FOTO CAPA

SÓCIOS DECIDEM MUDANÇAS NO ESTATUTO PARA SE ADEQUAR AO PROFUT

Publicado às 15h desta sexta-feira, 18 de outubro de 2019.
Neste sábado (19), os sócios do Santos irão votar as alterações do novo Estatuto Social do clube. Após vários debates no Conselho, os membros do órgão deliberativo, aprovaram um novo texto com as mudanças exigidas apenas para adequação ao Profut (Programa de Modernização da Gestão de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro). A reforma completa com os demais temas, voltará aos debates à partir da próxima segunda-feira (20).

O Governo Federal criou há aproximadamente quatro anos, um programa de refinanciamento das dívidas dos clubes de futebol com o erário. 

Os associados do Santos, adimplentes votarão neste sábado à partir das 10h até ás 18h, no ginásio Athiê Jorge Coury, desde que maiores de 18 anos e com mais de um ano de filiação no clube. Estarão disponibilizadas 10 urnas, em ordem alfabética, com o mesmo número de associados em cada urna.

O Santos foi um dos clubes que fez adesão ao profut, porém, necessita de alterações estatutárias para não ser excluído e perder os seus benefícios. O prazo é até o final deste mês e caso não haja as readequações poderá sofrer algumas punições.

As principais adequações que o clube irá realizar, caso o estatuto seja aprovado e para isso, necessita de 2/3 mais um dos votos válidos são: a alteração do valor máximo que pode ser usado pelo departamento de futebol que será reduzido de 85 para 80% do orçamento e a possibilidade de afastamento e inelegibilidade por até cinco anos de dirigente que praticar ato de gestão temerária, além do mesmo ter que indenizar a instituição com seus bens se praticarem ato doloso contra as contas do clube.

Especula-se que com a aprovação, qualquer presidente no exercício do mandato poderá ser 'impeachmado' automaticamente só com a votação do Conselho, mas segundo Rodrygo Lira, presidente da Comissão de Estatuto isso é uma 'inverdade.'
"Tem pessoas entendendo que estamos (os conselheiros) fazendo algo para tirar o presidente. Absolutamente, nós não queremos. A lei é clara. Ninguém tira o presidente a não ser o associado, como foi na última votação. Os sócios foram lá no impedimento contra a saída do presidente e lá permaneceu e está até agora, sem problema nenhum." afirmou o presidente da Comissão de Estatuto.
strutura.com.br 
Leia Mais »

TEIMOSIA E VIRADA NA BASE DA RAÇA

Publicado às 23h45 desta quinta-feira, 17 de outubro de 2019.
O Santos venceu o Ceará, de virada, por 2 a 1, na noite desta quinta-feira (17), na Vila Belmiro. Mas quem pensa que o time praiano teve facilidade em conquistar três pontos, se engana. Sampaoli escalou o time sem laterais e mesmo sem uma apresentação tecnicamente satisfatória, o time demonstrou muita garra na segunda etapa para alcançar o resultado merecido. Os gols foram de Sasha e Gustavo Henrique.

Com três zagueiros e os quatro laterais no banco (Victor Ferraz, Pará, Jorge e Felipe Jonatan), Sampaoli escalou o time com quatro meio-campistas e três atacantes. O argentino promoveu a estréia de Jobson que jogou na cabeça da área, com Pituca um pouco mais a frente e Sánchez e Evandro na armação. Soteldo que retornou da Seleção Venezuelana e Taílson pelas extremas, além de Sasha 'espetado' entre os zagueiros adversários. Não deu certo.

A primeira etapa do Peixe foi de um time disperso, pouco concentrado, desorganizado e com a defesa apesar da trinca de jogadores específicos de miolo de área, sem nenhuma cobertura. Bastou uma roubada de bola e um finalização precisa e o pior aconteceu. Gol do Ceará. 

Veio a segunda etapa e Samapoli corrigiu a postura do time. Abriu mão da trinca de zagueiros ao colocar Pará na vaga de Jobson e em seguida, Jorge no lugar de Luan Peres. 

O Santos  começou a trocar bolas e tecnicamente ainda não era o ideal, mas a falta de uma boa jornada foi substituída por muita transpiração. A grande maioria dos jogadores que estavam em campo demonstraram uma vontade bem forte e após duas assistências de Sánchez, o alvinegro virou pela primeira vez no Brasileiro. O uruguaio colocou a bola com as mãos na cabeça de Sasha que foi no quarto andar e empatou o jogo.

E quando o cronômetro apontava seis minutos para fim, novamente o camisa 7 jogou na cabeça do 'homenzarrão' Gustavo Henrique que de cabeça vibrou bastante ao desempatar o jogo. Merecido, por tudo que vem sofrendo, por ainda não ter renovado o contrato. O curioso deste lance é que o Santos chegou com cinco jogadores na grande área contra três apenas do Ceará. O 'Vôzão' se garantiu nos três zagueiros e o Peixe na ânsia de empatar se mandou para o ataque. Os volantes do clube nordestino não acompanharam quem veio de trás e Gustavo Henrique com 1,96m o mais alto em campo, teve como marcador o jogador mais baixo do Ceará e guardou no fundo da rede, o gol da vitória santista.

O Santos segue na terceira colocação agora com 51 pontos, 10 atrás do líder Flamengo e dois atrás do vice-líder Palmeiras. Porém, apesar de os três primeiros colocados terem vencido na rodada, o Peixe abriu sete pontos de distância para o quarto colocado, o rival SCCP.

Nos dois próximos jogos, o Santos será visitante. Enfrenta o Atlético-MG neste domingo (20) e no sábado (26), na Arena de Itaquera contra o SCCP. Para o confronto contra o Galo, o atacante Marinho fica à disposição, assim como o colombiano que ainda não marcou um gol com o uniforme santista ficam à disposição, após cumprirem suspensão automática.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 2 X 1 CEARÁ
Estádio Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Rafael Traci (SC)
Público/renda: 7.804 torcedores/R$ 305.445,00
Cartões amarelos: Jobson, Carlos Sánchez, Gustavo Henrique (SFC)e William Oliveira, Fabinho, Thiago Galhardo, Samuel Xavier (CEA)
GOLS: Lima 17'/1ºT (0-1), Sasha 10'/2ºT (1-1) e Gustavo Henrique 38'/2ºT (2-1)
SANTOS: Everson, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Luan Peres (Jorge 6'/2ºT); Jobson (Pará intervalo), Pituca, Sánchez e Evandro (Jean Mota 26'/2ºT); Soteldo, Sasha e Tailson. Técnico: Jorge Sampaoli.
CEARÁ: Diogo Silva, Samuel Xavier, Luiz Otávio, Tiago Alves e João Lucas; Fabinho (Valdo 35'/2ºT), Pedro Ken, William Oliveira, Felipe Baxola e Lima (Bergson 41'/2ºT); Thiago Galhardo (Juninho Quixadá 31'/2ºT). Técnico: Adílson Batista.

Sasha marcou seu 10o.gol na competição e segue como artilheiro do Peixe no Brasileiro.
NOTA DOS JOGADORES DO SANTOS
Everson: Não precisou realizar grandes defesas pois o Ceará abdicou do ataque. Exceção a um lance de longa distância na segunda etapa. Para alguns, estava adiantado no gol. Eu prefiro dar méritos ao jogador cearense que foi feliz na finalização. - 6,0
Lucas Veríssimo: Um primeiro tempo abaixo da sua capacidade. Foi envolvido em alguns lances que não é comum. Melhor na etapa complementar. - 5,0
Gustavo Henrique: Um leão. Bem na marcação e com muita raça e vontade,se mandou para o ataque no terceiro terço da segunda etapa. Na primeira cabeçada,quase marcou. Na segunda foi certeiro e desempatou o jogo. - 7,0
Luan Peres: Deu um chute de longa distância, mas limitou-se mais ao setor defensivo. Não comprometeu.- 5,5
(Jorge): Deu a opção pelo lado esquerdo que o time não tinha. Foi melhor quando tinha Taílson para fazer as tabelas. Quando o jovem santista mudou de posição, não apareceu tanto no jogo. - 6,0
Jobson: A bola longa do jovem que chegou ao clube em abril e só estreou de fato no time de cima, seis meses depois é boa. Tímido nos passes, o que é normal para a estréia, mas podia ter feito a falta e parado a jogada  no gol cearense. - 5,5
(Pará): Entrou no intervalo para mudar o esquema de jogo e dar a opção pela direita, além de tabelar com Sánchez. Deu certo, pois por este setor saíram as duas assistências do uruguaio. - 6,5
Pituca: Melhor como o homem que dá a intensidade como segundo volante. Depois foi para o sacrifício e ficou na cabeça da área com a saída de Jóbson. Perdeu a bola que originou o gol dos visitantes. - 5,5
Sánchez: Um primeiro tempo bem fraco, com erros de passes, algo incomum no seu principal fundamento. Veio a etapa complementar e o veterano uruguaio tornou-se o melhor jogador da partida. Foi dela as duas assistências milimétricas para os dois gols da virada. O melhor da partida. - 7,5
Evandro: O meia tem bom passe, mas peca por não ser rápido. Não conseguiu abastecer o ataque. Típico jogador que necessita estar com ritmo de jogo. Bem substituído. - 5,0
(Jean Mota): Jogou aproximadamente 20 minutos. Não inventou, mas deu mais velocidade ao time do que seu antecessor. - 6,0
Soteldo: Não foi o quebrador de retranca como o dos outros jogos, mas era o único desafogo na primeira etapa diante das duas linhas de cinco do adversário. - 5,5
Sasha: Apesar de não ser alto,sua capacidade no jogo aéreo, mesmo com 1,74m, é excelente. Foi assim que ele marcou o gol de empate e segue como o artilheiro do time no Brasileiro. É um jogador muito solidário e honra as tradições gaúchas com sua garra.  - 7,0
Tailson: Não tem a mesma velocidade de Rodrygo, por exemplo, mas tem bom balanço e uma técnica apurada nos dribles. Saiu-se melhor pela esquerda em 2/3 da segunda etapa. No primeiro tempo foi um dos poucos ou o único que se salvou. Vai evoluir assim que ganhar ritmo. Ainda paga pelos quatro meses em que não atuou em razão da indefinição da renovação. Tem capacidade para crescer. - 6,5
Técnico: Jorge Sampaoli: Repito e desculpe a redundância, segue como o grande responsável pela melhor campanha do clube nos últimos anos em um Brasileiro, porém, quase põe três pontos a perder com sua incrível teimosia desnecessária de mexer no time todas as rodadas e colocar um time sem alas. Apertou a tecla 'backspace' após utilizar as letras K e H no primeiro tempo e o time foi outro. Ainda não aprendeu que a cultura do futebol brasileiro é diferente da Europa, onde em competições distintas usa-se jogadores diferentes. Não dá condições do time ter um melhor entrosamento com suas constantes mudanças, com basicamente as mesmas peças pois o Peixe é o time que menos jogador utilizou em toda a competição até aqui - 29. - 5,0

strutura.com.br


Leia Mais »

GUSTAVO RATIFICA DESEJO DE JOGAR NA EUROPA E DÁ DETALHES DA NOVELA SOBRE A INDEFINIÇÃO DA RENOVAÇÃO

Publicado às 15h desta quarta-feira, 16 de outubro de 2019.
Após dezenas de especulações de qual seria o seu destino ao término do contrato com o Santos, em janeiro de 2020, o zagueiro Gustavo Henrique deu entrevista coletiva no fim da manhã desta quarta-feira (16). 

O homem forte do futebol santista, Paulo Autuori, defendeu o zagueiro revelado pelo Peixe e que atua desde 2013 entre os profissionais. O executivo santista fez questão de falar com os repórteres, antes do camisa 6 fazer o uso da palavra.
"Enquanto eu estiver aqui, vai jogar. Tem história no clube, já renovou três vezes e se não houver continuidade, foi por erro de planejamento do clube, sem fazer com a antecipação necessária. Não quero saber de onde vem a notícia, se for de dentro é comigo. Se querem afastar e não jogar, que primeiro me afastem. Enquanto quiser colocar para jogar, o técnico vai colocar”, garantiu o superintendente de futebol do Peixe.
Gustavo Henrique fez questão de refutar as especulações que já estaria negociando com clubes do Brasil, entre eles Palmeiras e Flamengo. 

O defensor que chegou nas categorias de base do Peixe em 2007, disse que foi procurado apenas há cinco meses atrás pela diretoria alvinegra, 60 dias antes do prazo de seis meses que a legislação permite que ele assine com qualquer outro clube. 
"No final do ano passado, eu estava querendo renovar e não obtive respostas, comecei o ano na incerteza sobre ficar. Muitos sabem que eu não estava nos planos do Sampaoli. Coloquei na minha cabeça que tinha condição de jogar aqui e com Sampaoli. Tivemos um final de ano muito ruim, talvez ele deve ter visto nossos vídeos, meus e de outros jogadores fora dos planos. Trabalhei duro, fizemos um Paulista bom e eu fui um dos melhores zagueiros”, disse Gustavo.
O jogador tem um desejo de ainda jogar na Europa. Seu biotipo físico, colabora para isso. Muito provavelmente isso já teria acontecido se não fossem duas  da três lesões nos joelhos que o atrapalharam. 

A revelação de querer jogar no Velho continente já havia sido feita em entrevista exclusiva ao "Pronto, Falei" programa que apresentamos com um convidado a cada semana, no youtube e que foi ao ar em 23 de Julho. O atleta voltou a dizer do intuito.
Meu desejo de jogar na Europa é real e recebi de outros clubes. Vamos esperar um pouco mais, sem ter pressa. Vou escolher o que for melhor para mim e para minha família. Se eu ficar, vou continuar trabalhando. Se sair, vai ser de cabeça tranquila, pela porta da frente. Sei que sempre dei meu melhor”, explicou o camisa 6 do Peixe no Brasileiro.
O defensor revelado na Vila, deixou explicito os capítulos da renovação que tornaram esta novela longa e incomoda para todas as partes:
Eu esperava a procura pela renovação do contrato, faltavam sete meses e não fui chamado. Creio que estou fazendo um ano, um dos melhores, talvez o melhor da minha vida. Só eu sei o que sofri para superar as lesões. Minha família sabe. Esperava o reconhecimento de me chamar antes, fui chamado faltando dois meses para poder assinar um pré-contrato
Ao contrário de outros clubes do país, como o São Paulo, por exemplo, que praticamente encaminhou renovação com o seu lateral-esquerdo Reinaldo, cujo vínculo terminava apenas no fim do ano que vem e já vão assinar outro acordo até o fim de 2021 e com renovação automática,  até o fim da temporada seguinte, o Santos ao deixar para tratar de novos acordos com seus jogadores apenas no ano do término do mesmo, corre riscos de perder jogadores ao final dos contratos. Recentemente, o clube perdeu Robson Bambu e Léo Cittadini para o Athlético Paranaense dessa forma. Em 2017, deixou de ganhar com Lucas Lima que foi defender o rival Palmeiras, nos mesmos moldes.  

O zagueiro Gustavo Henrique que disse estar ciente das dificuldades financeiras do Santos e as limitações do clube, demonstrou-se incomodado com uma não valorização dos dirigentes pelos serviços prestados ao longo dos anos e por outros jogadores, terem esse privilégio, com vencimentos bem mais vultuosos do que foi lhe oferecido, e os mesmos não foram atletas formados na base e com menos identificação do clube do que ele, por exemplo:
"Vou pensar muito, pois aqui se valoriza muito quem vem de fora e não valorizam quem realmente se importa com o clube.", disparou.
strutura.com.br
Leia Mais »

EMPATE NÃO FOI RUIM, MAS NÃO SERVIU

Publicado às 11h15 desta segunda-feira, 14 de outubro de 2019.
O Santos ficou um pouco mais longe na caça ao Flamengo pela primeira colocação. Em uma partida com três gols anulados, dois deles com o auxílio do árbitro de vídeo (VAR) e com poucas lances de emoção ao torcedor, Internacional e Santos empataram em 0 a 0, neste domingo, na Arena Beira-Rio, em partida válida pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O empate sem gols no sul do país custou  a vice-liderança ao Peixe. Com a vitória do Palmeiras, que, no sábado (12), venceu o Botafogo no Pacaembu, o time da capital foi a 50 pontos e o alvinegro foi apenas a 48. A diferença para o líder Flamengo (58) que voltou a vencer na rodada, aumentou ainda mais: agora são 10 pontos.

Com cinco desfalques, Sampaoli resolveu mexer de novo no time. Luan Peres reapareceu pelo lado esquerdo da defesa improvisado, assim como Ferraz voltou ao time na vaga de Para. Jorge começou o duelo improvisado como meio-campista.

Apesar do placar ter terminado em branco, as metas dos goleiros foram vazadas três vezes, mas em todas elas, os gols foram anulados por impedimento. No primeiro minuto de jogo Tailson marcou para o Santos e o árbitro invalidou o lance sem auxílio do árbitro de vídeo.

Depois, no segundo tempo, o Inter marcou com Edenilson após falha do goleiro Everson e Guilherme Parede, em bela conclusão, encobrindo o guarda-rede santista, mas em ambas, o árbitro recorreu ao VAR e anulou os dois lances.

O Santos até fez um primeiro tempo razoável e um pouco melhor que os donos da casa.  Além do gol de Taílson, o Glorioso da Vila teve outras duas chances com Jorge e Marinho.

Na etapa complementar, o Colorado foi melhor. As alterações de Sampaoli colaboraram pra isso. Neilton, ex-Santos botou uma bola na trave.

O Santos volta a campo na quinta-feira (17) e  o Ceará na Vila Belmiro. Uribe e Marinho receberam o terceiro amarelo e estão suspensos. Sánchez retorna.

O atacante Uribe completou sua 11a. partida sem gols com o manto santista e é o primeiro centroavante no século, a ficar tanto tempo sem marcar um único gol. Ele superou Val Baiano, limitado homem de ataque que passou pelo Peixe em 2003, que marcou seu primeiro gol em sua 10a. partida.

Para não dizer que não falei das flores,. a defesa completou o quarto jogo sem sofrer gols.

FICHA TÉCNICA:
INTERNACIONAL 0 x 0 SANTOS
Arena Beira-Rio - Porto Alegre (RS)
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ) 
Público e renda: 11.363 pagantes/R$ 522.030,00
Cartão Amarelo: Victor Cuesta, Ricardo Colbachini, D'Alessandro (INT), Marinho, Jorge Sampaoli, Jean Mota (SFC)
INTERNACIONAL - Marcelo Lomba; Heitor, Roberto, Victor Cuesta e Zeca; Rodrigo Lindoso (Bruno Silva), Edenílson e Patrick (Neilton); D'Alessandro, Nico López (Wellington Silva) e Guilherme Parede. Técnico: Ricardo Colbachini (interino).
SANTOS - Everson; Victor Ferraz (Jean Mota), Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Luan Peres; Pituca, Evandro e Jorge; Marinho (Uribe), Sasha e Tailson (Alison). Técnico: Jorge Sampaoli.


Jean Mota entrou na segunda etapa
NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS 
Everson: Ia levar um gol que goleiro de time grande não pode levar. Salvo pelo VAR. - 5,5
Victor Ferraz: Não comprometeu na marcação e apareceu no apoio por dentro, pelo meio algumas vezes. - 6,0
(Jean Mota): Entrou para dar criatividade ao meio-campo, carente de assistências. Melhorou a performance no setor. - 6,0
Lucas Veríssimo: Vive bom momento. Defensor com velocidade para recuperação. - 6,5
Gustavo Henrique: Bem colocado.  No momento em que a defesa ficou em linha e o atacante do Colorado marcou o gol, o VAR milimetricamente, apontou impedimento. - 6,5
Luan Peres: Entrou para cobrir e melhorar a marcação pela esquerda. Cumpriu bem seu papel. Não apoiou quando esteve como ala, até porque não é seu perfil. - 6,0
Pituca: Melhor na segunda etapa, quando atuou mais a frente e demonstra sua dinâmica - 6,5
Evandro: Ainda não conseguiu estar no ritmo dos demais companheiros. Bom passe, mas lento na transição. - 5,5
Jorge: Sem tanta função defensiva na marcação, sua perna canhota pode demonstrar mais habilidade. Perdeu uma chance na primeira etapa. - 6,0
Marinho: Bem no começo do duelo, não conseguiu manter a mesma performance no decorrer da partida. Ainda assim, não devia ser substituído. - 6,0
(Uribe): É o primeiro centroavante no século defendendo o Santos a ficar 11 jogos sem marcar gols. Superou Val Baiano que tinha ficado 10. O recordista é Edmar que no fim dos anos 80 ficou 16 jogos sem balançar as redes adversárias. Finalizou uma única vez. Muitos dizem que a bola não chega. Mas em 111 jogos nunca chegou? De quebra levou cartão e está suspenso. - 4,5
Sasha: Pouco finalizou, mas abriu espaços para seus companheiros. Voluntarioso como de costume. - 6,0
Tailson: Marcou um gol, anulado pela arbitragem no começo do jogo. É ótimo jogador, não fora de série como os 'rayos' que já desabrocharam na Vila. Tem tudo para evoluir. Oscilou no jogo. - 6,0
(Alison): Entrou para melhorar a qualidade na marcação. Cumpriu aquilo que se espera dele. - 6,0
Técnico: Jorge Sampaoli: Mexeu desnecessariamente no time que foi bem no meio  de semana. Foi infeliz nas substituições da segunda etapa. - 5,0

strutura.com.br
Leia Mais »

CONTRA O CSA FOI MAIS DIFÍCIL

Publicado às 10h desta quinta-feira, 10 de outubro de 2019.
O Santos venceu e convenceu. Na Vila, o peixe realizou uma das suas melhores apresentações neste Campeonato Brasileiro na noite desta quarta-feira (9), em partida da 24a.rodada. O alvinegro venceu o Palmeiras por 2 a 0. Com o resultado, o time da baixada reassumiu a vice-liderança com os mesmos 47 pontos do rival, entretanto com uma vitória a mais primeiro critério de desempate. 

Sampaoli voltou a surpreender na escalação. O treinador retirou Victor Ferraz do time e lançou Pará pela ala-direita. Na entrevista coletiva, perguntei ao comandante, qual a razão da alteração e o mesmo disse que Pará tem melhor poder de marcação e que Ferraz se desgastou muito na armação da equipe no duelo diante do Vasco.  Outra novidade foi Jean Mota, titular diante do CSA e reserva contra Vasco, retornou ao time junto com Sánchez no meio campo. 

O glorioso da Vila explorou muito o lado esquerdo da defesa adversária e por ali, saíram os dois gols. Primeiro com Marinho sofrendo falta que Sánchez colocou na cabeça de Gustavo para abrir o placar e depois com Pituca, finalizando e Marinho ampliando com o auxilio do VAR. O Palmeiras estava entregue.

Veio a segunda etapa e o time de Mano Menezes adiantou as linhas. Mas em seguida, veio a expulsão de William e qualquer reação parou por ali.

Foi um Santos solidário, aplicado, que há algum tempo não se via. Apesar dos desfalques, a entrega do time foi bacana e merecida a vitória.

No fim da partida, a galera gritou olé com o time santista com quase dois minutos sem o Palmeiras tocar na bola.

Domingo (13), o alvinegro tem jogo difícil diante do Internacional, no Sul do país.  O meia Sánchez está suspenso. Recebeu o terceiro amarelo. Em compensação Evandro retorna ao time. Soteldo e Dérlis, nas seleções de Venezuela e Paraguai, respectivamente, seguem como desfalques, assim como Felipe Jonatan que seguirá na seleção olímpica do Brasil.

O Peixe podia devolver a sonora goleada do primeiro turno, mas com jogos duas vezes por semana e com muitos desfalques no elenco, preferiu tocar a bola e se poupar.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 2 X 0 PALMEIRAS
Estádio da Vila Belmiro  Santos (SP)
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Público e renda: 11.408 presentes/ R$ 592.000,00
Cartões amarelos: Carlos Sánchez (SFC) e Felipe Melo (PAL)
Cartão vermelho: Willian 27'/2ºT (PAL)
GOLS: Gustavo Henrique 12'/1ºT (1-0) e Marinho 16'/1ºT (2-0)
SANTOS: Everson, Pará, Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e Jorge; Pituca, Sánchez e Jean Mota; Marinho, Sasha e Tailson (Lucas Venuto 34'/2ºT). Técnico: Jorge Sampaoli.

PALMEIRAS: Jailson, Marcos Rocha, Luan, Vitor Hugo e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Gustavo Scarpa (Zé Rafael 16'/2ºT); Dudu, Willian e Luiz Adriano (Carlos Eduardo 24'/1ºT). Técnico: Mano Menezes.

Veríssimo comemora gol santista. Ele foi bem na vitória alvinegra.
NOTAS DOS ATLETAS DO SANTOS
Everson: Seguro. Pouco trabalhou. - 6,0
Pará: Não deu espaço pelo seu setor. Jogo de transpiração. Muito bem na marcação. - 7,0
Gustavo Henrique: Partida quase perfeita. Na marcação e na bola aérea ofensiva. Está se tornando especialista principalmente nos clássicos. - 7,5
Lucas Veríssimo: Faz uma temporada sensacional. Retornou de suspensão com a mesma pegada. Um dos zagueiros mais rápidos na cobertura. - 7,0
Jorge: Muita qualidade com a bola nos pés. Foi pouco ao ataque. - 6,5
Pituca: Mesmo de primeiro homem do meio-campo que eu particularmente não gosto, da uma dinâmica no
Meio-campo que é de impressionar. Um Leão. - 7,0
Sánchez: Lider de assistências do Campeonato. Correu demais para puxar o contra-ataque pela direita. - 7,0
Jean Mota: Mais uma vez no sacrifício, jogou pro time. Tecnicamente, não apareceu tanto como no primeiro semestre, porém, ajudou na recomposição da marcação, participou de jogadas ofensivas e auxiliou as coberturas. - 6,5
Marinho: Fez sua melhor apresentação com o manto santista. Diogo Barbosa não sabia se marcava-o, pedia um autógrafo ou a camisa, porque não achou o homem que quebrou as linhas da defesa palmeirense. O melhor do jogo. - 8,0
Sasha: Só finalizou uma vez e ia fazer um golaço. Mas o que esse homem, abriu de espaços e ajudou na armação foi uma grandeza. Joga para o time. - 7,5
Tailson: Ainda não está no ritmo dos demais, mas percebe-se que tem qualidade. Colocou Marcos Rocha no bolso diversas vezes, principalmente no segundo tempo. - 6,5
Lucas Venuto: Jogou apenas 10 minutos. Sem tempo de demonstrar seu potencial. - SEM NOTA.
Técnico: Jorge Sampaoli: Acertou em colocar um ala mais marcador e investir com três e até quatro jogadores pela direita do ataque - Para no apoio, Sánchez, Marinho e as vezes com Sasha. - 7,5

strutura.com.br
Leia Mais »

BRUNO HENRIQUE NEGA QUE 'FEITIÇO' QUE FIZERAM CONTRA ELE TENHA PARTIDO DE SANTISTAS

Publicado às 09h00 desta quarta-feira, 9 de outubro de 2019.
O atacante Bruno Henrique, negociado pelo Santos no começo deste ano com o Flamengo, negou que as declarações reproduzidos pelo Globoesporte.com, na última segunda-feira (7), quando participou de uma palestra e disse ter sido alvo de obra espiritual contra sua pessoa, tenha ligações com o alvinegro praiano ou torcedores do clube. 

O jogador afirmou  durante o seu testemunho no evento “Craques da Paz”, acontecimento beneficente na Igreja do Recreio, que fica no bairro que leva o mesmo nome, Zona Oeste do Rio de Janeiro, que a grave lesão na vista na primeira partida do Peixe em 2018, foi segundo ele, em razão de um feitiço feito contra a sua pessoa - "Fui alvo de macumbaria". 

Após as palavras que utilizou na palestra na igreja, terem se tornadas públicas, o ex-camisa 11 do Peixe fez questão de dizer que não tem haver com o Santos ou torcedores do clube, o seu relato:
"Eu não tenho nada contra o Santos. Sobre a matéria que saiu, eu falei sobre sobre a minha vida pessoal. Minha família é toda da igreja e alguém que não gosta de mim, tentou fazer algo contra mim. Eu estava no auge da minha carreira no Santos, tive um belo ano em 2017, cotado pela Seleção, jogando pelo Santos e alguém queria e fez isso, não sei se conseguiu, enfim, tentaram fazer mal contra a minha vida." garantiu o jogador flamenguista.
Bruno Henrique que desde que chegou ao Rio de Janeiro, pouco fala em suas entrevistas sobre sua passagem no Peixe, afirmou que só pode agradecer o clube e que o Santos ajudou demais em sua recuperação:
"Em momento algum eu falei mal do Santos, que o Santos fez alguma coisa comigo, que o torcedor do Santos fez alguma coisa contra mim. O que aconteceu foi algo pessoal. Uma das minhas tias que é evangélica e tem revelações, contou para todos da minha família que minha lesão (na vista) tinha acontecido porque fizeram mal contra a minha vida. Em nenhum momento, eu disse que foi torcedor do Santos que fez alguma coisa. Pelo contrário, o Santos me ajudou demais e agradeço pelo carinho por tudo que fizeram. Sou transparente e muito homem. Alguém que fez, não sei quem foi, mas não o Santos. É só saber interpretar." finalizou o jogador.
Bruno Henrique chegou ao Santos em janeiro de 2017. Como o mesmo disse, teve um ano excelente e chegou a ser a referência do ataque santista e cotado para a Seleção Brasileira, porém, em 2018, após uma bola da no olho que quase o tirou do futebol, não conseguiu reviver seus melhores dias em Vila Belmiro. Foram 87 jogos e 20 gols com o 'manto santista', no total.

O jogador custou ao Peixe 4 milhões de euros (R$ 14 milhões a época), em quatro parcelas ao Wolfsburg-ALE no 1 milhão de euros por ano. O jogador foi vendido no começo de 2019 por R$ 23 milhões, como publicou o Blog do ADEMIR QUINTINO, em primeirissíma mão no dia 19 de janeiro.

strutura.com.br
Leia Mais »

VALE A VICE-LIDERANÇA

Publicado às 20h27 desta terça-feira, 8 de outubro de 2019.
Líder durante quatro rodadas do Campeonato Brasileiro e após um final de primeiro turno ruim, o Santos dá sinais de recuperação nas duas últimas rodadas da competição, quando venceu os dois jogos (CSA e Vasco) e tem a oportunidade de retomar o segundo lugar, nesta quarta-feira (9). às 21h30, em partida válida pela 24a. rodada, o Peixe tem confronto direto com o atual vice-líder, o Palmeiras. Se vencer, empata com o mesmo número de pontos do rival, porém, no critério de desempate, número de vitórias, tomará o lugar do time da capital na tabua de classificação.

O técnico Jorge Sampaoli tem muitos problemas para escalar a equipe. O meia Evandro suspenso, além dos selecionáveis Soteldo na Venezuela, Dérlis no Paraguai e Felipe Jonatan na Seleção olímpica do Brasil. Além destes quatro, Kaio Jorge e Sandry na seleção brasileira sub-17 e Cueva que está com a Seleção peruana, mas está afastado após se envolver em uma briga completam a lista de ausentes.

Em compensação, Lucas Veríssimo que cumpriu suspensão automática, além de Sánchez e Luiz Felipe que não estiveram no Rio de Janeiro, em razão de lesões, na vitória diante do Vasco, também ficam à disposição. O uruguaio deve começar o jogo.

Com isso, a escalação em relação ao último jogo deve ter Lucas Veríssimo na vaga de Aguilar, Sánchez na de Evandro e Marinho no lugar de Soteldo,

O confronto entre paulistas vai marcar a primeira vez de Taílson num clássico. O jovem de 20 anos que debutou em São Januário no time profissional, marcando gol, deve ser confirmado do lado direito do ataque alvinegro.

O provável Santos para o duelo será de Éverson, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge ; Alison (Luan Peres), Pituca e Sánchez; Marinho, Sasha e Tailson.

strutura.com.br
Leia Mais »

MENINO DA VILA MARCA E DÁ VITÓRIA AO PEIXE

Publicado ás 21h30 deste sábado, 5 de outubro de 2019.
O Santos conquistou uma vitória importante, a segunda consecutiva no Brasileiro e ainda quebrou um tabu de 14 anos sem vencer em São Januário ao bater o Vasco por 1 a 0, na tarde deste sábado (5) por 1 a 0, gol do 'menino da Vila' Taílson de apenas 20 anos, que estreou entre os profissionais.

O técnico Sampaoli colocou sua 48a. formação em seu 50o. jogo como comandante técnico do Santos. Novamente foi num esquema 3-4-3. Sem Luiz Felipe contundido e Lucas Veríssimo suspenso, o argentino que comanda o Peixe optou em colocar a trinca de zagueiros com Aguilar, Luan Peres e Gustavo Henrique. Na frente, o escolhido para substituir Dérlis, também lesionado foi o menino Taílson, aberto pelo lado direito. 

Há algum tempo, o Santos não consegue manter o ritmo na marcação intensa a defesa do adversário, na saída de bola. O meia Evandro ficou isolado na construção e o time carecia de criatividade na principal zona do campo. 

Não bastasse isso, no final da etapa inicial, o Vasco teve uma penalidade máxima a seu favor, porém, o goleiro Everson defendeu e os times foram para o intervalo com a igualdade, sem gols.

Mas o melhor estava por vir. O Peixe voltou com a linha mais alta na etapa complementar e 'abafou' os donos da casa, nos primeiros minutos. No melhor estilo Sampaoli, bola de pé em pé com direito a dois toques de calcanhar e cruzamento de Soteldo para Evandro que de primeiro rolou para Taílson. O camisa 39 que debutava no time de cima enfiou o pé direito e a bola morreu no fundo da rede.

Tailson marcou o único gol do jogo. 
Eu torço muito para esses 'meninos'. O Santos é isso, é da base, dos meninos da Vila. É tradição no clube revelar jogadores. São eles que transformam os seus sonhos em realidade e tornam disso, a alegria da torcida. A base sempre salva e mais uma vez salvou. 

Agora, vamos esquecer os problemas existentes no departamento amador? Absolutamente, pode melhorar sim, mas daí, dizer que é terra arrasada, não!

No fim da partida, Evandro perdeu uma bola e teve que fazer uma falta mais forte. Com a ajuda do VAR, o meio-campista foi expulso e desfalca o time diante do Palmeiras no meio de semana. Além dele, Soteldo que vai servir a Seleção Venezuelana e Felipe Jonatan na Seleção Olímpica do Brasil, também estarão fora de combate. 

A vitória dá um novo alento e o time reage em um momento importante da competição. Agora são dois adversários diretos - Palmeiras na Vila e Internacional, no Sul do país e a manutenção da terceira colocação, na zona da Libertadores.

Com o resultado e sem os adversários ainda terem jogado na rodada, o Santos diminuiu a distância para o vice-líder para dois pontos e para o líder que eram oito, agora são apenas cinco.

FICHA TÉCNICA
VASCO 0 X 1 SANTOS
Estádio de São Januário - Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Sávio Pereira Sampaio (DF)
Público e renda: 
Cartões amarelos: Andrey, Marrony, Leandro Castan(VAS) Luan Peres, Soteldo (SFC)
Cartão vermelho: Evandro 31' 2(SFC)
GOL: Talison 04' 1ºT (0-1)
VASCO: Fernando Miguel; Yago Pikachu, Oswaldo Henríquez, Leandro Castan e Danilo Barcelos; Richard, Andrey (Felipe Ferreira 24' 2ºT ) e Marcos Júnior (Clayton 40' 2ºT); Rossi (Ribamar 27' 2ºT), Talles Magno e Marrony. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
SANTOS: Everson; Aguilar, Gustavo Henrique e Luan Peres (Alison 24'2ºT) ; Victor Ferraz, Pituca, Evandro e Jorge; Tailson (Marinho 27'2ºT) , Sasha e Soteldo (Felipe Jonatan 36' 2ºT). Técnico: Jorge Sampaoli.

Sampaoli mandou a campo a 48a. formação em seu 50o. jogo a frente do Peixe.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Everson: Um dos grandes responsáveis pela vitória. Pegou uma penalidade máxima quando a partida estava 0 a 0. -  7,0
Aguilar: Começou a partida com novas escorregadas. Cresceu durante a partida e no final foi fundamental nos cortes dos ataques vascaíno. - 6,0
Gustavo Henrique: No primeiro tempo teve dificuldade com a velocidade do ataque cruz-maltino. Na segunda etapa, melhor posicionado, jogou e orientou os companheiros de defesa. - 6,0
Luan Peres: Bem na marcação pelo lado esquerdo da defesa. Como diz o amigo Alan Otacílio, foi no 'arroz com feijão, bem temperado'. - 6,0
(Alison): Entrou para melhorar a marcação e o poder de recuperar a bola. - 6,0
Victor Ferraz: Novamente foi o armador 'por dentro'. Deu espaço a Talles Magno no primeiro tempo - 6,0 
Pituca: Correu bastante. Muita transpiração. Quando o time ficou com 10 homens, recuou para ajudar Alison na marcação. - 6,0
Evandro: Uma assistência maravilhosa no gol do menino Taílson. Depois não dominou bem uma bola e teve que fazer uma falta. Foi expulso. Teria uma das se não a maior nota, não fosse o cartão vermelho. - 6,5 
Jorge: Sei que estou sendo repetitivo, mas a técnica deste canhoto, merece uma melhor intensidade. Ele tem muita habilidade, mas pouca explosão. - 6,0
Tailson: Iluminado. Não sentiu o jogo e foi feliz para finalizar pro fundo da rede. Já faz em 55 minutos mais que Uribe em 10 jogos, seu primeiro gol em seu primeiro jogo. - 7,5
(Marinho): Entrou para segurar a bola e puxar o contra-ataque. Isso ele fez bem. - 6,0
Sasha: Não teve oportunidade de finalizar, mas se deslocou e deu muito espaço para os companheiros na frente. - 6,0
Soteldo: O responsável em quebrar as linhas não esteve tão inspirado. Ainda assim, segurou a bola e deixou a defesa do Vasco preocupada. - 6,0
(Felipe Jonatan): Entrou com a força de 'cavalo' puro sangue de sempre pelo lado-esquerdo. O lateral olímpico amadurece e vai dar muito em rendimento técnico e financeiro ao clube. - 6,0
Técnico: Jorge Sampaoli: Foi feliz ao recuar e colocar um menino da base para jogar após quatro meses. Foi coroado com isso. Precisa apostar mais em alguns jovens de potencial. O clube tem esta tradição ao longo dos anos. Armou o time de uma forma que não ficou atrás apenas se defendendo. O gol foi digno de seus treinamentos. Bola de pé em pé. - 7,0

strutura.com.br
Leia Mais »
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by