FOTO CAPA

FECHOU A 'CASINHA' E GARANTIU UM PONTO

Publicado às 12h deste domingo, 14 de novembro de 2021.

Um temporal, uma hora antes de a bola rolar castigou o gramado do estádio Antônio Accioly e prejudicou o espetáculo no empate entre Atlético Goianiense 0x0 Santos. O resultado colocou temporariamente o Peixe na 11a. colocação do Campeonato Brasileiro e afastou um pouco mais o time da 'zona da confusão', em partida válida pela 32a. rodada. Foi o 10o. ponto conquistado em 15 disputados nos últimos cinco jogos.


Mesmo com o campo pesado que levou o trio de arbitragem a adiar 10 minutos, o início da partida, Carille manteve a formação de jogadores leves do meio pra frente com Pirani, Ângelo e e outros. 

Aliás, o Carille respondeu o questionamento que fiz ao mesmo, após o jogo, na entrevista coletiva, se ele pensou em alterar o time em razão das condições climáticas:
"É muito difícil, a gente programa, a gente trabalha bola parada, muitos detalhes. Passou pela cabeça sim, mas quando a gente chega no estádio, mudar algo que está programado, não é fácil. Defini o time na hora do almoço. Perdi o Marinho mais ou menos 2 horas da tarde, mas tinha trabalhado o Ângelo um pouquinho e preferi dar sequência." garantiu o comandante técnico.

No primeiro tempo, poucas ações de gol, os times proporcionaram. O Peixe teve duas oportunidades. Na primeira, Marcos Guilherme desperdiçou e furou, após cruzamento de Pirani e em seguida, Boza perdeu gol incrível após cobrança de falta.

No segundo tempo, com o gramado mais seco, o time da casa lançou-se para o ataque e colocou, a exemplo do Red Bull Bragantino no segundo tempo do jogo passado, quase 70% de posse de bola e atacou o Santos, que novamente ficou com cinco jogadores na primeira linha defensiva (três zagueiros e os dois laterais), uma segunda linha de três e outra de dois. 

Com pouco mais de 20 minutos, o treinador santista reforçou ainda mais a marcação com a substituição de Camacho por Ângelo, com a primeira linha de cinco, outra com quatro e apenas Raniel, que entrou no intervalo, no ataque.

O Santos lutou para voltar para a Baixada com o empate. Abdicou do ataque e não finalizou com um chute sequer na meta de Fernando Miguel, na segunda etapa.

Você pode e eu me incluo entre esses, não gostar do estilo de jogo proposto por Carille. Mas com a qualidade limitada da maioria do elenco e a necessidade de pontuar para sair da zona da confusão na luta pela permanência na série A, temos que ressaltar a melhora defensiva na era do novo técnico. 

Os números são irrefutáveis. Com Diniz o Santos tinha uma média de 1,31 gol sofrido por jogo. Com Carille, caiu para 0,84. 

Nos últimos cinco jogos, por exemplo, O Santos sofreu apenas os dois gols para o Palmeiras e a meta de João Paulo não foi vazada nas vitórias diante de Fluminense, Athlético-PR e Red Bull Bragantino e no empate deste fim de semana em Goiânia. Ou seja, a melhor defesa, pelo menos por enquanto, segue sendo a defesa.

Na próxima quarta-feira (17), o estilo Carille vai ter que ser modificado e propor jogo. O Peixe recebe a lanterna Chapecoense, na Vila Belmiro. O jovem talentoso Kaiky fica de fora suspenso pelo terceiro amarelo. Wagner Palha deve ser o seu substituto.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-GO 0 X 0 SANTOS

Estádio Antônio Accioly, em Goiânia (GO)

Árbitro: Felipe Fernandes de Lima (MG)

Cartões amarelos: Kaiky, Danilo Boza, Moraes (SFC), Wanderson, André Luís (ATL)

ATLÉTICO-GO: Fernando Miguel; Dudu, Wanderson (Oliveira), Pedro Henrique (Werley) e Igor Cariús (Jefferson); Marlon Freitas, Willian Maranhão e André Luís (Lucão); Ronald, Zé Roberto (Bryan Montenegro) e João Paulo. Técnico: Marcelo Cabo

SANTOS: João Paulo, Kaiky, Luiz Felipe e Danilo Boza; Madson, Felipe Jonatan, Vinícius Zanocelo (Sánchez), Gabriel Pirani (Raniel) e Moraes (Balieiro); Ângelo (Camacho) e Marcos Guilherme (Lacava). Técnico: Fábio Carille

Lacava fez sua estreia no profissional do Santos.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

João Paulo: Nenhum milagre, até por não ter tido necessidade. Debaixo dos três paus, sem dúvidas o melhor goleiro do campeonato, ao lado de Weverton, entretanto voltou a sair mal do gol na bola aérea. Precisa corrigir essa deficiência. Na hora que isso acontecer, será um dos melhores da América. - 6,0

Kaiky: O melhor do time junto com Felipe Jonatan. Tentou melhorar a saída de bola, mas o gramado não ajudou. Tomou cartão bobo e desfalca o time na próxima rodada. - 6,5

Luiz Felipe: Algumas saídas erradas no fim do primeiro tempo. Bem no jogo aéreo. - 6,0

Boza: Não tem uma saída de bola refinada. Perdeu uma oportunidade de ouro na primeira etapa. - 5,5

Madson: Limitou-se a defender. Com o gramado pesado e a construção de jogadas inexistente no meio-campo, não apoiou. - 5,5

Felipe Jonatan: Bem a vontade nessa posição. Ótima na cobertura da defesa e marcou bem. Ao lado de Kaiky, os melhores do Santos. - 6,5

Zanocelo: Jogador leve. Com o gramado pesado, pouco apareceu. - 5,5

(Sánchez): Não vive seu melhor momento. Deu toques de lado. - 5,0

Pirani: A exemplo de Zanocelo, teve dificuldades com o gramado encharcado. Ainda assim conseguiu uma assistência para Marcos Guilherme que furou. - 5,5

(Raniel): Não se encontrou. Também, a bola pouco chegou. Fica difícil até avaliar com justiça. - 5,0

Moraes: Foi o jogador mais participativo no primeiro tempo. Deu carrinhos perigosos e em dois momentos, deixou a torcida santista preocupado. Voluntarioso. - 5,5

(Balieiro): Fechou a casinha no meio-campo. Marca muito bem. - 6,0

Ângelo: Dificuldades com o gramado prejudicado. Teve poucos momentos de ações vencedoras no um contra um. Foi substituído. - 5,5

(Camacho): Reforçou a marcação na entrada da área. - 5,5

Marcos Guilherme: Corre e se doa ao máximo. Perdeu oportunidade de ouro ao furar após cruzamento de Pirani. - 5,0

(Lacava): Apenas 15 minutos em campo. Valeu pela estreia. - 5,5

Técnico: Fábio Carille: Fiquei com a sensação de que deveria ter modificado a escalação em razão da chuva. Acreditou na primeira linha defensiva com cinco homens e depois colocou quatro na segunda. O time abdicou totalmente de ações ofensivas na segunda etapa. Valeu pelo ponto conquistado. - 6,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by