FOTO CAPA

PRIMEIRA VITÓRIA FORA DE CASA, GRAÇAS A JOÃO PAULO

Publicado às 9h desta segunda-feira, 2 de agosto de 2021.

O Santos conquistou sua primeira vitória fora de casa neste Brasileiro, ao vencer o lanterna da competição, a Chapecoense, no Sul do país, na noite deste domingo (1), no Sul do país por 1 a 0. O único gol do jogo foi convertido através de penalidade máxima por Carlos Sánchez. Com o resultado, o alvinegro pula para a oitava colocação da competição.

Mas se faltou sorte nos duelos diante do América-MG e Fluminense, por exemplo, sobrou na partida deste fim de semana. O segundo tempo do Santos foi horroroso e se não fosse o goleiro João Paulo, o resultado seria bem diferente. 

O time dirigido por Jair Ventura amassou o Peixe na segunda etapa e merecia melhor sorte. Como no futebol, não tem merecimento e sim eficácia, o Glorioso da Vila ficou com os três pontos.

Sem Marinho suspenso, Diniz colocou Lucas Braga aberto pela esquerda, trouxe Marcos Guilherme para direita e Marcos Leonardo herdou a vaga de Kaio Jorge negociado com a Juventus-ITA. 

Os primeiros 45 minutos até foram razoáveis do time paulista. A Chapecoense deu a bola ao Santos que voltou a ter dificuldade na armação e os meio-campistas pouco produziram para deixar os atacantes em condições de finalizar. 

Ainda assim, quando a primeira etapa se encaminhava para o final, Madson foi agarrado dentro da área e com a ajuda do VAR, a arbitragem assinalou pênalti. Sánchez errou a primeira, mas o goleiro se adiantou, mas não deu a mínima chance de defesa na segunda e abriu o placar.

No segundo tempo, Luiz Felipe deixou o gramado ao sentir incomodo muscular e deu vaga a Wagner Palha que foi para a quarta zaga e Kaike veio para direita. 

O time de Diniz recuou de forma assustadora e o centroavante Marcos Leonardo, por exemplo, veio marcar na zona dos volantes. O time de Santa Catarina colocou bola na trave e pressionou. Porém, a ineficiência dos mandantes e a ótima performance de João Paulo garantiram o resultado. É nítido que o time que apresentava evolução, caiu nos últimos cinco jogos.

O Santos teve muito mais sorte do que juízo e bom futebol neste fim de semana.

A equipe parte direto de Chapecó para Bahia, onde na próxima quinta-feira, faz o jogo de volta diante da Juazeirense pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Fernando Diniz ainda não decidiu se vai poupar os principais jogadores para o clássico do fim de semana diante do Corinthians pelo Brasileirão. 

Na Copa do Brasil, o Peixe pode perder por até três gols de diferença que estará classificado a próxima fase por ter vencido o duelo de ida por 4 a 0.

Wagner Leonardo, o Palha, reapareceu no Santos depois de empréstimo ao Náutico.

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE 0 X 1 SANTOS

Arena Condá, em Chapecó (SC)

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR)

Gol: Carlos Sánchez, 42'/1ºT (0-1)

CHAPECOENSEJoão Paulo; Matheus Ribeiro, Kadu, Derlan e Busanello; Léo Gomes (Foguinho, aos 40'/2ºT), Anderson Leite e Felipe Silva (Ravanelli, aos 15'/2ºT); Fabinho (Geuvânio, aos 15'/2ºT), Fernandinho (Mike, aos 31'/2ºT) e Anselmo Ramon (Perotii, aos 15'/2ºT). Técnico: Jair Ventura

SANTOS:João Paulo, Madson, Luiz Felipe (Wagner Leonardo, no intervalo), Kaiky e Felipe Jonatan; Camacho, Jean Mota e Carlos Sánchez (Vinícius Zanocelo, aos 25'/2ºT); Lucas Braga (Bruno Marques, aos 40'/2ºT), Marcos Leonardo e Marcos Guilherme (Gabriel Pirani, aos 13'/2ºT). Técnico: Fernando Diniz


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS:

João Paulo: Ainda peca na saída de gol, mas debaixo dos três paus, quase que perfeito. O nome da partida. Duas defesas lindas, sendo uma milagrosa. - 7,5

Madson: Apoiou pouco, ainda assim, foi ele que sofreu o pênalti que deu o gol da vitória. - 6,0

Luiz Felipe: Novamente se mandou para o meio na tentativa de ajudar os companheiros. Não tinha comprometido até sentir dores musculares. - 5,5

(Wagner Palha): Parecia um veterano. Tomou conta e deu no mínimo dois ótimos desarmes. Vai ser difícil sair do time. - 6,5

Kaiky: Cresceu bastante e era nítido que se sentiu mais seguro quando foi atuar pela direita. Fez um ótimo desarme na segunda etapa. - 6,5

Felipe Jonatan: Não apoiou como de costume. Seguro na marcação. - 6,0

Camacho: Caiu de produção junto com o time nos últimos jogos. - 5,0

Jean Mota: Não conseguiu colaborar na armação do time. Deu um belo chute no começo do jogo. - 5,0

Carlos Sánchez: O meio-campo santista é dependente do uruguaio. Mesmo sem ser brilhante, quando ele sai, o setor não cria absolutamente nada. Cansou e deixou o gramado no segundo tempo. Bela cobrança de pênalti na segunda tentativa, após perder a primeira. - 6,5

(Zanocelo): Jogou apenas metade da segunda etapa, mas ainda não justificou sua contratação. Precisa de uma sequência de jogos para ser testado. - 5,0

Lucas Braga: Pouco acionado. As poucas que tentou, levou vantagem em algumas pela esquerda. - 5,5

(Bruno Marques): Entrou muito provavelmente para segurar a defesa do time mandante, mas de forma incompreensível estava ajudando o lateral. Jogou apenas 10 minutos. - SEM NOTA

Marcos Leonardo: A bola não chegou no centroavante santista. No segundo tempo, a pressão do adversário era tão grande que virou volante. - 5,0

Marcos Guilherme: Visivelmente desgastado com a maratona de partidas. Além disso, foi improvisado pela direita, quando rende muito mais pela esquerda. è um jogador para ser poupado na quinta-feira. - 4,5

(Gabriel Pirani): Não conseguiu elevar o nível do meio-campo do Santos na construção das jogadas. - 5,0

Técnico: Fernando Diniz: O time caiu nos últimos jogos. As mudanças de posição de Marcos Guilherme fizeram com que o atacante não reeditasse os bons primeiros jogos. No segundo tempo, não conseguiu fazer com que o time reagisse e a vitória só chegou graças a performance de João Paulo. - 5,0



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by