FOTO CAPA

SANTOS E ROBINHO DECIDEM SUSPENDER CONTRATO EM COMUM ACORDO

Publicado às 19h45 desta sexta-feira, 16 de outubro de 2020.

O Santos e o Robinho, em comum acordo, se reuniram no fim da tarde desta sexta-feira (16) e resolveram suspender a validade do contrato firmado no último sábado (10). Seis dias após assinar o vínculo para a sua quarta e muito provavelmente última passagem, o clube e o 'Rei das Pedaladas', após publicações sobre o processo de sexo coletivo em que o jogador sofre na Itália e foi sentenciado em primeira instância, inclusive com patrocinadores ameaçando em deixar o clube, acharam por bem cancelar o mesmo.

"O Santos FC e o atleta Robinho informam que, em comum acordo, resolveram suspender a validade do contrato firmado no último dia 10 de outubro para que o jogador possa se concentrar exclusivamente na sua defesa no processo que corre na Itália". diz a nota do Santos FC. 

Logo em seguida a nota, o jogador se manifestou através de suas redes sociais:

"É com muita tristeza no coração, venho falar para vocês que tomei a decisão junto do presidente de suspender meu contrato neste momento conturbado da minha vida. Meu objetivo sempre foi ajudar o Santos Futebol Clube. Se de alguma forma estou atrapalhando, é melhor que eu saia e foque nas minhas coisas pessoais. Para os torcedores do Peixão e aqueles que gostam de mim, vou provar minha inocência" disse um triste Robinho. 

O jogador se defende das acusações através dos seus advogados Brasil, Marisa Alija e Luciano Santoro, e reafirmam que não é culpado pelo crime e garantem em nota enviada a imprensa nesta sexta-feira (16) que a relação sexual foi consentida e que não houve violência, tampouco admissão de culpa nas 'interceptações telefônicas" publicadas pelo site GE, nesta manhã.

Com autorização da Justiça, a policia italiana instalou interceptação telefônica  grampo no carro utilizado por Robinho durante a estadia do jogador na época em que jogava pelo Milan-ITA, após a jovem que acusa o jogador ter feito a denúnica.

A decisão em primeira instância proferida pelo Tribunal de Milão, em 2017, não é definitiva e foi alvo de contestação das defesas do jogador do Santos e de Ricardo Falco, o outro amigo condenado. Os advogados dos dois apresentaram recurso e ambos respondem em liberdade. Há mais duas instâncias na Itália até o trânsito em julgado da ação, isto é, até se esgotarem os recursos. O caso será apreciado em segunda instância pela corte de apelação de Milão em dezembro.

Entretanto, o 'apedrejamento e linchamento virtual' que o jogador recebeu nos últimos dias, a instituição Santos e o atleta entenderam que seria mais prejudicial manter o ídolo vivo na memórias dos torcedores do que a necessidade de seu retorno e o sonho do maior responsável pelo fim da fila de 18 anos sem títulos no começo do século, de encerrar a carreira no time que o revelou, pelo menos por enquanto, não vai acontecer.

O Blog do ADEMIR QUINTINO revelou passo a passo desde a última sexta-feira (16), como o acordo entre Santos e o ídolo chegaram para acertar um contrato por cinco meses. O  'Rei das Pedaladas' topou receber um salário de R$ 1500 pelo período, com opção de preferência por renovação de um ano e sete meses, além de bônus de R$ 300 mil após 10 jogos e outro bônus de mais R$ 300 mil após realizar 15 jogos, pagos ao fim do contrato em fevereiro de 2021, quando terminaria o vínculo.

A vontade de Robinho em voltar era tanta que ele, através de seu staff, propôs receber salário simbólico de R$ 10, conforme revelado em primeira mão pelo Blog do ADEMIR QUINTINO na tarde desta sexta-feira (9).

Segue a íntegra o comunicado dos advogados de Robinho:

Com relação à reportagem “As gravações do caso Robinho na justiça italiana”, publicada hoje pelo GE, os advogados do jogador Robson de Souza esclarecem:

1. O jogador reitera que não cometeu o crime do qual é acusado e que sempre que se relacionou sexualmente foi de maneira consentida;

2. Taxativamente não houve violência sexual tampouco admissão de culpa nas interceptações telefônicas, o que fica claro quando analisadas na integralidade e no contexto correto;

3. Por se tratar de processo sigiloso e ainda em curso, estamos impedidos de falar sobre o mérito das acusações. Entretanto, sobre a divulgação em si, deve ser esclarecido que há nos autos provas suficientes da inocência de Robinho - as quais infelizmente não foram divulgadas na matéria - e outras que ainda serão apresentadas à Justiça italiana, que certamente levarão à sua absolvição. Há diversas conversas interceptadas que não foram corretamente traduzidas para o idioma italiano, o que levou ao equívoco de interpretação.

4. Confiamos plenamente na Justiça italiana, no sucesso do recurso defensivo e na reforma da decisão, conscientes de que a submissão do feito às instâncias superiores permite justamente evitar erros judiciários e condenações injustas.

5. Por fim, Robinho agradece o apoio da torcida do Santos Futebol Clube e, como pai de família e atleta, faz questão de ressaltar que repudia todas as formas de violência.

 


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by