FOTO CAPA

O JEJUM CONTINUA

Publicado às 23h06 deste sábado, 6 de junho de 2015.
O Santos voltou a decepcionar no Campeonato Brasileiro. Agora, já são cinco partidas sem vitórias (quatro no nacional). A última vez que o time venceu aconteceu em 17 de Maio. Na noite deste sábado (6), para um público sofrível de pouco mais de cinco mil pagantes, o alvinegro só empatou, em 2 a 2, com a Ponte Preta, no estádio da Vila Belmiro. Os gols do Peixe foram marcados por Geuvânio e Ricardo Oliveira.


Antes de começar a partida, o técnico Marcelo Fernandes em entrevista a Rádio Capital - 1.040 AM confirmou que o meia Leandrinho não foi relacionado para o duelo por ter contraído uma virose.

Por incrível que possa parecer, o Santos teve tudo para liquidar a fatura ainda no primeiro tempo. Largou na frente com um golaço de Geuvânio, mas continua sem ter paciência para trocar a bola, jogar o desespero para o adversário e mesmo com a posse da mesma, oferece ao "rival" e leva gols que não se pode tomar em nível de time profissional da primeira divisão. 

Tanto o primeiro, como o segundo gol sofridos, a posse de bola era do time comandado por Marcelo Fernandes, e apesar de estar na frente duas vezes, o alvinegro não conseguiu mais uma vez, assim como aconteceu contra Sport-PE, São Paulo e agora a Ponte Preta, conquistar os três pontos.

"É hora de dar chutão, de parar de sair jogando. Eu sou da época de dar chutão e foi aquilo que falei lá dentro. Na verdade perdemos dois pontos de novo e é difícil recuperar. Lá em Minas Gerais vai ser a hora do vamos ver" disse o treinador Marcelo Fernandes em entrevista coletiva.
Perguntado se estava pressionado pelos maus resultados, o treinador santista respondeu da seguinte forma:
"Você quer marcar um telefone aí? 3257-4000. Liga para o Modesto (Roma, presidente do clube) e ele responde se eu estou ameaçado. Essa pergunta é para o Modesto. Eu estou aqui para comandar e fazer meu trabalho, não sinto pressão nenhuma, vai lá e pergunta para ele" disparou.
Que a Macaca de Campinas é um time arrumado e deve fazer boa campanha é fato. Não é a toa que em quatro partidas fora de casa conquistou seis pontos e é um dos líderes da competição. Entretanto, a grandeza do Santos não pode permitir que a equipe tenha 6 pontos de 18 possíveis, com um aproveitamento pífio de 33% apenas.

Pelo que deu a entender o superintendente Dagoberto Santos antes de a bola rolar em entrevista a Rádio Capital - 1.040 AM, o time só vai contratar novos jogadores se o "mercado oferecer algo satisfatório e em condições". 

Só a parte motivacional não vai adiantar para recuperar a equipe. Que o Santos não seria campeão, já era altamente previsível, porém, fazer uma campanha a nível de zona de rebaixamento nas seis primeiras rodadas, não é admissível.

Quarta-feira (10) em Belo Horizonte, o Peixe enfrenta o Atlético-MG, às 22 horas na Arena Independência. Neto Berola emprestado pelo time mineiro por questões contratuais, não pode atuar. 

Reabilitação no meio de semana e ganhar uma partida fora de casa, o que não aconteceu contra nenhum time da série A, em 2015, é mais do que necessário.


FICHA TÉCNICA

SANTOS 2 x 2 PONTE PRETA
Local: Vila Belmiro, Santos (SP)
Árbitro: Vinicius Goncalves Dias Araujo (SP)
Cartões amarelos: Lucas Lima (SAN), Gilson e Fernando Bob (PON)
Público/ Renda: 5.508 pagantes/ R$159.545,00
Gols: Geuvânio 22'/1T (1-0); Felipe Azevedo 7'/2T (1-1); Ricardo Oliveira 15'/2T (2-1) e Renato Cajá 26'/2T (2-2)
SANTOS: Vladimir; Daniel Guedes (Chiquinho 37'/2T), Werley, David Braz, Victor Ferraz, Lucas Otávio, Elano (Thiago Maia 27'/2T), Lucas Lima, Geuvânio, Gabriel (Neto Berola 27'/2T) e Ricardo Oliveira. Técnico: Marcelo Fernandes.
PONTE PRETA: Marcelo Lomba; Rodinei, Tiago Alves, Pablo, Gilson, Josimar, Fernando Bob, Renato Cajá (Juninho 39'/2T), Biro Biro, Diego Oliveira (Borges 25'/2T), e Felipe Azevedo (Cesinha 30'/2T). Técnico: Guto Ferreira.


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vladimir: Não teve culpa nos gols. Fez uma bela defesa no primeiro tempo. - 5,5
Daniel Guedes: Bela assistência no gol de Geuvânio. Mesmo com o pênalti que cometeu contra o São Paulo, merece a titularidade. - 6,5
(Chiquinho): Três minutos após entrar, sentiu dores musculares e deixou o time com 10 em campo, já que o Peixe tinha feito as três alterações. - SEM NOTA
Werley: Zagueiro baixo e mal colocado no primeiro gol da Macaca. Não tem boa saída de bola. - 4,5
David Braz: Não jogava mal, mas foi dele o passe errado que originou o segundo gol ponte-pretano. - 5,0
Victor Ferraz: Não apoiou e tem sido sacrificado no esquema tático por jogar na ala canhota, mesmo sendo destro. - 5,5
Lucas Otávio: Bem na marcação no primeiro tempo. Tanto que Cajá mudou seu posicionamento para ficar mais próximo de Elano. Escorregou e perdeu uma ótima oportunidade de marcar um gol. Caiu de produção na segunda etapa. - 5,5
Elano: No primeiro gol da Ponte Preta, a bola estava em seus pés e errou o passe que deu origem a jogada do gol de Felipe Azevedo. Errou alguns passes. - 5,0
(Thiago Maia): O jovem entrou e a exemplo de seu antecessor também errou passes.- 5,5
Lucas Lima: Está dando dó do coordenador de jogadas do Santos. Ele tem que buscar jogo na defesa, carregar a bola, armar e ainda fazer algumas coberturas. Ainda assim, deixou seus companheiros diversas vezes para finalizar. Se for embora mesmo vai fazer muita falta. - 6,5
Geuvânio: O melhor do Santos. Marcou um golaço e ainda sofreu um pênalti. - 7,0
Gabriel: Caiu pelos lados do campo e tinha a obrigação de acompanhar o lateral Rodinei, quando a Ponte tinha a bola. Cansou no segundo tempo e foi substituído. - 5,5
(Neto Berola): Entrou e deu um calor na zaga adversária em seus primeiros lances como jogador do Peixe. No final da partida caiu de produção junto com o time. Atuou por 22 minutos (com os acréscimos) - 6,0
Ricardo Oliveira: Marcou um gol de pênalti e deu trabalho para a zaga da Macaca no primeiro tempo. No segundo tempo foi apenas discreto. - 6,0
Técnico: Marcelo Fernandes: Não tinha muitas opções para a vaga de Renato no meio campo. Preferiu a experiência de Elano, a juventude de Thiago Maia. Deu azar na substituição de Chiquinho e não conseguiu alterar o panorama nas demais substituições. Não conseguiu arrumar a defesa e o meio que dão gols infantis aos adversários. - 5,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by