FOTO CAPA

SANTOS SE ENTREGA ATÉ O FIM E CONSEGUE EMPATE NOS ACRÉSCIMOS

Publicado às 09h10 desta segunda-feira, 19 de julho de 2021.

Ainda não foi dessa vez que o o Santos venceu fora de casa, mas o empate nos acréscimos neste domingo (18), no Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, teve sabor de vitória, com direito a um gol marcado por Marcos Leonardo no último minuto do segundo tempo. O Peixe foi valente e arrancou um empate por 2 a 2 contra o Red Bull Bragantino, em partida válida pela 12ª rodada do Brasileirão que deixa o Santos apenas em 10º lugar, com 16 pontos.

Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO havia revelado na véspera, o técnico Fernando Diniz confirmou Sánchez na vaga de Jean Mota, suspenso. O uruguaio herdou a faixa de capitão do time. Foi o primeiro jogo do camisa 7 nos últimos nove meses, de titular, já que ele ficou ausente durante esse período, em razão de uma cirurgia no joelho e só estava entrando no segundo tempo.

Ainda no começo do jogo, uma troca de passes envolvendo Camacho e Kaiky e o defensor santista perdeu bola dominada no campo de defesa e o ala adversário Aderlan arrancou em velocidade até entrar na área e cruzar para Alerrandro, que apenas empurrou para o fundo da rede e abriu o placar.

Pouco minutos depois e por pouco, o alvinegro da Vila não levou o segundo, após finalização de Cuello. A bola caprichosamente bateu no travessão de João Paulo. 

O primeiro tempo do Santos foi novamente no estilo 'slow motion' (câmera lenta), o time estatístico demais com apenas uma finalização de bola parada efetuada por Marinho que chutou e a mesma tocou no corpo do adversário e quase morreu dentro da rede.

Ainda no primeiro tempo com desconforto muscular, Moraes deu vaga a Felipe Jonatan. Com essa alteração, o destino do resultado da partida começava a ser alterado. Além disso, no intervalo Diniz sacou Pirani e Pará para as entradas de Madson e Lucas Braga e o time cresceu muito de produção. 

Aos 24 minutos da etapa complementar, o lateral Felipe Jonatan, o melhor do jogo, entrou com 'sangue nos olhos' fez o seu segundo cruzamento certeiro, ambos com a perna direita. O baixinho Marcos Guilherme cabeceou, a bola parou em grande defesa de Cleiton e no rebote, igualou o placar e dava justiça pelo bom futebol do Peixe na segunda etapa: 1 a 1. 

Mesmo jogando melhor, o time de Diniz sofreu um duro golpe. Os santistas reclamaram muito com a arbitragem de Luiz Flávio de Oliveira e com o V.A.R, pois no início da jogada, a bola bateu na mão de Lucas Evangelista e na sequência, aos 37 minutos, Ytalo aproveitou cruzamento feito por Arthur e deixou o time da casa novamente em vantagem. Uma ducha fria para o alvinegro praiano que segue com aproveitamento muito ruim fora da Vila Belmiro, apenas dois pontos em seis jogos disputados.

Entretanto, quando tudo parecia perdido, Felipe Jonatan, novamente ele, recebeu de Zanocelo e agora de perna esquerda, acertou novo cruzamento certeiro para o cabeceio de Madson. O ala santista forte no jogo aéreo, acertou a trave e no rebote, brilhou a estrela do jovem Marcos Leonardo de 18 anos, que empurrou para o fundo do barbante e delírio da galera alvinegra, bola que decretou números finais da partida no 'apagar das luzes' nos acréscimos. Um castigo para o time da casa e um prêmio a insistência do time do litoral: 2 a 2. 

O Santos volta a campo na batalha de Buenos Aires, na próxima quinta-feira (22) diante do Independiente pelas oitavas de final da Sul-Americana, em partida de volta. Pelo Brasileirão, o Peixão enfrenta o Atlético-Goianiense, no domingo (25), em Vila Belmiro, às 18h15.


FICHA TÉCNICA

RED BULL BRAGANTINO 2 x 1 SANTOS

Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP)

Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)

GOLS: Alerrandro, aos 9min do 1ºT; Marcos Guilherme, aos 24, Ytalo, aos 37, e Marcos Leonardo, aos 50min do 2ºT

Cartões amarelos: Cuello, Léo Ortiz e Weverson (RBB)Luiz Felipe, Felipe Jonatan, Marcos Leonardo, Marinho Carlos Sánchez,  e Vinícius Zanocelo (SFC)

RED BULL BRAGANTINOCleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Natan e Weverson (Luiz Felipe); Lucas Evangelista, Raul (Fabrício Bruno) e Praxedes (Eric Ramires); Cuello, Alerrandro (Ytalo) e Helinho (Artur).Técnico: Maurício Barbieri

SANTOSJoão Paulo; Pará (Madson), Luiz Felipe (Marcos Leonardo), Kaiky e Moraes (Felipe Jonatan); Camacho, Carlos Sánchez (Vinícius Zanocelo) e Gabriel Pirani (Lucas Braga); Marinho, Kaio Jorge e Marcos Guilherme Técnico: Fernando Diniz.

Felipe Jonatan entrou no segundo tempo e participou de duas assistências nos gols. 


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

João Paulo: Quando exigido, deu conta do recado. No segundo gol do adversário após cruzamento de Artur, a bola correu por toda a pequena área e o goleiro não tentou espalmar o cruzamento. - 6,0

Pará: Limitou-se a marcação pela direita. Não apoiou. Foi substituído no intervalo. - 5,0

(Madson): Peca na marcação com alguns botes perigosos, mas o time cresce muito com sua velocidade e forte jogo aéreo. Foi dele a cabeçada que bateu na trave antes de Marcos Leonardo marcar o segundo gol do Santos, o de empate nos acréscimos. - 6,5

Luiz Felipe: Tem boa saída de bola e forte jogo aéreo defensivo. No lance do segundo gol do Bragantino, não chegou a tempo de evitar a conclusão de Ytalo. - 6,0

(Marcos Leonardo): Iluminado. Mal entrou e estava no lugar certo, na hora certa para empatar o jogo. - 7,0

Kaiky: Recebeu uma 'batata quente' de Camacho e se atrapalhou com a bola no lance do primeiro gol do Red Bull. Tem apenas 17 anos e muito a evoluir. - 5,0

Moraes: Ao contrário dos outros jogos, estava discreto. Além disso, Barbieri, técnico do Red Bull Bragantino mandou seu time atacar nas costas do ala santista. Foi substituído com desconforto na posterior de uma das coxas. É dúvida para o duelo diante dos argentinos. - 5,0

(Felipe Jonatan): Entrou e mudou o jogo. Foi dele as duas assistências com dois cruzamentos (um de direita e outro de esquerda) para os dois gols do Santos. Além disso salvou um gol certo de Helinho. O melhor do jogo. - 7,5

Camacho: O técnico do Bragantino matou o início da jogada santista com marcação individualizada no volante alvinegro. O camisa 29 estava tão desconfortado que tocou para Kaiky na fogueira no primeiro gol do time do interior. Melhorou um pouco na segunda etapa. - 5,0

Carlos Sánchez: A qualidade do passe melhora muito com o uruguaio em campo. Quase marcou um lindo gol após cruzamento de Felipe Jonatan. Foi substituído no fim da partida extenuado. Primeiro jogo como titular após sua volta depois de meses afastado em razão de cirurgia no joelho. - 6,5

(Zanocelo): Ainda não brilhou com a camisa do SFC, mas deu início ao gol de empate nos acréscimos. - 6,0

Pirani: Começou ligado nos 220 volts, mas se apagou no meio do primeiro tempo. Substituído no intervalo. - 5,5

(Lucas Braga): Ainda não é o jogador que viveu brilhante momento com dribles longos em jogos decisivos da temporada passada, mas sua entrada deu novo gás ao time após o intervalo. - 6,0

Marinho: Ainda não é o Marinho da brilhante temporada de 2020, mas com a melhora física, tem chutado e procurado jogo. Tem evoluído. - 6,0

Kaio Jorge: Apagado na primeira etapa. Um pouco mais participativo nos 45 minutos finais. - 5,5

Marcos Guilherme: Não foi visto nos primeiros 45 minutos. Quando veio para a meia na segunda etapa melhorou. Atento ao cabecear e marcar no rebote no primeiro gol santista. - 6,5

Técnico: Fernando Diniz: O time evoluiu a cada rodada com o seu comando, mas a insistência com Pará, por exemplo, que não vive melhor momento que seu concorrente, pode atrapalhar o trabalho. Acertou o time com as alterações na segunda etapa. Zanocelo, Felipe Jonatan, Marcos Leonardo e Madson, todos os jogadores que entraram participaram do gol de empate nos acréscimos. - 7,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by