FOTO CAPA

A CONFIANÇA VOLTOU


O Santos conseguiu a sua segunda vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro. Em partida difícil, o alvinegro sai de vez da parte debaixo da tabela ao vencer o Bahia, na Vila Belmiro, neste sábado (25) por 2 a 0, com gols de Derlis e Gabriel Barbosa.

O técnico Cuca não poupou nenhum titular. Apenas Alison e Victor Ferraz suspensos, não foram a campo diante do tricolor de aço do nordeste. As novidades foram Daniel Guedes na ala direita e Derlis no ataque. O comandante técnico santista apostou num alvinegro com quatro atacantes, onde Rodrygo recompunha.

Entretanto, o Bahia apesar de um momento ruim, tinha um time bem compactado e o setor do meio-campo com quatro atletas contra dois jogadores do Peixe e dominou as ações no primeiro tempo. O time soteropolitano teve tudo para ir para o vestiário com a vantagem parcial. Os baianos perderam um gol incrível na pequena área de Vanderlei no começo do jogo.

No intervalo, Cuca mexeu no time. Sacou Bruno Henrique e colocou Bryan Ruiz. Apesar do costa-riquenho, que não está bem fisicamente, não ter feito uma grande partida, fez o suficiente para preencher o setor e o Santos começou a ganhar o jogo com essa mudança.

Aos 12 minutos da etapa complementar, Após cobrança de falta, Derlis marcou um golaço ao bater na bola de três dedos. 

Daí em diante, o jogo foi outro. O Bahia que jogava recuado, teve que sair pro jogo e deu espaço, foi quando surgiu a qualidade de Carlos Sanchez. O uruguaio é muito inteligente (dentro do gramado) e abriu espaço na meia cancha até achar Derlis González. O paraguaio tocou no espaço vazio para Gabriel Barbosa que com extrema categoria, tocou na saída do goleiro do Bahia - 2 a 0.

Depois de um primeiro tempo difícil, o Peixe conseguiu resolver o jogo e conquistou os seis pontos contra adversários da parte da tabela. Cuca demonstra o que a grande maioria imaginava. O elenco não era tão fraco assim, resgatou a confiança da maioria e mesmo sem tempo para treinar, demostra que o Santos perdeu muito tempo com seu antecessor. No mínimo 30 dias de preparação durante a Copa do Mundo. Já são três jogos sem sofrer gols.

Agora a angústia, se volta para a segunda-feira (27). Em Luque no Paraguai, a vida santista será decidida no caso Carlos Sànchez. Às 15h, em Assunção, com a presença do presidente santista José Carlos Peres, o gerente jurídico Rodrigo Gama e o advogado contratado Mário Bittencourt, o veredito, se o clube será penalizado ou se o resultado em 0 a 0, será mantido. Se o melhor acontecer, o alvinegro fica muito forte na competição continental e mesmo sem favoritismo de ninguém (se o resultado for satisfatório vou contar o que ouvi no vestiário santista na última terça-feira na Argentina), pode ir longe. Se o pior for confirmado, confesso que não creio que o time consiga marcar quatro gols de diferença na terça-feira (28), mesmo com o Pacaembu lotado. Principalmente pela necessidade.

O lateral Dodô suspenso está fora do duelo de volta contra o Independiente. Pituca deve ser confirmado no setor de forma improvisada.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 2 x 0 BAHIA
Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Heber Roberto Lope (SC)
Público e renda: 11.564 pagantes/R$ 201.458,00 
Cartões amarelos: Elton (9'/1°T), Bruno Henrique (13'/1°T), D. Grolli (13'/2°T)
GOLS: Derlis González (12'/2°T) (1-0) e Gabigol (28'/2ºT)
SANTOS: Vanderlei, Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique (Robson Bambu, aos 17'/1°T) e Dodô; Pituca, Carlos Sánchez e Derlis González; Rodrygo, Gabriel Barbosa (Sasha, aos 37'/ºT) e Bruno Henrique (Bryan Ruiz, no intervalo). Técnico: Cuca.
BAHIA: Anderson, Nino Paraíba, Tiago (Everson, aos 9'/2°T), Douglas Grolli (Paulinho, aos 22'/2ºT) e Léo; Gregore, Elton, Zé Rafael e Vinícius (Régis, aos 28'/2ºT); Élber e Edigar Júnio. Técnico: Luis Fernando Flores.

Carlos Sanchez. Se o Santos tiver sucesso na Conmebol, ele não joga na terça-feira. 
NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Não foi exigido. - 6,0
Daniel Guedes: Muito tempo sem jogar. Foi a linha de fundo, mas pouco cruzou, seu melhor fundamento. - 5,5
Lucas Veríssimo: Zagueiro muito seguro. Maravilhoso nas antecipações. - 7,0
Gustavo Henrique: Sofreu um corte na cabeça, logo no começo de jogo e foi substituído. - SEM NOTA
(Robson Bambu): Falta ritmo e estava sem confiança, nos primeiros minutos, após entrar na partida. No segundo tempo, chutou bola para onde o nariz tava virado e não comprometeu. - 5,0
Dodô: Bem na defesa. - 6,5
Pituca: Dificilmente erra um bote ou uma antecipação. Jogou de primeiro volante. - 6,5
Carlos Sánchez: O segundo tempo do uruguaio foi coisa linda. Uma garra, disposição e inteligência dentro do campo, incomum nos últimos tempos no futebol brasileiro. Um cavalo de tanta força. - 7,5
Derlis González: Não é dono de grande técnica, mas tem garra, disposição, velocidade e força física. O nome do jogo. Um gol e uma assistência. - 8,0
Rodrygo: Sacrificado no esquema de Cuca. Jogou de meia no primeiro tempo e na esquerda, como gosta, na etapa complementar. Colaborou demais ao voltar para marcar. - 6,5
Gabriel Barbosa: Apagado na primeira etapa. Está com mais disposição com Cuca no comando. Bem na finalização. É frio na frente do goleiro, quando tem oportunidade de marcar e fez o seu. - 7,0
(Sasha): Apenas 10 minutos em campo, com os acréscimos.  Vai ser importante na terça-feira. - SEM NOTA.
Bruno Henrique: Não vive bom momento. Foi bem substituído. - 5,0
(Bryan Ruiz): Muito abaixo fisicamente, se manda quase como um ponta de lança. Com sua entrada, o meio campo, ao menos foi preenchido. - 5,0
Técnico: Cuca: Consertou o time no intervalo. Contagia o vestiário com seu estilo. Maior responsável pelo bom momento do time dentro das quatro linhas. - 7,0

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by