FOTO CAPA

PERES, GERENTE JURÍDICO E ADVOGADO CONTRATADO VIAJAM A ASSUNÇÃO NESTE DOMINGO

Publicado ás 07h40 deste sábado, 25 de agosto de 2018.
O presidente José Carlos Peres, o gerente Jurídico Rodrigo Gama e o ex-advogado do Fluminense em 2013, que salvou os cariocas da série B - Mario Bittencourt, viajam para Assunção, na noite deste domingo (26), onde no dia seguinte, o caso envolvendo o meio-campista Carlos Sánchez, será analisado pela Conmebol.  

A maior entidade futebolística do continente investiga suposta escalação irregular do atleta na partida diante do Independiente na última terça-feira, em Avellaneda, quando o placar terminou 0 a 0. Se o alvinegro for punido, o jogo passa a ter 3 a 0 para os donos da casa, o que obriga o Peixe vencer por quatro gols de diferença nesta terça-feira (28), 19h30, no jogo de volta, marcado para o estádio do Pacaembu.

No documento divulgado pelo clube, em seu site oficial, o Peixe pede igualdade da Conmebol na investigação, já que o atleta do River Plate - Bruno Zuculiini, atuou sete partidas da competição de forma irregular, porém,  a Conmebol assumiu o erro e isentou o clube argentino de penalização com o argumento de que o Racing e os demais adversários que enfrentaram os "Milionários" de Buenos Aires, não exerceram o seu direito de reclamar antes de completar 24h após os jogos. 

O Santos argumenta em sua defesa, o fato de ter utilizado e confiado no sistema digital da confederação, o Comet. O Peixe também solicita aos dirigentes da Conmebol que Sánchez cumpra um jogo de suspensão na partida de volta diante do mesmo adversário. O clube rechaça que tenha errado ao escalar o uruguaio no jogo de ida, na Argentina.

Antes de se transferir para o futebol Mexicano, Sánchez foi expulso, em 2015, por agredir um gandula, quando ainda atuava no River Plate, no jogo de volta da semifinal da Copa Sul-Americana contra o Huracán. 

A pena imposta foram de três jogos de suspensão. No ano seguinte, em medida tomada por conta da comemoração do primeiro centenário da Conmebol, a entidade reduziu pela metade todas as suspensões pendentes de clubes e jogadores, o que diminuiria a punição a Sánchez a um jogo que deveria ter sido cumprida na última terça, já que o camisa 7 santista, não disputou mais nenhuma competição organizada pela confederação sul-americana.

Entretanto, o alvinegro garantiu por meio da assessoria de imprensa que o jogador tinha apenas um jogo de suspensão para cumprir e que, com a anistia, estaria livre para atuar contra o Independiente, na última terça-feira (21). 

Para o gerente jurídico do clube, Rodrigo Gama, que até pouco tempo, trabalhava no Atlético Paranaense, o sistema de registro de jogadores no Comet, não informa nenhum tipo de suspensão pendente contra Sánchez. O sistema digital foi construído há dois anos.

O presidente Peres viaja domingo para Assunção-PAR.
O julgamento está marcado para ter início às 15h. Temerosos de um possível atraso no vôo da manhã de segunda-feira (27), o mandatário alvinegro, o gerente jurídico do clube e o advogado contratado embarcam na noite de domingo (26).


SAIR DA SEGUNDA METADE DA TABELA

Antes da decisão da Conmebol na segunda-feira e o jogo de volta diante do Independiente no dia seguinte, o alvinegro volta a campo pelo Campeonato Brasileiro, diante do Bahia, na Vila Belmiro, neste sábado (25), às 16h. Cuca, a exemplo do que fez contra o Sport, sábado passado, não revelou qual o time que começa o jogo. 

Existem chances do treinador santista poupar atletas, visando o compromisso da próxima terça-feira (28), pela Libertadores, novamente diante do Independient-ARG.

O comandante técnico santista relacionou 22 jogadores para o duelo diante do Tricolor de aço soteropolitano. Todos os ingressos para os jogos diante do Bahia e Independiente, na Vila Belmiro e Pacaembu, respectivamente, estão esgotados. Há exceção são os bilhetes de cadeiras cativas no estádio Urbano Caldeira, onde o proprietário não é obrigado a reservar. São 4,5 mil lugares.

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by