FOTO CAPA

QUEM SABE FAZ A HORA, NÃO ESPERA ACONTECER

Publicado ás 23h45 desta quinta-feira, 26 de setembro de 2019.
Após sete vitórias seguidas e quatro rodadas na liderança, o Santos segue seu calvário decepcionante nos últimos jogos no Campeonato Brasileiro. O Tricolor das Laranjeiras que luta para não cair, chegou a ficar com dois homens a menos, ainda assim, o alvinegro da Vila, não se aproveitou e volta apenas com um ponto do Rio do Janeiro, ao empatar em 1 a 1 com o Fluminense, na noite desta quinta-feira (26), no Maracanã, pela segunda rodada do returno.

Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO publicou na manhã desta quinta-feira (26), Dérlis Gonzalez no ataque e Felipe Jonatan na ala-esquerda foram confirmados, porém, Sampaoli mexeu em mais peças. O time começou  com três zagueiros e quatro atacantes, com isso Aguilar e Uribe reapareceram na equipe. 

O Peixe teve controle de bola, mas pouco traduzia em chances reais de gol. Teve uma com Felipe Jonatan e outra com Dérlis. Ainda assim, após brilhante jogada individual de Soteldo, após lançamento de Alison, o Glorioso Praiano abriu o marcador. 

Jogo controlado, caminhando para o intervalo e no último lance da etapa inicial, cruzamento de Nenê e Lucas Veríssimo, num raro momento de infelicidade, marcou um auto-gol. 

Na segunda etapa, Sampaoli tirou Dérlis e colocou um meio-campista - Sánchez, mas o panorama ficou o mesmo e em alguns momentos até piorou. O time da baixada tinha a posse de bola, mas faltava a verticalidade. E novamente o desempenho, caiu sensivelmente como nas últimas rodadas.

Digão foi expulso após entrada violenta sem bola em Marinho aos 26 minutos e Frazán aos 46 (o jogo foi até aos 54) e ainda assim, um Santos apático, sem frieza para definir o jogo, não teve a capacidade de matar a partida.

Com o resultado, o alvinegro completou quatro jogos sem vencer (Athlético, Flamengo, Grêmio e Fluminense) e só conquistou seis pontos em 24 possíveis, nos últimos oito jogos com apenas uma vitória em Chapecó.

Aquele Santos intenso, que encantava, organizado, tem feito parte de um passado recente. Até teve a marcação forte  na linha baixa do adversário, no começo do jogo, mas longe de ser competitivo.

"Quem sabe faz a hora, não espera acontecer". A frase não é minha, não, e sim de Geraldo Vandré, cantor perseguido pelo regime militar, no fim dos anos 60, mas cabe bem para o momento que o Santos desperdiça a cada rodada a oportunidade de retomar o caminho da vitória. 

Nesta sequência ruim, a equipe desperdiçou muitos pontos por falta de concentração e tomadas de decisões ruins de atletas principalmente e algumas do treinador. Posso citar a derrota para o São Paulo, além dos empates contra o Fortaleza, Athlético Paranaense e o desta noite, diante do Fluminense, por exemplo.

Conforme o scout do primeiro turno, o Santos precisa de 10 tentativas de gol para marcar um. Hoje efetuou 19 finalizações com sete certas contra 13 dos mandantes que acertaram a meta do goleiro Everson apenas três vezes

Fica claro que a briga do Santos é apenas pela Libertadores. E se não reagir logo, nem este sonho poderá ser concretizado.

No próximo domingo (29), na Vila Belmiro, o Santos joga na Vila diante do CSA, às 16 horas. Marinho, expulso nos acréscimos é desfalque certo.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 1 X 1 SANTOS
Estádio do  Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO) 
Público e renda: 10.637 pagantes/11.032(presentes) R$ 141.015,00
Cartões amarelos: Yuri Lima, Allan (FLU) e Alison, Diego Pituca (SFC)
Cartões vermelhos: Digão 26'/2ºT (FLU), Frazan 47'/2ºT (FLU) e Marinho 53'/2ºT (SFC)
GOLS: Soteldo 39'/1ºT (0-1) e Lucas Veríssimo contra 47'/1ºT (1-1)
FLUMINENSE: Muriel, Gilberto, Nino, Digão e Caio Henrique; Yuri, Allan e Ganso (Daniel 17'/2ºT); Nenê (Frazan 28'/2ºT), Yony González (Wellington Nem intervalo) e João Pedro. Técnico: Oswaldo de Oliveira
SANTOS: Everson, Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar (Victor Ferraz 20'/2ºT), Gustavo Henrique e Alison; Pituca, Felipe Jonatan, Soteldo e Derlis (Sánchez intervalo); Uribe (Marinho 11'/2ºT) e Sasha. Técnico: Jorge Sampaoli.


Marinho entrou na 2a. etapa e conseguiu provocar a expulsão de Digão. No fim do jogo, o camisa 11 também foi expulso.
NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Everson: Sem culpa no gol sofrido.Nas poucas vezes em que foi exigido, não comprometeu. - 6,0
Lucas Veríssimo: Um dos melhores zagueiros do elenco e do Campeonato, teve um momento incomum de rara infelicidade ao tentar interceptar a bola e fazer um auto-gol que decretou o empate. - 4,5
Felipe Aguilar: Errou passes na saída de bola no começo da partida. Depois estabilizou na partida e desta vez não comprometeu. - 5,5
(Victor Ferraz): Entrou na segunda metade da etapa complementar e tentou armar pelo meio, mas o time estava bem desorganizado. - 5,0
Gustavo Henrique: Retornou bem ao miolo de zaga. Comandou as ações defensivas, bem colocado. O melhor da defesa. - 6,5
Felipe Jonatan: Bem no apoio na primeira etapa. Muita força. Quase marcou um gol, mas parou nas mãos de Muriel. Com a entrada de Wellington Nem, guardou mais posição nos 45 minutos finais. - 6,0
Pituca: Mesmo sem ser armador ficou responsável pela transição da bola defensiva aos atacantes. Executou razoavelmente bem esse papel na etapa inicial. Na segunda etapa, com a desorganização tática do time, não apareceu tanto. - 6,0
Alison: Um leão na marcação e ainda deu bela 'fatiada' na assistência para Soteldo efetuar jogada individual e marcar o gol do Peixe. - 6,5
Soteldo: Mesmo abaixo do que já demonstrou foi o único atacante a oferecer perigo a meta tricolor. Melhor do Jogo. Bela jogada individual no gol. - 7,0
Derlis: Tomou algumas decisões erradas durante a partida. Perdeu a bola que originou o gol do Fluminense. Foi substituído. - 4,5
(Sánchez): Entrou para melhorar a qualidade no passe e na criação do time. Não obteve sucesso. - 5,0
Uribe: Hoje ao contrário de outros jogos como contra o Fortaleza, por exemplo, a bola não chegou nele. Completou 10 jogos sem marcar, superando Edgard Baez que em 97 ficou 9. Valdir Bigode em 2000, marcou em seu oitavo jogo de Santos. - 4,5
(Marinho): Caiu de rendimento, nos últimos jogos. Também tomou muitas decisões erradas durante a partida, como nos dois últimos lances que quis cortar para dentro e foi desarmado. Em um levou amarelo e no outro, vermelho. Vai cumprir suspensão na próxima rodada. Também, não é menos verdade que foi ele que conseguiu a expulsão de Digão, o primeiro dos dois atletas expulsos do Fluminense.- 4,5
Sasha: Fez bom primeiro tempo mesmo em uma função de 'assistente de centroavante'. Deu belo passe para finalização de Dérlis que desperdiçou. Perdeu um gol no fim do jogo que não pode e não costuma perder. - 5,0
Técnico: Jorge Sampaoli: Suspenso, deu lugar a seu assistente Jorge Désio no reservado na beira do campo. Armou um time com três zagueiros, no meu entender, desnecessário e quatro atacantes. Os jogadores de frente conseguiram em grande parte do primeiro tempo, incomodar a saída de bola do time carioca, mas com o passar do tempo, não conseguiram reeditar o mesmo desempenho. Mexe muito no time que perde padrão, com isso. Ainda é o grande responsável pela campanha que não é ruim, mas os últimos resultados são catastróficos. Não vencer o Fluminense, com dois homens a mais em uma parte do jogo foi vergonhoso. - 5,0

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by