FOTO CAPA

RODADA QUASE PERFEITA

Publicado às 23h03 deste domingo, 31 de julho de 2016.
O Santos conquistou sua terceira vitória seguida neste domingo (31). Com os três pontos conquistados sobre o Cruzeiro, na Vila Belmiro, com o resultado de  2 a 0, associado a derrota do Palmeiras e o empate do Grêmio, o time de Dorival Junior  assumiu pela primeira vez na competição, a vice liderança, com 32 pontos, empatado com o time de Palestra Itália, porém, com saldo de gols melhor. Além disso, diminuiu a diferença para o novo líder da competição - o SCCP, para apenas um ponto (33 a 32).

O comandante técnico santista não pode contar uma vez mais com Lucas Lima, que ainda se recupera de um edema na coxa esquerda e conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO antecipou e garantiu na terça-feira passada, o atleta não teria condições de estar apto para enfrentar os mineiros, nesta rodada, o que se confirmou. O argentino Vecchio, uma vez mais foi o seu substituto.

Quando o time caminhava para entrar no gramado, veio outro desfalque, a informação da assessoria do clube que Cittadini com uma indisposição daria vaga ao jovem e promissor Yuri.

No começo do duelo, o Cruzeiro dominou o meio-campo e talvez empolgado com a estréia de seu novo treinador, dava a impressão que seria um adversário duríssimo a ser batido, mesmo com a condição de estar na parte debaixo da tabela. O Peixe demonstrava inúmeras dificuldades na construção de jogadas e o goleiro Fábio, do time estrelado, quase não trabalhou. As emoções ficaram para a segunda etapa.

Mas bastou o lateral canhoto Caju curtir uma de coordenador de jogadas e deixar Vitor Bueno na cara do gol, para o artilheiro do Peixe no Brasileirão, abrir o marcador e o panorama da partida mudava completamente. Até aquele instante, o equilíbrio era a marca principal da partida. 

E o segundo gol, veio poucos minutos depois. Victor Ferraz foi a linda de fundo e cruzou. O lateral Lucas do Cruzeiro, no melhor estilo Oseias, acabou cabeceando contra a própria meta e fez contra. Estava selado o destino da partida.

Na próxima rodada, como mandante, o Santos enfrenta o Flamengo, em partida que acontecerá na Arena Pantanal, em Cuiabá-MT, na quarta feira, às 21h45. Uma vitória diante do rubro-negro carioca e se acontecer um tropeço do rival de Itaquera em Curitiba, diante do Atlético-PR, vai garantir a liderança ao Peixe.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 2 X 0 CRUZEIRO
Estádio da Vila Belmiro.
Árbitro: Wagner Reway (MT)
Público/renda: 13.830 pagantes/ R$ 421.520,00
Cartões amarelos: Ricardo Oliveira (SAN) e Willian (CRU)
Gols: Vitor Bueno 16'2ºT (1-0) e Lucas (contra) 29'2ºT (2-0)
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Caju; Renato, Yuri (Rafael Longuine 21'2ºT) e Vecchio (Jean Motta 1'2ºT); Vitor Bueno, Copete (Joel 39'2ºT) e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.
CRUZEIRO: Fábio; Lucas, Bruno Rodrigo, Manoel e Edimar; Bruno Ramires, Ariel Cabral, Robinho e De Arrascaeta (Ramon Ábila 18'2ºT); Rafael Sóbis (Rafinha 26'2ºT) e Willian. Técnico: Mano Menezes.

Caju foi fundamental ao dar a assistência para Vitor Bueno marcar o primeiro gol do jogo.
NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Quase entregou a "rapadura" em uma jogada com os pés na primeira etapa. Seguro, como de costume, na segunda etapa. - 6,0
Victor Ferraz: Participou da assistência do segundo gol. Não comprometeu na marcação. - 7,0
Luiz Felipe: Segundo jogo seguido que o time não sofre gols. Levou a melhor no duelo com William. - 6,5
Gustavo Henrique: Muito bem no alto (sua maior qualidade) e por baixo em diversas antecipações. Resgatou a confiança. Seguro. - 7,0
Caju: Não conseguiu apoiar tanto, como normalmente faz, mas quando curtiu uma de meia armador, deixou Vitor Bueno na cara do gol. Essa assistência foi fundamental para a vitória. - 7,5
Renato: Bem na marcação e na saída de bola com passes precisos. Os chapéus na área adversária também foram lindos. - 7,0
Yuri: O time ficou com melhor proteção a frente dos zagueiros, com a sua escalação, entretanto, por ter características com as de Renato, a criação ficou comprometida. Melhorou no decorrer da partida. Saiu contundido. O camisa 25 tem bola para ser titular. - 6,5
(Rafael Longuine): Discreto. Ainda não justificou sua contratação na temporada passada. Pouco se apresentou no jogo. - 5,5
Vecchio: Preso na marcação bem encaixada dos mineiros. É um jogador que não é fora de série e nesta posição para jogar no Brasil, vai sofrer bastante.  - 5,0
(Jean Motta): Apesar de não ter sido decisivo foi mais produtivo que seu antecessor. - 6,0
Vitor Bueno: Parece não sentir pressão. Discreto no primeiro tempo, teve frieza de artilheiro para marcar o primeiro gol da partida. Cresceu no jogo após isso. - 7,5
Copete: Não conseguiu utilizar a velocidade para agredir e auxiliar Ricardo Oliveira. Foi apenas participativo nesta rodada. - 6,0
(Joel): Jogou apenas 12 minutos com os acréscimos. - SEM NOTA
Ricardo Oliveira: Finalizou pouco. Foi prejudicado pelo fato do Santos ter agredido pouco na primeira etapa. Estava pronto para ser o autor do segundo gol, porém, Lucas fez o seu serviço. - 6,0
Técnico: Dorival Júnior: Mesmo com as dificuldades de vencer dois adversários na parte debaixo da tabela tá mantendo o aproveitamento da equipe, mesmo sem quatro titulares. (Os três na seleção olímpica, além de Lucas Lima). Foi feliz na substituição de Jean Mota na vaga de Vecchio no intervalo. O time melhorou a troca de passes que não existiu na primeira etapa. - 7,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by