FOTO CAPA

NOITE DO PASTOR

Publicado às 07h31 desta quinta-feira, 28 de julho de 2016.
O Santos está classificado para as oitavas de final da Copa do Brasil. Com três gols de Ricardo Oliveira, o Peixe venceu com facilidade o Gama-DF, por 3 a 0 e avançou na competição nacional. Na próxima terça-feira (2), acontece o sorteio para definição dos confrontos entre os 16 clubes.

Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO publicou nas primeiras horas de quarta-feira (27), o treinador Dorival Junior escalou o argentino Vecchio na vaga de Lucas Lima contundido. Victor Ferraz, que havia sido poupado no último treinamento, com dores musculares foi mais uma ausência. Daniel Guedes, jovem da base santista, começou como titular na lateral-direita.

Mesmo sem cinco titulares (três na seleção olímpica), o Santos tratou de alugar o meio-campo e a partida era um ataque do alvinegro contra a defesa do time do Distrito Federal que pela primeira vez jogava na Vila Belmiro. O gol era questão de tempo. E Ricardo Oliveira estava com fome. No desembarque da delegação no "alçapão", o camisa 9 me disse em entrevista a Rádio Santos que estava com saudades das redes e era hora de voltar a marcar. O último gol do atacante tinha sido na final do Paulistão, em 8 de Maio, e de lá para cá ele só havia jogado duas vezes. Diante da Ponte Preta e Vitória-BA, ambas pelo Campeonato Brasileiro. E o "Pastor" retribuiu o público de quase 10 mil pagantes com um "hat-trick". 

Pouco antes de marcar o primeiro gol do jogo, Ricardo cabeceou, o espalhafatoso goleiro Maringá defendeu e a bola foi no travessão. Logo em seguida, o artilheiro recebeu de Gustavo Henrique, em jogada do também defensor Luiz Felipe e meteu no ângulo. Estava aberta a porteira para a goleada.

Ainda no primeiro tempo, penalidade máxima em Cittadini em Cittadini e Oliveira marcou seu segundo gol na partida ao colocar a bola no ângulo. A classificação, mesmo ainda tendo mais 45 minutos por jogar, já estava garantida.

Na segunda etapa, o Santos passou a tocar a bola e aguardava o apito final para voltar a pensar no Campeonato Brasileiro. Entretanto, ainda teve tempo suficiente para o árbitro marcar mais um pênalti. Verdade seja dita, este último inexistente. Ricardo Oliveira, que nada tinha com isso, marcou o seu terceiro gol e liquidou a fatura.

No vestiário, o dono do jogo, em nova entrevista afirmou que estava feliz e levou a bola para a casa:
"Não vou quebrar essa tradição de marcar três gols e não levar a bola para casa. Essa vai pro meu filho que veio assistir a partida aqui no Estádio. Ele é pé quente. Esse é o meu papel, marcar gols e fico feliz de ter contribuído para mais essa vitória" disse-nos o jogador que com os três gols marcados chega a 10 em 18 jogos na temporada.
No sorteio da próxima terça-feira (2), para conhecer seu próximo adversário na Copa do Brasil, o alvinegro se livra de enfrentar um dos rivais da capital e até mesmo um dos clubes participantes da última Libertadores. O Peixe terá como adversário - Ponte Preta, Botafogo, Atlético-PR, Paysandu ou Juventude, Fluminense, Vasco, Botafogo-PB, Fortaleza ou América-MG.

Antes, porém, no domingo (31), o Peixe volta a campo pelo Campeonato Brasileiro. Enfrenta o Cruzeiro de treinador novo - Mano Menezes. O Santos não confirma, mas a informação que o Blog apurou é de que Lucas Lima não tem condições de voltar ao time. Com isso, o argentino Vecchio deve ser mantido no meio-campo. Entretanto, o treinador santista garante ter esperanças de contar com o camisa 20 diante dos mineiros:
"Espero contar com o Lucas (Lima), sim. Não tenho dúvidas disso. Tenho certeza que encontrará um caminho, uma recuperação. Confio muito no DM (departamento médico)." – disse o esperançoso Dorival Júnior.
Ainda durante entrevista coletiva, o técnico santista voltou a lamentar que a partida contra o Flamengo, na próxima quarta-feira (3), não seja realizada em Vila Belmiro:
"Fora de casa teremos 95% de torcida contra. Estamos fora do nosso raio de ação jogando contra o Flamengo longe de casa. Lamento porque vamos jogar 11 partidas fora nesse primeiro turno e somente oito em casa", avaliou o comandante técnico alvinegro.
Vecchio é candidato a ser mantido no time na vaga de Lucas Lima que é dúvida.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 X 0 GAMA
Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Diego Pombo Lopez (BA)
Cartões amarelos: Copete (SAN), Murilo, David, Michel, Maringá, Pedrão e Eduardo (GAM)
Público e renda: 9.883 pagantes / R$ 147.395,00
Gols: Ricardo Oliveira 26' 1ºT (1-0); Ricardo Oliveira 44' 1ºT (2-0); Ricardo Oliveira 12' 2ºT (3-0)
SANTOS: Vanderlei; Daniel Guedes, Luiz Felipe (David Braz 24' 2ºT), Gustavo Henrique e Caju; Renato, Léo Cittadini e Vecchio (Elano 16' 2ºT); Vitor Bueno, Copete (Joel 24' 2ºT) e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.
GAMA: Maringa; Dudu Gago (Gordo 17' 2ºT), Pedrão, Murilo e Felipe Assis; Eduardo, David, Michel Pires e Jeferson (Ítalo - intervalo) e Baiano; Roberto Pítio. Técnico: Reinaldo Gueldini.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Um expectador de luxo no primeiro tempo, fez duas boas defesas na etapa complementar. - 6,5
Daniel Guedes: Viveu um drama em razão de contusão, no começo da temporada e fez apenas seu segundo jogo no ano. Muito bem no apoio. Cruza como poucos no país. Ao contrário do titular Ferraz, apoia como um autêntico atacante de beirada. - 7,0
Luiz Felipe: Apesar do adversário não exigir tanto, o camisa 2 parece estar mais confiante. - 6,5
(David Braz): Após quatro jogos no banco, desde seu retorno, atuou por aproximadamente 20 minutos mais os acréscimos. Bom para ganhar ritmo. - 6,0
Gustavo Henrique: Bem colocado. A exemplo de seu companheiro, pouco trabalho. - 6,5
Caju: O apoio é seu forte, mas não tem a mesma qualidade de Daniel Guedes, por exemplo, nos cruzamentos. - 5,5
Renato: A classe costumeira a frente da zaga. Não lembro de ter errado um passe. - 7,0
Léo Cittadini: Taticamente muito bem. Ótimo índice de acerto nos passes, marcou, desarmou muito mesmo e se apresentou a frente. Ainda sofreu um pênalti. Precisa repetir esse futebol contra um time grande em jogo decisivo. - 7,5
Vecchio: Ainda sente a falta de ritmo. Deu a assistência no pênalti inexistente sofrido por Vitor Bueno. Teve bom índice de acerto nos passes, mas errou alguns teoricamente mais fáceis. - 6,5
(Elano): Jogou 30 minutos. Entrou como armador. - 6,0
Vitor Bueno: Trombou com Gustavo Henrique no último lance do jogo, mas foi bastante participativo. Dono de boa técnica, participou dos principais lances. - 7,0
Copete: Aos poucos vai ganhando entrosamento com Ricardo Oliveira a frente. Não foi brilhante como no domingo, mas nem precisava. - 6,5
(Joel): Não entrou como centroavante e sim como opção pelas beiradas. Discreto. - 6,0
Ricardo Oliveira: Se movimentou, marcou um golaço da entrada da área e ainda bateu duas penalidades máximas com precisão. Podia pedir música. - 9,0
Técnico: Dorival Júnior: Acertou em manter Cittadini no time. Apesar do camisa 27 não ser coordenador de jogadas , ele atua mais a frente e ajudou Vecchio, que ainda sente a falta de ritmo de jogo. Apesar de alguns balões no começo da partida, o Peixe voltou a ter o controle da posse de bola perdida nos dois últimos jogos, principalmente pelo fato de ter perdido três titulares para a Seleção olímpica, já que os que entraram, ainda não tem o mesmo entrosamento. O contra-ataque do Santos é algo mortal e incrivelmente lindo. - 7,0





 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by