FOTO CAPA

CLASSIFICAÇÃO BEM ENCAMINHADA NA COPA DO BRASIL

Publicado às 00h30 desta quinta-feira, 29 de julho de 2021.

O Santos conseguiu uma larga vantagem ao golear a Juazeirense-BA, na partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira (28), na Vila Belmiro. O alvinegro venceu com gols no fim da partida, o time do interior baiano por 4 a 0. 

Os gols foram todos na segunda metade da etapa complementar. Madson, Lucas Braga, Marcos Leonardo e Sánchez marcaram. 

O gol do uruguaio foi histórico pois ele entrou para a galeria de maior artilheiro estrangeiro da história do clube superando o colombiano Copete. O camisa 7 agora tem 27 gols com o manto alvinegro.

Sem Camacho que não pode atuar na competição continental, assim como Boza e Moraes, além de Alison que negocia sua ida para o mundo árabe e Kaio Jorge afastado em razão de negociação com a Juventus-ITA, Diniz trouxe Pirani de volta ao meio-campo e recuou Jean Mota para a cabeça de área. Na frente, Lucas Braga ganhou a vaga de atacante de lado e Marcos Guilherme começou como falso 9.

O Santos efetuou 21 cruzamentos no primeiro tempo, sem um centroavante de ofício em campo. No intervalo, Diniz mandou Bruno Marques para aproveitar os lances de cabeça. Foram quatro boas oportunidades na primeira etapa para abrir o placar e novas incompetências na finalização. Nos 45 minutos finais, de forma impressionante, com um jogador alto, o time diminuiu esse fundamento. 

O primeiro gol só apareceu aos 27 minutos da segunda etapa. Jean Mota cruzou e Madson desviou de cabeça. Aos 39 Lucas Braga marcou o segundo. Os dois últimos gols vieram nos acréscimos, aos 46 e 54 minutos.

O time baiano cansou no último terço da etapa complementar e o resultado foi melhor do que a apresentação alvinegra.

Com a goleada, o Santos pode perder por até três gols de diferença na partida de volta na próxima quinta-feira (5), em Juazeiro, que ainda assim avança as quartas de finais da competição. 

O alvinegro deve abocanhar R$ 3,45 milhões por avançar de fase. Antes de enfrentar o Juazeirense novamente, o Glorioso Praiano vai a Santa Catarina e pega a Chapecoense, domingo (1), pelo Brasileiro. O time da região Sul dirigido por Jair Ventura, ainda não venceu na competição de pontos corridos.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 4 X 0 JUAZEIRENSE

Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP)

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)

Gols: Madson, 27'/2Tº (1-0), Lucas Braga, 39'/2ºT (2-0) e Marcos Leonardo, 46'/2ºT, Carlos Sánchez, 54'/2ºT

Cartões amarelos: Marinho e Jean Mota (SFC),  Daniel e Tony Galego (JUA)

SANTOS: João Paulo; Madson, Luiz Felipe, Kaiky e Felipe Jonatan; Jean Mota, Carlos Sánchez e Gabriel Pirani (Bruno Marques, no intervalo); Marcos Guilherme, Lucas Braga e Marinho (Marcos Leonardo, aos 38'/2ºT). Técnico: Fernando Diniz

JUAZEIRENSE: Rodrigo Calaça; Guilherme Lucena (Carlinhos, aos 26'/2ºT), Jamerson, Wendel e Daniel; Waguinho, Sapé, Patrik e Júnior Timbó (Ian Augusto, aos 17'/2ºT); Tony Galego (Waldir, aos 36'/2ºT) e Kesley (Nino Guerreiro, aos 20'/2°T). Técnico: Carlos Rabelo

Lucas Braga marcou o segundo gol do Santos no jogo. Alvinegro jogou com seu terceiro uniforme.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS: 

João Paulo: Livrou a cara de Luiz Felipe que perdeu uma bola no segundo etapa e obrigou o camisa 34 a grande defesa. - 6,5

Madson: Bem no apoio e melhor ainda no jogo aéreo. Responsável pelo primeiro gol após lançamento de Jean Mota. - 6,5

Luiz Felipe: Bela assistência a Marcos Leonardo no último gol. Perdeu uma bola dominada que quase proporciona o gol do adversário. - 5,5

Kaiky: Bem na saída de bola. A defesa do Santos não foi exigida. - 6,0

Felipe Jonatan: Bem no apoio. Quase marcou um gol na primeira etapa. - 6,0

Jean Mota: Errou muitos passes, principalmente no primeiro tempo. Foi dele o lançamento para a abertura do marcador para Madson. - 5,5

Carlos Sánchez: Figura mais lúcida do time. Participou do segundo gol e marcou o seu, histórico e o último da partida. - 7,0

Pirani: Bastantes deslocamentos no gramado, mas pouca objetividade. Foi substituído. - 5,0

(Bruno Marques): No alto, muita qualidade, apesar de perder duas oportunidades. No chão, muita dificuldade com a bola. - 5,0

Marcos Guilherme: Sacrificado pelo esquema. Jogou de falso 9 no primeiro tempo. Melhorou na segunda etapa ao jogar no meio. Ainda assim, abaixo do que pode produzir. - 5,0

Lucas Braga: Depois de Sánchez, foi quem mais se destacou. Boas jogadas em profundidade pelo lado do campo. Bom arremate no segundo gol do jogo. - 7,0

Marinho: Embolou muito pelo meio e não se fixou pelo lado do campo. Um bom arremate na primeira etapa. Foi bem substituído. - 5,0

(Marcos Leonardo): Entrou no fim, mas o suficiente para estar bem colocado e concluir com êxito a gol. - 6,0

Técnico: Fernando Diniz: Escalou um time ofensivo, sabedor que o adversário não sairia do seu campo. Acertou ao trocar Marcos Leonardo por Marinho. Errou ao deixar Marcos Guilherme sem função na primeira etapa. Time insiste em muitos cruzamentos. No primeiro tempo, sem um camisa 9 específico fez 21 cruzamentos, quase um a cada dois minutos. - 6,5


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by