FOTO CAPA

A HISTÓRIA SE CONSTRÓI DE NOVO E O SANTOS TEM TÉCNICO BOM, SIM

Publicado às 22h30 desta quinta-feira, 25 de janeiro de 2018.
O Santos tem técnico e a base sempre salva. A história se repete. Com um gol da joia Rodrygo nos acréscimos, o alvinegro da Vila conquistou uma vitória importante e até então improvável, diante da Ponte Preta por 2 a 1, dentro de Moisés Lucarelli. O outro gol santista foi de Eduardo Sasha.


Entretanto, o Santos levou o gol muito cedo. Com menos de 10 minutos, a Macaca largou na frente e se "trancou" atrás do meio-campo. Com apenas Vecchio na construção, o time da baixada não oferecia perigo aos donos da casa.

Após o intervalo, o Peixe veio mais incisivo, mas nada que ameaçasse. Mas no banco de reservas, tem um ótimo treinador - Jovem, porém corajoso e como toda pessoa que faça sucesso precisa de um pouco de sorte. Jair Ventura sacou Rodrigão e colocou Sasha. Tirou Matheus Jesus e colocou mais um armador - Jean Mota. O Santos alugou o meio campo e o gaúcho recém contratado empatava em menos de cinco minutos após entrar no jogo.

Mas o melhor estava por vir. O cronometro marcava 33 minutos e Rodrygo, aquele que encho o saco nas minhas redes sociais e digo que é diferenciado, repito, anotem esse nome RODRYGO, vocês (e o trio de ferro também) vão ouvir muito, entrou para matar o jogo. Ele foi para o lado direito do ataque, não é o seu preferido. Mas ele precisou apenas de uma chance para definir a partida e deu a virada ao Peixe.

Desculpa sair da mesmice, mas estou feliz demais. Tive que esperar alguns minutos para escrever. Fiquei emocionado. Esse menino tem tudo para despontar. Qualidade, talento, poder de decisão e uma família que dá um alicerce maravilhoso. Méritos também para o técnico Luciano Santos, treinador do sub-17 alvinegro que trabalhou e lapidou esta joia durante sete anos (desde quando o menino tinha 10).

Um novo raio? Muito cedo, mas que esse menino que veste a camisa 43 vai dar muitas alegrias a coletividade alvinegra, eu não tenho dúvidas. Assim como vi com Robinho e Neymar, estou novamente vendo a história se construir na minha frente.

Domingo (28), às 19h30, no Pacaembu, o Santos volta a campo e enfrenta o Ituano.


FICHA TÉCNICA

PONTE PRETA 1 X 2 SANTOS
Estádio Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Público/renda: 2.032 pessoas / R$ 58.100
Cartões amarelos: Tiago Real, Marciel, Renan, Jeferson, Ronaldo e Marquinhos (PP); Copete, Vecchio e David Braz
Gols: Léo Arthur (aos 8'/1ºT) (1-0); Sasha (aos 28'/2ºT) (1-1); Rodrygo (aos 46'/2ºT)
PONTE PRETA: Ivan; Emerson, Renan Fonseca, Luan Peres e Jeferson; Tiago Real, Marciel (Ronaldo, aos 16'/2ºT) e Léo Arthur (Thiaguinho, aos 36'/2ºT); Felipe Saraiva, Silvinho (Marquinhos, aos 26'/2ºT) e Fellipe Cardoso. Técnico: Eduardo Baptista.
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, David Braz e Caju; Alison, Matheus Jesus (Jean Mota, aos 13'/2ºT) e Vecchio; Copete, Arthur Gomes (Rodrygo, aos 33'/2ºT) e Rodrigão (Eduardo Sasha, aos 20'/2ºT). Técnico: Jair Ventura.

Virada importante de virada.
NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Levou um gol que não é comum, tamanha a sua qualidade. Pouco exigido. - 5,0
Victor Ferraz: Não vive seu melhor momento. Faltou sorte na hora que travou o atacante no lance do gol da Macaca e o rebote ficou com o mesmo. - 5,0
Luiz Felipe: Tem qualidade, mas como volta a ter sua primeira sequência após a contusão, tem jogado o arroz com feijão bem temperado. - 6,0
David Braz: Começou mal, depois se recuperou no jogo. - 5,0
Caju: Não conseguiu parar o atacante de beirada no lance do gol da Ponte. Ainda sem confiança. - 5,0
Alison: Jogou sozinho na marcação nos últimos 25 minutos. Conseguiu não levar amarelo e não desfalca o time domingo. - 6,0
Matheus Jesus: A exemplo de David Braz, começou mal e cresceu na partida. Não estava mal quando saiu, mas Jair Ventura enxergou e bem que o meio-campo precisava de mais qualidade na construção. - 5,5
(Jean Mota): Entrou bem demais. Ajudou Vecchio a armar o time. - 6.5
Vecchio: Um primeiro tempo bem burocrático. Mas os últimos 25 minutos, quando dividiu a construção de jogadas com Jean Mota, fez com que crescesse muito. Deu uma assistência linda para Arthur e já era para o Peixe ter virado ali. O passe para o gol de Rodrygo também foi dele - 7,0
Copete: Não vinha bem. Com a entrada de Sasha, cresceu e deu a assistência do gol do gaúcho. - 6,0
Arthur: Tem amadurecido aos poucos. Hoje participou menos do que nos jogos anteriores, mas ainda assim o que mais oferecia perigo quando o time perdia a partida. - 6,0
(Rodrygo): Entrou para mudar o jogo. Teve uma chance e não decepcionou. Diferenciado. - 7,5
Rodrigão: Discreto. Errou passes fáceis. - 4,5
(Eduardo Sasha): Deu movimentação ao ataque. Briga e luta incansavelmente. Bem colocado para empatar a partida. - 7,0
Técnico: Jair Ventura: O maior responsável pela virada. Fez as mudanças necessárias e deixou o time altamente ofensivo. Premiado com a vitória. Para não dizer que não falei das flores, pela primeira vez não senti o time compacto no primeiro tempo.- 7,5

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by