FOTO CAPA

NILMAR E VECCHIO LUTAM PARA RETORNAR O QUANTO ANTES

Publicado às 09h00 desta quinta-feira, 17 de agosto de 2017.
Após dois dias de folga, o Santos se reapresenta às 15h desta quinta-feira (17), no CT Rei Pelé e começa os preparativos para o compromisso diante do Coritiba, pelo Campeonato Brasileiro, no próximo domingo (20), às 19h. O treinador deve novamente modificar o time. Copete, Bruno Henrique e David Braz poupados na segunda-feira (14) passada, diante do Fluminense, ficam à disposição e Renato com dores musculares, pode novamente ser relacionado. As próximas atividades também determinarão se Nilmar finalmente será ou não, relacionado para o confronto. Já o meia Vecchio, vive a expectativa de voltar na semana seguinte, diante do Cruzeiro ou no mais tardar, na próxima rodada contra o SCCP.

Nilmar próximo de ser relacionado. Esperança na Libertadores
O atacante Nilmar não atua há 15 meses. Sua última partida foi em Maio do ano passado, quando estava no futebol catariano. Contratado há dois meses pelo alvinegro, o jogador dispensou as folgas e trabalhou em dois períodos, nos últimos dias, tudo para antecipar o seu retorno. Após realizar trabalhos de reforço muscular, ele já participa de atividades no campo com os companheiros em treinamentos. Existe a expectativa da volta do novo camisa 7 santista aos gramados entre este fim de semana e o próximo, no duelo diante do Cruzeiro, em Minas Gerais, com as chances maiores para o segundo.


Quanto ao meia Emiliano Vecchio, a previsão é de retorno diante do SCCP, porém, como o jogador tem trabalhado dois períodos e recentemente realizou um tratamento de terapia biológica como adjuvante, quando na oportunidade, em procedimento realizado no interior de São Paulo, foi utilizado um concentrado da medula óssea do jogador, no local da lesão que sofreu diante do Flamengo, na Copa do Brasil no adutor, existe a esperança de que ele queime etapas e volte em Belo Horizonte, diante do Cruzeiro.  Pelo que o Blog do ADEMIR QUINTINO apurou as chances de retorno no dia 27, são menores, mas não estão descartadas, porém, contra o SCCP, na Vila é certeza o seu regresso.

O argentino, camisa 20, quer voltar logo e estar no melhor de suas condições físicas para a batalha do Equador, no dia 13, na partida de ida das quartas de finais da Libertadores da América, quando os santistas enfrentam o Barcelona de Guayaquil. 


Em breve contato com o Blog do ADEMIR QUINTINO, na manhã desta quinta-feira (17), o "gordo" (apelido do jogador desde a época de Rosário Central-ARG) disse que vai fazer de tudo para voltar o quanto antes:
"Tenho treinado todos os dias, independente se é fim de semana, feriado, em dois períodos, para voltar o quanto antes. Realizei o procedimento em Indaiatuba (terapia biológica) e você não tem ideia, o quanto dói aquilo. Mas tento de tudo para abreviar a minha volta. Quero fazer história no clube e a Libertadores nos dá essa oportunidade. Respeito os adversários, mas são os seis jogos da minha vida." garantiu Vecchio.
O jogador também agradece a todo o departamento médico santista, pelo empenho dos profissionais e garante que graças a eles, a recuperação será mais rápida do que todos imaginavam:
"Os médicos e fisioterapeutas são muito boa gente comigo e me tratam com um carinho absurdo. Graças a eles, ao Rosan, o Avelino, tem também o Tom, o Diego, o Marcelo, podemos queimar etapas. Estamos trabalhando forte para na semana que vem eu possa ter condições de viajar e ficar à disposição diante do Cruzeiro. Vou realizar uma atividade nessa próxima semana e ela é que dirá se é arriscado ou não eu voltar agora ou somente na rodada seguinte." completou Emiliano.
Leia Mais »

NOVO EMPATE

Publicado às 10h15 desta terça-feira, 15 de agosto de 2017.
O Santos perdeu nova oportunidade de se aproximar do vice-líder do Campeonato. Com a derrota do Grêmio-RS, no domingo, bastava ao Peixe vencer o Fluminense, que a distância entre o clube paulista e o do Sul, cairia para apenas um ponto, entretanto, o alvinegro não sofreu gols, a exemplo da última rodada do primeiro turno do Brasileiro, semana passada, diante do Avaí, mas também não balançou a rede. Resultado: 0 a 0, na noite desta segunda-feira (14), no Pacaembu.

Conforme o Blog antecipou e publicou na última postagem antes da partida, Gustavo Henrique, após 11 meses ausentes começou de titular. Além dele, Léo Cittadini no meio-campo, Hernandez e Thiago Ribeiro na frente foram as "caras" novas no time de Levir Culpi, que poupou Copete, Bruno Henrique e David Braz.

Na primeira etapa, apesar de ambos os times errarem diversos passes, o Santos foi um pouco melhor e poderia ter aberto o marcador. A melhor chance foi num contra-ataque que Lucas Lima serviu Ricardo Oliveira dentro da área. O centroavante não finalizou e passou a bola para Hernandez, que sequer concluiu a jogada.

Porém, como costumo dizer, não há nada tão ruim que não possa piorar. No segundo tempo, os cariocas tiveram as melhores chances e uma delas bateu na trave de Vanderlei.

Pelo que apresentaram, Santos e Fluminense que se reencontravam após 22 anos, no palco da municipalidade paulistana, a última tinha sido em 10 de dezembro de 1995, em um show de G10vanni, mas dessa vez, apesar do camisa 10 santista (Lucas Lima), também ter pintado o cabelo, como há mais de duas décadas (Giovanni), a qualidade do espetáculo foi diferente e bem sofrível.

Jogou mal nesta segunda-feira? Sim, jogou, sem imaginação e criatividade. Porém, ainda é o único time invicto do campeonato mais importante da América. E o torcedor, tem de compreender que  se precisar, a comissão técnica vai ter de poupar sim, não é uma exclusividade do Santos, todos fazem isso e esse elenco mesmo com as deficiências que conhecemos está a seis jogos de ser campeão do continente. Já pensou perder Bruno Henrique por cansaço e ficar de fora de uma fase importante do mata-mata Sul-Americano? Lamentar pelos dois pontos perdidos, sim, entretanto, entender as razões.

Pelo Brasileiro, o Santos volta a atuar no próximo domingo (19) diante do Coritiba, no Paraná, às 19h. O Peixe tem 36 pontos e permanece na terceira colocação. Pela Libertadores, o alvinegro só vai a campo no dia 13 de setembro em Guayaquil, diante do Barcelona. O Blog do ADEMIR QUINTINO, à exemplo do que fez em 2011, pretendo acompanhar todos os jogos fora, daqui por diante, no sonho do inédito TETRA para o futebol brasileiro.


FICHA TÉCNICA
SANTOS 0 X 0 FLUMINENSE
Estádio do Pacaembu, São Paulo (SP)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Público/renda: 19.457 pagantes/R$ 686.240,00
Cartões amarelos: Lucas Lima e Alison (SFC), Marlon Freitas e Henrique Dourado (FLU)
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Zeca; Alison, Cittadini e Lucas Lima; Hernández (Jean Mota, aos 28'/2ºT), Thiago Ribeiro (Lucas Crispim, aos 16'/2ºT) e Ricardo Oliveira (Kayke, aos 16'/2ºT). Técnico: Levir Culpi.
FLUMINENSE: Júlio César; Lucas, Renato Chaves, Henrique e Léo; Orejuela, Marlon Freitas, Wendel e Gustavo Scarpa (Robert, aos 40'/2ºT); Wellington Silva (Marcos Junior, aos 36'/2ºT) e Henrique Dourado (Pedro, aos 42'/2ºT). Técnico: Abel Braga.



NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: O melhor goleiro da atualidade na América, não precisou fazer nenhuma defesa milagrosa como nas rodadas anteriores, porém, fechou bem o ângulo em dois lances perigosos do adversário, inclusive em um que a finalização foi na trave. - 6,5
Victor Ferraz: Não teve a quem marcar e com isso, se mandou a frente. Errou alguns passes. - 6,0
Lucas Veríssimo: Vive bom momento. Melhorou muito. Boas coberturas. Está com confiança e isso é importantíssimo para um jogador. - 6,0
Gustavo Henrique: Nem parece que ficou 11 meses parado, tamanho o senso de colocação na área. Tem tudo para poder ser titular novamente. Precisa de ritmo para os jogos que vão exigir mais. - 6,0
Zeca: Não apoiou como de costume. Fez um jogo bem regular, exceção ao começo do segundo tempo, quando teve problemas na marcação e na saída de bola. - 5,5
Alison: Vejo evolução no futebol do volante. Não se limita a tão somente a marcar. Está adquirindo confiança para passar a bola com mais eficiência. - 6,0
Cittadini: Um dos poucos que escaparam de uma partida tecnicamente sofrível. Está mais rápido e marcando um pouco melhor. Se apresentou para o jogo. - 6,5 
Lucas Lima: Não se escondeu, mas tecnicamente foi um dos jogos mais abaixo que vi do camisa 10 santista. Estava sozinho na armação. - 6
Hernández: O "pequeno gigante" que não jogou em times grandes da Colômbia, desperdiçou nova oportunidade de provar que pode ser útil. Perdeu um gol incrível ao ficar indeciso ao receber passe de Ricardo Oliveira dentro da área. - 5,0
(Jean Mota): Deu mais movimentação pelo lado esquerdo, mas nada que mudasse o panorama da partida. - 5,5
Thiago Ribeiro: Não tem a mesma velocidade e intensidade de Bruno Henrique. Recompõe o meio e ajuda a defesa bastante, ao contrário do camisa 27. - 5,5
(Lucas Crispim): Sem ritmo, em razão do tempo sem jogar, ao menos procurou jogo, bem mais que o antecessor. Desentrosado e alguns momentos faltou confiança. - 5,5
Ricardo Oliveira: Ainda não conseguiu retomar a forma que o consagrou como o melhor do país na posição, em  2015. Não recebeu nenhuma bola em condições de finalização. Foi substituído. - 5,5
(Kayke): Com exceção de uma finalização na rede pelo lado de fora, foi discreto. Nem a rapidez, sua principal qualidade foi vista nos quase 30 minutos que esteve em campo. - 5,0
Técnico: Levir Culpi: Foi corajoso em poupar dois jogadores com nível de cansaço alto. Preferiu a experiência do que arriscar com meninos que podiam dar a velocidade no ataque. Não conseguiu mudar o panorama de um time que não foi rápido no jogo, com raras exceções. - 5,5

Leia Mais »

COM MUDANÇAS, PEIXE QUER SE APROXIMAR DA VICE-LIDERANÇA

Publicado às 09h31 desta segunda-feira, 14 de agosto de 2017.
O técnico Levir Culpi terá de mexer mais uma vez no Santos, que enfrenta nesta segunda-feira (14), o Fluminense, no Pacaembu, no fechamento da primeira rodada do returno. O treinador vai poupar Bruno Henrique, Copete e David Braz. Em compensação, Gustavo Henrique, que não joga há 11 meses foi relacionado e tem chances até de começar o jogo.

Desde 1995, Santos e Fluminense jamais haviam se encontrado no estádio municipal do Pacaembu. É a volta dos dois times ao grande palco, do maior jogo do Santos dos últimos 22 anos.

Gustavo Henrique, era zagueiro titular na campanha do vice-campeonato brasileiro, o ano passado, entretanto, em Recife-PE, em uma partida que estava suspenso e o departamento jurídico do clube conseguiu um efeito suspensivo (parece ironia do destino), o defensor teve uma ruptura no ligamento cruzado anterior de um dos joelhos e só retorna agora.


Outra mudança que o Blog apurou que deve acontecer é a entrada de Cittadini no meio-campo na vaga de Yuri, com Alison mantido.

Além dos três jogadores poupados, Levir não terá o futebol de Renato que se recupera de dores musculares e Vecchio que também trata de problemas no adutor da coxa direita. 

Se conquistar a vitória, o alvinegro volta a se aproximar do vice-líder Grêmio-RS, que perdeu na rodada deste fim de semana  para o Botafogo.

Pelo que o Blog do ADEMIR QUINTINO apurou, o Santos deve começar o jogo com Vanderlei, Victor Ferraz. Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Zeca; Alison, Cittadini (Jean Mota) e Lucas Lima; Thiago Ribeiro, Ricardo Oliveira e Vladimir Hernandez.

Até a noite de domingo (13), apenas 9.125 ingressos haviam sido comercializados.



Relacionados
Goleiros
Vanderlei e Vladimir
Zagueiros
Fabián Noguera, Gustavo Henrique e Lucas Veríssimo
Laterais
Daniel Guedes, Orinho, Victor Ferraz e Zeca
Meias
Alison, Jean Mota, Cittadini, Lucas Lima, Matheus Oliveira, Longuine, Serginho e Yuri
Atacantes
Arthur, Kayke, Lucas Crispim, Ricardo Oliveira, Thiago Ribeiro e Hernández


Leia Mais »

AS DUAS DÚVIDAS DE LEVIR CULPI

Publicado às 21h22 deste sábado, 12 de agosto de 2017.
O técnico Levir Culpi ainda não definiu o time do Santos para o duelo desta segunda-feira (14), diante do Fluminense, . O treinador tem uma dúvida na defesa em razão do resultado do CK (exame de sangue que verifica o grau de cansaço) de um dos jogadores que ainda está com um número alto, pelo que o Blog do ADEMIR QUINTINO apurou e a outra no meio-campo de quem será o companheiro de Alison e Lucas Lima no setor - Yuri ou Jean Mota. No mais, será a mesma equipe que se classificou as quartas de finais da Libertadores, na última quinta-feira (10).

Neste domingo (13), o treinador santista comanda a última atividade antes da partida diante dos cariocas, no CT Rei Pelé, e enfim, definirá os onze que começam o jogo. 

O alvinegro é o terceiro colocado da competição, quatro pontos distante do Grêmio-RS, o vice-líder.


Por enquanto, 7.055 ingressos foram vendidos antecipadamente para o primeiro duelo do alvinegro no segundo turno, até o fechamento . 

Como foi desclassificado na Copa do Brasil, Levir Culpi vai ter seis dias após o confronto diante do tricolor do Rio de Janeiro para preparar o time para o jogo diante do Coritiba, na capital paranaense, no domingo seguinte.

O meia Vecchio que se recupera de lesão no adutor é desfalque certo. Já Renato, ausente diante do Atlético-PR, ainda é dúvida, mas deve ser relacionado. O jogador teve dores musculares e por isso ficou de fora diante do Furacão. 

O defensor Gustavo Henrique e o atacante Nilmar que não jogam desde a temporada passada, ainda não estarão na lista dos jogadores para o jogo desta segunda-feira. O comandante Levir Culpi garante que ambos em breve voltarão, mas em razão do tempo afastado, prefere aguardar mais um pouco.

  
Leia Mais »

SORTE OU CAPACIDADE DE SOFRER DE UM CAMPEÃO?

Publicado às 08h20 desta sexta-feira, 11 de agosto de 2017.
O Santos está classificado para as quartas de final da Libertadores da América e enfrentará, o mês que vem, o Barcelona de Guayaquil do Equador. O único invicto e paulista que sobrou na competição, decidirá a vaga no Brasil, por ter a melhor campanha. Mas o Peixe sofreu mais do que devia para carimbar o passaporte a próxima fase. Na noite desta quinta-feira (10), na Vila Belmiro, o alvinegro venceu o Atlético-PR, por 1 a 0, gol de Bruno Henrique.

Sem Vecchio e Renato, o comandante técnico Levir Culpi mandou o Glorioso da Vila novamente com apenas três homens no meio-campo, sendo dois deles volantes de origem - Alison e Yuri. Foi um passeio do time do Paraná durante 70 minutos, no mínimo, em que teve mais posse de bola, controle de jogo e o Santos não conseguia encaixar sequer, um contra-ataque.  Não fossem o injustiçado goleiro Vanderlei, esquecido por Tite na Seleção, que voltou a realizar defesas incríveis, o zagueiro Lucas Veríssimo que tirou uma bola em cima da linha e a ineficácia do ataque do time paranaense e a vantagem significativa, construída no jogo de ida, quando venceu por 3  2, tinha ido para o "vinagre". Pasmem, o único santista que tentou propor jogo na primeira etapa foi Alison, que tem funções e responsabilidades defensivas.

Veio o segundo tempo e Levir retirou um dos volantes - Yuri para a entrada de Jean Mota. O objetivo, melhorar o passe para o contra-golpe. O time subiu de produção, de forma sensível apenas. A bola queimava nos pés do santistas e o Furação trocava passes como queira na frente da grande-aérea adversária. 

Vanderlei prova novamente que é o melhor do país.
Como o "futebol não tolera desaforo", após Vanderlei voltar a realizar grandes intervenções e quando não conseguiu, a bola parou na trave, no único contra-ataque que o Santos realizou com qualidade, Lucas Lima encontrou Ricardo Oliveira que curtiu uma de ponta-esquerda e de papel invertido cruzou para Bruno Henrique, que apesar de ser o melhor atacante do futebol paulista da atualidade, ao lado de Jô, estava sumido no jogo, marcou o único gol da partida.

Como bem disse Levir, durante a entrevista coletiva, após a partida, o Santos vai precisar melhorar bastante, mesmo tendo "aprendido a sofrer", para ir a uma semifinal. Entretanto, já vi filmes como esse encerrarem o torneio com campanhas vitoriosas, vide Boca, em 2003; Once Caldas, em 2004 e para não ficar preso a década passada, mais recentemente o Independiente del Valle, que fez a decisão com o Atlético Nacional da Colômbia, o ano passado e o próprio Santos, em 2011, que sofreu demais em Querétaro, no México, diante do América, na mesma oitavas de finais e bateu campeão (mas aquele time tinha Neymar).

Caso o time da Vila passe pelos equatorianos que eliminaram o Palmeiras, na próxima fase, o alvinegro praiano enfrentará um brasileiro, novamente - Botafogo-RJ ou Grêmio-RS. 

O Peixe volta a campo, na próxima segunda-feira (14), no Pacaembu, mas pelo Campeonato Brasileiro, diante do Fluminense, às 20h. Na competição nacional, o Santos é o terceiro colocado. Enquanto os badalados Flamengo, Atlético-MG e o "Real das Américas" - Palmeiras, ficaram pelo caminho, o Santos cheio de dificuldade, sem barulho, avança em busca do tetra. Bacana, todavia, eu não posso ser "fanático" de dizer que está tudo bem. O time tem capacidade de melhorar bastante para voltar a ser campeão do continente. Nas oitavas de final sobrou administração do resultado na partida de ida e faltou futebol na classificação a próxima fase.


FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 0 ATLÉTICO-PR
Estádio da Vila Belmiro, Santos (SP)
Árbitro: Mauro Viglian (ARG)
Público e renda: 12.360 pagantes - R$ 622.995,00
Cartões amarelos: Guilherme (APR)
GOL: Bruno Henrique (32'/2ºT) (1-0)
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison (Daniel Guedes - 34'/2ºT), Yuri (Jean Mota - intervalo) e Lucas Lima; Copete (Thiago Ribeiro - 39'/2ºT), Bruno Henrique e Ricardo Oliveira. Técnico: Levir Culpi.
ATLÉTICO-PR: Wéverton; Jonathan, Paulo André, Thiago Heleno e Fabrício; Lucho González, Matheus Rossetto (Bruno Guimarães - 42'/2ºT), Nikão, Guilherme e Sidcley (Pablo - 35'/2ºT); Ribamar (Ederson - 21'/2ºT). Técnico: Fabiano Soares.


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: O melhor goleiro brasileiro e o maior injustiçado na convocação de Tite, voltou a realizar uma partida incrível. Fez seis grandes intervenções.O Grande nome do jogo e do ano no Santos. - 8,5
Victor Ferraz: Não apoiou. O Atlético-PR amassou o Santos em sua defesa. No começo do primeiro tempo não conseguiu trocar passes na saída de bola. Depois guardou posição e deu conta do recado. - 5,5
Lucas Veríssimo: Mal na saída de bola. Errou duas na primeira etapa. Quando Vanderlei não defendeu, estava o camisa 28 em cima da linha para ser o salvador. - 7,0
David Braz: Tem técnica, mas em alguma oportunidades, corre riscos desnecessários. No primeiro tempo deu um susto na torcida em uma lance na pequena área. Não comprometeu. Orienta bastante o sistema defensivo. - 6,5
Zeca: Jogador cascudo, ainda precisa de melhor ritmo. Foi rebatedor, não quis saber de brincadeira e chutou para onde o nariz estava apontado. - 6,0
Alison: Aos poucos, tenta tirar o rótulo de jogador que sobe desarmar. Quando o Santos não conseguiu propor jogo no primeiro tempo, tentou ser o elemento surpresa e conduzir a bola em dois lances. Na marcação, bem, como de costume. - 6,5
(Daniel Guedes): Apesar de pouco tempo em campo, deu velocidade do lado do direito, tanto na defesa, como no ataque. - 6,0
Yuri: Ainda paga por há muito tempo, não atuar de volante. Precisa voltar a passar a bola em progressão e não toques para trás, como tenho feito. Foi substituído no intervalo. - 5,0
(Jean Mota): Deu mais movimentação e o passe melhorou com a sua entrada. - 6,5
Lucas Lima: Bem marcado e com a marcação encaixada no camisa 10, apareceu apenas no lance que originou o gol, ao dar a assistência para o cruzamento de Ricardo Oliveira para a finalização de Bruno Henrique. - 6,5
Copete: Cumpriu funções táticas e auxiliou Zeca na marcação. Tecnicamente, já viveu melhores momentos. - 5,0
(Thiago Ribeiro): Jogou apenas nove minutos, incluindo os acréscimos. SEM NOTA
Bruno Henrique: O melhor atacante do Santos, na atualidade, estava apagado na partida. Porém, foi dele o único gol do jogo. - 7,0
Ricardo Oliveira: A bola não chegou e as poucas vezes que foram no camisa 9, não conseguiu fazer o pivô. Entretanto, teve leitura de jogo para correr na ponta e qualidade para achar Bruno Henrique na área, no único gol do jogo. - 6,5 
Técnico: Levir Culpi: Não conseguiu fazer o time jogar, nem mesmo após o intervalo. Acertou ao colocar Jean no meio para ter um passe melhor, na saída para o contra-ataque. Sofre com a ausência de Vecchio que tinha dado estabilidade ao setor. - 6,0


Leia Mais »

PARA CARIMBAR VAGA NAS QUARTAS DE FINAL

Publicado às 21h05 desta quarta-feira, 9 de agosto de 2017.
Chegou o dia. Após mais de um mês, nesta quinta-feira (10), às 21h45, na Vila Belmiro, Santos e Atlético Paranaense voltam a duelar o jogo de volta, por uma vaga nas quartas de finais da Libertadores da América. Na ida, no começo do mês passado, o alvinegro largou na frente ao vencer por 3 a 2, em Curitiba. Com isso, o time comandado por Levir Culpi pode perder por 1 a 0 ou 2 a 1, que ainda assim estará na próxima fase da competição continental. Mas nem tudo são flores para o alvinegro. O meia Renato foi vetado e aumenta a lista de desfalques no meio-campo do time paulista.

O ala Zeca (foto), fica em definitivo com a vaga ocupada por um grande período, por Jean Mota. O camisa 37, campeão olímpico com o Brasil, o ano passado, retornou diante do Flamengo, na quarta-feira passada e atuou como titular da lateral contra o Avaí. Pelo que o Blog do ADEMIR QUINTINO apurou, ele será o titular diante do Furacão.

O camisa 8 santista que retornou diante do Flamengo, no meio da semana passada e foi substituído no último domingo (6) no duelo contra o Avaí, foi diagnosticado com dores musculares e por isso não foi relacionado. Além dele, o argentino Vecchio, que tinha dado a sustentação que o meio-campo precisa, se recupera de ruptura de origem do músculo adutor da coxa direita e também será desfalque. Nilmar próximo de voltar aos gramados, ainda não foi relacionado, porém, deve ser nos próximos jogos do Campeonato Brasileiro.

Em compensação, Levir Culpi terá Lucas Lima, David Braz e Yuri que cumpriram suspensão na última rodada do Campeonato Brasileiro. 

Se o torcedor santista está otimista e tem motivos para isso, o adversário da capital paranaense vem de três vitórias seguidas no torneio nacional e sem sofrer gols.

Sem Renato e Vecchio, Alison é o favorito a herdar a vaga no meio-campo. Se isso , se confirmar, o Peixe vai a campo com Vanderlei; Victor Ferraz, Dvid Braz, Lucas Veríssimo e Zeca; Alison, Yuri e Lucas Lima; Copete, Ricardo Oliveira e Bruno Henrique.

Exatos 11.020 ingressos foram vendidos antecipadamente. Restam a disposição do torcedor apenas 480 bilhetes, já que 4,5 mil são reservados aos proprietários de cadeiras cativas e camarotes, num total de 16 mil.

RELACIONADOS
Goleiros
Vanderlei e Vladimir
Zagueiros
David Braz, Noguera e Lucas Veríssimo
Laterais
Daniel Guedes, Victor Ferraz e Zeca
Meias
Alison, Jean Mota, Lucas Lima e Yuri
Atacantes
Bruno Henrique, Copete, Kayke, Ricardo Oliveira, Thiago Ribeiro e Vladimir Hernández

Vanderlei pode ser convocado.
CONVOCAÇÃO

Às 11h da manhã desta quinta-feira (10), o treinador Tite anuncia os jogadores convocados para os dois próximos jogos da Seleção Brasileira, nas eliminatórias, diante de Equador e Colômbia, dias 31 de agosto e 5 de setembro, respectivamente, em Porto Alegre e em Barranquilla. A expectativa é de que o goleiro Vanderlei do Santos, seja  finalmente, lembrado, pela primeira vez.

Caso a convocação se confirme, Vanderlei não desfalcará o Santos. Os jogos do Peixe no Brasileirão serão nos dias 27 e 10, contra Cruzeiro e SCCP, respectivamente.



INFERNO SANTISTA

A torcida santista promete o o maior corredor de fogo da historia do estádio da Vila Belmiro nesta quinta-feira (10). A concentração acontecerá às 19 horas em frente a um posto de combustíveis localizado no cruzamento dos canais 1 e 2.
Mais informações, o leitor pode conseguir na página dos organizadores - https://www.facebook.com/comissaocamisa10/


Leia Mais »

NILMAR COM A 7 E SANTOS REALIZA MAIS TRÊS TROCAS NA LIBERTADORES

Publicado às 18h31 desta terça-feira, 8 de agosto de 2017.
O Santos realizou as últimas três trocas a que tinha direito na lista para as oitavas de finais da Libertadores da América/2017, nesta terça-feira (8), 48 horas antes de seu próximo duelo na competição, como manda o regulamento. Nesta quinta-feira (10), o Alvinegro decide uma vaga às quartas de finais, diante do Atlético-PR, às 21h45, no estádio da Vila Belmiro. Gustavo Henrique, Orinho e Nilmar são as novos jogadores na lista do Peixe. Caso avance as quartas de finais, não é permitido mais nenhuma modificação. Se for as semi, outros jogadores poderão ser substituídos.

Com a entrada do zagueiro, do lateral canhoto e do atacante, deixam a lista original, os recém negociados Thiago Maia e Rodrigão, além do lesionado Vitor Bueno que só retorna aos gramados em 2018. O ala Caju, que ainda não teve a negociação confirmada com o Lille da França, por empréstimo, permanece na listagem.

Existia uma expectativa de que o meio-campista Matheus Jesus, recém contratado, pudesse ser inscrito. Entretanto, tanto o jogador revelado no Flamengo e que se profissionalizou na Ponte Preta, como o defensor Luís Felipe que já está em vias de retornar, após uma lesão no joelho, no fim do ano passado, ficaram de fora.

Os três novos inscritos se juntam a Caju, Vecchio e Alison,  que foram inseridos na listagem, no dia 3 de julho nos lugres de Matheus Ribeiro, Matheus Oliveira e Yan. Gustavo Henrique ficou com a 29, Nilmar com a 7 e Orinho com o número 22.

Aos 33 anos, Nilmar, que veio do futebol catariano, não atua em uma partida de futebol há 15 meses. Ele está próximo de ser relacionado por Levir Culpi. O jogador tem sido constantemente elogiado pelo seu profissionalismo e por queimar etapas na recuperação.


A lista para as oitavas de finais (e quartas de finais, caso o Peixe carimbe a classificação a próxima fase) ficou dessa forma:

1 – Vanderlei
2 – Cleber
3 – Zeca
4 – Victor Ferraz
5 – Yuri
6 – Fabián Noguera
7 – Nilmar
8 – Renato
9 – Ricardo Oliveira
10 – Lucas Lima
11 – Kayke
12 – Vladimir
13 – Caju
14 – David Braz
15 – Daniel Guedes
16 – Vladimir Hernández
17 – Longuine
18 – Copete
19 – Cittadini
20 – Jean Mota
21 – Vecchio
22 – Orinho
23 – Arthur Gomes
24 – João Paulo
25 – Alison
26 – Thiago Ribeiro
27 – Bruno Henrique
28 – Lucas Veríssimo
29 – Gustavo Henrique
30 – Leandro Donizete

Leia Mais »

A VICE-LIDERANÇA FICOU MAIS DISTANTE

Publicado às 07h05 desta segunda-feira, 7 de agosto de 2017.
O Santos permanece na terceira colocação do Campeonato Brasileiro, porém, com o empate diante do Avaí, por 0 a 0, na noite deste domingo (6) e a vitória do Grêmio sobre o Atlético Mineiro, a diferença do time do Sul do país - vice líder, aumentou de dois para quatro pontos. Como bem disse, o técnico Levir Culpi na entrevista coletiva após o jogo no estádio da Ressacada: "Ninguém merecia vencer".

Sem Lucas Lima, David Braz e Yuri suspensos, o Santos voltou a ter dificuldades de propor o jogo. Mesmo com posse de bola, o alvinegro pouco agrediu a meta do goleiro Douglas. 

No primeiro tempo, o time da Vila chegou apenas duas vezes. Uma cabeçada do zagueiro Alemão (contra) que bateu no travessão e Bruno Henrique aos 45 min. numa dividida com Betão, obrigou o camisa 1 dos donos da casa a trabalhar. O Peixe teve um gol anulado do defensor Fábian Noguera de cabeça. A arbitragem viu em empurrão no lance. Os catarinenses também colocaram uma bola na trave com o ex-lateral santista, hoje meia, Juan. 

Na segunda etapa, o Santos foi um pouco mais rápido que na primeira etapa. Zeca chutou uma bola no travessão no começo da etapa complementar.

Levir Culpi tentou mudar o panorama do jogo e efetuou as três substituições. Saíram Ricardo Oliveira, Copete e Renato (este último com incomodo muscular em uma das coxas e preocupa para o jogo de quinta-feira) e entraram Kayke, Thiago Ribeiro e Cittadini, mas o quadro, pouco se alterou.

No fim da partida, em um contra-ataque , o goleiro Vanderlei que deve ser convocado por Tite para dois jogos das eliminatórias na próxima quinta-feira, às 11h da manhã, fez uma grande defesa, pois o pior poderia ter acontecido.

O Peixe mantém a invencibilidade na temporada, agora são 11 jogos.  O clube fez sua melhor pontuação ao final de um turno, na era dos pontos corridos, com 20 equipes - 35 pontos, entretanto, deixa de vencer equipes que disputam a competição na parte debaixo da tabela. O alvinegro já havia desperdiçado outros quatro pontos diante de Vasco e Atlético-GO. O ano passado, sob o comando de Dorival foram 14 pontos para clubes no Z-4 ao fim do campeonato e esses pontos, custaram o título.

O Santos volta a jogar pelo Brasileirão, apenas na segunda-feira que vem (14), no Pacaembu, diante do Fluminense, às 20h. Antes, porém, o time volta a focar na competição mais importante do ano, a Libertadores. Na quinta-feira (10), Às 21h45, na Vila Belmiro, a equipe de Levir Culpi enfrenta o Atlético-PR, no jogo da volta das oitavas de finais. Na partida de ida, vitória santista por 3 a 2, em Curitiba. Com isso, o tri-campeão da competição pode perder por 1 a 0 ou 2 a 1 que ainda assim estará classificado, mas é bom abrir o olho, pois o time paranaense vem de três vitórias seguidas e significativas. Bateu o Vasco no Rio de Janeiro, goleou o Avaí e bateu o Palmeiras, dentro de São Paulo.


FICHA TÉCNICA
AVAÍ 0 X 0 SANTOS
Estádio da Ressacada, Florianópolis - SC
Árbitro: Pablo dos Santos Alves 
Público/renda: 5.939 torcedores / R$ 158.800,00
Cartões amarelos: Judson e Fagner Alemão (AVA); Lucas Veríssimo (SFC)
AVAÍ: Douglas; Leandro Silva, Fagner, Betão e Capa; Judson, Wellington
Simião (Willians 28' 2ºT), Pedro Castro e Juan (Romulo 40' 2ºT), Joel (Luan Pereira 35' 2ºT) e Júnior Dutra. Técnico: Claudinei Oliveira
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Noguera e Zeca;Alison, Renato (Léo Cittadini 24' 2ºT) e Jean Mota; Copete (Thiago Ribeiro 34' 2ºT), Bruno Henrique e Ricardo Oliveira (Kayke 22' 2ºT). Técnico: Levir Culpi.

O volante Renato sentiu novo incomodo muscular e preocupa para o duelo diante do Atlético-PR.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: O melhor goleiro do Brasil na atualidade fez uma defesa importantíssima no final do jogo.  - 7,0 
Victor Ferraz: Tentou apoiar, mas sem Lucas Lima, as tabelas constantes pelo lado-direito não aconteceram. - 5,5
Lucas Veríssimo: Desentrosado com o argentino Noguera, jogou o arroz com feijão. Seguro. - 6,0
Noguera: Dentro de suas caraterísticas de rebatedor, não comprometeu. Tem dificuldades na saída de bola, porém, compensa no jogo aéreo, seu forte. Fez um gol de cabeça, anulado pela arbitragem. - 6,0 
Zeca: O melhor da defesa. Ainda sente falta de ritmo de jogo pelos meses ausentes. Quase marcou um gol de fora da área que caprichosamente tocou no travessão. - 6,5
Alison: Teve dificuldade de encaixar a marcação nos primeiros minutos. No segundo tempo, tentou até ser o elemento surpresa a frente da área. - 5,5
Renato: Na segunda partida após seu retorno, voltou a sentir dores musculares e preocupa para a próxima rodada. Teve dificuldade junto com Alison no encaixe da marcação. Havia um espaço entre os dois volantes, reparado ainda na primeira etapa. - 5,5
(Cittadini): Teve boa movimentação, entretanto, dificuldade de propor o jogo e dar a intensidade que o meio-campo exigia. - 5,5
Jean Mota: Para quem não atuava na sua função há muito tempo, não foi mal, porém, não conseguiu ser o coordenador de jogadas e efetuar assistências para os atacantes. As exceções foi quando caiu pelos lados e realizou ótimos cruzamentos. - 6,0
Copete: Taticamente bem, como de costume, ajudando na marcação e fechando espaços, mas tecnicamente caiu de produção nos últimos jogos. - 5,5
(Thiago Ribeiro): Não deu a velocidade que Levir Culpi desejava pelo lado direito do campo. A exemplo de Copete, recompõe bem. - 5,0
Bruno Henrique: O melhor do ataque santista. A bola, pouco chegou nele, mas quando isso aconteceu foi o único que tentou criar. Quase marcou no fim da primeira etapa. - 6,5
Ricardo Oliveira: Em sua 600a. partida na carreira, correu bastante, voltou muito para buscar o jogo no primeiro tempo e até atrapalhou Bruno Henrique pois chegaram a ocupar o mesmo setor - o esquerdo do ataque. Na segunda etapa, foi substituído. - 5,5
(Kayke): Errou passes e em um deles quando tentou um toque de calcanhar, além de desperdiçar a bola a frente dos defensores catarinenses, proporcionou um contra-ataque. - 4,5
Técnico: Levir Culpi: Com desfalques, teve dificuldades em fazer o time propor o jogo. - 5,5

Leia Mais »
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by