FOTO CAPA

APÁTIA, DERROTA E AINDA ASSIM, VAGA ASSEGURADA NA COPA DO BRASIL

Publicado às 08h desta sexta-feira, 6 de agosto de 2021.

O Santos está classificado para as quartas de final da Copa do Brasil e conhecerá seu adversário no sorteio da tarde desta sexta-feira (6), no Rio de Janeiro, na sede da CBF. Porém, a vaga foi obtida de forma 'vexatória'. O alvinegro com um time alternativo, jogou no interior da Bahia e perdeu para a Juazeirense por 2 a 0, na noite desta quinta-feira (5). Como venceu a partida de ida por 4 a 0, deu 4-2 no placar agregado e avança a próxima fase. 

O clube leva 3,45 milhões de premiação por estar entre os oito finalistas. 

Flamengo, Fluminense, Atlético Mineiro, Atlético Paranaense, São Paulo, Grêmio e Fortaleza, um desses sete será o adversário do Peixe.

Mesmo com um gramado ruim, a apresentação do Santos foi beirando o ridículo nos primeiros 45 minutos. O time ao longo da partida conseguiu apenas uma finalização descente. Detalhe, diante de um time da série D, quarta divisão.

Os donos da casa chegaram ao gol em duas falhas e ambos de bola aérea. 

A situação podia se tornar pior, se aos 2 minutos da etapa complementar, depois de nova pane do sistema defensivo, o atacante adversário fizesse o gol e a bola não parasse no pé de João Paulo.

Diniz teve que colocar alguns titulares na segunda etapa para 'segurar o rojão', após de forma irritante, insistir no improviso com Balieiro de zagueiro, tendo Robson Reis, especialista na posição no banco e dois centroavantes com apenas um homem de beirada na frente - Ângelo e com Renyer entre os suplentes. No segundo tempo, Jean Mota, canhoto, entrou aberto pela direita.

A verdade é que o time caiu absurdamente de produção nos últimos seis jogos, diante de Atlético Goianiense, Independente, Bragantino e em especial nos últimos três - Os dois jogos diante da Juazeirense e contra a Chapecoense, em Santa Catarina.

Neste clima, o alvinegro volta a campo diante do Corinthians, domingo, dia dos pais, às 16h na Vila Belmiro com transmissão da Energia 97 FM.


FICHA TÉCNICA

JUAZEIRENSE 2 X 0 SANTOS

Estádio Adauto Moraes, em Juazeiro (BA)

Árbitro: Douglas Schwengber da Silva (RS)

Gols: Ian, 24'/1ºT (1-0), Thauan, 27'/1ºT (2-0)

Cartões amarelos: Thauan, Patrick, Jamerson, Waguinho, Waldir e Junior Timbó (JUA), Zanocelo, Kaiky e Marcos Leonardo (SFC)

JUAZEIRENSE: Rodrigo Calaça; Guilherme Lucena (Waldir, aos 41'/2ºT), Jamerson (Junior Timbó, aos 27'/2ºT), Wendell e Daniel; Waguinho, Sapé (Tony Galego, aos 33'/2ºT) e Patrick; Kesley (Nino Guerreiro, aos 41'/2ºT, Ian e Thauan. Técnico Rabello

SANTOS: João Paulo; Pará, Vinícius Balieiro (Carlos Sánchez, aos 34'/2ºT), Wagner Palha, Felipe Jonatan; Ivonei, Vinícius Zanocelo (Kaiky, aos 15'/2ºT) e Gabriel Pirani (Marcos Guilherme, aos 15'/2ºT); Ângelo (Jean Mota, no intervalo), Marcos Leonardo e Bruno Marques (Lucas Braga, aos 22'/2ºT). Técnico: Fernando Diniz.

Técnico Diniz reconheceu na coletiva, o futebol apático do time.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS: 

João Paulo: Falhou na saída do gol, no lance do segundo gol. Se redimiu com uma bela defesa no segundo tempo em golpe de cabeça que defendeu com o pé. - 5,0

Pará: Limitou-se a toques laterais e podia ter exercido mais a liderança como capitão do time, já que o time alternativo não respondia. - 4,5

Balieiro: Improvisado, não evitou o jogo aéreo do adversário. Melhorou quando foi para a sua posição. - 4,5

(Carlos Sánchez): Jogou 16 minutos apenas. Ainda assim, deu aula de como cobrar escanteio. - SEM NOTA

Wagner Palha: Boa saída de bola. No jogo aéreo também foi envolvido. - 5,0

Felipe Jonatan: No lance do primeiro gol não conseguiu chegar a tempo, após Ângelo perder a bola e proporcionar o contra-ataque ao time da casa. No segundo tempo, o camisa 3 defendeu bem. - 5,0

Ivonei: Cobranças de escanteios muito baixa. Pouco produziu na tentativa de melhorar o setor mais carente do time - o meio-campo. - 4,5

Zanocelo: Aguardo pela sua estreia. Até agora, não justificou a contratação. - 4,0

(Kaiky): Deu mais qualidade ao sistema defensivo. Joga sério. - 5,0

Pirani: A exemplo de Ivonei, muitas cobranças de escanteios rasteiras. Não conseguiu desempenhar. - 4,5

(Marcos Guilherme): Correu, correu, correu e só. Não ajudou o setor do meio-campo a sair do ostracismo. - 4,5

Ângelo: Desperdiçou uma enorme oportunidade de mostrar o seu valor. Errou passe simples que deu o primeiro gol adversário. Bem substituído. - 4,0

(Jean Mota): Ajudou a segurar a bola, mas não conseguiu criar. - 4,5

Marcos Leonardo: Não é jogador de lado. Invenção do treinador. Quando foi para sua posição, se esforçou, mas a bola não chegou. - 4,5

Bruno Marques: Seu forte é o jogo aéreo. O Santos só conseguiu cruzar bola no alto na área, quando ele saiu lesionado. O jogador teve um trauma na cabeça após um choque no alto e foi substituído. Passou por tomografia de crânio e ficará em observação por 24h no hospital por prevenção. - 4,0

(Lucas Braga): O mais lúcido do time, mesmo com atuação apenas em parte do segundo tempo. Foi um oásis em meio a tanta mediocridade na frente. - 5,5

Técnico: Fernando Diniz: O time caiu assustadoramente de produção nos últimos seis jogos. Exagerou ao improvisar volante de zagueiro, tendo jogador da posição no banco e dois centroavantes com um extremo de lado entre os suplentes. Continuando com a teimosia na segunda etapa, ao tirar o único ponteiro e colocar um meia canhoto, aberto pela direita. Time apático e sem reação contra um adversário da série D. Inadmissível. - 3,5


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by