FOTO CAPA

UM SHOW DE HORRORES

Publicado às 23h33 desta segunda-feira, 12 de novembro de 2018.
O Santos desperdiçou uma nova oportunidade de pela primeira vez entrar no G-6. Recheado de desfalques, desentrosado e com um futebol sofrível, o alvinegro perdeu para a Chapecoense, dentro do Pacaembu. na noite desta segunda-feira (12), por 1 a 0. Foi a primeira vitória dos catarinenses fora de casa e a primeira derrota de Cuca como mandante no Brasileirão (ele perdeu na estréia na Vila, entretanto foi pela Copa do Brasil).

Parece que o torcedor alvinegro já antevia que a partida seria difícil. Em meu último post, cheguei a classificar o jogo como "perigoso" e muitos ameaçaram algumas críticas. Apenas 10,7 mil pagantes (12,6 mil presentes)  foram ao próprio da municipalidade paulistana para incentivar o time de Cuca.

O treinador santista não teve seis jogadores. Luiz Felipe e Lucas Veríssimo no departamento médico; Gabriel Barbosa, Victor Ferraz e Pituca suspensos, além de Bambu que terminou o contrato e não renovou seu vínculo. Alison começou improvisado como zagueiro (no segundo tempo, trocou com Yuri), Daniel Guedes na lateral-direita, Copete pela esquerda do ataque, Sasha como referência e o Santos teve uma das piores se não a mais fraca atuação na era Cuca.

Até que nos primeiros 10 minutos, na bola parada a equipe chegou em uma oportunidade e parou aí. O ex-treinador santista Claudinei Oliveira da Chapecoense, sabedor que o Peixe tinha jogadores improvisados em algumas posições, como na defesa, por exemplo, mandou seu ataque marcar pressão na saída de bola. Foi a senha para o time santista se desajustar e o time de Chapecó viu que o "bicho não era tão bravo" e abriu o marcador em uma bola parada que Vanderlei ameaçou sair, voltou e Bryan Ruiz não acompanhou Leandro Pereira. Esse centroavante tem o hábito de marcar sempre contra o time do Peixe, desde os tempos de Palmeiras. Deixou mais um.

Na segunda etapa, Cuca recuou Dodô para terceiro zagueiro e montou uma linha de três jogadores apenas na defesa. Sacou Daniel Guedes e Bryan Ruiz e colocou os meninos revelados na base Rodrygo, que só não foi titular porque se recuperou de uma virose e deixou de treinar três dias na semana passada e Arthur, que tinha ido bem contra o SCCP, há algumas semanas. Tudo levava a crer que o Peixe intimidaria. Doce ilusão.

O Santos na etapa final errou 47 passes e nenhum chute ao gol de Jandrei. Não dá nem para lamentar o resultado, já que a produtividade foi pífia.

Como não existe nada ruim que não possa piorar, o Santos agora vai realizar dois jogos seguidos fora de casa, diante de Flamengo e América-MG. Apesar dos retornos de Victor Ferraz, Pituca e Gabriel Barbosa, Cuca não terá o futebol de Derlis, Sánchez e Bryan Ruiz para esses confrontos. Os três vão defender as suas respectivas seleções - Paraguai, Uruguai e Costa Rica, em amistosos internacionais de data Fifa.

Com cinco rodadas para o término da competição, o alvinegro tem verdadeiras decisões nessas partidas com apenas dois mandos- um deles diante de um concorrente direto, o Atlético-MG. Com a vitória do outro Atlético, o Paranaense, o time da Vila caiu para a oitava colocação, mas a diferença entre os três é de apenas de um ponto. Ainda dá para obter a sexta colocação e ir a pré-Libertadores, mas o caminho poder-se-ia ficar mais fácil com uma atuação melhor e os pontos conquistados. Para quem tem objetivos no Brasileiro, não pode se dar o direito de perder em casa para o penúltimo colocado.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 0 X 1 CHAPECOENSE
Estádio do Pacaembu - São Paulo (SP)
Árbitro: Rafael Traci (PR)
Público/renda: 10.792 pagantes (12.659 presentes) /R$ 334.014,50
Cartões amarelos: Alison e Yuri (SFC), Márcio Araújo (CHA)
GOL: Leandro Pereira (28'/1ºT) (0-1)
SANTOS: Vanderlei; Daniel Guedes (Rodrygo, no intervalo), Alison, Gustavo Henrique e Dodô; Yuri, Carlos Sánchez e Bryan Ruíz (Arthur, no intervalo); Derlis, Copete (Bruno Henrique, aos 25'/2ºT) e Sasha. Técnico: Cuca.
CHAPECOENSE: Jandrei; Eduardo, Douglas, Fabrício Bruno e Bruno Pacheco; Amaral, Marcio Araújo e Canteros (Elicarlos, aos 32'/2ºT); Leandro Pereira, Doffo (Vinicius, aos 18'/2ºT) e Wellington Paulista (Luiz Otávio, aos 43'/2ºT). Técnico: Claudinei Oliveira.

Rodrygo entrou no segundo tempo como armador e não pela beirada do campo.
NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Não sou goleiro, mas vou relembrar uma frase de Emerson Leão, meu ex-companheiro de Esporte Interativo e técnico do título brasileiro do Peixe em 2002, que foi um dos maiores da história desse país, debaixo dos três paus. O camisa 1 teve uma leve "participação de culpa". No lance do gol ameaçou sair e resolveu voltar. - 5,0
Daniel Guedes: A bola não chegou para os cruzamentos, sua maior qualidade e as poucas que chegaram, o jogador não desenvolveu. Foi substituído. - 5,0
(Rodrygo): Deu um pouco mais de velocidade na transição do meio para o ataque, mas não o suficiente para abastecer alguém em condições de finalização. Entrou como coordenador de jogadas, que não é sua real posição. Funciona melhor pelo lado. - 5,5
Alison: Errou muitos passes. Melhorou na segunda etapa, quando retornou para a sua posição. - 5,0
Gustavo Henrique: Único defensor de ofício. No gol, subiu, tocou na bola, mas não conseguiu desviar a ponto de a mesma deixar a área. - 5,5
Dodô: A exemplo dos demais, também foi contagiado pela desorganização e a péssima partida técnica das principais referências do time. No segundo tempo, virou terceiro zagueiro. - 5,0
Yuri: Melhorou na segunda etapa, quando virou defensor. Muitas dificuldades na marcação. - 5,0
Sánchez: Tentou armar a equipe, mas isolado, desapareceu. - 5,0
Bryan Ruíz: Não tem a intensidade que a posição exige. Tentou da sua maneira armar o time, mas também não conseguiu. Vacilou no lance do gol ao deixar Leandro Pereira sozinho na pequena área no momento da finalização.  Foi substituído. - 5,0
(Arthur): Tentou dar velocidade pelo lado esquerdo do campo, mas não levou a melhor sobre os marcadores. - 5,0
Derlis: Não é habilidoso, mas guerreiro e o único que tentou algo. No segundo tempo virou ala. - 5,5
Copete: Dificuldade de domínio da bola. Errou quase tudo que tentou. Mal no ataque e quando virou ala foi tímido. - 4,5
(Bruno Henrique): Melhor que Copete e no jogo aéreo, que ele é muito forte, ganhava a primeira bola, mas ninguém aproveitou para concluir a gol. Pouco tempo em campo. - 5,0
Sasha: Não é homem de referência e jogou de costas. Nenhuma bola em condição de finalizar. - 5,0
Técnico: Cuca: Errou ao escalar Alison na zaga e Yuri no meio. No segundo tempo corrigiu o erro. Mesmo com as substituições não conseguiu fazer com que o time ao menos finalizasse, mesmo com maior posse de bola. - 5,0

strutura.com.br
Leia Mais »

VALE VAGA NO G-6

Publicado ás 20h05 deste domingo, 11 de novembro de 2018.
O Santos tem nova chance de entrar definitivamente no grupo que vai disputar no mínimo a pré-libertadores, o ano que vem. Em busca de reabilitação, após perder o clássico para o Palmeiras e beneficiado pelo sexto jogo que o Atlético-MG não vence, o Peixe, se derrotar a Chapecoense, nesta segunda-feira (12), no Pacaembu, às 20h, termina a rodada na sexta colocação e pela primeira vez na competição entra no G-6.

Mas a tarefa, apesar de os catarinenses ocuparem apenas a 19a. colocação, ficou um pouco mais difícil, em razão de sete desfalques. Desde que Cuca chegou a Vila Belmiro, na segunda metade de Julho, o treinador nunca teve tantos problemas para escalar a equipe.  

Os sete desfalque são três jogadores suspensos: Pituca expulso no Allianz Parque, além de Victor Ferraz e Gabriel Barbosa que receberam o terceiro amarelo; mais dois no departamento médico: Luiz Felipe e Lucas Veríssimo. Rodrygo que ficou três dias sem treinar durante a semana em razão de ter tido febre, deve ficar apenas no banco de reservas como opção. O último é Robson Bambu, que o contrato acabou neste sábado (10) e como não renovou, não atuará mais pelo Santos e deve assinar nos próximos dias com o Atlético Paranaense. 

Sendo assim, Cuca quebra a cabeça para montar o time. Na zaga como conta apenas com Gustavo Henrique entre os quatro atletas do setor que utilizava, o técnico deve improvisar Yuri, que atuou algumas vezes pelo setor quando o comandante era Dorival Junior em 2016. Kaique Rocha, defensor de destaque do sub-17, vai ficar no banco dos profissionais pela primeira vez. 

Na ala-direita, a troca é pura e simples. Sem o titular e capitão Victor Ferraz, Daniel Guedes é o substituto imediato. No meio-campo, o treinador pode colocar uma escalação mais ousada com Bryan Ruiz no setor ou ainda retornar com o jovem Arthur, destaque contra o Corinthians há algumas rodadas. Se ele for o escolhido, o jovem revelado na base vai revezar com Carlos Sánchez pela direita do ataque.

Já na frente para substituir o artilheiro do campeonato - Gabriel Barbosa, Sasha será o encarregado do setor e Copete, autor de um dos gols diante do Palmeiras herda a vaga do jovem Rodrygo.

Se as modificações supracitadas pelo Blog do ADEMIR QUINTINO se confirmarem, o alvinegro entrará em campo com Vanderlei; Daniel Guedes, Yuri, Gustavo Henrique e Dodô; Alison , Carlos Sánchez e Arthur (Bryan Ruiz); Derlis González, Copete e Sasha.

As vendas de ingressos até o momento para o jogo deste início de semana foram baixas - menos de seis mil. A expectativa é de que entre 13 e 15 mil pessoas, no mínimo, compareçam ao próprio da municipalidade paulistana para empurrar o time em busca dos três pontos desejados.

Com os jogos já finalizados do fim de semana, o Santos ocupa a oitava colocação do Brasileirão com 46 pontos. Se empatar, assume o sétimo lugar que hoje é do Atlético Paranaense que tem os mesmos 46, mas ganha do alvinegro no critério de desempate. Se vencer, pula para 49 e se isola na sexta colocação, colocação mínima necessária para carimbar vaga a pré-Libertadores da América de 2019. Após o jogo de amanhã restarão apenas cinco rodadas para o término do Campeonato de pontos corridos.


2o. SANTOS DAY EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

Neste sábado (10), tive a satisfação de ser convidado pela Embaixada do Santos no Vale do Paraíba e participei do 2o. Santos Day. O evento aconteceu no Shopping Colinas, em São José dos Campos. 

Mais de 400 alvinegros compareceram e tiveram a oportunidade de conversarem e tirarem fotos com os craques do passado Alberto (2002) e Dema (1984). Também estiveram presentes os mascotes Baleinha e Baleão, além da Santos Store de Guarulhos que montou uma tenda para a venda de produtos licenciados e oficiais do clube à disposição dos torcedores.

Por sinal, o trabalho das Embaixadas - tanto as já estabelecidas, como a das provisórias, tem sido sensacional, trazendo os torcedores santistas do interior e de outros Estados, mais próximos da instituição.

Agradeço o carinho de cada alvinegro de São José dos Campos, Taubaté, Caçapava, Jacareí, Pindamonhangaba, Guararema,  Guaratinguetá, Lorena e Cruzeiro que compareceram para tirar uma fotografia, pedir um autógrafo ou simplesmente conversar comigo sobre o alvinegro praiano. Sou grato por todo esse carinho.

Por fim, meus cumprimentos ao Embaixador do Peixe na região - Àlvaro Pivetta, pelo sucesso do evento, por lembrar do meu trabalho e principalmente da minha 'santistidade' ao me convidar para prestigiar a festa.

Já tenho outros convites de Embaixadas e torcidas que confirmei presença no fim deste ano. São eles: Monte Alto (24), Curitiba (1), São Paulo (8) e Laranjal Paulista (9).


strutura.com.br


Leia Mais »

SETE DESFALQUES E JOGO PERIGOSO

Publicado às 19h30 desta sexta-feira, 9 de novembro de 2018.
O treinador Cuca nunca teve tantos problemas para escalar o Santos, desde que retornou ao clube. Para o duelo diante da Chapecoense, na próxima segunda-feira(12), no estádio do Pacaembu, o treinador não contará com mais da metade dos titulares. São três suspensos: Pituca, Victor Ferraz e Gabriel Barbosa, dois no departamento médico: Luiz Felipe e Lucas Veríssimo, um que treinou pouco em razão de ter tido febre - Rodrygo e deve ficar no banco e outro, Bambu, que vai embora pois o contrato acaba neste sábado (10). 
"Um jogo atípico. Pela primeira vez, tivemos tantas baixas ao mesmo tempo. Lucas Veríssimo, Luiz Felipe, Victor Ferraz, Pituca, Gabriel e Rodrygo com febre não treinou desde o jogo contra o Plameiras (treinou nesta sexta-feira pela primeira vez), além do Róbson Bambu, em fim de contrato. São sete baixas, sendo seis titulares e um suplente imediato" avaliou o comandante técnico.
Cuca também falou durante a entrevista sobre o próximo adversário do Peixe. O alvinegro busca a reabilitação após a derrota no clássico diante do Palmeiras. Já o time catarinense dirigido por Claudinei Oliveira, luta para sair da zona de rebaixamento e ocupa a 19a. colocação do campeonato.
"Vi Chapecoense e Bahia. Eles (Chapecoense) não jogaram tão atrás. Mas o que me preocupa é eu armar a minha equipe certa e manter o padrão de jogo que a gente vem tendo. Mesmo na derrota jogamos bem." afirmou o técnico.
O comandante santista se esquivou quando questionado sobre se já pensa em 2019 e daria paz a torcida com o 'fico' da sua permanência. Garantiu que a preocupação ainda é com o ano vigente e confirmou que esteve reunido com o presidente José Carlos Peres:
"Uma reunião entre eu, ele (o presidente), Dimas e Renato. Não podemos planejar 2019, sem saber o que vamos disputar? Mais do que quantos jogadores o presidente vai trazer, precisa é a permanência de jogadores e buscar essa vaga a Libertadores. São seis decisões que nós temos.", desconversou o técnico.

Dr. Alba trabalhou 12 anos no Santos em sua primeira passagem.
PEDIDO DE DEMISSÃO E CRÍTICAS

Após a demissão do médico Thiago Ribeiro, profissional renomado com oito anos no Santos F.C, no dia 10 do mês passado, o departamento tem mais uma baixa. O médico Carlo Alba afirmou em breve contato com o Blog do ADEMIR QUINTINO que entregou uma cartão de demissão ao presidente José Carlos Peres. O ortopedista, traumatologista, cirurgião de joelho e médico do esporte retornou ao clube após seis anos (ele tinha trabalhado no Peixe de 1995 à 2012)  e depois de oito meses como um dos seis médicos do departamento neste ano, pediu dispensa.

Alba apoiou a chapa do atual mandatário José Carlos Peres, nas eleições de dezembro do ano passado. O médico disse ao Blog que não concorda com o rodízio de profissionais que acontece na base e no time profissional e por essa e outras razões prefere sair:
"Meu pedido de demissão não tem viés político e sim técnico. Não concordo com o rodízio médico que existe. Qual outro clube tem isso? Não sou o dono da verdade, mas não compactuo. Voltarei as arquibancadas, sem problema algum. Como você pode contratar um jogador de três meses de inatividade? Um jogador com pubalgia crônica, uma das lesões mais traiçoeiras do futebol. Discute com o corpo médico. O que somos, enfeites? Bonecos? Uma pessoa toma a decisão e pronto?" disse Alba se referindo a contratação do centroavante Felippe Cardoso que estava sem jogar desde Maio na Ponte Preta e que pelo Santos, atuou apenas alguns minutos diante do São Paulo, desde que foi contratado. 
O Blog apurou que um laudo foi entregue aos dirigentes alvinegros, assim que Felippe Cardoso realizou exames médicos no clube. No documento constam anotações que o centroavante só teria suas melhores condições em 2019. 

O técnico Cuca, que pediu a contratação do atleta a época, disse na coletiva que conta com a volta do atacante, ainda nesta temporada e falou que se surpreendeu ao saber que o médico de quem disse ser amigo pessoal, tinha pedido demissão.
"Tem que ter calma. Faltam seis jogos para o fim do Campeonato. Me parecem que são questões a serem discutidas, mas o Santos tem um grande departamento médico. Uma excelente fisioterapia. Não deve nada para ninguém. De repente faltou um ajuste de idéias. O Merouço (coordenador) é um médico experiente e tem o apreço de todos também". finalizou o treinador.
O clube emitiu uma nota e a instituição preferiu não se posicionar sobre o assunto:
"O Santos Futebol Clube declara para devidos fins que não se manifesta a respeito de reestruturações, demissões ou demais questões internas. O clube entende que as discussões sobre temas administrativos devem ser tratados com descrição e total profissionalismo. Tal procedimento atende aos critérios impostos pelo clube desde o início da gestão."  

Shopping Colinas em São José dos Campos.
FESTA EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

Neste sábado (10), estarei à partir das 10h da manhã, no Shopping Colinas, em São José dos Campos, na 2a. edição do Santos Day, realizado pela Embaixada do Santos no Vale do Paraíba. 

Também foram convidados e estarão presentes o atacante Alberto, campeão em 2002 e o volante Dema, campeão paulista em 1984.

Agradeço o convite do embaixador de São José Àlvaro Pivetta pelo convite. Será um enorme prazer receber o carinho dos presentes a festa.

strutura.com.br
Leia Mais »

VAI GANHAR DE ALGUM TIME DO G-8?

Adicionar legenda
Sem ainda ter vencido nenhum dos integrantes entre os oito primeiros colocados do Brasileirão, o Peixe, para ir a Libertadores em 2019, terá apenas duas oportunidade para  quebrar essa escrita. O primeiro deles será o Flamengo, na próxima quinta-feira, feriado nacional, no Maracanã.

Dois dos seis últimos adversários do Santos na competição estão entre os primeiros colocados e um deles é concorrente direto pela última vaga no torneio continental - o Atlético Mineiro. Ambos tem 47 pontos. 

O alvinegro da Vila enfrenta a Chapecoense, vice-lanterna, na próxima segunda feira (12), no Pacaembu e depois vai realizar dois jogos como visitantes - Flamengo, terceiro colocado e América Mineiro, antepenúltimo colocado, no domingo (18), em Belo Horizonte.

Depois desses três jogos, o Peixe retorna para duas partidas em casa e um deles, um confronto direto. O time de Cuca pega o Botafogo-RJ, 14o. colocado e em seguida, o  tão esperado duelo contra o Galo, que hoje divide a sexta colocação com o Glorioso da Vila e não vence há cinco jogos. Entretanto, no critério de desempate, os mineiros levam vantagem em relação ao alvinegro do litoral, pois tem 13 vitórias, enquanto os santistas tem 12. O enfrentamento entre os times está agendado para o dia 24 e é válido pela penúltima rodada.

Por fim, o Santos encerra a participação no campeonato nacional diante do Sport, que vem em franca recuperação, no começo do mês que vem, em Recife. Os pernambucanos ocupam o 16o. lugar.

O presidente José Carlos Peres.
PLANEJAMENTO E CAIXA VAZIO

Paralelamente aos resultados que o time precisa obter para conquistar seu último objetivo no ano, o Santos terá que ir ao mercado para elaborar o elenco para a temporada seguinte. Segundo o presidente José Carlos Peres, quando do anúncio do novo Executivo do futebol - o meia Renato, que se aposenta no fim da temporada, o clube já planejaria o ano de 2019, em outubro.

Apesar das inúmeras especulações, o Blog do ADEMIR QUINTINO apurou que o clube não realizou nenhuma proposta oficial a algum atleta que possa interessar. 

O numerário correspondente a 50% da venda de Rodrygo, depositada no fim do mês de julho, entrou no fluxo de caixa e já acabou. Parte dos 20 milhões de euros que entraram nas contas bancárias do clube (aproximadamente R$ 90 milhões de reais) foi responsável pela vinda dos estrangeiros Bryan Ruiz e Sanchez.  

Rodrygo custou aos espanhóis 45 milhões de euros (R$ 252 milhões de reais), sendo que 40 milhões de euros (R$ 180 milhões) são do Santos, em duas parcelas (um já efetuada e a outra quando o jogador desembarcar no clube merengue) e o restante é da família do atleta que era dono de um percentual dos direitos econômicos.

Segundo o balancete que foi discutido na reunião de junho do Conselho Deliberativo do clube,  somente nos primeiros três meses de 2018, o clube acumulou um prejuízo de R$ 18.103.106,00 no período, contra um orçamento que previa lucro de R$ 37.480.702,00, resultando em uma diferença nominal negativa de R$ 55.583.808,00 (–148%).

strutura.com.br
Leia Mais »

SÃO PAULO QUER VANDERLEI. HUDSON DE VOLTA A VILA?

Publicado às 09h39 desta terça-feira, 6 de novembro de 2018
O São Paulo realmente tem interesse no futebol do goleiro Vanderlei. O presidente do São Paulo Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, procurou o presidente do Santos José Carlos Peres para tratar do assunto. 

Semana passada, o site do alvinegro publicou uma nota oficial onde afirma que o Peixe não tem  interesse em negociar o camisa 1 que tem contrato com o clube até o fim de dezembro de 2020. Entretanto, o Blog do ADEMIR QUINTINO apurou que se a proposta for interessante financeiramente, o Peixe vai abrir negociação.

O tricolor não deseja pagar R$ 30 milhões, valor pretendido pelo Santos pelo arqueiro e acena com a possibilidade de uma proposta nos próximos dias de um valor em espécie, mais um jogador. 

Vanderlei tem contrato até dezembro de 2020.
O técnico Cuca já revelou que gostaria de mais um volante no elenco para a temporada seguinte. O Blog apurou que o comandante técnico é fã do futebol do são paulino Hudson, revelado pelo técnico Leão, em sua última passagem pelo Peixe, na década passada, entretanto, as desavenças públicas entre o atual treinador santista e o mandatário alvinegro Peres, tem tido, não se sabe se o profissional permanecerá na Vila Belmiro até o fim de seu contrato que é dezembro de 2019. 

Quando o Alex Stival desembarcou na Vila, ficou acordado que não teria multa caso uma das partes, não tivesse mais interesse em permanecer com a outra. 

Cuca faz ótimo trabalho no Santos e tem muito mercado. No Morumbi, com os últimos resultados de Aguirre, não é sabido se o uruguaio permanecerá. O contrato do atual comandante tricolor termina no final desta temporada.

strutura.com.br
Leia Mais »

OPORTUNIDADE DE ENTRAR NO G-6 DESPERDIÇADA

Publicado às 22h43 deste sábado, 3 de novembro de 2018.
O Santos teve a oportunidade de entrar definitivamente no G-6, mas deixou escapar. Com muitos erros individuais, o Peixe foi pro vestiário perdendo por dois gols, chegou a empatar a partida, mas acabou derrotado por 3 a 2 para o Palmeiras, na noite deste sábado (3), no Allianz Parque. Os gols do Peixe foram de Copete e Dodô.

O Atlético-MG, sexto colocado também saiu derrotado ao jogar horas antes e perder em casa para o Grêmio por 1 a 0. Os mineiros colecionam cinco jogos sem vitórias. Se o Peixe conseguisse ao menos um empate, assumiria a posição do Galo e entraria pela primeira vez na zona da Pré-Libertadores.

Apesar de muitos gols, eu não vi o clássico deste fim de semana, apesar dos gols, como uma grande partida de futebol. Santistas e Palmeirenses exageraram nos erros e deram condições de as defesas serem vazadas em grande quantidade. 

Cuca resolveu sacar Bruno Henrique e começou a partida com Derlis no ataque pelo lado direito, com isso, Rodrygo voltou para a esquerda, mas os primeiros 45 minutos do alvinegro foram sofríveis. 

O primeiro gol dos donos da casa começou com a saída do goleiro Weverton que passou a bola ao ala Jean e o palmeirense entrou como quis, sem nenhum meio-campista sequer fazer sombra. Ele achou Borja que finalizou e Vanderlei espalmou para o lado, após um leve desvio de Luiz Felipe, e no rebote, sem nenhum acompanhamento Dudu abriu o marcador.

Logo em seguida, escanteio e Edu Dracena que ainda não havia marcado com a camisa alviverde se desvincilhou com facilidade de Dodô e ampliou o marcador. A vantagem que o líder do campeonato foi para o intervalo era bem significativa.

Cuca resolveu mexer por atacado e não pecar por omissão. Sacou Alison e Rodrygo para as entradas de Bryan Ruiz e Copete. O time da Vila ganhou na estatura aérea. Com essas alterações, o técnico recuou Pituca para a cabeça de área e ficou com um meio-campo menos pegador, porém, mais criativo. A tática foi meio kamikaze? Foi, entretanto, o comandante técnico foi premiado pela ousadia e o Santos igualou o placar com uma atuação que mudou da 'água para o vinho'. Primeiro com Copete que ficou com uma bola espirrada e diminuiu para os visitantes. Em seguida, Dodo ficou com novo rebote da defesa do time paulistano e empatou a partida aos 19 minutos da etapa final.

Quando a igualdade parecia ser o mais provável destino do resultado do clássico, uma falta de longa distância e o goleiro Vanderlei, acabou tendo uma infelicidade e ao tentar espalmar para a frente, viu a mesma entrar no fundo da rede que defendia. O Palmeiras novamente estava na frente 3 a 2.

Quando ainda faltavam 10 minutos para o fim, o ótimo Luiz Felipe ficou sem condições de jogo com uma contusão muscular. Cuca já havia feito as três alterações e quase que no mesmo instante, Pituca foi expulso. Sendo assim, Dodô foi recuado para a quarta-zaga e o destino da partida ficou definido já que o time da baixada estava com dois jogadores a menos.

O Peixe enfrentará na próxima rodada, a Chapecoense, no Pacaembu, na segunda-feira (12). Para o duelo, Victor Ferraz e Gabriel Barbosa que receberam o terceiro cartão amarelo desfalcam a equipe. Pituca também cumprirá suspensão pela expulsão, Com isso, os três não enfrentam os catarinenses. 

Ficou a frustração de uma maior concentração para sair do Allianz Parque com um melhor resultado. Foi apenas a segunda derrota do time de Cuca em 14 partidas. O resultado também representou a quebra de um tabu de não perder para o rival pelo Brasileiro, nos últimos três anos.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 X 2 SANTOS
Allianz Parque - São Paulo (SP)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)  
Público e Renda: 38.938 pagantes/R$ 2.723.126,00
Cartões Amarelos: Edu Dracena (PAL); Luiz Felipe. Gabriel e Derlis González (SFC)
Cartões Vermelhos: Diego Pituca (SFC)
Gols: Dudu, aos 13’/1ºT; Edu Dracena, aos 39'/1ºT; Copete, aos 9’/2ºT; Dodô, aos 19'/2ºT e Victor Luis, aos 25'/2ºT; 
PALMEIRAS: Weverton; Jean (Guerra, aos 28'/2ºT), Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luis; Thiago Santos, Bruno Henrique e Lucas Lima (Felipe Melo, aos 21'/2ºT); Gustavo Scarpa, Borja (Deyverson, aos 42'/2ºT), Gustavo Scarpa, aos 30'/2ºT) e Dudu. Técnico: L.Felipe Scolari.
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Alison (Bryan Ruiz/ Intervalo), Pituca e Sanchez; Rodrygo (Copete/ Intervalo), Gabriel Barbosa e Derlis (Bruno Henrique, aos 31'/2ºT ) Técnico: Cuca 

Derlis começou o clássico como titular na vaga de Bruno Henrique
NOTAS DOS JOGADORES SANTOS
Vanderlei: Teve a atuação prejudicada em razão de ter falhado no terceiro gol. Um goleiro da sua envergadura, da sua representatividade, não pode deixar a bola entrar num chute despretensioso como aconteceu, entretanto, acontece com todos que executam a profissão, porém, o erro foi determinante para a derrota. - 4,0
Victor Ferraz: No gol de Dudu, não acompanhou o atacante palmeirense. Não apoiou e errou passes em demasia, algo incomum. - 5,0
Luiz Felipe: Jogador de grande qualidade na saída de bola, porém, tem sofrido com algumas lesões que acabam atrapalhando sua carreira. Quando o final da partida se aproximava, ficou sem condições de jogo com uma lesão muscular. - 5,0
Gustavo Henrique: Não começou bem o clássico, mas se recuperou. Teve dificuldades no um contra um, quando enfrentava jogadores rápidos do adversário. - 5,0
Dodô: Falhou na marcação do segundo gol palmeirense. Se redimiu ao empatar o jogo. Além do gol, fez um segundo tempo positivo. - 6,0
Alison: Errou muitos passes e ficou isolado na marcação. Bem substituído. - 4,5
(Bryan Ruiz): Não teve uma grande atuação individual, mas sua presença tornou o meio-campo com uma postura mais qualitativa. Participou do segundo gol marcado por Dodô. Ainda segue devendo pelo investimento feito pelo clube. - 5,5 
Pituca: Foi envolvido no primeiro tempo e recebeu um cartão amarelo que o deixou pendurado para a segunda etapa. Melhorou um pouco no segundo tempo, mas teve uma atuação abaixo da média que vinha tendo. Foi expulso há 10 minutos do fim. - 4,5
Sanchez: Era o único que tentava conduzir o time a frente, entretanto ficou isolado e pouco podia fazer no primeiro tempo. Cresceu com o time na segunda etapa, mas ainda assim, abaixo de suas apresentações com a camisa santista. - 5,5
Rodrygo: Longe do jogador de grande qualidade que os santistas e o futebol brasileiro conheceu. A oscilação do único jovem de 17 anos a ser titular em um clube da série A e marcar 10 gols na temporada, com direito a um hat-trick é normal. Aconteceu com Robinho e Neymar também. Todos sabemos que é dono de uma capacidade técnica acima da média e em breve vai voltar a brilhar. Foi substituído no intervalo. - 4,5
(Copete): Participou dos dois gols do Santos. Um empurrando a bola pro fundo da rede e na outra, ao dar a assistência a Dodô. Foi o melhor do Santos no clássico. - 6,5 
Gabriel Barbosa: Levou um cartão amarelo bobo ao agir com ironia com a arbitragem. Recuou para ajudar a levar o time a frente, mas não é a sua especialidade. Teve uma única chance no segundo tempo, mas não conseguiu concluir. - 5,0
Derlis: Se chocou com o zagueiro Edu Dracena no segundo gol e foi a única participação do paraguaio. Desperdiçou uma grande oportunidade de ganhar a vaga de titular em definitivo. Não criou perigo contra a meta palmeirense. - 4,5
(Bruno Henrique): Entrou nos 15 minutos finais. Não conseguiu criar nenhuma jogada incisiva. Foi prejudicado pelo fato ficar com dois homens a menos. - SEM NOTA.
Técnico: Cuca: Arrumou e muito o time no intervalo. Foi ousado e não teve medo de ser penalizado com um time com uma postura bem agressiva. Foi prejudicado com algumas peças que renderam bem abaixo do que podem e o fato do time numericamente ficar com jogadores a menos. - 6,5

strutura.com.br 
Leia Mais »

NOS ÚLTIMOS 12 JOGOS EM BRASILEIROS, PEIXE PERDEU APENAS UM PARA O PALMEIRAS

Publicado às 21h50 desta quinta-feira, 1 de novembro de 2018.
Neste sábado (3), o Santos tem jogo duríssimo e importantíssimo pelo Campeonato Brasileiro diante do Palmeiras, às 19h, no Allianz Parque pela 32a. rodada. Com a eliminação de todos os clubes brasileiros da Libertadores desse ano, o alvinegro sabe que para retornar a competição continental, o ano que vem, vai ter de necessariamente ficar entre os seis primeiros colocados do Brasileirão. O Peixe é o sétimo colocado com a mesma numeração de pontos do Atlético Mineiro, perdendo no critério de desempate. O duelo do fim de semana, marca o encontro entre o líder e o vice-líder do returno. O time da Vila, nos 12 últimos jogos de campeonato nacional só perdeu um para o rival e já se vão mais de três anos.

A última derrota do Peixe para o Palmeiras em Campeonato Brasileiro foi em Julho de 2015, no mesmo palco do jogo do próximo sábado. Na oportunidade, o alvinegro foi derrotado por 1 a 0, gol de Leandro Pereira. De lá para cá, foram mais seis jogos na competição nacional e o time praiano venceu cinco vezes com apenas um empate. Os dados são do estatístico Evaldo Rodrigues que pertence a Assophis (Associação dos Pesquisadores e Historiadores do Santos).

Se o Palmeiras não perdeu nos últimos 16 jogos pelo Brasileirão, o Santos só perdeu um nos últimos treze. Foi diante do Cruzeiro, no Mineirão. Nesse período, o time de Cuca que pela primeira vez vai enfrentar o seu ex-clube marcou 20 gols e sofreu apenas 5.

Outro dado estatístico importante é que o time da capital tem sido vítima de jogadores que não marcam gols há algum tempo. Benedetto do Boca Junior's, não marcava há quase um ano e o colombiano Marlos Moreno do Flamengo há duas temporadas e ambos balançaram as redes do time paulistano. Rodrygo não marca há 12 jogos, assim como Bruno Henrique que no Brasileirão não guardou após a pausa para a Copa (apenas na Copa do Brasil), Sasha que fez contra o Sport e Bryan Ruiz que ainda não marcou com o manto santista.

O técnico Cuca tem todo o elenco à disposição. O treinador santista tem dúvidas no setor defensivo. Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Lucas Veríssimo lutam por duas vagas e na frente, Derlis ou Bruno Henrique, um deles formarão o setor ofensivo com Gabriel Barbosa e Rodrygo.

JOGOS DE INVENCIBILIDADE DO SANTOS EM BRASILEIROS DIANTE DO PALMEIRAS

- 1/11/2015 -  Santos 2x1 Palmeiras - Vila Belmiro.
- 12/07/2016 - Palmeiras 1x1 Santos - Allianz Parque.
- 29/10/2016 - Santos 1x0 Palmeiras - Vila Belmiro.
- 14/06/2017 -  Santos 1x0 Palmeiras - Vila Belmiro.
- 30/09/2017 -  Palmeiras 0x1 Santos - Allianz Parque.
- 19/07/2018 -  Santos 1x1 Palmeiras - Pacaembu.


strutura.com.br
Leia Mais »

JOGADORES DO SANTOS SÃO HOMENAGEADOS PELA CÂMARA DE CUBATÃO

Publicado Às 14h04 desta quinta-feira, 1 de novembro de 2018.
A Câmara Municipal de Cubatão promoveu nesta quarta-feira (31) a Sessão Solene Alusiva à Outorga da Medalha Legislativa do Mérito Esportivo. Eu tive a felicidade e a honra de ser o orador oficial. Dois jogadores do Santos F.C, Renato e Luiz Felipe, receberam homenagens do Poder Legislativo da cidade onde fui criado e vivi até o ano passado.

Também participaram da mesa dos trabalhos o presidente da Câmara Municipal- Rodrigo Alemão (PSDB), a medalhista do pan-americana do Rio em 2007, nos 1500m - Juliana dos Santos e Marilson dos Santos, vencedor da São Silvestre em 2003, 2005 e 2010, entre outros.

Falar em causa própria é vitupério - perde no conceito que dele se faz aquele que proclama os próprios méritos, por isso agradeço a lembrança do presidente da Casa de Leis - Rodrigo Alemão e limito-me daqui por diante, em escrever dos demais homenageados, em especial aos atletas do Peixe.

Luiz Felipe, um dos homenageados.
O zagueiro Luiz Felipe, que tem muitos amigos na cidade e é comum vê-lo pelas ruas de Cubatão, em especial o Jardim Costa e Silva, agradeceu a lembrança e mostrou-se surpreso pelo fato de ser um atleta jovem de apenas 25 anos:
"Tenho bastante amigos de Cubatão, vocês sabem disso e agradeço a lembrança dos vereadores. Espero sempre manter esse carinho que recebo de vocês".
Renato foi acompanhado da família e muito aplaudido.
Já  Renato, futuro executivo de futebol santista, foi bastante ovacionado pelos presentes a galeria da Câmara da cidade do litoral.

Renato tem um carreira super vitoriosa. Bi-campeão Brasileiro pelo Santos (2002 e 2004), bi-paulista (2015-2016), campeão carioca no Botafogo em 2013 e o estrangeiro com maior número de partidas pelo Sevilla da Espanha, onde também é ídolo com os títulos da Copa da UEFA: 2005-06, 2006-07, Copa do Rei: 2006/07, 2009-10, Supercopa Europeia: 2006 e Supercopa da Espanha: 2007:
"O agradecimento é mútuo. É a primeira vez que venho a Cubatão em oito anos, confesso, contando as minhas duas passagens pelo Santos vivendo na região. É um privilégio participar dessa homenagem. Agradeço a minha família, a minha esposa, meus filhos que estão aqui. Espero que após eu parar de jogar, fora das quatro linhas, agora como Executivo de Futebol, eu possa ter um pouco do sucesso que consegui como jogador. Fazer o melhor pelo clube do coração, sou santista desde pequeno, assim como disse o Ademir e a cada jogo que eu faço procuro fazer o melhor e no clube que ama, espero à partir de janeiro, dar o máximo para que o Santos cresça ainda mais." declarou sob os aplausos de todos".

A solenidade atende ao decreto Nº 43/1981, de 17 de fevereiro de 1981, artigo.1, institui a “Medalha Legislativa do Mérito Esportivo”, que é concedida a esportistas com história no município, e que venha a se sobressair em competições Municipais, Estaduais, Nacionais e Internacionais. 

Para quem desejar assistir como foi a Sessão, segue o link:
https://www.youtube.com/watch?v=J2ksCiLeVo4


strutura.com.br
Leia Mais »
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by