FOTO CAPA

O SUBSTITUTO DO 'PORTUGA'

Publicado às 06h20 desta quinta-feira, 6 de agosto de 2020.
Há poucos dias da estreia no Campeonato Brasileiro, o Santos está sem técnico. Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO bancou no fim de semana, Jesualdo Ferreira, faz parte do passado e foi demitido pela gestão no começo da tarde desta quarta-feira (5). Dois nomes ganham forças nos corredores da Vila. Pela ordem o de Cuca, que esteve como treinador no começo dessa gestão e do campeão do Mundo com a Seleção brasileira - Luiz Felipe Scolari.

Cuca deixou o Santos no fim de 2018 com o argumento que precisava cuidar da saúde. Eles estava com um problema cardíaco e necessitava de uma intervenção cirúrgica. Poucos meses depois, até de forma surpreendente, dirigia o rival São Paulo que foi a final do estadual de 2019, diante do Corinthians. Ele está desempregado há 11 meses, quando deixou o tricolor Paulista. 

Era muito comum, o técnico campeão brasileiro com o Palmeiras em 2016 e da Libertadores com o Atlético Mineiro em 2013, em sua segunda passagem pelo Peixe, há pouco menos de dois anos, criticar a gestão em entrevistas coletivas. A relação com o atual presidente José Carlos Peres, nunca foi das melhores. Nos bastidores, era ainda pior, com direito a vazamento de áudio com trocas de farpas entre as partes.

Foi até surpreendente durante a quarentena imposta pela pandemia do coronavírus, em uma entrevista a Rádio Bandeirantes de São Paulo, o mandatário santista dizer:
"O Cuca deu muito certo. Ele veio, fez um grande campeonato. É um cara que eu adoro. A gente não brigou nunca. Até hoje converso com o Cuca, sou fã número um. Tem condições de chegar em um grande time e fazer um bom trabalho. Mas, é um cara pilhado, 150 por hora." afirmou.
Durante a apresentação de Jesualdo Ferreira, no começo do ano, Peres dizia que um dos favoritos para assumir o posto de técnico do Santos neste segundo semestre, era parte do passado:
"O técnico é um grande personagem. A comissão técnica (de Jesualdo) é hiper qualificada e isso que temos que valorizar para o torcedor entender o que está vindo agora que é esperançoso. Sampaoli, Cuca, todo mundo que já passou, um adeus, eles estão em outra." afirmou há poucos meses.
Já Luiz Felipe Scoalri está sem trabalhar desde setembro do ano passado, quando foi demitido do Palmeiras. O histórico de bom relacionamento no vestiário, pesa a favor do comandante do penta com a Seleção brasileira em 2002.  

Nem mesmo o fato de o Santos ter que pagar o sexto técnico (fez acordo e ainda deposita mensalmente por Oswaldo de Oliveira e Enderson Moreira em 2014, Dorival Junior e Levir Culpi em 2017 e em um curto espaço de tempo com Jesualdo que tem mais de R$ 5 milhões a receber entre atrasos e o acordo até o fim da temporada, além de outros R$ 2 milhões a seu staff) não parecem incomodar a direção na tentativa de técnicos badalados e caros. Só nos acordos com os ultimos quatro treinadores, o alvinegro gasta quase R$ 1 milhão mensal. O aposentado Levir, autor do livro - 'Um burro com sorte' ainda não começou a receber pela sua saída sem receber as verbas rescisórias há três anos, na administração passada. 

Sérgio Soares, vice estadual em 2010 com o Santo André
Além dos dois favoritos, outros nomes não tão badalados no mercado seguem como plano B da direção como Elano, Sérgio Guedes, Thiago Carpini e Sérgio Soares. Esses técnicos não recebem vultuosos salários e estão mais compatíveis com a atual realidade financeira do clube, onde Santos e dinheiro não cabem na mesma frase.

O espanhol Miguel Angel Ramirez, de apenas 36 anos e que ganhou projeção ao levar o Independiente Del Valle ao título da Copa Sul-Americana 2019, tem multa de aproximadamente quase U$ 300 mil dólares (R$ 1,5 milhão) para deixar o time equatoriano.

O Blog do ADEMIR QUINTINO obteve a informação que o ex técnico do Flamengo, Mauricio Barbieri, foi oferecido ao clube, no começo da semana, porém, não deixou os dirigentes muito animados. Seu último trabalho foi no começo deste ano, com o CSA. O clube de Alagoas o demitiu após apenas seis jogos. A precoce eliminação na Copa do Brasil para o Vitória-ES e a modesta campanha na Copa do Nordeste pesaram no desligamento do técnico que chegou a ser líder do Brasileiro com o rubro-negro carioca em 2018. 


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by