FOTO CAPA

CAIU NO PRIMEIRO MATA-MATA

Publicado às 23h40 desta quarta-feira, 4 de novembro de 2020.
O Santos está eliminado da Copa do Brasil. Após não fazer a 'lição de casa' na semana passada, na Vila, o alvinegro da Vila perdeu o jogo e a chance de avançar na competição nacional ao ser derrotado, na noite desta quarta-feira (4), em Fortaleza para o Ceará pelo placar 1 a 0.

O técnico Cuca não promoveu nenhuma alteração surpreendente. Sem Lucas Veríssimo, expulso no jogo de ida, o comandante promoveu a entrada de Luiz Felipe em seu lugar. No mais, foi o time que venceu o Bahia, no último domingo (1), pelo Brasileiro.

Os primeiros 45 minutos de jogo foi de equilíbrio, mas os donos da casa chegaram com mais perigo e em uma delas 'João Paulo III' goleiro santista, dono da camisa 34, promoveu um milagre com uma defesa espetacular. Entretanto, a oportunidade mais clara foi do Peixe. Contra-ataque para o Glorioso da Vila e a bola chega no rápido e habilidoso Soteldo. O venezuelano entrou dentro da área, mas na hora da finalização, isolou. Marinho estava sozinho do lado direito.

No intervalo, Jobson teve um mal estar e deixou o gramado. O jovem e talentoso Sandry entrou na sua vaga. O time melhorou bastante a troca de bola e o passe longo com o menino de apenas 18 anos. 

Porém, aos 25 minutos da etapa complementar, Vina, o 'matador' do time cearense, acertou um voleio e colocou os nordestinos na frente. A bola ainda tocou em Luan Peres, antes de tocar as redes.

Com a desvantagem no placar, deu desespero no time praiano. Cuca colocou Lucas Lourenço, Lucas Braga, Marcos Leonardo e Pará, entretanto, o Santos não ofereceu risco algum a meta de Fernando Prass.

Com a eliminação, o alvinegro praiano perdeu a oportunidade de faturar R$ 3,2 milhões, caso chegasse as quartas de finais. 

Além de não ter se superado dentro de campo, competições de mata-mata, quando não se faz a lição de casa, como o Peixe deixou de fazer semana passada, fica numa situação desfavorável. 

O Ceará não tem grandes jogadores diferenciados de qualidade técnica acima da média, mas é dono de um grande conjunto. Já o Santos, tem alguns poucos jogadores que podem decidir uma classificação, mas eles não brilharam e coletivamente, o adversário foi melhor nos 180 minutos. 

Não dá para lamentar a precoce saída da competição nacional. O Santos não teve capacidade de marcar um único gol em dois jogos. Além disso, Cuca usa constantemente 16,17 jogadores. Não rodou muito o elenco. No segundo tempo, quando precisava empatar notava-se que faltava 'perna'. 

Também, não é menos verdade que não dá para aceitar 'passivamente' uma eliminação precoce nesta competição para o Ceará que tem um time bem organizado, mas não é um dos melhores times do país. 

Agora, o time de Cuca concentra as atenções no Brasileiro e Libertadores. Domingo (8), em Bragança Paulista, o Santos estreia no returno do Brasileiro diante do Red Bull Bragantino.

FICHA TÉCNICA
CEARÁ 1 X 0 SANTOS
Arena Castelão - Fortaleza (CE)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Gol: 1-0 Vina (25'/1T)
Cartões amarelos: Vina, Pedro Naresi e Leandro Carvalho (CEA); Diego Pituca e Marinho (SFC)
Cartão vermelho: Sandry (SFC)
CEARÁ: Fernando Prass; Eduardo, Tiago Pagnussat, Luiz Otávio e Bruno Pacheco (Kelvyn, 41'/2T); Fabinho e Charles (Pedro Naresi, 41'/2T); Vina (Lima, 36'/2T), Fernando Sobral e Léo Chú (Leandro Carvalho, 24'/2T); Rafael Sobis (Felipe Vizeu, 24'/2T). Técnico: Guto Ferreira. 
SANTOS: João Paulo; Madson, Luiz Felipe (Pará, 34'/2T), Luan Peres e Felipe Jonatan (Lucas Lourenço, 28'/2T); Pituca, Jobson (Sandry, intervalo) e Jean Mota (Marcos Leonardo, 31'/2T); Marinho, Kaio Jorge (Lucas Braga, 32'/2T) e Soteldo. Técnico: Cuca. 

João Paulo não teve culpa no gol sofrido. Fez uma bela defesa no primeiro tempo.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
João Paulo: Sem culpa no gol sofrido. Fez uma linda defesa no primeiro tempo, quando o jogo ainda estava empatado. - 6,5
Madson: Não reeditou suas ótimas partidas com bons apoios pela direita do ataque. Bem anulado por Bruno Pacheco. - 5,5
Luiz Felipe: Não comprometeu. - 5,5
(Pará): Poucos minutos em ação. - SEM NOTA
Luan Peres: Abusou um pouco no passe longo e proporcionou alguns contra-ataques. - 5,5
Felipe Jonatan: Mesmo sendo substituído foi o melhor da defesa. Com a substituição realizada por Cuca, a ala canhotas perdeu a força no apoio do camisa 3. - 6,5
(Lucas Lourenço): Discreto. - 5,0
Pituca: Correu bastante como de costume. Muita transpiração. - 6,0
Jobson: Encaixou a dupla com Pituca. Regular. Sentiu-se mal e pediu para sair. - 6,0
(Sandry): Melhorou a troca de bola e o passe longo. No fim da partida, muito em fruto da sua juventude atingiu um adversário por trás e foi expulso. Teria melhor nota se não fosse para o vestiário mais cedo. - 5,5
Jean Mota: Deu boa assistência para Soteldo no contra-ataque que o venezuelano isolou. Não apareceu mais após este lance. - 5,5
(Marcos Leonardo): Pouco mais de 15 minutos, mas a bola não chegou para que pudesse concluir. - SEM NOTA
Marinho: O Santos depende muito de seu futebol individual para desenvolver uma boa performance coletiva. Quando ele e o venezuelano não vão bem, reflete demais na postura do time. - 5,0
Kaio Jorge: Fez bem a parece, o pivô, mas o principal papel do camisa 9 é arrematar ao gol e isso não foi feito. A bola só chegou para ele de costas. - 5,0
(Lucas Braga): Finalizou uma vez. - SEM NOTA
Soteldo: Por ironia do destino, o melhor do Peixe em campo também é um dos responsáveis pela eliminação da equipe. Teve a melhor oportunidade, mas isolou. Dribla bem, mas tem muita dificuldade na finalização. - 6,5
Técnico: Cuca: Critiquei muito o Cuca por não rodar muito o elenco e por ter oportunidades de poupar jogadores como na partida diante do Defensa y Justica e o mesmo preferir colocar os mesmos 15, 16 em campo. No jogo de hoje, colocou o time que os torcedores desejavam, portanto, não o acho o mais culpado. Mexeu na equipe e o quadro não se alterou? Sim. Mas vejam o banco do Peixe, compostos de meninos com pouca 'minutagem', dava para fazer diferente? - 5,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by