis trazer para Vila, o ano passado, dizendo que Felipe Cardoso era melhor, cabeceou para o fundo da rede.

Com um jogador a mais e a superioridade no placar, o Furacão passou a tocar a bola para o tempo passar e administrou o resultado.

FICHA TÉCNICA
ATHLETICO-PR 1 X 0 SANTOS
Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Árbitro: Anderson Daronco (RS) 
Público/Renda: 31.988 presentes/ Renda não informada
Cartões amarelos: Márcio Azevedo e Léo Pereira (CAP), Pituca, Marinho, Gustavo Henrique e Luan Peres (SFC)
Cartão vermelho: Luan Peres (SFC)
GOL: Marco Ruben, 1'/2ºT (1-0)
ATHLETICO-PR: Santos; Jonathan (Madson, Intervalo), Thiago Heleno, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Camacho, Wellington e Lucho González (Adriano, 31'/2ºT); Marcelo Cirino (Bruno Guimarães, 47'/2ºT), Rony e Marco Ruben. Técnico: Eduardo Barros.

SANTOS: Everson; Pará, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Luan Peres; Alison (Felipe Jonatan, 36'/2ºT), Pituca e Evandro (Sasha, 40'/1ºT) e Jean Mota (Sánchez, 35'/2ºT); Marinho e Soteldo. Técnico: Jorge Sampaoli.

Torcida do Santos, no Paraná, como de costume, compareceu em grande número.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Everson: Sem culpa no gol. Trabalhou pouco. Somente chutes de longa distância. - 5,5
Pará: Na marcação deu conta de Marcelo Cirino, no primeiro tempo. Burocrático. Eficiente na marcação, mas não se apresentou como opção no apoio. - 5,5
Felipe Aguilar: Começou bem. Era o melhor defensor santista na primeira etapa. Chegou atrasado na marcação de Marco Ruben, no único gol do jogo. - 5,0
Gustavo Henrique: Bem posicionado. Até tentou ir a frente colaborar para o empate. - 6,0
Luan Peres: Usou o recurso de parar a jogada contra jogadores mais rápidos. Levou amarelo e depois o vermelho e foi expulso. - 4,0
Alison: Cresceu muito nas mãos de Sampaoli. Parou de bater e tem sido eficiente na marcação. - 6,5
(Felipe Jonatan): Jogou pouco tempo. Foi expulso após ironizar a arbitragem. Fez falta no decorrer da partida. - SEM NOTA
Pituca: Quase marcou um golaço. Gosto dele mais a frente do que na cabeça de área. Com Luan Peres pendurado desde os primeiros minutos do primeiro tempo, ficou na cobertura e não desenvolveu seu bom futebol. - 5,5
Evandro: Vinha bem no jogo. Um dos melhores da partida. Sentiu uma contusão muscular e teve de sair do time no fim da primeira etapa. - 6,5
(Sasha): Saiu bem da área e criou espaços para os companheiros no segundo tempo. Teve uma chance e parou nas mãos de Santos. - 6,0
Jean Mota: Um primeiro tempo interessante e participativo. Teve uma chance de marcar no rebote do goleiro. No segundo tempo, caiu de produção. Está sem ritmo. Havia jogado pouco nas partidas anteriores. - 6,0
(Sánchez): Jogou pouco mais de 10 minutos. Quase não pegou na bola. - SEM NOTA
Marinho: Vive grande momento. Fundamental no ataque santista, mas não viveu uma grande noite. Duas boas finalizações no começo da partida e depois algumas tomadas de decisão erradas. - 5,5
Soteldo: Não duvido de sua capacidade de quebrar linhas. O Santos fica orfão quando ele não joga, mas o camisa 10 precisa elevar o seu patamar e brilhar em jogo grande. Contra o Furacão em Curitiba, contra o Palmeiras no Allianz, SCCP em Itaquera e Flamengo no Maracanã. Gastar a bola contra o Goiás, Avaí, Chapecoense e o Cruzeiro quase caindo, não o torna protagonista. - 5,0
Técnico: Jorge Sampaoli: Deu padrão ao time. O Santos foi a Curitiba e não fica só se defendendo. Propôs jogo em diversos momentos, mas o treinador faz muita experiência e algumas repetidas. Não tem zagueiros velozes para insistir com improvisação. Tinha três alas no banco e preferiu um zagueiro de lateral-canhoto Pagou por isso, mais uma vez.  - 4,5

strutura.com.br

Leia Mais »

O CAPITÃO DO TRI DAS AMÉRICAS VAI APOSENTAR

Publicado às 11h30 desta terça-feira, 3 de dezembro de 2019.
Nesta quarta-feira (4), às 14h30, o zagueiro Edu Dracena de 38 anos, multi-campeão por onde passou - Fenerbahce-TUR, Olympiacos-GRE, Cruzeiro, SCCP, Palmeiras e capitão na última conquista do Santos em uma Libertadores da América, em 2011, vai anunciar sua aposentadoria. O defensor revelado pelo Guarani e que chegou a ser capitão do time de Campinas com apenas 16 anos, conquistou absurdos 17 títulos na carreira, sendo seis pelo alvinegro mais famoso do mundo. 

O jogador concederá entrevista coletiva na Academia de Futebol do Palmeiras, para falar sobre o futuro fora dos gramados. Edu Dracena tem contrato com o time da capital até o fim deste ano. Ele participou de 17 partidas do alviverde nesta temporada.

Mantive um breve contato com jogador na noite desta terça-feira (3). Edu Dracena é um dos sujeitos mais corretos que conheci em 22 anos na cobertura de futebol em minha carreira. Líder, honesto, raçudo e bom caráter, o maior zagueiro central que vi 'in loco' com a camisa do meu Santos querido, falou entre outras coisas que seguirá no mundo da bola: 
"À partir da noite do dia 8, serei um ex-atleta de futebol, mas eu vou seguir no 'meio', então, você me verá bastante pelos estádios".
Sempre fui fã do defensor de pernas longas desde a época do Bugre campineiro no fim dos anos 90. Um dos pilares do Cruzeiro na conquista da tríplice coroa do clube mineiro, em 2003, chegou em Vila Belmiro, em 2009, cercado de desconfiança, não pela parte técnica e sim no aspecto físico, pois vinha de uma grave lesão no joelho direito. Foi indicado por Luxemburgo com quem conquistou tudo em Belo Horizonte, seis anos anos antes. 

Mas não demorou muito para desconfiança virar alegria porque Eduardo Luiz Abonízio de Souza, que faz questão de carregar o nome de sua cidade natal - Dracena, interior de São Paulo, jogou demais com a camisa branca, o manto imaculado do Peixe. Três títulos paulistas (2010/11 e 12), Copa do Brasil (2010), Libertadores (2011) e Recopa Sul-Americana (2012) e de quebra o segundo zagueiro artilheiro da história do clube, atrás apenas de Alex, campeão brasileiro de 2002 que marcou 20, enquanto Edu fez 17. 

Foram 229 jogos pelo alvinegro em cinco anos. Como não lembrar e não se emocionar com os gols que o camisa 2 santista marcou contra o Atlético Mineiro, na derrota por 3 a 2 no Mineirão, no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil de 2010, quando o time da casa vencia por dois gols de diferença e a tarefa seria muito mais difícil na volta, em Vila Belmiro. E o gol do título, na Bahia, diante do Vitória, em uma conquista inédita na história do clube? No ano seguinte, o único gol, na primeira partida da semifinal da Libertadores diante do Cerro Porteño, no Pacaembu. 

Ao lado de Durval, Edu Dracena formou uma das duplas de zaga mais vitoriosas da história do clube. E olha que aquele Santos, só jogavam pra frente e estourava tudo na defesa e no goleiro.

Um repórter, jornalista, radialista, não tem muitos jogadores profissionais como amigos. É conflitante. Como criticar uma pessoa próxima? E se eu disser que era um amigo de Edu, não estarei retratando a verdade. Eu não frequentava a sua casa e ele, muito menos a minha. Mas como ele mesmo fez questão de dizer, nessa conversa que tivemos nesta noite por telefone, 'passou longe apenas o lado profissional entre nós dois. O respeito e o carinho mútuo, sempre se fez presente na nossa relação' inclusive entre nossos familiares. 

Mesmo depois que saiu do Peixe, quem acompanha as minhas redes sociais, cansou de ver fotos minhas com o jogador, nas concentrações dos clubes que ele jogou depois que deixou a Vila famosa - SCCP e Palmeiras e são com poucos ex-atletas e dirigentes, que eu tenho essa consideração. 

Edu Dracena saiu pela porta da frente do alvinegro. Não queria deixar o clube. Sonhava em depois de pendurar as chuteiras, permanecer na cidade que se apaixonou e quem não se apaixona pela baixada mais famosa do mundo, vide Sampaoli, mas a gestão do presidente Modesto Roma, recém empossada em 2015, não quis a permanência do zagueiro, em Urbano Caldeira. 

Ao contrário de outros jogadores, o atleta que poderia entrar na justiça por falta de recebimento de salários, prêmios e FGTS atrasado, não o fez. Ou melhor, fez sim, parcelou a dívida em longas prestações, reconhecendo que o clube passava um período difícil. E atrasaram novamente.

Edu Dracena oa lado de Neymar com a tarja de capitão levanta a Libertadores da América em 2011.
Poucos sabem, mas cansei de ver Edu Dracena, no período que o Peixe atrasou os salários, em 2014, comprar cestas básicas para funcionários do CT. Mais que isso, doava seus equipamentos esportivos que podiam ser revertidos em dinheiro para pagar uma conta de água, luz, telefone. Fazia caixinha com outros jogadores para doar as cozinheiras, seguranças e etc. Sabe qual era a única exigência? Não queria que a imprensa e a direção do clube soubessem, pois queria o anonimato. 

Em uma entrevista que me concedeu, após se transferir para o SCCP, onde também foi campeão, me disse que a saída do Santos, 'foi a decisão mais difícil que tomou por toda a identidade que tinha com o clube e a cidade'.

Me considero um privilegiado, pois tive a felicidade de acompanhar toda a carreira deste grande jogador com passagens inclusive pela Seleção Brasileira na base e profissional. 

Nunca tripudiou um adversário, por isso é respeitado pelas torcidas rivais de um mesmo Estado - Santos, Corinthians e Palmeiras e campeão nos três clubes.

Além dos lances de jogo, os gols supracitados, na minha mente sempre ficará a imagem do capitão do tri das Américas, levantando a Taça, no Pacaembu, em 2011, em uma noite inesquecível na mente de todos os santistas. 

Por fim, se tivesse que resumir em uma palavra o que Dracena construiu em 22 anos de carreira como jogador profissional, eu diria - Um vencedor. 

Obrigado por tudo 'capitão' e você está na história do clube que eu amo, o Santos e em pelo menos em mais umas quatro instituições esportivas, por onde passou e também deixou sua marca. 

strutura.com.br
Leia Mais »

PARA TER TIME COMPLETO NA ÚLTIMA RODADA, SAMPAOLI MEXE NO PEIXE QUE PEGA FURACÃO

Publicado às 14h35 desta terça-feira, 3 de dezembro de 2019.
O Santos joga sua penúltima partida no Campeonato Brasileiro, nesta quarta-feira (4), diante do Athlético-PR, em Curitiba, às 19h. Uma vitória no sul do país, dá o vice-campeonato ao Peixe, independente do resultado diante do Flamengo, na última rodada. 

Como tem três pontos de diferença sobre o Palmeiras e duas vitórias a mais que o rival (21 a 19), com um triunfo sobre o Furacão, o Peixe iria para 74 com 22 vitórias e mesmo que o rival vença seus dois últimos jogos diante de Goiás e Cruzeiro, alcançará o alvinegro na pontuação, mas perderia no primeiro critério de desempate, a quantidade de vitórias. 

A partida terá transmissão no youtube do Diário do Peixe. Estarei como convidado especial da narração, ao lado de Douglas Porto e Giovanni Martinelli. Será uma transmissão de rádio com imagens dos participantes.

No último treino, antes do embarque da delegação para o Sul do país, Sampaoli fez diversas modificações na equipe. O ala Pará e o atacante Soteldo que cumpriram suspensão automática retornam ao time. Aguilar, depois de muito tempo entre os suplentes treinou como quarto-zagueiro na vaga de Lucas Veríssimo e pode ser outra novidade. 

As três últimas alterações no time foram, o defensor Luan Peres novamente improvisado no lugar de Felipe Jonatan, o meio-campista Pituca treinou na vaga de Sanchez e Jean Mota foi o 'falso 9' no lugar do artilheiro do time no Brasileiro - Sasha.  Se todas as modificações ocorrerem serão seis no total, em relação ao time que venceu a Chapecoense, no último fim de semana. 

No mínimo quatro mudanças devem acontecer. Pelo que o Blog do ADEMIR QUINTINO apurou, Sampaoli fez algumas alterações em razão de alguns jogadores terem dois cartões amarelos e o argentino quer time completo contra o Flamengo, no domingo (8).

O provável alvinegro para enfrentar o CAP é de Everson, Pará, Gustavo Henrique, Aguilar (Veríssimo) e Luan Peres; Alison, Pituca e Evandro; Jean Mota (Sasha), Marinho e Soteldo. 

A escalação somente será divulgada uma hora antes de a bola rolar na Arena da Baixada, na capital paranaense.

strutura.com.br
Leia Mais »
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by