FOTO CAPA

RECUOU E SEGUE SEM VENCER CLÁSSICO

Publicado às 9h desta quinta-feira, 8 de outubro de 2020.

O Peixe segue sem vencer um clássico em 2020. E teve uma enorme chance de sair de Itaquera com os três pontos, mas ao final de 90 minutos, Santos e Corinthians ficaram na igualdade de 1 a 1, na Arena Neo Química, na noite desta quarta-feira (7), em partida válida pela 14a. rodada.

Foi o sexto clássico sem vitória do time da Vila no ano. Agora são três empates e três derrotas.

O técnico Cuca nem no banco pode ficar pois estava suspenso e além dele outros sete jogadores não puderam atuar. Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO bancou Marinho não tinha condições e sequer ficou no banco de reservas com  com dores no adutor e desconforto muscular na coxa esquerda. O zagueiro Lucas Veríssimo em recuperação de um edema na panturrilha esquerda e o volante Alison com dores na planta do pé, o meia Sánchez que rompeu o ligamento cruzado do joelho esquerdo, os atacantes Raniel internado com uma trombose em uma das pernas, Soteldo à disposição da Seleção da Venezuela e Arthur Gomes, expulso em Goiânia. 

Mesmo com tudo isso, o glorioso alvinegro praiano começou em cima, com marcação pressão na saída de bola e era infinitamente superior ao adversário. O gol era questão de tempo e veio com um cruzamento de Jean Mota aberto pelo lado esquerdo e finalização de Madson que fechou pelo lado contrário e abriu o marcador. 

Entretanto, de forma desnecessária após o gol aos 10 minutos de jogo, o time do Santos que tinha controle do jogo, recuou absurdamente e trouxe o time de Itaquera para o jogo. O Corinthians dava um 'latifúndio' para o Santos explorar e não tinha dado um chute sequer a meta santista. Porém, quando o primeiro tempo se encerrava, escanteio no segundo Gil toca de cabeça a bola toca na mão de Luan e o goleiro santista João Paulo divide com Avelar que leva a melhor e empata o jogo. Um castigo.

Na segunda etapa, o Santos até tentou avançar as linhas. Madson estava bem na partida, assim como Jobson e Pituca, mas a verdade é que o ataque do Santos não levava perigo algum a meta do goleiro Cássio.

Como nada é tão ruim que não possa piorar, o cansaço da maratona incessante de partidas, viagens internacionais bateu no time da Vila aos 25 minutos da etapa complementar e o que era para ser uma noite vitoriosa, quase vira derrota. O Corinthians tomou conta do jogo e quase marcou o segundo.

Mas a qualidade técnica do espetáculo estava tão sofrível que ambos os times não mereciam gols e cada um ficou com um ponto.

No domingo (11), o Santos volta a campo diante do Grêmio, às 16h, na Vila Belmiro. Para esta partida Cuca não terá Luan Peres. O jogador foi julgado pela expulsão diante do Ceará e pegou mais uma partida de ganho.


FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 1 X 1 SANTOS

Neo Química Arena, São Paulo (SP)

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Cartões amarelos: Danilo Avelar e Roni (SCCP) Lucas Lourenço e Lucas Braga (SFC)

Gols: Madson (10'/1ºT) (0-1), Danilo Avelar (45'/1ºT) (1-1)

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Gil, Danilo Avelar e Lucas Piton; Gabriel e Roni (Camacho, aos 16'/2ºT); Léo Natel (Gustavo Silva, no intervalo), Luan (Cazares, no intervalo) e Gustavo Mantuan (Mateus Vital, aos 30'/2ºT); Jô (Boselli, no intervalo). Técnico: Dyego Coelho.

SANTOS: João Paulo; Pará, Luiz Felipe (Marcos Leonardo, aos 25'/2ºT), Luan Peres e Felipe Jonatan (Wagner Palha, aos 41'/2ºT); Jobson, Pituca e Jean Mota (Taílson, no intervalo); Madson, Lucas Braga (Ivonei, aos 41'/2ºT) e Kaio Jorge (Lucas Lourenço, aos 31'/2ºT). Técnico: Cuca.

Pituca atuou de primeiro volante e foi um dos destaques do Santos.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

João Paulo: Falhou na dívida com Avelar que proporcionou o gol corintiano. Fez uma boa defesa no fim da partida. Tem crédito. - 5,0

Pará: Não comprometeu. - 6,0

Luiz Felipe: Não atuava desde maio. Treinou pouco e foi para o jogo. Foi até onde aguentou. - 5,5

(Marcos Leonardo): A bola não chegou para que pudesse finalizar. - 5,0

Luan Peres: Pouco exigido. Ataque do Corinthians , quase, não existiu. - 6,0

Felipe Jonatan: Procurou ir a frente auxiliar no apoio. Sentiu a falta de Soteldo para fazer as tabelas. - 6,0

(Wagner Palha): Jogou menos de 10 minutos com os acréscimos. - SEM NOTA

Pituca: Atuou de primeiro volante. Bem na cobertura e na saída de bola. Um dos melhores do time. - 6,5

Jobson: Parece estar mais concentrado. Quase não errou passes, sua maior qualidade. - 6,5

Jean Mota: Bela assistência para o gol do Santos. Não entendi a sua saída no intervalo. - 6,5

(Taílson): Entrou para dar a profundidade do lado esquerdo. Não conseguiu. - 5,0

Madson: O melhor da partida. Atuou na frente aberto pela direita, depois virou meia e ainda terminou de zagueiro. Fez o gol que abriu o marcador, o terceiro com a camisa do Santos. - 7,0

Lucas Braga: Tem dificuldades em alguns fundamentos. Se doa bastante, mas tem tomadas de decisões erradas em alguns momentos. Poderia ter aproveitado melhor a oportunidade.- 5,0

(Ivonei): Jogou menos de 10 minutos com os acréscimos. - SEM NOTA

Kaio Jorge: Taticamente muito comprometido. Mas como atacante pouco fez. Depois virou meia na segunda etapa. - 5,5

(Lucas Lourenço): Tem muita personalidade e vai para dentro. Tentou levar o Santos ao ataque, mas o time já estava cansado física e mentalmente. - 6,0

Técnico: Cuca: Quem ficou no banco foi Cuquinha, pois o comandante estava suspenso. Mexeu mal. Jean Mota alternava entre o meio e a extrema esquerda e não devia sair. Poderia ter escolhido a retirada de Lucas Braga que não estava tão bem. Recuou excessivamente o time e desnecessariamente. - 5,0



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by