FOTO CAPA

PRESIDENTE AFIRMA QUE ROBINHO DIMINUIU O SEU SALÁRIO

Publicado às 15h04 desta segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015.
No último sábado (14), no estádio Primeiro de Maio, no ABC paulista, o presidente Modesto Roma concedeu entrevista à Capital- 1.040 AM, a única emissora do rádio paulistano a transmitir o jogo do Peixe contra o São Bernardo. O mandatário alvinegro disse que Robinho, sabedor das dificuldades financeiras do clube, aceitou reduzir seus vencimentos mensais para continuar na Vila Belmiro, pelo menos até o meio do ano, data que expira o seu empréstimo. O Santos deseja permanecer com o jogador, mesmo após o término do vínculo que vai até a abertura da janela de transferências internacionais, no meio deste ano. 
"O que as pessoas se enganam é que quando o Milan deixou de pagar (parte dos vencimentos), o salário do Robinho teria dobrado (para o Santos) e não foi isso. Robinho é um cara de muito bom senso e sabe que o Santos não teria condições de pagar R$ 1 milhão e é bem menos do que isso" garantiu o presidente Modesto Roma Júnior do Santos.
Insisti no tema e perguntei ao presidente se o salário ao Rei das Pedaladas era próximo de R$ 800 mil. Modesto Roma respondeu da seguinte forma: 
"Mais ou menos. Mas não chega a ser tudo isso, não. Robinho é um atleta importante, não só dentro de campo, mas como fora também. Ele é um cara que dá um ambiente ao grupo muito bom, tem identidade com o clube." afirmou.


- Player da Entrevista na Rádio Capital.

Além de Robinho, o presidente respondeu sobre outros temas e revelou que o jogo contra a Portuguesa, domingo que vem (22), o torcedor do Peixe terá praticamente o estádio todo à sua disposição, mesmo como visitante. Na quarta-feira passada (11), o Blog do ADEMIR QUINTINO já havia revelado que a Lusa estava preocupado com a renda deste duelo e que torce pro torcedor santista comparecer em bom número para pagar duas folhas salariais com o que sobrar, já que no estadual, a renda líquida é toda do mandante.
"Mesmo a Portuguesa sendo o mandante, eles liberaram pra toda a torcida do Santos, quase todo o Pacaembu e a torcida deles vai ficar apenas com o tobogã. Vamos também ajudar a nossa co-irmã a ter uma boa renda"
Perguntado sobre a força do clube nos bastidores, o presidente santista até o fim de 2017 demonstrou querer modificações nos horários e afirma que o Santos está sendo prejudicado.
"Estou um pouco chateado com os horários dos jogos do Santos. Tenho falado isso com o Reinaldo Carneiro Bastos (vice e futuro presidente da Federação Paulista de Futebol). O Santos joga às 19h30 de domingo, joga às 22 horas de quarta-feira e o dinheiro da televisão é igual pra todo mundo. Temos e vamos discutir isso. No dia 2 de março, tem o Congresso-Técnico para o Campeonato Brasileiro e vamos aproveitar para discutir os horários, as verbas, o prestígio do Santos que tem sido o grande atrativo da TV e dinheiro mesmo que é bom nada. Então, se nós somos prejudicados nos horários dos nossos jogos pra atender a TV, temos que ser beneficiados em alguma coisa e isso que vamos discutir com o Marcelo Campos Pinto da TV Globo" prometeu.
O vencedor das eleições no Santos em dezembro do ano passado garante que o departamento de marketing do clube não pretende captar rendas apenas no uniforme, mas através de outras ações também. 
"Nós estamos trabalhando não só patrocínio master, mas também traabalhamos eventos e formas de alternativa de renda. Queremos fazer um reality-show para novos jogadores do Santos. Temos que dar mais atenção ao sócio e ao torcedor" disse o presidente do Peixe.
O mandatário deixou nas entrelinhas a sua insatisfação com a empresa CSU que gerencia o programa de associação, o Sócio Rei, que já deu inúmeros problemas e que tem um contrato com o clube com algumas cláusulas no mínimo duvidosas.
"Não pode continuar do jeito que está. O que era pra recebermos em 20 de janeiro, o sócio só recebeu a cobrança para pagar em 20 de fevereiro, isso não está bom, temos que arrumar."
"Nós temos quatro propostas de patrocínio master que estudamos e negociamos. O Santos tem uma particularidade é o clube com a menor rejeição no Brasil e isso ajuda muito aos patrocinadores quererem expor a sua marca no uniforme". 
O presidente santista afirmou que o clube estuda o retorno e a implantação de algumas outras modalidades. 
"Pretendemos lançar se possível o beach-soccer, futsal, futebol feminino. Nós temos que ter receita para o clube e não apenas para algumas modalidades que não custam tão caro assim (como o futebol)."

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by