FOTO CAPA

"O QUE O SANTOS OFERECESSE EU IA ACEITAR. MEU SONHO ERA JOGAR AQUI E DINHEIRO NENHUM IA ME TIRAR"

Publicado às 23h25 desta terça-feira, 9 de julho de 2019.
Que o futebol virou um grande negócio é fato, há algum tempo. Eu mesmo questiono a falta de identificação dos novos atletas e os últimos no meu entender que fizeram carreira em único clube tinham sido os goleiros Rogério Ceni no São Paulo e Marcos no Palmeiras. Porém, surpreendentemente, eu encontrei mais um que creio pode fazer parte deste pequeno e seleto grupo de jogadores. Me refiro a Diego Pituca, que é o meu convidado como entrevistado no meu canal no Youtube - 'Pronto, eu falei' desta semana.
"Sempre fui Santos, de coração. Por toda a vida quis jogar e ficar aqui, mesmo aparecendo outras equipes. Eu já te disse, lá atrás, quando ainda estava no time B, que eu queria e vou fazer história neste time. Eu ficaria por qualquer valor para renovar com o Santos. Era o meu sonho jogar aqui e agora estou realizando".
O Blog do ADEMIR QUINTINO apurou que o dono da camisa 21, um dos melhores da posição na atualidade teve três propostas para deixar a Vila Belmiro. Pituca tinha um dos menores salários do elenco até o começo do ano. Eram pouco mais de R$ 20 mil mensais. O Cruzeiro e o Atlético-MG, além do rival SCCP ofereceram cada um deles, mais de R$ 300 mil/mês para o jogador deixar o time praiano. O atleta nascido em Mogi-Guaçu mandou apenas um recado a seus agentes:
"Tem razão Ademir. Eu tinha mesmo proposta com valores maiores do que eu ganho no Santos, hoje, mas o meu sonho era jogar aqui. O que o Santos me oferecesse, eu ia aceitar. Eu deixei bem claro para o Adalberto e ao Eli (Coimbra FIlho), meus empresários, que eu queria ficar no Santos, não importava o time que fosse vir atrás do meu futebol, não importava o valor, eu queria permanecer aqui." confirmou Diego.
Pituca deu entrevista exclusiva ao meu canal no YouTube.
Quem pensa que a vida de Pituca foi fácil até chegar ao Peixe, se engana. Prestes a completar 27 anos, até dois anos e meio atrás, o jogador dividia suas atenções com o Campeonato Paulista da série B (quarta divisão), Paulista da série A-III e jogos em times amadores:
"Sempre joguei na várzea, em paralelo a minha atividade de jogador profissional. Jogava de manhã pela Matonense na série A-III ou Guaçuano na série B e à tarde ia para várzea. Eles davam um trocadinho a mais e eu usava para passear com a minha namorada. Só não podiam postar fotos em rede social para não me prejudicar, mas era a forma de eu ter um dinheiro a mais." revela o meio-campista em uma entrevista emocionante.
O santista declarado, incentivado pelo Tio na infância, conta como chegou ao Peixe, em 2016:
"Eu jamais imaginei que com 25 anos surgiria uma oportunidade de jogar no Santos. Teve o dedo do Dorival Junior, que precisava de um volante e me indicou, mas infelizmente, quando cheguei, ele saiu."
Simples ao extremo e principalmente verdadeiro, o atleta lembra que quando chegou a Vila Belmiro para jogar no time de aspirantes, tinha pouco dinheiro e queria ir com a namorada Lidiane, com quem agora vive. Sem rodeios, contou como algumas pessoas lhe arrumavam ingressos para ir com sua companheira assistir os jogos do time principal, enquanto aguardava sua chance: 
"A época, eu estava no time B e precisava de mais um ingresso para a minha esposa, pois, eu tinha a carteirinha e só liberavam a minha entrada. Então, eu pedia aos amigos um ingresso a mais. O Luizinho, um desses que colaboravam comigo, eu pedia através de mensagens de zap e ele me arrumava uma carteirinha de um senhor na cativa e era caro o ingresso e o senhor, acho que parou de pagar a mensalidade. Eu tinha que arrumar outra forma e graças a Deus, você (Ademir) me arrumou este ingresso que eu precisava até mais de uma vez." revelou.
Pituca tem quatro gols no time principal do Santos.
Pituca só pode realizar seu sonho de jogar no time de cima do Peixe no Brasileiro de 2018. Segundo o atleta, Jair Ventura o chamou assim que foi contratado e prometeu-lhe esta chance:
"Eu queria jogar. Um dos fisioterapeutas do profissional, me ligou, dizendo que o Jair (Ventura) ia me dar uma oportunidade. Quando cheguei ao CT, ele (Jair) me disse que eu ia ter a oportunidade, mas teria que ter paciência. Não fui inscrito no Paulistão, estreei contra o Ceará, no Pacaembu, na primeira rodada do Brasileiro, voltei para o banco e depois do último jogo da fase da classificação da Libertadores, diante do Real Garcilaso-PER, não saí mais do time." conta Pituca.
Pituca disse que seus sonhos, ainda não estão todos realizados. E quer sagrar-se campeão com o manto alvinegro. Perguntado, se deseja ir para a Europa, o jogador disse que tem outros objetivos:
"Acabei de renovar por quatro anos, até 2023. Meu sonho era jogar no Santos e graças a Deus eu realizei. Mas tenho mais sonhos. Um deles é fazer história aqui no Santos. Meu objetivo é ficar no Santos e conquistar títulos. Não penso em Europa, não."
Indagado durante a entrevista se já tem futebol para concorrer a uma vaga na Seleção Brasileira, o jogador dá mais uma lição de humildade e sinceridade:
"Ainda não. Eu acho que ainda estou muito abaixo. O que tenho de melhor é o passe e o que tenho de melhorar é a finalização que para mim é muito abaixo e eu posso crescer bastante. Estou treinando diariamente esse fundamento." disse o jogador que tem quatro gols como profissional do time principal do Peixe.
O atleta que não nega suas origens do interior de São Paulo, contou com riqueza de detalhes por quantos e quais times já passou:
"Comecei em Mogi-Guaçu, minha cidade  pelo Guaçuano e acabei em seguida indo para o Itapirense. Depois fui parar no Brasilís, em Águas de Lindóia, onde eu jogava de lateral-esquerdo. Em seguida, virei profissional em Goiás, no Mineiros. Prometeram um valor que já era baixo e chegamos lá só pagavam a metade. Período difícil. Em seguida, vim para o XV de Piracicaba, mas fiquei um dia só. Após o treino, fui tomar banho e todos os chuveiros só com água gelada. Estava um frio danado. Fui dormir a noite e me colocaram no chão com um colchonete fino. Disse a meu Pai. Melhor eu parar. Não deu certo" confessa com a voz um pouco embargada."
Com a insistência do Pai, seu maior incentivador, Pituca volta a jogar futebol e recomeça do zero novamente, mesmo com 23 anos de idade.
"Voltei para a minha cidade no Guaçuano, disputei a série A-III. Depois tava acertado com o Olímpia mas fui mesmo para a Matonense e o Marcelo Veiga me viu e me levou para o Botafogo-SP. Fui para Ribeirão Preto em 2015, onde fomos campeões na série D no Brasileiro e disputei o estadual, antes de surgir o Santos pela segunda vez na minha vida. Eu disse para mim mesmo que não desperdiçaria esta chance novamente" afirmou.
Pituca é um dos pilares do esquema de Jorge Sampaoli.
Pituca é bem simples. É comum quem mora no bairro do Marapé vê-lo passeando com uma camisa regata e seu cachorro pelas ruas. Ele também demonstra gratidão pela namorada:
"Minha namorada está comigo há sete anos. Teve dia de a gente só ter dinheiro para um pastel e dividíamos. Assim como a Coca-Cola, mas graças a Deus as coisas melhoraram." revela.
Além de jogar pelo Santos, Pituca tinha outro sonho. Fazer com que sua mãe, não precisasse mais trabalhar. A genitora do atleta tem 58 anos.
"Ligar para minha mãe e dizer a ela que não precisava mais trabalhar, esse objetivo eu também consegui de aposentar ela. Agradeço a Deus e ao Santos por ter conseguido." disse Pituca.
Pituca encerrou a entrevista dizendo que a vitória não foi dele e sim do seus pais:
"Não parei de jogar, por causa do meu pai e minha mãe. Quando recusei o Santos pela primeira vez, eu vi meu Pai chorar, algo que jamais tinha visto na vida e este, foi o pior dia da minha vida, quando o Oscar (ex-zagueiro do São Paulo e disputou a Copa de 82 pelo Brasil) disse que o Peixe me queria e eu estava decidido a parar."
Pituca disse que os quase 10 meses que demorou para ajustar e renovar seu novo contrato trouxeram-lhe alguns problemas. E se sente aliviado que tudo terminou bem:
"Saiu uma notícia que eu tinha recusado R$ 400 mil por mês e muita gente me chamando de mercenário. Eu não podia publicar nada em rede social e me dava aquela vontade de falar a verdade, mas fiquei quieto. Eu disse ao Adalberto, meu empresário. Meu sonho é continuar a vestir a camisa do Santos e isso nós conseguimos."
Para acompanhar a entrevista ma íntegra, basta clicar o link ao lado- https://www.youtube.com/watch?v=2sGh5Di_nQY

Aproveite dê o like e se inscreva no canal  - https://t.co/CuzCQ86Rj4


strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by