FOTO CAPA

SETE DESFALQUES E JOGO PERIGOSO

Publicado às 19h30 desta sexta-feira, 9 de novembro de 2018.
O treinador Cuca nunca teve tantos problemas para escalar o Santos, desde que retornou ao clube. Para o duelo diante da Chapecoense, na próxima segunda-feira(12), no estádio do Pacaembu, o treinador não contará com mais da metade dos titulares. São três suspensos: Pituca, Victor Ferraz e Gabriel Barbosa, dois no departamento médico: Luiz Felipe e Lucas Veríssimo, um que treinou pouco em razão de ter tido febre - Rodrygo e deve ficar no banco e outro, Bambu, que vai embora pois o contrato acaba neste sábado (10). 
"Um jogo atípico. Pela primeira vez, tivemos tantas baixas ao mesmo tempo. Lucas Veríssimo, Luiz Felipe, Victor Ferraz, Pituca, Gabriel e Rodrygo com febre não treinou desde o jogo contra o Plameiras (treinou nesta sexta-feira pela primeira vez), além do Róbson Bambu, em fim de contrato. São sete baixas, sendo seis titulares e um suplente imediato" avaliou o comandante técnico.
Cuca também falou durante a entrevista sobre o próximo adversário do Peixe. O alvinegro busca a reabilitação após a derrota no clássico diante do Palmeiras. Já o time catarinense dirigido por Claudinei Oliveira, luta para sair da zona de rebaixamento e ocupa a 19a. colocação do campeonato.
"Vi Chapecoense e Bahia. Eles (Chapecoense) não jogaram tão atrás. Mas o que me preocupa é eu armar a minha equipe certa e manter o padrão de jogo que a gente vem tendo. Mesmo na derrota jogamos bem." afirmou o técnico.
O comandante santista se esquivou quando questionado sobre se já pensa em 2019 e daria paz a torcida com o 'fico' da sua permanência. Garantiu que a preocupação ainda é com o ano vigente e confirmou que esteve reunido com o presidente José Carlos Peres:
"Uma reunião entre eu, ele (o presidente), Dimas e Renato. Não podemos planejar 2019, sem saber o que vamos disputar? Mais do que quantos jogadores o presidente vai trazer, precisa é a permanência de jogadores e buscar essa vaga a Libertadores. São seis decisões que nós temos.", desconversou o técnico.

Dr. Alba trabalhou 12 anos no Santos em sua primeira passagem.
PEDIDO DE DEMISSÃO E CRÍTICAS

Após a demissão do médico Thiago Ribeiro, profissional renomado com oito anos no Santos F.C, no dia 10 do mês passado, o departamento tem mais uma baixa. O médico Carlo Alba afirmou em breve contato com o Blog do ADEMIR QUINTINO que entregou uma cartão de demissão ao presidente José Carlos Peres. O ortopedista, traumatologista, cirurgião de joelho e médico do esporte retornou ao clube após seis anos (ele tinha trabalhado no Peixe de 1995 à 2012)  e depois de oito meses como um dos seis médicos do departamento neste ano, pediu dispensa.

Alba apoiou a chapa do atual mandatário José Carlos Peres, nas eleições de dezembro do ano passado. O médico disse ao Blog que não concorda com o rodízio de profissionais que acontece na base e no time profissional e por essa e outras razões prefere sair:
"Meu pedido de demissão não tem viés político e sim técnico. Não concordo com o rodízio médico que existe. Qual outro clube tem isso? Não sou o dono da verdade, mas não compactuo. Voltarei as arquibancadas, sem problema algum. Como você pode contratar um jogador de três meses de inatividade? Um jogador com pubalgia crônica, uma das lesões mais traiçoeiras do futebol. Discute com o corpo médico. O que somos, enfeites? Bonecos? Uma pessoa toma a decisão e pronto?" disse Alba se referindo a contratação do centroavante Felippe Cardoso que estava sem jogar desde Maio na Ponte Preta e que pelo Santos, atuou apenas alguns minutos diante do São Paulo, desde que foi contratado. 
O Blog apurou que um laudo foi entregue aos dirigentes alvinegros, assim que Felippe Cardoso realizou exames médicos no clube. No documento constam anotações que o centroavante só teria suas melhores condições em 2019. 

O técnico Cuca, que pediu a contratação do atleta a época, disse na coletiva que conta com a volta do atacante, ainda nesta temporada e falou que se surpreendeu ao saber que o médico de quem disse ser amigo pessoal, tinha pedido demissão.
"Tem que ter calma. Faltam seis jogos para o fim do Campeonato. Me parecem que são questões a serem discutidas, mas o Santos tem um grande departamento médico. Uma excelente fisioterapia. Não deve nada para ninguém. De repente faltou um ajuste de idéias. O Merouço (coordenador) é um médico experiente e tem o apreço de todos também". finalizou o treinador.
O clube emitiu uma nota e a instituição preferiu não se posicionar sobre o assunto:
"O Santos Futebol Clube declara para devidos fins que não se manifesta a respeito de reestruturações, demissões ou demais questões internas. O clube entende que as discussões sobre temas administrativos devem ser tratados com descrição e total profissionalismo. Tal procedimento atende aos critérios impostos pelo clube desde o início da gestão."  

Shopping Colinas em São José dos Campos.
FESTA EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

Neste sábado (10), estarei à partir das 10h da manhã, no Shopping Colinas, em São José dos Campos, na 2a. edição do Santos Day, realizado pela Embaixada do Santos no Vale do Paraíba. 

Também foram convidados e estarão presentes o atacante Alberto, campeão em 2002 e o volante Dema, campeão paulista em 1984.

Agradeço o convite do embaixador de São José Àlvaro Pivetta pelo convite. Será um enorme prazer receber o carinho dos presentes a festa.

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by