FOTO CAPA

ESTAGNADO

Publicado às 22h15 deste domingo, 20 de Maio de 2018.
Pelo quinto jogo consecutivo fora de casa, o Santos voltou a perder. Desta vez, no clássico para o São Paulo em partida válida pela sexta rodada do Brasileirão 2018. O único gol da partida foi de Diego Souza.

O técnico Jair Ventura mexeu na equipe. Após longo tempo ausente, em razão de problemas musculares, Renato reapareceu no meio campo na vaga de Jean Mota. Os titulares poupados na derrota em Lucas de Rio Verde, na Copa do Brasil, retornaram ao time.

Estive no Morumbi. Não a trabalho, pois como a grande maioria deve saber, não estou em rádio e fui com familiares acompanhar a partida e torcer discretamente, já que era jogo de torcida única, na casa do mandante. 

Novamente, desde o primeiro minuto, Peixe jogou atrás da linha da bola, na tentativa de puxar um contra-ataque, algo que não aconteceu de forma efetiva nos primeiros 45 minutos. Sidão, goleiro tricolor, foi mero expectador. 

O São Paulo podia ter ido para o vestiário com uma vantagem parcial significativa, se tivesse mais qualidade na finalização.

Veio a segunda etapa e o Santos com uma linha defensiva um pouco mais a frente, não sofria tantos riscos, mas a postura de deixar a bola com o adversário permanecia. 

Água mole, pedra dura, tanto bate até que fura e furou. Everton cruzou da esquerda e Diego Souza, que tinha perdido inúmeras oportunidades, se antecipou a David Braz e marcou o único gol do jogo.

Somente após sofrer o revés, que o alvinegro tentou propor algo. Teve duas chances, uma que passou a frente da pequena área, mas ninguém chegou a tempo para concluir e outra com Dodô, nos minutos finais. 

Foi a décima primeira derrota na temporada, em 28 jogos. O Peixe, ao lado do Vitória e Vasco são os times de série A que mais perderam em 2018, sendo que os cruz-maltinos e o rubro-negro baiano atuaram mais, 30 e 34  jogos ,respectivamente. Em 2016, o alvinegro foi o time que menos perdeu (12). Em 2017, o terceiro que menos perdeu - foram 19.

O fato da derrota no clássico é aceitável, o que me incomoda, particularmente, é a forma de se limitar a defender e tentar apenas a contra-atacar. Nem vou citar o mantra do DNA ofensivo, porém, se o elenco não é nenhum supra-sumo, tem carências no meio-campo, também não é pior do que metade dos elencos dos outros times da série A.

Que a gestão assumiu muitas "bombas" de herança é fato, além dos cofres vazios, porem, todos os candidatos sabiam da situação periclitante que o clube se encontra. 

O time só foi reforçado com três jogadores, todos por empréstimos (Sasha veio em definitivo após acerto com o Inter em troca por Zeca). O comandante técnico dirige o time como se fosse o Botafogo, e o Peixe não é o alvinegro da estrela solitária. Alguns jogadores também estão devendo futebol. Essa equação resulta nesse momento muito ruim, antes da pausa para o Mundial de seleções na Rússia.

Serei injusto se apenas responsabilizar o treinador. Ele tem grande parcela, mas não é somente do comandante técnico. 

Na próxima quinta-feira (24), o Santos busca garantir o primeiro lugar no seu grupo diante do Garcilaço-PER. Uma vitória simples é o suficiente. Pelo Brasileiro, o Peixe volta campo no dia 27, domingo que vem, no Pacaembu, diante do Cruzeiro. 

Como não existe nada tão ruim que não possa piorar, o volante Alison saiu direto do Morumbi para o hospital. O jogador teve um entorse no joelho e existe uma preocupação grande pois o atleta já teve cirurgia no local. O jogador deve realizar exame de ressonância magnética em uma clínica na manhã desta segunda-feira (21), para avaliar o quadro.

Apesar da classificação em todas as competições (Copa do Brasil e Libertadores), o time não encaixa e segue sob desconfiança de todos.

O Santos termina a rodada apenas um ponto a frente da zona de rebaixamento, mas com um jogo da terceira rodada diante do Vasco-RJ, a menos.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 0 SANTOS
Estádio do Morumbi, São Paulo
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Público/renda: 40.465 pagantes/R$ 954.725,00
Cartões amarelos: Hudson, Reinaldo e Militão (SP), David Braz e Yuri Alberto (SFC)
Cartões vermelhos: Anderson Martins, aos 46'/2ºT (SP)
GOL: Diego Souza (10'/2ºT) (1-0)
SÃO PAULO: Sidão; Militão, Anderson Martins, Bruno Alves e Reinaldo (Edimar, 30'/2ºT); Jucilei, Hudson e Nenê; Marcos Guilherme, Éverton (Liziero, aos 34'/2ºT) e Diego Souza (Tréllez, aos 24'/2ºT). Técnico: Diego Aguirre.
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison (Jean Mota, 16'/2ºT), Renato e Vitor Bueno (Yuri Alberto, aos 26'/2ºT); Gabriel Barbosa, Rodrygo e Sasha (Copete, aos 30'/2ºT). Técnico: Jair Ventura.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Sem culpa no gol sofrido. Fez algumas boas defesas durante a partida. - 5,5
Victor Ferraz: Apesar do cruzamento de Everton ter saído pelo seu setor, a bola estava de frente para o zagueiro David Braz. Foi o único jogador do time que a bola não queimou na primeira etapa. Deu a assistência para o gol de empate, perdido por Dodô. - 6,0
Lucas Veríssimo: Não comprometeu. Como costuma dizer o amigo Alan Otacílio, o arroz com feijão bem temperado. - 5,5
David Braz: Mesmo de frente, não conseguiu se antecipar a Diego Souza, no momento do gol. Não repete o bom ano de 2017.Voltou de lesão após três jogos ausentes. - 4,5
Dodô: Nas poucas chances em que o time teve, ele deu início. Tem muita técnica. Perdeu um gol incrível. - 5,5
Alison: Preocupa a lesão no joelho. Sobrecarregado na função. - 5,5
(Jean Mota): Mesmo não sendo um jogador de qualidade técnica diferenciada, entrou muito bem no jogo. Trocou passes e deu uma bela finalização. - 6,0
Renato: Fazia uma partida satisfatória, mas errou o passe que resultou no gol do adversário. A qualidade do meia é indiscutível. A intensidade, em razão da sua longa carreira, é. - 5,0
Vitor Bueno: Perdeu três bolas no começo da partida e parece ter perdido a confiança. Tem futebol, mas não repete a ótima temporada de 2016. - 4,5
(Yuri Alberto): Entrou ligado no jogo. Quase empatou a partida ao dividir com Sidão e mandar a bola para a pequena área. - 6,0
Gabriel Barbosa: Mesmo não finalizado, creio que foi a partida mais participativa do camisa 10, principalmente no terço final. - 5,5
Rodrygo: O único que ainda tenta algo no um contra um. Levou a melhor em alguns momentos nas jogadas laterais. Ainda leva a pior nas divididas, em razão do corpo de passeio. - 6,5
Sasha: Com a mudança no esquema, ele saiu da ala para jogar de centroavante e acaba aparecendo menos. Deu uma bicicleta no começo do jogo e depois foi discreto. - 5,5
(Copete): Entrou e quase não apareceu no jogo. Longe do jogador decisivo de 2016 e participativo de 2017. - 5,0
Técnico: Jair Ventura: O time não tem outro esquema a não ser o de se defender e explorar o contra-ataque, quando consegue. As linhas do Santos são distantes. Pra não dizer que não falei das flores, falta melhor material humano ao comandante técnico, entretanto, vejo outros times, como o Fluminense, por exemplo, com problemas gritantes no elenco e Abelão tem se virado. Não me agradaram os argumentos apresentados pelo treinador na entrevista coletiva. - 4,0

strutura.com.br
Leia Mais »

OPORTUNIDADE PARA ACABAR COM A DESCONFIANÇA

Publicado às 21h55 deste sábado, 19 de Maio de 2018.
Neste domingo (20), às 16h, no estádio do Morumbi, o Santos tem nova oportunidade de recuperar a confiança e ao menos diminuir a descrença do seu torcedor. O alvinegro enfrenta o São Paulo, no clássico paulista da rodada. 

O Peixe em 27 jogos na temporada venceu 12, perdeu 10 e empatou outros cinco. Mais que isso, o estilo "reativo" imposto pelo treinador Jair Ventura, não caiu bem na torcida do Peixe, acostumada com times que atacam. 

Aliás, para não ser injusto, esse estilo não chegou em Urbano Caldeira com o o atual técnico. Ele ficou mais intenso com o carioca, filho do furação da Copa de 70 - Jairzinho, mas pode ser visto em algumas situações com os antecessores Dorival Junior e ganhou espaço definitivamente com Levir Culpi.

Após a vexatória goleada sofrida diante do Grêmio, há duas semanas, será a primeira vez que o Glorioso terá um adversário da sua grandeza. Sem desmerecer Paraná e Luverdense (que o Santos conseguiu a proeza de perder com os reservas na última quinta-feira), não servem de parâmetro e o clássico dará uma melhor dimensão.

No Brasileiro, o Peixe jogou quatro vezes, venceu duas e perdeu a mesma quantidade de partidas. O time santista foi o único a vencer o tricolor esse ano no Morumbi, durante o Paulistão. Já que citei o adversário é o único invicto na competição, entretanto, só venceu na primeira rodada e vem de quatro empates seguidos.

Para a partida deste fim de semana, o comandante técnico santista não armou o time no treinamento realizado no estádio do Pacaembu, na véspera do duelo. Foi mais uma movimentação para manter a parte física. O zagueiro e capitão David Braz, participou normalmente e deve retornar ao time após três jogos ausentes. O meia Vitor Bueno ainda não está garantido e a definição, somente uma hora antes da partida.

O provável Santos deve ir a campo com Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison, Jean Mota e Vitor Bueno; Gabriel Barbosa, Sasha e Rodrygo.

Após entrevistas desastrosas, na baixada domingo passado (13), e na última quinta-feira (17), tanto no Mato Grosso, como em São Paulo, podem ser diminuídas com uma vitória e dar uma aliviada nas declarações nos locais supracitados. Uma derrota, só acentuará o que ocorreu nos três locais. 

Que a equipe esteja com um nível de concentração alto e possa realizar uma partida satisfatória. Que o "rayo" e os demais jogadores, estejam inspirados para isso.


NOVOS SÓCIOS MIL GRAU

A Comunidade do facebook 'Santos Mil Grau' começou uma campanha em sua página dana rede social para ajudar o Santos a conquistar mais sócios.

A ideia surgiu de um dos membros da comunidade que tem quase 70 mil seguidores no facebook e mais 31 mil no twitter. O advogado Gabriel Aparecido Marques manteve contato com o Blog e explicou: 
"Eu convenci o Fernando, outro colega do grupo a se tornar sócio. Isso há quase duas semanas. Assim que ele recebeu a carteirinha obteve muitas curtidas e assim começou a onda de novas associações." disse o bacharel em direito.  
Segundo os administradores da página, eles acreditam que possam angariar um número acima de três dígitos como novos sócios para a instituição.

strutura.com.br
Leia Mais »

CLASSIFICADO, PORÉM, DERROTA INADMISSÍVEL

Publicado às 08h20 desta sexta-feira, 18 de Maio de 2018.
O Santos está classificado para as quartas de finais da Copa do Brasil. Na noite desta quinta-feira (17), o alvinegro com um futebol econômico, perdeu para o Luverdense, em Lucas do Rio Verde-MT, por 2 a 1. Como havia goleado na partida de ida, na baixada, por 5 a 1, garantiu a passagem a próxima fase da competição, entretanto, a derrota para um adversário que disputa a série C do futebol nacional, com um futebol sofrível não foi nenhum pouco bem digerida.

Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO garantiu em primeiríssima mão na noite de segunda-feira (15), o time viajou para o interior do Mato Grosso sem Victor Ferraz, David Braz, Alison, Gabriel Barbosa e Rodrygo entre alguns titulares. Jair Ventura colocou um time alternativo em campo, onde teoricamente apenas o goleiro Vanderlei (e talvez o meio-campista Jean Mota que atuou na lateral) sejam titulares. Era a chance dos atletas que pouco atuam ,demonstrarem seu potencial, contudo, desperdiçaram nova oportunidade, pois o futebol apresentado pelo Santos foi bem fraco.

O time da Vila ainda saiu na frente, após a saída de bola errada dos donos da casa, o cruzamento de Daniel Guedes de canhota e o gol contra de Paulinho. Mas ainda no primeiro tempo, os mato-grossenses igualaram o placar. 

Logo no inicio da etapa complementar, após bela cobrança de falta, o Luverdense viraria o jogo com Itaqui e mesmo com valores individuais indiscutivelmente de maior quilate que o adversário, o Peixe foi uma caricatura mal feita de um time de futebol. 

O fato de ter que se deslocar de ônibus de Cuiabá a Lucas de Rio Verde por cerca de quatro a cinco horas, não me parecem suficientes para a letargia e o péssimo desempenho do futebol alvinegro, neste meio de semana. Aceito o desentrosamento do time reserva, entretanto, as linhas distantes, a falta de uma melhor compactação, jogadas ensaiadas, ultrapassagens, não existem, inclusive, muda pouco quando atuam os titulares. 

O Santos tem apenas um esquema e forma de jogar. Recuado e explorar os contra-ataques. Falta criatividade do treinador que usou "propaganda enganosa" quando afirmou que não tinha como tirar o DNA ofensivo santista, assim que assumiu o clube e o que se vê é um time reativo, que se preocupa muito em defender e joga atrás da bola.

Que o elenco é carente de melhores valores em algumas posições, é fato, mas falta também falta um trabalho melhor. Já vi times com pior material humano, apresentar um futebol melhor do que o time da Vila, no próprio campeonato nacional. O Santos perdeu 10 dos seus últimos 27 jogos, sob o comando de Ventura, desde que ele assumiu o clube. E para não dizer que não falei das flores, a direção também precisa ousar. O discurso de que o dinheiro acabou é muito simplista. Todos que se candidataram ao posto de mandatário do clube, no fim do ano passado, sabiam que os cofres estão vazios. 

Que a derrota pouco significa em termos de classificação é uma verdade, mas, não podemos ser passivos e aceitar um time bi-campeão do mundo, ser batido da forma que foi como normal. É o nome do Santos que estava em campo. Inadmissível o  Santos finalizar sete vezes e o Luverdense 16.

A equipe volta a campo pelo Brasileiro, neste domingo (20), diante do São Paulo, no Morumbi. Os titulares retornam. Na Copa do Brasil, o alvinegro tem de aguardar o sorteio da CBF para saber qual será o seu adversário.

FICHA TÉCNICA
LUVERDENSE 2 X 1 SANTOS
Estádio Passo das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (RJ)
Público/renda: Não disponibilizados
Cartões amarelos: Paulo Renê (LUV), Daniel Guedes e Copete (SFC)
Gols: Paulinho (contra) (15'/1ºT) (0-1), Paulo Renê (31'/1ºT) (1-1), Itaqui (1'/2ºT) (2-1)
LUVERDENSE: Diogo Silva; Itaqui, André Ribeiro, Kaíque e Paulinho; Moisés (Rubinho, no intervalo), Lorran e Diogo Sodré (Élton, aos 12'/2ºT); Rafael Silva, Lucas Braga e Paulo Renê (Ariel, aos 29'/2ºT). Técnico: Luizinho Vieira.
SANTOS: Vanderlei; Daniel Guedes, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Jean Mota; Yuri (Calabres, 1' 2o.T), Diego Pituca e Vecchio (Vitor Bueno, aos 12'/2ºT); Arthur, Copete (Sasha, aos 26'/2ºT) e Yuri Alberto. Técnico: Jair Ventura.

O Peixe aguarda o sorteio da CBF para conhecer seu próximo adversário na Copa do Brasil.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Não classifico como "frango", mas um goleiro da qualidade do Vanderlei em outras circunstâncias não sofreria o primeiro gol que levou. Tem muito crédito. - 4,5
Daniel Guedes: Belo cruzamento de canhota no gol contra de Paulinho, o único do Santos. Não marcou bem e deixou espaços em seu setor. - 5,0
Luiz Felipe: Não comprometeu na primeira etapa e até teve boa saída de bola. Caiu com o time nos 45 minutos finais. - 5,0
Gustavo Henrique: Faltou sorte no lance do gol. O defensor escorregou antes da conclusão do adversário. - 4,5
Jean Mota: Não apoiou e cedeu alguns espaços. - 4,5
Yuri: Está com pouca sorte. Teve uma lesão no começo do ano que o afastou por um longo período, voltou, sofreu outra e deixou de jogar no fim de semana após uma faringite. Um bom chute de fora da área no começo do jogo. Precisa readquirir ritmo. - 5,0
(Calabres): Podia ter começado o jogo. Após sua entrada, o meio-campo teve uma dinâmica um pouco melhor. - 5,5
Pituca: Tem qualidade e apesar de não ser tão veloz na intensidade, tem uma dinâmica de jogo satisfatória. Pode ser melhor aproveitado. Podia levar nota melhor, mas foi dele o passe errado que proporcionou a jogada do primeiro gol dos mato-grossenses. - 5,5
Vecchio: Teve dificuldade para armar o time. O argentino é segundo volante e não coordenador de jogadas. - 5,0
(Vitor Bueno): Teve uma chance de gol no final da partida. Até tentou algumas assistências na diagonal. Tem mais futebol do que tem apresentado ultimamente. Ainda não foi o Vitor Bueno do fim de 2015 e a revelação do Brasileiro de 2016, após voltar de lesão. - 5,0
Arthur: Recebeu muitas bolas de costas. As poucas que tinha condições de dar sequência. Não evoluíram. É dúvida para o clássico após sofrer entorse no tornozelo. - 4,5
Copete: Como caiu o futebol do atacante estrangeiro com o maior número de gols da história do clube. -4,0
(Sasha): Quando entrou a casa já estava arrombada. Pouco pode fazer. - 5,0
Yuri Alberto: Estava com tesão de aproveitar a oportunidade. Ligado no jogo, roubou bola, finalizou. O menos pior do time. - 5,5
Técnico: Jair Ventura: O time foi o retrato da face do treinador de pé na área técnica. Disperso, sem reação. Acertou em poupar os titulares para a sequência do Brasileiro, porém, precisa se reinventar e não jogar apenas fechado nos contra-ataques. O Santos de hoje só tem um padrão. Se defender. - 4,0
Leia Mais »

SANTOS FECHA PARCERIA COM REDE DE ORTODONTIA ESTÉTICA

Publicado às 13h09 desta quinta-feira, 17 de Maio de 2018.
O Santos irá apresentar no final da manhã desta sexta-feira (18) o seu novo patrocinador. O Blog do ADEMIR QUINTINO apurou e revela que será a empresa Orthopride, especializada em ortodontia estética que também cuidará da saúde bucal dos "meninos da Vila" que integram o departamento amador.

A marca será estampada nos números dos atletas. Pelo que o Blog apurou, o acordo vai até o fim do ano e o Santos receberá R$ 500 mil pelo período, além de todos os jogadores da categoria de base, passam a ter um plano odontológico. 

Não é a primeira vez que a empresa investe no futebol. Ela já anunciou a sua marca no Flamengo e no Volta Redonda, ambos do Rio de Janeiro.

Nesta sexta-feira, o clube convocou uma entrevista coletiva para realizar o anuncio onde estarão presentes o presidente do clube, José Carlos Peres e o atacante Rodrygo.

strutura.com.br
Leia Mais »

FIFA ESTUDA A CRIAÇÃO DE UM SUPER MUNDIAL DE CLUBES

Publicado às 21h50 desta terça-feira, 15 de Maio de 2018.
Após 10 anos da disputa de sua última participação em um Mundial de Clubes, o Santos pode voltar a disputar a competição em 2021. O jornal catalão Mundo Deportivo em sua edição desta terça-feira (15) afirma que o Conselho Consultivo da Fifa se reunirá dias antes do inicio da Copa do Mundo de Seleções, na Rússia, que começa daqui a 29 dias e pode homologar uma disputa com clubes convidados e entre eles, o alvinegro praiano. 

Há cerca de 30 dias, o britânico "The Guardian" já havia publicado a mesma informação. O periódico espanhol cita o Santos e o Flamengo, como dois dos possíveis convidados entre os clubes sul-americanos, entretanto, os escolhidos serão os maiores vencedores dos continentes até 2021. Não há confirmação do critério a ser utilizado, caso o torneio seja realizado.

O Mundo Deportivo cita que a entidade máxima do futebol mundial estaria disposta a chamar como convidados, além dos dois brasileiros supracitados, os europeus Barcelona, Real Madrid, Manchester United, Milan, Internazionale e Juventus e os sul-americanos Peñarol , Nacional do Uruguai, além dos argentinos River Plate e Boca Juniors.

A ideia inicial e que 24 clubes disputem a competição em 18 dias em uma sede única, com oito grupos com três times em cada chave. Apenas o primeiro colocado se classifica e à partir de então, quartas de finais, semifinais e a grande decisão.

A Fifa pretende, caso a ideia seja aprovada, com que o torneio seja disputado a cada quatro temporadas, assim como o Mundial de Seleções. A primeira já teria até uma data definida entre os dias 10 e 28 de junho de 2021 e a China como maior favorita a receber a competição.

strutura.com.br
Leia Mais »

MISTÃO NO MATO GROSSO

Publicado às 21h15 desta segunda-feira, 14 de Maio de 2018.
Após duas vitórias consecutivas, onde em uma delas, o Santos encaminhou a classificação com uma vantagem significativa, a delegação com o elenco de profissionais viaja nesta terça-feira da manhã com destino a Lucas de Rio Verde, onde na quinta-feira (14), o time enfrenta a Luverdense, às 19h15, na partida de volta das oitavas de finais. Como venceu por 5 a 1, o time praiano pode perder até por três gols de diferença que ainda assim carimba vaga na próxima fase. Alguns jogadores titulares não viajarão ao interior do Mato Grosso.

Pelo que o Blog do ADEMIR QUINTINO apurou, Jair Ventura vai poupar alguns titulares da viagem. Entre eles, os atacantes Gabriel Barbosa e o 'rayo' Rodrygo, o ala Victor Ferraz, o volante Alison e o zagueiro David Braz. Na entrevista coletiva após a vitória sobre o Paraná, o treinador Jair Ventura disse que ia aguardar os departamentos médicos e de fisiologia para definir a lista para a viagem.

Em compensação, o meio-campista Cittadini, recuperado de um entorse no tornozelo, deve reaparecer no time.

A logística para viagem é desgastante. Os relacionados deixam o CT Rei Pelé, às 7h da manhã desta terça-feira (15) e vão de avião até Cuiabá-MT. No mesmo dia, ás 16h, horário local (17h brasília), o time realiza um treinamento no CT do Cuiabá EC. No dia seguinte, quarta-feira (16),  a delegação encara quase 350 Km até a cidade do interior de ônibus por mais quatro horas e meia aproximadamente e treina às 16h (17h brasília) no Estádio Passo das Emas.

O treinador Jair Ventura só deve definir o time que começa a partida em território mato-grossense. 

strutura.com.br
Leia Mais »

LIÇÃO DE CASA

Publicado às 08h desta segunda-feira, 14 de Maio de 2018.
Após duas derrotas consecutivas no Brasileiro, o Peixe voltou a vencer na competição, ao bater o Paraná por 3 a 1, na Vila Belmiro. Os gols foram de Rodrygo, o primeiro dele no time profissional no estádio Urbano Caldeira e dois de Gabriel Barbosa. Silvinho descontou para os visitantes.

Com diversos desfalques no departamento médico (Yuri, Bruno Henrique, Cittadini, David Braz, Renato e Guilherme Nunes), Jair Ventura manteve o mesmo time da última quinta-feira (10), que goleou a Luverdense por 5 a 1 com Gustavo Henrique no miolo da zaga e Vitor Bueno no meio-campo.

Apesar do comandante técnico santista ter afirmado o contrário do que vou escrever, na entrevista coletiva, após a partida, o Santos foi de uma falta de criatividade, passividade e demonstrou a tal dificuldade de propor jogo de forma absurda nos primeiros 45 minutos. As melhores chances na etapa inicial foram nos contra-ataques do time paranista. O futebol da primeira etapa do clube praiano foi sofrível diante do lanterna que oferecia perigo sempre com Silvinho (ex-São Paulo, Penapolense, Ponte Preta e Criciúma).

Porém, veio a segunda etapa e um gol logo no início, o primeiro do "rayo" Rodrygo na Vila, o segundo dele no Campeonato Brasileiro e o sexto na temporada, modificaram totalmente o panorama do jogo. O time de Curitiba tinha de sair para o jogo e começou a oferecer espaços. Daí em diante, mesmo com dificuldade na construção das jogadas, o Peixe conseguiu ampliar com dois gols de Gabriel Barbosa.

E para não dizer que não falei das flores, o público decepcionou novamente com menos de 4 mil testemunhas. Os valores praticados também colaboram, mas nada, absolutamente nenhuma razão, nem mesmo a desconfiança com o futebol econômico do time, justifica tão pouca gente. A região abandonou o clube e com preços do ticket médio de 60 à 120 reais, fora da realidade da vida do trabalhador, em um estádio que não sofre reformas há muito tempo, sem o conforto das arenas, a decisão da direção torna esta equação infalível para um público pífio.

Após oito gols, o Peixe está recuperado da goleada sofrida no Sul do país? Não, absolutamente. Ambos os adversários são de baixa qualidade técnica e mesmo o segundo, sendo um clube de série A, se não reforçar, está fadado a voltar a série B, o ano que vem, tanto que em quatro jogos, empatou um e perdeu outros três. E mais, preocupante o time atuar de forma satisfatória apenas nos 45 minutos finais nos dois jogos. Com um adversário mais forte será fatal uma má nova performance no primeiro tempo.

Na quinta-feira (17), às 19h15, o alvinegro volta a campo diante do Luverdense, em Lucas do Rio Verde, em partida de volta das oitavas de finais da Copa do Brasil. O bom senso pede que Jair Ventura mande um time alternativo, já que a vantagem é significativa construída no jogo de ida. Pelo Brasileirão, o alvinegro encara o São Paulo, no Morumbi, às 16h, no próximo domingo (20).

FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 X 1 PARANÁ
Estádio da Vila Belmiro, Santos (SP)
Árbitro: Wagner Reway (Fifa/MT)
Público/renda: 3.971 pagantes/R$ 140.110,00
Cartões amarelos: Gabriel (SFC), Vitor Feijão e Torito González (PAR)
Gols: Rodrygo (1'/2ºT) (1-0), Gabriel Barbosa (13'/2ºT) (2-0), Gabriel Barbosa (30'/2ºT) (3-0), Silvinho (47'/2ºT) (3-1),
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Dodô; Alison (Vecchio, aos 33'/2ºT), Vitor Bueno (Pituca, aos 26'/2ºT) e Jean Mota; Gabriel Barbosa, Sasha e Rodrygo (Arthur, aos 30'/2ºT). Técnico: Jair Ventura.
PARANÁ: David; Alemão, Jesiel, Rayan e Igor (Júnior, aos 29'/2ºT); Wesley Dias, Torito González (Alex Santana, aos 24'/2ºT) e Caio Henrique; Léo Itaperuna (Vitor Feijão, aos 17'/2º), Silvinho e Carlos. Técnico: Rogério Micale.


O "rayo" marcou seu primeiro gol na Vila. Foi o segundo no Brasileiro e o sexto na temporada.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Sem culpa no gol sofrido. Nas poucas vezes que trabalhou, já que o adversário só saiu para o jogo após o 1 a 0, correspondeu como de costume. - 6,5
Victor Ferraz: No apoio, por dentro (quando avança vai pelo meio como meia), funcionou nas tabelas e começou a jogada do segundo gol. - 6,5
Lucas Veríssimo: Vive um grande momento. Não perdeu uma divida e no começo do jogo, fez a cobertura até de seu companheiro Gustavo Henrique pelo lado esquerdo do campo.- 7,0
Gustavo Henrique: Perdeu na velocidade as três primeiras bolas da partida. Depois se recuperou no jogo e foi bem. - 6,0
Dodô: Tem muito recurso com a bola nos pés. É o jogador mais técnico do time. Quando Gabriel Barbosa invertia de lado com Rodrygo, preferia não apoiar tanto e guardava mais a posição. - 6,5
Alison: Bem posicionado na marcação. Saiu aplaudido pelo torcedor do Santos que reconhece sua dedicação. -  6,5
(Vecchio): Jogou apenas 12 minutos. Com ele no time o passe melhora. - 6,5
Vitor Bueno: Quase não pegou na bola no primeiro tempo. Na segunda etapa, apareceu mais no jogo. - 6,0
(Pituca): Entrou para dar qualidade no passe e manter a marcação forte. - 6,0
Jean Mota: A mesma análise do Vitor Bueno. Discreto no primeiro tempo, melhor no segundo. - 6,0
Gabriel Barbosa: Fez o que se espera dele, gols. Bem colocado, marcou dois. - 7,5
Sasha: Joga para o time. Atleta de grupo. Deu as duas assistências dos dois primeiros gols. Jogou centralizado, como centroavante e não aberto por um dos lados. - 7,0
Rodrygo: Na quinta-feira, jogou muito mais do que neste fim de semana e o primeiro gol na Vila não saiu. Neste domingo, fez primeiro tempo discreto, mas abriu a porteira com seu gol e fez jogadas pelos lados de campo em seguida. - 7,0
(Arthur): Entrou e deu maravilhosa assistência para o terceiro gol do Peixe, o segundo de Gabriel Barbosa. - 7,0
Técnico: Jair Ventura: O treinador deve ter assistido outra partida, não é possível ele afirmar que gostou mais do primeiro tempo quando a equipe nada criou. É subestimar demais quem acompanhou o jogo. Na segunda etapa, o Santos passeou e dominou as ações. As alterações feitas também colaboraram. O time perdeu na pegada, mas ganhou passe com Pituca e Vecchio e Arthur, entrou inspirado e na sua primeira jogada deu a assistência do terceiro gol. - 6,5
strutura.com.br
Leia Mais »

SÓ A VITÓRIA INTERESSA

Publicado às 22h30 deste sábado, 12 de Maio de 2018.
Na segunda metade da tabua de classificação e bem próximo da zona de rebaixamento, não existe outro resultado que interesse ao Santos, que não seja o de vitória, diante do Paraná, às 19h, no estádio da Vila Belmiro, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. Pela competição nacional é a primeira vez que o alvinegro volta a campo, após o desastre de domingo passado, diante do Grêmio-RS, quando foi impiedosamente goleado por 5 a 1.

Para o duelo diante do lanterna do Campeonato, o técnico Jair Ventura deve repetir a mesma formação que venceu o Luverdense na última quinta-feira (12). Braz não se recuperou das dores musculares e apesar de estar concentrado, não deve reunir condições de iniciar a partida. Com isso, Gustavo Henrique será confirmado na defesa. No meio, Cittadini com entorse desfalca o time uma vez mais e Vitor Bueno será o responsável pela armação com Jean Mota mais recuado.

Cercado de desconfiança após duas derrotas seguidas no torneio nacional, o Peixe terá de mostrar ao seu torcedor que o triunfo diante do time Mato-Grossense na Copa do Brasil, não foi fruto apenas da má qualidade técnica do adversário e que o time tem condições de se recuperar e ter uma sequência digna tanto nos torneios nacionais como na Libertadores da América.

Se as informações do Blog do ADEMIR QUINTINO forem confirmadas (o comandante técnico não fornece a lista de relacionados, muito menos dá indícios do time titular) o alvinegro começa o duelo diante dos paranistas com Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e Dodô; Alison, Jean Mota e Vitor Bueno, Sasha, Gabriel Barbosa e Rodrygo.

strutura.com.br
Leia Mais »
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by