FOTO CAPA

VANDERLEI GARANTE PRIMEIRA VITÓRIA DO SANTOS NO BRASILEIRÃO

Publicado ás 21h10 deste sábado, 20 de Maio de 2017.
"O que vale é bola na rede". Esta velha máxima traduz o que foi a primeira vitória do Santos no Campeonato Brasileiro. Graças a uma atuação perfeita do goleiro Vanderlei, que pegou até pênalti, nos acréscimos, o alvinegro venceu o Coritiba, na tarde deste sábado (20), no estádio da Vila Belmiro por 1 a 0. O gol do Peixe foi do zagueiro David Braz.

O técnico Dorival Junior não pode contar com Victor Ferraz com dores no joelho e poupou o zagueiro Cléber, o meia Renato e o atacante Vitor Bueno. Os três últimos ficaram entre os reservas. Com isso, Braz retornou na defesa, assim como Zeca na ala-esquerda, além de Leandro Donizete no meio e Vladimir Hernandez na frente. 


O Peixe começou indo para cima do Coritiba e ainda nos primeiros minutos conseguiu o seu gol. Cruzamento da esquerda e Bruno Henrique ganhou no alto. A bola sobrou para o defensor-artilheiro David Braz que empurrou para o fundo das redes - Santos 1 a 0. 

Pouco antes de marcar o único gol da partida, o meia Lucas Lima com dores no posterior da coxa direta, deixou o gramado e preocupa o departamento médico para o duelo de terça-feira (23), pela Libertadores da América. O Blog do ADEMIR QUINTINO conversou rapidamente com o médico Maurício Zenaide que afirmou que o meio-campista vai realizar uma ressonância magnética na segunda-feira (22) e somente com o resultado do exame, poderá dizer se o camisa 10 joga ou não diante dos peruanos do Sporting Crystal. Segundo o profissional de medicina - "Para o próximo jogo, em razão da proximidade, preocupa sim"

Daí em diante, o Coritiba saiu para o jogo e a partida ficou aberta. O centroavante Ricardo Oliveira perdeu uma ótima oportunidade de ampliar, frente a frente com o goleiro visitante, entretanto, outro camisa 1 começaria um show particular- Vanderlei. Ele pegou até pensamento.

Mas as maiores emoções estavam reservadas para a etapa complementar. Visivelmente cansados, em razão das viagens e o intervalo curto do retorno de La Paz, o Santos começou a ceder espaço e limitou-se apenas a se defender. O Coxa alugou o meio-campo e pressionava. Dorival ainda mexeu mais duas vezes no time, mas não foi o suficiente.

Já nos acréscimos, David Braz cometeu pênalti em Alecsandro, que estreava no time paranaense. O atacante que sofreu a penalidade máxima, pegou a bola e partiu para a cobrança. Ele bateu a direita de Vanderlei que acertou o canto e fez a defesa. Era a coroação do melhor goleiro do Brasil na atualidade como grande nome da partida.

Se no domingo passado, o time até que jogou bem e perdeu, dessa vez, aconteceu ao contrário, o Santos estafado e desgastado não produziu (ainda mais após a saída de Lucas Lima), porém, conquistou seus primeiros três pontos na competição.

Para não dizer que não falei das flores, novamente, o público do jogo deixou a desejar. Mesmo com o time sendo o único brasileiro invicto na Libertadores, menos de seis mil pagantes compareceram ao Urbano Caldeira, o que é descabível e inaceitável, sob todos os aspectos.

Neste domingo (21), os jogadores ganham folga, se reapresentam na segunda-feira, concentram-se no mesma noite e na terça-feira, buscam mais uma vitória para garantir o primeiro lugar no grupo 2 da Libertadores da América, diante do Sporting. Victor Ferraz e Lucas Lima são dúvidas. Bruno Henrique, expulso na Bolívia, é desfalque certo.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 1 x 0 CORITIBA
Vila Belmiro
Público e renda: 5.921 pagantes/R$ 175.450,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Cartões amarelos: Copete, Thiago Maia, Leandro Donizete, Vladimir Hernández e Rafael Longuine (SAN); Jonas, Matheus Galdezani, Neto Berola e Getterson (COR)
GOL: David Braz (SFC), aos 7 minutos do primeiro tempo
SANTOS: Vanderlei; Matheus Ribeiro (Copete), Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Leandro Donizete, Thiago Maia e Lucas Lima (Rafael Longuine); Vladimir Hernández (Jean Mota), Bruno Henrique e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.
CORITIBA: Wilson; Dodô, Werley, Walisson Maia (Léo) e William Matheus; Jonas, Matheus Galdezani e Tomás Bastos; Henrique Almeida (Alecsandro), Kleber e Neto Berola (Getterson). Técnico: Pachequinho.

David Braz recuperado de contusão, retornou e fez o gol da vitória.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Atuação perfeita e digna de Rodolfo Rodríguez, goleiro santista nos anos 80, que chegou a ser considerado o melhor do mundo, a época. Há muito tempo, merece uma convocação para a Seleção Brasileira. Por ser discreto e calado e não atuar num dos times "queridos da mídia" passa desapercebido. No mínimo, realizou cinco grandes defesas. - 10,0
Matheus Ribeiro: Sofreu para marcar Neto Berola. No apoio até trocou algumas bolas com os meio-campistas. Foi substituído. Ainda não reeditou as boas partidas que fez pelo Atlético Goianiense. - 5,5
(Copete): Jogou novamente improvisado na ala esquerda e Zeca foi para a direita. Apesar de pouco tempo em campo, demonstrou a garra de sempre. - 6,0
Lucas Veríssimo: Eficiente na marcação. Errou algumas saídas de bola. - 6,0
David Braz: Voltou recuperado de contusão e logo no começo do jogo, como um autêntico centroavante, fez o único gol do jogo. Quase pôs tudo a perder ao fazer um pênalti infantil. - 6,5
Zeca: Ainda se ressente da falta de ritmo, após mais de 40 dias fora do time e a realização de cirurgia nos meniscos de um dos joelhos. Substituiu a falta da melhor forma física com muita raça. Evitou um gol certo dos paranaenses. - 6,0
Leandro Donizete: O "general" lembrou os tempos de Atlético-MG. Fez um primeiro tempo muito bom. Bem na marcação e ainda distribuiu passes. Cansou na etapa complementar. - 6,5
Thiago Maia: Muito abaixo do que costuma produzir. Errou quase todos os passes no primeiro tempo. Em um deles, levou um cartão bobo e só foi melhorar na etapa complementar. Joga muito mais do que apresentou neste sábado. - 5,0
Lucas Lima: Deixou o gramado aos seis minutos de jogo. É dúvida para terça-feira, na Libertadores. Sente dores na parte posterior da coxa direita. - SEM NOTA
(Longuine): Fez a primeira partida após a morte dos pais, vitimas de um acidente de automóvel. Errou passes e não conseguiu ditar o ritmo como coordenador de jogadas. Normal para tudo que sofreu nos últimos dias. - 5,0
Hernández: Dá velocidade ao jogo com apenas um toque na bola. Foi dele o cruzamento do primeiro gol. - 7,5
(Jean Mota): Jogou pouco tempo. Apesar de canhoto, entrou pelo lado direito. Pouco pegou na bola. - 5,5
Bruno Henrique: Os defensores do Coxa vão sonhar com o camisa 27. Tem velocidade, sobe bem de cabeça, mas as suas tomadas de decisões, se fossem melhores, fariam-o um atacante ainda melhor. - 7,0
Ricardo Oliveira: A referência do ataque santista perdeu um gol feito, cara a cara e não tem repetido as atuações que o tornaram ídolo do torcedor alvinegro, em razão da sua ótima qualidade técnica. Finalizou pouco a gol. - 5,0
Técnico: Dorival Júnior: Armou um time competitivo para o jogo, mesmo poupando alguns titulares. Porém, após a saída de Lucas Lima, não conseguiu agrupar o meio-campo. As alterações não produziram o efeito que tanto desejava. Acertou em mandar Zeca para a direita e "plantar" Copete improvisado na esquerda, já que o colombiano é alto e tem melhor explosão física. - 6,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by