FOTO CAPA

A BASE SEMPRE SALVA E SEMPRE SALVARÁ, MESMO POR MUITAS VEZES MAL TRATADA

Publicado às 22h25 deste sábado, 14 de novembro de 2020.

O Santos é isso. Enquanto a base existir, mesmo mal tratada por escolhas equivocadas de algumas gestões, ela salva e sempre salvará. E na tarde deste sábado (14), na Vila Belmiro foi apenas mais um capítulo dessa história. O Peixe tinha 11 desfalques, 10 com covid-19, sendo seis titulares e enfrentava o líder Internacional. Sabe o que aconteceu? Os 'Meninos da Vila' venceram o Colorado por 2 a 0 com gols de dois jovens de 18 anos - Ivonei e Kaio Jorge, da 'geração 2002'.

Sem os goleiros João Paulo e Vladimir, o lateral Madson, os defensores Alex Nascimento e Lucas Veríssimo e os meio-campistas Pituca, Jobson, Sandry, Alison e Jean Mota, todos em isolamento diagnosticados com o coronavírus, além de Soteldo, na Seleção Venezuelana que disputa as Eliminatórias Sul-Americanas, o auxiliar técnico Marcelo Fernandes que dirigiu o time na ausência de Cuca e Cuquinha, também contaminados, mandou um time bem modificado a campo. 

O Santos foi a campo com a mesma formação que treinou na quinta-feira (12) e o Blog do ADEMIR QUINTINO havia informado. Uma equipe com três jogadores que jamais foram titulares e dois deles 'debutando' no time da cima - O goleiro John e o meio-campista Balieiro.

Wagner Palha apareceu na ala esquerda, Luiz Felipe começou como beque central, Felipe Jonatan foi improvisado no meio-campo ao lado de Balieiro e Ivonei e Lucas Braga reapareceu na esquerda do ataque.

Visivelmente desentrosada e com pouca criação no meio-campo, o time do Santos teve transpiração e determinação na marcação. Aguardava o adversário no seu campo e saia rápido nos contra-ataques. Confio no potencial de se defender mesmo tendo a defesa vazada nos últimos nove jogos do Brasileiro. 

No primeiro tempo, o alvinegro deu apenas um chute. Foi de Marinho em cobrança de falta. Também não sofreu e o goleiro Jhon nem sujou o uniforme.

Já nos 45 minutos finais, os gaúchos avançaram as linhas e o estreante Jhon fez duas grandes defesas e parou o artilheiro Thiago Galhardo. 

Com o alvinegro jogando 'por uma bola' ela veio e novamente através de uma falta, só que desta vez lateral. Ivonei cobrou, a bola quicou no gramado e morreu no fundo da rede.

Logo em seguida, novo contra-ataque, Arthur chutou, o goleiro Lomba soltou e Kaio Jorge cabeceou para o fundo do gol. 

Foi a vitória da 'estratégia' , da entrega, da vontade, do comprometimento e da base que sempre salva e sempre salvará, mesmo que por muitas vezes mal tratada.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 2 X 0 INTERNACIONAL

Estádio da Vila Belmiro - Santos (SP)

Árbitro: Savio Pereira Sampaio (DF)

Cartões amarelos: Kaio Jorge (SFC)/ Lindoso e Rodinei (INT)

GOLS: (1-0) Ivonei  (aos 13'/2T), (2-0) Kaio Jorge (22'/2T).

SANTOS: John, Pará, Luiz Felipe, Luan Peres e Wagner Palha; Vinicius Balieiro, Ivonei (Arthur) e Felipe Jonatan; Marinho, Kaio Jorge (Tailson) e Lucas Braga (Marcos Leonardo). - Técnico: Marcelo Fernandes.

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Rodinei, Zé Gabriel, Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado (Praxedes), Edenilson (Lindoso), Marcos Guilherme (Fernández) e Maurício (D'Alessandro); Thiago Galhardo e Abel Hernández (Yuri Alberto) - Técnico: Abel Braga.

Marcelo Fernandes pediu calma a Marinho e comandou o time de jovens a vitória.


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

John: Duas grandes defesas no começo do segundo tempo. Um dos grandes responsáveis pela vitória. - 7,5

Pará: Marcou bem. Simples e objetivo nos passes. - 6,5

Luiz Felipe: O arroz com feijão bem temperado, como sempre costuma dizer meu amigo Alan Otacílio. - 6,5

Luan Peres: Dificuldades na saída de bola, porém, marcou implacavelmente os atacantes colorados nas bolas no chão. - 6,5

Wagner Palha: Personalidade monstra. Tem poder de recuperação. Um dos melhores do time. - 7,0

Vinicius Balieiro: O que antecipou e roubou de bola foi uma grandeza. O melhor do jogo. - 7,5

Ivonei: Abriu o marcador na cobrança de falta. Preencheu bem o setor. - 7,0

(Arthur): Pegou o rebote de Lomba, chutou e fez Lomba dar rebote para Kaio Jorge marcar. - 6,5

Felipe Jonatan: Foi volante quando teve que ser e ainda chegou a frente quando o time conseguiu avançar. Para quem não jogava há muito tempo no setor (neste ano apenas meio-tempo diante do Fluminense) foi bem, como de costume. Tem capacidade de jogar na função. - 7,0

Marinho: Bem marcado, pouco apareceu, ainda assim, tomou a bola de Rodinei e começou a jogada do segundo gol. - 6,5

Kaio Jorge: Se movimentou o tempo todo. Ajuda bastante na marcação. Estava no lugar certo, na hora certa para cabecear e marcar o segundo gol da partida. - 7,0

(Tailson): Jogou pouquíssimo tempo. - SEM NOTA

Lucas Braga: Não conseguiu puxar nenhum ataque perigoso pela esquerda. Ajudou muito e recompôs na marcação. - 6,0

Marcos Leonardo: Entrou nos acréscimos. - SEM NOTA

Técnico: Marcelo Fernandes: Sabia das limitações do sua equipe, dos meninos que não tinham 'minutagem' e soube explorar os erros da defesa adversária. Soube fechar a casinha e fazer com que o time santista não sofresse gol, algo que não acontecia há nove jogos na competição. - 7,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by