FOTO CAPA

SELEÇÃO PRINCIPAL: "ACHO QUE ESTOU PERTO"

Publicado às 09h55 desta terça-feira, 8 de dezembro de 2015.
Em julho deste ano, recebi um telefonema do lateral-esquerdo Zeca. Ele estava se despedindo. pois tinha passagem marcada e ia jogar no Columbus Crew, no estado de Ohio, nos Estados Unidos, por empréstimo. Cheguei a deixar um texto pronto no rascunho, aguardando apenas a assinatura do presidente Modesto Roma, liberando o jogador. Dois dias depois, o técnico Dorival Junior desembarcou na Vila Belmiro, conversou com o camisa 37 e em poucos meses, a vida do jovem de 21 anos mudou da água para o vinho. Um dos poucos que se salvaram na "tragédia do Allians Park" na decisão diante do Palmeiras.

Nesta segunda-feira (7), em entrevista ao Projeto Blog ao Vivo, em seu primeiro dia de férias, o ala que está no litoral norte com a família, conversou por 30 minutos com o Blog do ADEMIR QUINTINO e falou de tudo um pouco. O ano, a saída do clube que o revelou e não aconteceu, a derrota na final da Copa do Brasil, a Seleção Brasileira olímpica e os objetivos para 2016.

Ademir Quintino: Qual a avaliação que você faz do Santos em 2015.
Zeca: "Foi um ano muito bom, muito produtivo. O Santos brigava na zona de rebaixamento pra não cair e com a chegada do Dorival Junior chegamos ao G-4 e as finais da Copa do Brasil. começo do ano, ganhamos o Paulista e deixamos a desejar no começo do Brasileiro. Foi muito triste a perda da Copa do Brasil, mas temos de levantar a cabeça, não temos mais o que fazer, tinha que ter feito dentro do campo. Agradeço os elogios por me achar um dos melhores laterais, você sabe o quanto venho trabalhando, tive a oportunidade com o Dorival, não estava tendo com o Marcelo (Fernandes) e pude aproveitar, graças a Deus".
AQ: Onde o Santos perdeu a Copa do Brasil?
Zeca: "Acho que perdemos gols no primeiro jogo, mas não justifica o nosso comportamento na partida da volta. Se entrássemos mais firmes, mais focados nesse segundo jogo, com certeza, teríamos ganho. Acho que entramos desligados, não sei o que aconteceu. Após o jogo ninguém quis falar, machucou muito, perdemos". 
Zeca assumiu a titularidade após a chegada de Dorival Junior;
AQ: Você conseguiu dormir depois da derrota na Copa do Brasil?
Zeca: "Difícil. Não só o choro dos torcedores, mas o nosso também. Todos os atletas ficaram tristes, chorando. No dia seguinte, ninguém conseguia fazer nada, parecia que tinha morrido alguém. Era a minha primeira final pelo Santos no profissional e fiquei muito chateado. Agora temos de levantar a cabeça e irmos bem no Paulista, no Brasileiro, temos de pontuar fora também. Não fomos bem como visitante para sonhar com o título Brasileiro.
AQ: O que faltou na final da Copa do Brasil?
Zeca: "O Santos se impôs , perdeu muitos gols na primeira partida da decisão. No jogo de volta, eles estavam na casa deles. A gente também queria ganhar, foi um jogo truncado, o Palmeiras tocou mais a bola, não conseguimos empregar o nosso toque, nosso volume, as passagens nas laterais. Quando saiu o primeiro gol deles, eu pensei, a gente vai empatar e virar. Quando eles marcaram o segundo, perguntei ao árbitro quantos minutos faltavam e ele disse - Sete e eu pensei comigo, mas só sete e o Ricardo marcou o gol, que levou o jogo para os pênaltis"

AQ: Faltou uma referência técnica para comandar o time na quarta-feira passada?
Zeca: "Eu acho que o Lucas Lima faz muito bem isso. Ele tem um volume de jogo no Santos inacreditável. Ele segura bem a bola, mas quando o Palmeiras marcou o primeiro gol, fomos para cima, queríamos atacar pra fazer o gol lá dentro. Nós queríamos sair campeão". 
Zeca tem sido constantemente convocado para a seleção brasileira olímpica.
AQ: As Olimpíadas no Rio de Janeiro. Você pensa nisso?
Zeca: "Eu na Seleção joguei na direita. Eu agradeço a Deus e ao Santos que me deu oportunidade, me lançou ao futebol e só tenho a agradecer ao clube. Não tenho nem palavras pra dizer. Tive a oportunidade de ir para a Seleção olímpica e aproveitei bem. Meu planejamento, não só meu, como todo o grupo, posso falar pelo grupo é fazer uma pré-temporada maravilhosa que tenho certeza que vai ser, para realizarmos um bom estadual, nos preparando para o Brasileiro e para a Copa do Brasil, principalmente. Para quem desacreditava no Santos este ano, creio que viu e tenha sido o único time que venceu o Paulista, chegou na final da Copa do Brasil e ficou algumas rodadas no G-4. Creio que as pessoas tem de nos olhar com outros olhos porque temos condições de lutar e conquistar mais títulos o ano que vem".

AQ: Dá para sonhar com a Seleção principal mesmo com o Marcelo do Real Madrid e Filipe Luís do Atlético de Madrid como concorrentes?
Zeca: "Eu vou ser sincero, eu sonho toda noite, peço a Deus. Eu acho que estou chegando perto (risos). Se o professor Dunga me olhar, tenho muita garra e fé que vou chegar lá e fazer meu melhor".
AQ: Pênalti é uma loteria, uma roleta-russa? O Santos se preparou para as cobranças?
Zeca: "O time treinou pênaltis não só agora, como desde a semifinal. Treinamos bastante. Vai muito da sorte, o Marquinhos Gabriel teve a infelicidade de escorregar. O (Fernando) Prass tava num canto e ele ia bater no outro. Perdemos, ficamos tristes, agora é bola pra frente".

AQ: Você gostaria de estar no lugar do Nilson?
Zeca "O Nilson perdeu aquele gol, conversei com ele, tava muito chateado. Muitos xingaram até os familiares dele. Escorregou e ele é um grande jogador e se Deus quiser vai chegar em um lugar melhor".
AQ: Você estendeu teu vínculo contratual com o Santos, não foi isso?
Zeca: "Estendi mais um ano. Agora vai até 2.019".
AQ: Percebo que tem usado mais a perna esquerda. Tem treinado mais? Até gol já saiu em cruzamento seu com a canhota.
Zeca: "Contra o Palmeiras (no Brasileiro) saiu o gol do Thiago Maia. No começo ninguém pegava a minha perna direita quando eu ia cruzar ou caminhava para o meio e agora, estão marcando ela. Estou treinado bastante a perna esquerda e quando acham que vou para direita, eu permaneço na esquerda" (risos)
AQ: Em 2008, o SCCP perdeu a final da Copa do Brasil para o Sport para no ano seguinte conquistar a mesma competição diante do Internacional. Dá para isso acontecer com o Peixe em 2016?
Zeca: "Ficaria muito feliz e espero que isso aconteça. Se Deus quiser o Peixe terá um ano maravilhoso".


Prêmios na Seleção do Campeonato

O atacante Ricardo Oliveira foi o grande vencedor do prêmio - Melhores do Brasileirão da CBF (Confederação Brasileira de Futebol). O centroavante foi o único jogador que recebeu dois prêmios -  melhor atacante e de artilheiro do campeonato. O jogador já havia dito ao Blog do ADEMIR QUINTINO que 2015 foi o grande ano de sua vida profissional.

Ricardo Oliveira marcou 38 gols no ano. Foram 20 no Brasileiro, seis na Copa do Brasil, onze no Paulista -  todos esses pelo Peixe e mais um nas eliminatórias vestindo a camisa da Seleção Brasileira.




 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by