FOTO CAPA

A "QUARTA" FORÇA SEGUE INVICTA

Publicado às 02h23 desta quinta-feira, 12 de março de 2015.
O Peixe segue calando a boca de muita gente . O alvinegro, tido como o "paitnho feio" entre os grandes de São Paulo, venceu a quinta partida consecutiva, a sétima no estadual e permanece líder geral da competição, agora com 23 pontos. O derrotado dessa vez não era nenhuma galinha morta do interior e sim o "decantado" Palmeiras. De virada que é mais gostoso, o Santos venceu por 2 a 1. Os gols do Peixe foram de Renato e Ricardo Oliveira.

Quem deixou de ir a Vila Belmiro (apenas pouco mais de 11 mil pagantes) ou não pode acompanhar pela televisão, perdeu uma grande partida de futebol. Foi um duelo onde os times procuraram o ataque e a experiência santista fez a diferença.

Os 15 minutos iniciais foram do time de Palestra Itália. Aos sete, após a quarta cobrança de escanteio seguida, Vitor Hugo, livre de marcação, abriu o placar de cabeça para os visitantes.

Em seguida, o Palmeiras recuou e o time santista do interino Marcelo Fernandes alugou o meio de campo. Lembra do Ricardo Oliveira? Aquele que antes do começo da rodada passada, só tinha um gol no campeonato? O centroavante deu bela assistência e Renato igualou o marcador aos 27.

Na etapa complementar, os times não vieram com a mesma volúpia e velocidade dos 45 minutos iniciais, porém, buscavam o gol. Robinho recebeu de Lucas Lima e cruzou quase que na pequena área. Lembra do Ricardo Oliveira? Aquele que dos últimos cinco gols do Santos no estadual marcou três e deu duas assistências, então, o centroavante de qualidade técnica refinada, inteligente, que sabe finalizar, deu uma cavadinha fantástica e marcou um golaço que decretou a vitória no clássico.

Já nos minutos finais, o interino Marcelo Fernandes substituiu o artilheiro santista na competição com quatro gols ao lado de Robinho, que teve uma virose na véspera, tomou soro a noite toda, segundo o comandante técnico na entrevista coletiva e deu lugar a Elano, pra dar mais consistência ao meio-campo. Já não havia tempo para mais nada e a vitória estava garantida. 

O Peixe não é nenhuma máquina de jogar futebol., absolutamente, mas esse camisa branca precisa e merece ser respeitada pelos críticos. O time precisa de reforços para o Campeonato Brasileiro, mas taxá-lo como a maior porcaria do mundo, como foi por muitos, é uma grande injustiça.

O Santos segue como o único time que disputa o Brasileiro da série A, invicto na temporada. Sábado (14), com transmissão da Rádio Capital - 1.040 AM, o Peixe enfrenta o Marília no interior. Marcelo Fernandes disse que pode fazer um "mistão" e preservar alguns jogadores para a próxima terça-feira (17), onde o time estréia na Copa do Brasil, diante do Londrina, no estádio do Café.


Ricardo Oliveira vibra com o seu quarto e mais bonito gol na temporada. Arouca só assiste.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 2 X 1 PALMEIRAS
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto (SP)
Público/Renda: 11.816 pagantes / R$ 360.960,00
Cartões Amarelos: David Braz, Geuvânio, Lucas Lima, Ricardo Oliveira e Valencia (SAN); Arouca e Dudu (PAL)
GOLS: Vitor Hugo, aos 7'/1ºT (0-1), Renato, aos 26'/1ºT (1-1), Ricardo Oliveira, aos 16'/2ºT (2-1)
SANTOS: Vanderlei; Cicinho, Werley, David Braz e Victor Ferraz; Valencia, Renato, Geuvânio (Gabriel, aos 26'/2ºT) e Lucas Lima; Robinho (Thiago Ribeiro, aos 46'/2ºT) e Ricardo Oliveira (Elano, aos 32'/2ºT). Técnico (interino): Marcelo Fernandes
PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Tobio, Vitor Hugo e Zé Roberto; Gabriel, Arouca, Robinho (Gabriel Jesus, aos 35'/2ºT) e Allione (João Paulo, aos 14'/2ºT); Dudu e Cristaldo (Leandro Pereira, aos 20'/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Vanderlei: Sem culpa no gol foi pouco exigido pelo ataque palmeirense. - 6,0
Cicinho: Apareceu bastante no apoio. - 7,0
Werley: Pecou apenas no gol palmeirense, onde o zagueiro adversário cabeceou sem marcação pelo seu setor. No mais, fez boa partida. - 6,0
David Braz: O xerife da zaga alvinegra foi eficaz. Ainda se aventurou como armador em um lance no segundo tempo. - 6,5
Victor Ferraz: Participativo. Começou com o improvisado o lance do primeiro gol. - 7,0
Valencia: Ainda sem ritmo. Precisará de pelo menos de três a quatro jogos para recuperar a forma. Sabe jogar. - 5,5
Renato: Era dele o primeiro passe e ainda apareceu como elemento surpresa para finalizar e empatar a partida. - 7,0
Geuvânio: Foi mais participativo do que nas últimas rodadas. Ainda não reeditou as partidas do começo da temporada, onde era quase brilhante. - 6,0
(Gabriel): Está em forma novamente. Ajudou na marcação e ainda roubou duas bolas. - 6,0
Lucas Lima: Aos poucos vai voltando a ser o jogador que mereceu ser lembrado pela imprensa como um possível convocado para o meio-campo de Dunga na Seleção Brasileira. - 7,0
Robinho: O cidadão com virose deu "caneta", que olhando parece que é a coisa mais fácil do mundo. Chuta uma bola na trave, abre espaço na defesa adversária e ainda dá assistência para gol. Falar mais o quê? - 7,5
(Thiago Ribeiro): Jogou apenas os acrésimos. - SEM NOTA
Ricardo Oliveira: A partida teve dois gols. O camisa 9 deu uma assistência e fez o outro. Apesar da idade é diferente. O totó no gol, com o raciocínio rápido foi fantástico. - 8,0
(Elano): Jogou dezessete minutos. Participou de poucos lances - 6,0.
Técnico (interino): Marcelo Fernandes: Pode não ser especialista na parte tática, porém, o grupo corre para ele. Apesar da alteração do Elano no lugar de Geuvânio ter sido arriscada, mexeu bem no time. - 6,5



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by