FOTO CAPA

O QUARTO MAIS JOVEM MENINO DA VILA

Publicado Às 21h45 desta sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019.
Aos 16 anos, cinco meses e um dia, o talentoso volante Sandry é o quarto jogador mais novo a disputar uma partida pelo time profissional na história do Santos. O jovem entrou aos 43 minutos do segundo tempo, na goleada alvinegra diante do Bragantino, nesta quinta-feira (31) por 4 a 1 pela quarta rodada do Campeonato Paulista. O meio-campista desbancou um dos maiores pontas da história do futebol mundial que vestiu o manto alvinegro e a camisa da Seleção Brasileira, o ponta-esquerda Edu que estreou diante da Portuguesa de Desportos em 1966, aos 16 anos, seis meses e 25 dias. 

Natural de Itabuna, no Estado da Bahia, Sandry fica atrás apenas do centroavante Coutinho que jogou com 14 anos e 11 meses em 1958 e o Rei Pelé que estreou no Santos aos 15 anos, 10 meses e 15 dias, na vitória sobre o Corinthians de Santo André por 7 a 1 em 1956. Ele fica atrás de Gabriel Barbosa, hoje no Flamengo, que estreou com 16 anos e quatro meses, em 2013.

Sandry desembarcou na Vila Belmiro, aos 10 anos de idade. Acompanhado do Pai que também foi jogador profissional. Nenezinho, o patriarca da família do camisa 31 santista atuou no Londrina, Itabuna e Oeste de Itápolis, quando mais jovem.

Sandry e Andrey Quintino em uma das viagens da base
Assim que chegou a Baixada, em 2013, Sandry foi aprovado e passou a integrar o time sub-11 santista do técnico Luciano Santos, o mesmo que revelou Rodrygo e que lapidou o novo volante do profissional santista, nos títulos Paulista sub-11, 13 e vice-estadual sub-15. Sandry também conquistou a Copa Zico, em 2016 e era o único garoto nascido em 2002, titular na campanha vitoriosa, no Rio de Janeiro. Em 2017, Sandry foi treinar com o técnico Gustavo Roma e em 2018 voltou para as mãos do comandante que o aprovou no sub-11, cinco anos antes.

Sandry pela Seleção Brasileira sub-15.
Após excelentes atuações na base alvinegra, o jogador chamou a atenção e foi convocado oito vezes para a Seleção Brasileira sub-15. Em uma delas, foi campeão da Nike Friendlies, nos Estados Unidos, no fim de 2017.
"É um sonho. Cheguei com 10 anos de idade no clube e aos 16 estreei nos profissionais. Muito feliz e principalmente motivado para honrar essa camisa, uma das mais vitoriosas e ricas no futebol mundial. Quero ganhar muitos títulos aqui e construir a minha história." disse Sandry em breve contato com o Blog do ADEMIR QUINTINO, logo após a sua estréia.
Sandry sempre me chamou a atenção por ser um volante diferenciado. O acompanho desde 2014, ano seguinte em que ele chegou para ser mais um 'menino da Vila'. 

Mesmo não sendo um jogador de grande estatura para o atual padrão do futebol mundial (1,70m), a técnica refinada, o lançamento cada vez mais incomum, o passe que dificilmente erra e a velocidade que põe na bola, o faz um jogador moderno, que tem muita intensidade, e por isso chamou a atenção do 'obcecado' técnico santista Jorge Sampaoli.

Outro detalhe que vale ressaltar é que Sandry diferentemente dos 'raios' recentes como Neymar e Rodrygo, por exemplo, não é atacante e talvez, por isso, não seja tão badalado para os torcedores.

Antes de estrear em Bragança Paulista, Sandry já havia ficado no banco de reservas nas vitórias do Peixe sobre a Ferroviária, na Vila Belmiro e sobre o São Bento, em Sorocaba.

Sandry ainda não tem contrato de jogador profissional. Seu contrato de formação vai até Setembro deste ano, entretanto, a direção do clube e seu staff já encaminham um acordo para que ele assine seu primeiro contrato no time de cima. 


strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by