FOTO CAPA

A DECISÃO DA VAGA FICOU PARA A VILA

Publicado às 06h45 desta segunda-feira, 19 de Março de 2018.
No jogo de ida das quartas de finais do Paulistão, em Ribeirão Preto, Botafogo e Santos ficaram no 0 a 0. Na próxima quarta-feira (21), na Vila Belmiro, às 19h30, quem vencer avança as semifinais do Paulistão. Um novo empate, leva a decisão da vaga para os pênaltis. 


Os primeiros minutos do duelo foram de alta velocidade. O Botafogo adiantou a marcação para surpreender o Peixe e o alvinegro com Léo Cittadini inspirado, também se lançava ao ataque com muito perigo. Na melhor oportunidade da partida, Gabriel Barbosa recebeu a bola e cara a cara com o goleiro, chutou em cima do camisa 1 botafoguense, no rebote, Rodrygo mandou na trave. Na primeira etapa, o time da Vila teve chances de abrir o marcador, mas esbarrava na boa marcação de uma das defesas menos vazadas da competição.

Na segunda etapa, o jogo caiu bastante e muito pelo fato dos jogadores do Santos estarem visivelmente cansados. Com um jogador a menos durante todo o segundo tempo, na última quinta-feira, na vitória diante do Nacional-URU, pela Libertadores da América, os titulares do Peixe correram muito mais. Além disso, o pouco tempo de descanso e a viagem ao interior, para menos de 72h depois, estarem em campo novamente. 

Na etapa complementar, o alvinegro quase não atacou. O meio-campo santista pouco produziu e os atletas de frente, apesar de uma jornada bem abaixo das suas capacidades, pouco foram abastecidos. Nem mesmo com as mudanças de Jair Ventura nos setores mudaram o panorama. Faltou melhor qualidade na troca de passes na meia cancha. Ventura preferiu a entrada de Bueno do que a de Vecchio e que também não surtiu o efeito desejado.

Se o resultado, não foi o esperado, também não foi de todo ruim, pois o Santos necessita de uma vitória simples para ir a próxima fase da competição estadual.


FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO-SP 0 X 0 SANTOS
Estádio Santa Cruz, Ribeirão Preto (SP)
Árbitro: Raphael Claus
Público/renda: Não divulgado
Cartões amarelos: Plínio e Dodô (BOT), Jean Mota (SFC)
BOTAFOGO-SP: Tiago Cardoso; Marcos Martins, Naylhor, Plínio e Mascarenhas; Willian Oliveira e Diones; Lucas Taylor (Wesley, aos 30'/2ºT), Danielzinho (Cafu, aos 24'/2ºT) e Dodô; Bruno Moraes (Jheimy, aos 39'/2ºT). Técnico: Léo Condé.
SANTOS: Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison, Cittadini (Vitor Bueno, aos 29'/2ºT) e Jean Mota; Sasha (Diogo Vitor, aos 36'/2ºT), Rodrygo (Arthur , aos 28'/2ºT) e Gabriel Barbosa. Técnico: Jair Ventura.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: O injustiçado goleiro santista, o melhor das Américas na atualidade que jamais foi convocado por Tite fez uma linda defesa no primeiro tempo após finalização de Bruno Moraes. - 6,5
Daniel Guedes: Limitou-se a marcar. Quando foi a frente errou cruzamentos. - 5,5
Lucas Veríssimo: Vive ótimo momento. Seguro e sério na defesa. - 6,0
David Braz: Em uma das poucas chances do time do interior, o camisa 14 não evitou a finalização de Danielzinho. - 5,5
Dodô: Muita qualidade com a bola nos pés. Podia até virar meia, já que Jean Mota não estava em noite inspirada. Peca por deixar espaços na marcação, onde prefere acompanhar a distância. - 6,5
Alison: Outro que o futebol cresceu assustadoramente. Bem a frente da cabeça de área. - 6,0
Cittadini: O melhor do time. Deixou Gabriel Barbosa duas vezes, cara a cara com o goleiro. Bem quando pressiona a marcação. Roubou inúmeras bolas. Cresceu muito o seu futebol. - 7,0
(Vitor Bueno): Até tentou dar mais velocidade na armação com toques rápidos, mas também não conseguiu dar nova vida ao setor. - 5,5
Jean Mota: Correu muito, mas não conseguiu armar a equipe. Poderia ter invertido em alguns momentos com Dodô, para que o camisa 16 fosse para a meia e ele para a ala. - 5,0
Sasha: O esforçado e valente atacante santista foi um dos que mais sentiu o calor do interior paulista e o desgaste de quinta-feira. Fez sua partida mais discreta pelo Peixe desde que estreou. - 5,0
(Diogo Vitor): Entrou com menos de dez minutos para o fim do jogo. Quase não pegou na bola. - SEM NOTA
Rodrygo: Não foi noite do "crioulo" talentoso. Teve uma chance no primeiro tempo e desperdiçou ao chutar a bola na trave. Na segunda etapa, quando tirou um marcador para finalizar, foi bloqueado pelo zagueiro da sobra Plínio. - 5,5
(Arthur): Deu um novo gás pela esquerda, mas nada que pudesse alterar o placar da partida. - 5,5
Gabriel Barbosa: Teve duas chances claras de gol no primeiro tempo e desperdiçou. Na segunda etapa, quase não foi municiado. Dessa vez não levou cartão. - 4,5
Técnico: Jair Ventura: Com Dodô na esquerda, o Peixe ganhou qualidade, porém, apesar de pouco sofrer, o meio-campo permanece com dificuldades de propor jogo e o jovem treinador que é promissor, ainda não conseguiu resolver a situação com o material humano que tem. Time visivelmente cansado em razão do calendário desumano a que foi submetido. - 5,5

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by