FOTO CAPA

CRIADOR E CRIATURA

Publicado às 20h40 desta segunda-feira, 17 de novembro de 2014.
Nesta quarta-feira (19), o técnico Claudinei Oliveira estará pela primeira vez como treinador perante o Santos. O Peixe enfrenta o Atlético-PR, em Curitiba, e o treinador campeão da Copa São Paulo pelo clube de Vila Belmiro em 2013, estará no banco de reservas, dirigindo o Furação.

Claudinei Oliveira foi o técnico do time profissional do Santos durante sete meses na temporada 2013. Com ele no comando do Peixe, a equipe terminou o Campeonato Brasileiro do ano passado com 57 pontos na classificação geral. O Santos foi o melhor time paulista e ficou com o sétimo lugar, melhor posição no Brasileirão do alvinegro, desde o vice-campeonato de 2007.

O jovem promissor treinador pegou uma "batata quente" para descascar a época. O Santos montava um novo time, sem Neymar, recém negociado com o futebol espanhol e em meio ao campeonato em andamento. Ele substituia o "badalado" Muricy Ramalho.
"É a oportunidade de rever vários amigos e a satisfação de enfrentar o clube que me revelou como técnico" disse Claudinei Oliveira em breve contato telefônico com o Blog do ADEMIR QUINTINO, na noite desta segunda-feira (17).
Vou reescrever o que publiquei no dia 8 de dezembro de 2013, data em que  o treinador deixava o comando do Peixe. Claudinei teve mais acertos do que erros em sua passagem no profissional do Santos. O técnico de apenas 45 anos, amadurece (fez bom trabalho no Paraná Clube esse ano e não foi a toa que foi contrado pelo Atlético-PR). 

Não sou muito de emitir opiniões nesse espaço, onde preservo muito mais as informações, mas penso que Claudinei não deve nada pros treinadores que o Santos procurou para substituí-lo. 

Acompanhei a carreira de Claudinei como técnico desde o início em 2009, nas categorias de base do Santos, onde primeiramente comandou o Sub-15, sendo campeão paulista da categoria. No ano seguinte, promovido ao Sub-17, ganhou mais um título, outro estadual, antes de vencer o estadual sub-20 em 2012 e a Copa São Paulo no início do ano seguinte.

Pra não dizer que não falei das flores, dos maiores pecados do técnico a frente do profissional do Santos: A insistência durante muitas rodadas com o atacante Everton Costa e a cobrança a direção santista pela imprensa sobre sua permanência.

No Brasil, criou-se o um ditado (que eu discordo totalmente) de que "santo de casa" não faz milagres e Claudinei Oliveira nasceu na baixada santista. Assim que deixou o Peixe, esteve  pouco mais de quatro meses no Goiás, mas não resistiu a derrota na final do campeonato estadual, mesmo com um excelente aproveitamento, porém tem tudo para ser um dos grandes nomes da profissão neste país em um futuro próximo.

Claudinei foi um dos grandes responsáveis, mesmo sem ter escolhido o elenco, em fazer de um time de qualidade técnica limitada, um dos sétimos melhores da competição no ano passado. É o óbvio ululante que o Santos é muito grande e ninguém ficou contente com uma posição intermediária na tabela, mas era apenas o primeiro trabalho do técnico e em suas mãos. Alison, Gustavo Henrique que viraram realidades no time de cima, além de Geuvânio que terminou o ano como titular e apesar do noviciato, o jovem comandante técnico teve personalidade para barrar alguns "medalhões" na Vila.

Pena que o encontro de criador e criatura, não vai valer muita coisa. Tanto Santos, como Atlético-PR, estão em uma zona intermediária que nem vão a Libertadores e tampouco correm riscos de cair para a segunda divisão.


                                               


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by