FOTO CAPA

NÃO É CONTINUIDADE DE SAMPAOLI. É UM NOVO TRABALHO

Publicado às 23h35 desta segunda-feira, 27 de janeiro de 2020.
O Santos conquistou a primeira vitória no Campeonato Paulista e reassumiu a liderança do grupo 'A' ao vencer o Guarani, em Campinas, por 2 a 1. Os gols do Santos foram de Arthur Gomes e Pablo (contra). O alvinegro chegou a quatro pontos após duas rodadas e na quinta-feira (30), enfrenta a Internacional de Limeira, na Vila Belmiro, às 19h15.

Engana-se quem afirma que Jesualdo Ferreira veio ao Peixe para dar sequência ao trabalho desenvolvido por Sampaoli. São estilos, escolas e propostas de jogo completamente distintas. 

O argentino, vice-campeão brasileiro do ano passado, privilegiava a marcação na primeira linha do adversário com bastante intensidade nas transições, triangulações pelas extremas do campo, enquanto o português que recém desembarcou no alvinegro, joga com a marcação mais atrás da bola, com a defesa menos exposta e além disso, deu azar de perder os jogadores de velocidade pelo lado do campo. 

Na noite desta segunda-feira (27), sem Soteldo na Seleção Olímpica da Venezuela, Marinho com o pé fraturado e Arthur Gomes que saiu com incomodo muscular, o time perdeu a 'profundidade' no ataque, no confronto realizado no interior de São Paulo. 

A equipe deixou de ter a 'quinta marcha' e o 'sprint' final e teve que mudar a sua propositura no jogo, após Arthur pedir substituição.


Creio que Jesualdo, ainda está conhecendo o elenco, pois ao colocar o jogador recém-chegado do São Paulo com passagens pelo Santa-Cruz e Cruzeiro, nunca atuou pela beirada de campo. Não tem explosão e tampouco o um contra um forte para render neste setor. Sasha que já atuou durante muito tempo jogou assim pelo Internacional é quem deveria ter jogado pelo lado.

Por falar em Sasha, o camisa 27 com ótima leitura de jogo, teve uma postura no estilo Firmino, no Liverpool. É comum para quem acompanha a Premier League ver o jogador da Seleção Brasileira, como um 'falso 10' e voltando para ajudar a armação do time inglês. Foi o que Sasha fez, principalmente no primeiro tempo. Recuava sem marcação e todas as jogadas ofensivas, passavam pelos seus pés. Assim, nasceu o primeiro gol. Jogado do 'espetado' para ótima assistência de Arthur Gomes que finalizou de cabeça e abriu o marcador no primeiro tempo.

Logo no inicio da etapa complementar, o Guarani perdeu um meio-campista, expulso, após entrada maldosa no zagueiro Luiz Felipe. O Peixe passou a ter um homem a mais. 

Mas por incrível que pareça, mesmo com um jogador a menos, o Guarani pressionou e chegou a igualdade em posição irregular do atacante (a primeira fase não tem VAR, só nos mata-matas, outro absurdo da competição) e a arbitragem validou o gol.

No fim da partida, o time da casa, na base do contra-ataque levava mais perigo, porém, depois de uma falta que Sánchez sofreu, Jean Mota que entrou no decorrer da partida, mandou no travessão e o ala bugrino Pablo, em vez de usar a perna esquerda foi com a direita para a bola e fez um auto-gol, que deu números finais ao confronto com vitória do alvinegro - 2 a 1.

Se o futebol de resultados de Jesualdo vai dar certo, só o tempo vai dizer. Pode ser competitivo sim, apesar de menos vistoso do que a proposta de Sampaoli. Porém, é apenas o começo da temporada, o 'gajo' perdeu diversos jogadores contundido e o torcedor do Santos vai ter de ter paciência com o novo estilo.

Por fim, só não me peçam para acreditar que Jesualdo dá sequência ao que Sampaoli fez. Não, absolutamente, não. É um novo trabalho e o mesmo preciso de tempo, de repetição para poder dar certo. Repito, vai dar certo? Só o tempo poderá dizer. Qualquer análise mais detalhada, antes de outras rodadas, eu serei covarde se fizer isto, neste momento.


FICHA TÉCNICA
GUARANI 1 X 2 SANTOS
Estádio: Brinco de Ouro da Princesa - Campinas (SP)
Árbitro: Vinicius Furlan (SP)
Público e renda: 9.130 pagantes/R$ 174.973,00
Cartões amarelos: Romércio (GUA) e Pará, Luiz Felipe (SFC)
Cartão vermelho: Lucas Abreu 0'/2ºT (GUA)
GOLS: Arthur Gomes 21'/1ºT (0-1), Rafael Costa 19'/2ºT (1-1) e Pablo contra 47'/2ºT (1-2)
GUARANI: Jefferson Paulino, Pablo, Bruno Silva, Romércio e Bidu; Deivid, Lucas Abreu, Lucas Crispim (Marcelo intervalo) e Giovanny (Bruno Sávio 17'/2ºT); Júnior Todinho e Rafael Costa (Mateusinho 28'/2ºT). Técnico: Thiago Carpini.
SANTOS: Everson, Pará, Luiz Felipe, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca (Uribe 25'/2ºT) e Carlos Sánchez; Raniel (Tailson 33'/2ºT), Eduardo Sasha e Arthur Gomes (Jean Mota 35'/1ºT). Técnico: Jesualdo Ferreira.

O lateral-esquerdo Felipe Jonatan foi um dos melhores jogadores do Santos durante a vitória em Campinas.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Everson: Não foi bem na jogada do gol irregular do time da casa. Fez um primeiro tempo bom e pegou uma bola no final a queima roupa. - 5,5
Pará: Marcou o jogador mais talentoso do Guarani, o atacante Giovanny. Fez bom primeiro tempo. - 6,0
Luiz Felipe: O arroz com feijão bem temperado, como costuma dizer meu amigo Alan Otacílio. Não comprometeu. - 6,0
Luan Peres: Outra boa partida. Sempre bem colocado. - 6,5
Felipe Jonatan: O melhor da defesa santista. Sem profundidade, era o ala quem ia na linha de fundo na tentativa de assistências ao atacante. Em uma delas parece que colocou com as mãos na cabeça de Arthur que abriu o marcador. Tem futebol para evoluir e marcar na posição. - 7.0
Alison: O melhor marcador do país precisa melhorar a saída na transição da primeira para a segunda linha. O dia que conseguir isso, seu futebol aparecerá muito mais. - 6,0
Pituca: Errou alguns passes, o que não é comum já que é o seu forte em dar a dinâmica na velocidade da bola no meio-campo. - 5,5
(Uribe): Décimo segundo jogo pelo Peixe e nenhum gol. A bola também não chegou, tenho que ser justo. -  5,0
Sánchez: O responsável em acelerar o jogo. Quando foi para o direito do ataque produziu mais. - 6,5
Raniel: Perdido. Primeiro pelo lado esquerdo aberto e depois pela direita quando saiu Arthur Gomes. Mas a culpa não é do atacante e sim da comissão técnica que não deve saber que o jogador nunca atuou nessa função. - 5,0
(Tailson): Jogou pouco tempo. - SEM NOTA
Sasha: Grande nome no primeiro tempo santista. Saia da área e mesmo sem ser um autentico armador, coordenou o time. Começou a jogada do primeiro gol. - 7,0
Arthur: Era o único homem que tinha velocidade para dar profundidade no ataque do Santos. Bem colocado no gol. Deixou o gramado antes do fim da primeira etapa. - 7,0
(Jean Mota): Entrou com vontade, mas estava sem função no final da primeira etapa, pois ocupava o mesmo espaço de Pituca. No segundo tempo, encontrou uma melhor posição e tentou armar o time. Bela cobrança de falta que bateu na trave e o gol contra do Bugrino Pablo. - 6,5
Técnico: Jesualdo Ferreira: A proteção a defesa é mais robusta do que com a equipe de Sampaoli. Porém, não esperem apresentações de futebol bonito, nas mãos do Português. Mesmo com a temporada apenas no início, já deu para perceber que o time tem uma proposta com o coletivo privilegiando mais a defesa. Prejudicado por diversas lesões musculares. - 6,0
strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by