FOTO CAPA

NÃO FOI BOM, MAS PODIA TER SIDO PIOR

Publicado às 19h50 desta quarta-feira, 28 de outubro de 2020.

Santos e Ceará não saíram do empate sem gols, em partida de ida das oitavas de finais da Copa do Brasil. Quem vencer o jogo de volta, marcado para a semana que vem em Fortaleza está classificado e abocanha em torno de R$ 3 milhões pelo avanço as quartas de final.

O técnico Cuca, ao contrário do fim de semana, não promoveu nenhuma grande novidade na escalação. Sem Kaio Jorge na Seleção Brasileira sub-20, o comandante técnico escolheu Lucas Braga no comando técnico e Jean Mota como armador. 

Com um dos piores aproveitamentos dos últimos anos em casa (foi o sexto empate na era Cuca, com duas derrotas e quatro vitórias), o Peixe tem sido mais eficaz nos jogos fora. O alvinegro tem dificuldades de propor jogo quando os times vem a Vila para jogar atrás da 'linha da bola'. 

Durante quase todo o primeiro tempo, o Santos construiu  apenas duas oportunidades claras ao gol de Fernando Prass. Porém, antes do apito final da primeira etapa, Lucas Veríssimo levantou o pé na cabeça do atacante Rafael Sóbis e foi expulso.

Após o intervalo, Cuca sacou Jean Mota e colocou o defensor Luís Felipe para recompor a defesa. Com um jogador a menos e pouca imaginação no meio-campo, o time insistiu demais em 'achar' Marinho e Soteldo e o conjunto foi para o espaço.

Se o Ceará tivesse um ataque mais qualificado, com certeza o resultado seria ainda pior.

Do meio da partida para o fim, o técnico santista sacou Jobson, Lucas Braga e Soteldo. O último visivelmente desgastado. Entraram Sandry, Taílson e Arthur Gomes, mas os times não conseguiram abrir a contagem. 

Pelo Campeonato Brasileiro, no domingo, às 18h15, na Vila Belmiro enfrenta o Bahia pela última rodada da fase de classificação do primeiro turno.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 0 x 0 CEARÁ

Estádio da Vila Belmiro- Santos (SP)

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)

Cartões amarelos: Marinho e Jean Mota (SFC)/Charles e Fabinho (CEA)

Cartão vermelho: Lucas Veríssimo (SFC)

SANTOS: João Paulo; Madson, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan, Pituca, Jobson (Sandry, 25'/2T) e Jean Mota (Luiz Felipe, intervalo); Lucas Braga (Tailson, 32'/2T), Marinho e Soteldo (Arthur, 32'/2T). Técnico: Cuca.

CEARÁ: Fernando Prass; Eduardo, Tiago Pagnussat, Luiz Otávio e Bruno Pacheco; Fabinho e Charles (Lima, 17'/2T); Vina, Fernando Sobra) (Wescley, 43'/2T) e Léo Chú (Rick, 17'/2T); Rafael Sóbis (Mateus, 32'/2T). Técnico: Guto Ferreira. 

O lateral Felipe Jonatan foi uma das alternativas do Santos pela esquerda do campo.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

João Paulo: Bem colocado, não precisou fazer nenhum milagre. - 6,0

Madson: Estava bem no apoio pela direita. Mas após a expulsão de Veríssimo teve que guardar mais a posição na defesa. - 6,0

Lucas Veríssimo: Expulso justamente em uma zona morta do campo. Comprometeu o resultado da partida. - 4,0

Luan Peres: Bem posicionado. travou bons lances com os atacantes cearenses. - 6,5

Felipe Jonatan: Um dos melhores do time. Apoiou, deu chapéu e se portou bem na defesa. - 6,5

Pituca: Errou um passe no primeiro tempo que proporcionou um contra-ataque que quase dá gol ao adversário. No mais, eficaz na marcação e distribuição de bola da primeira para segunda linha, como de costume. - 6,0

Jobson: Começou bem. Depois teve uma queda de rendimento, principalmente após a expulsão de Veríssimo. Foi substituído. - 5,5

(Sandry): Bons passes curtos - acertou todos (7), um passe longo, duas roubadas de bola e sofreu uma falta. Tudo isso em 19 minutos. Tem qualidade e pede passagem para entrar no time. - 6,5

Jean Mota: Responsável pela armação, esteve bem marcado encontrou pouco espaço.  Substituído no intervalo. - 5,5

(Luiz Felipe): Entrou para ser o defensor pela direita. Não comprometeu. - 6,0

Lucas Braga: Improvisado, esteve bem apagado. Teve uma chance após chute de Soteldo mas cabeceou para o alto. - 5,0

(Tailson): Jogou apenas 17 minutos. Apareceu pouco. - SEM NOTA

Marinho: Não foi tão brilhante como em outras ocasiões. Pendurou alguns jogadores com cartão amarelo. Um bom chute no fim da partida para a defesa de Prass. - 6,0

Soteldo: O jogador que mais levou perigo a meta cearense. Um arremate de fora da área que deu rebote que não foi aproveitado por Lucas Braga. Saiu bastante cansado. Pregou na segunda metade da etapa final. - 6,5

(Arthur): Entrou e teve mais funções defensivas em razão do adversário atacar pelo lado e voltou para recompor. - SEM NOTA

Técnico: Cuca: O time depende muito dos dois extremos. Precisa fazer o meio-campo criar. O time caiu de produção nos últimos jogos. A última apresentação convincente foi diante do Grêmio. Dos males, o menor, o empate em casa, o sexto em 12 jogos. Podia ter colocado Marcos Leonardo no ataque, mas preferiu improvisar Lucas Braga. - 5,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by