FOTO CAPA

PRESIDENTE DIZ QUE ZAGUEIRO É 'SEM CARÁTER' E O MESMO DISPARA CONTRA O EX-PATRÃO

Publicado à 01h20 deste sábado, 11 de abril de 2020.
Nem mesmo a pandemia do covid-19 e as férias forçadas que atletas e funcionários estão sendo obrigados a exercer, parecem dar trégua as polêmicas que envolvem o nome do clube mais conhecido do Brasil, no exterior - o Santos. Após o presidente do Santos, José Carlos Peres, participar de uma live na noite desta quinta-feira (10) e citar durante a mesma, o  nome do zagueiro Gustavo Henrique que deixou a Vila no fim do ano passado, dizendo que ele é um 'sem caráter', o agora defensor rubro-negro, se manifestou através de uma nota, em uma das suas redes sociais e contra-atacou as afirmações do dirigente santista, ainda no fim da noite.

Tudo começou quando ao participar de uma entrevista com o jornalista Jorge Nicola, o presidente do Peixe disse que o ex-zagueiro do clube havia dado a sua palavra ao mandatário que renovaria com o Peixe e o dirigente acusou o jogador até de ter deixado de lado o antigo empresário para fechar com o Flamengo. 

Peres estava respondendo a pergunta sobre a situação de Yuri Alberto, que está a poucos meses de ter seu vínculo com o clube encerrado e até o momento, não sinalizou com uma possibilidade de acerto. Neste instante o mandatário alvinegro falou das saídas de Lucas Lima para o Palmeiras, e Gustavo Henrique para o rubro-negro carioca:
"Fizemos proposta cinco vezes maior. É um bom menino (Yuri Alberto), mas ainda não provou o que os caras acham que ele vale. Tem que passar um período maior aqui no Santos. Eu não faria o que ele está fazendo. Que não seja mais um a sair pela porta dos fundos, como um que foi para o Palmeiras antes da minha gestão (Lucas Lima) e outro, sem caráter, que foi para o Flamengo e passou o empresário para trás. O Gustavo Henrique prometeu pra mim que o Santos teria prioridade, mas sumiu e foi embora pro Flamengo. Não sou que estou falando, mas a história está ai, quem sai do Santos pela porta dos fundos tem dificuldades de vingar em outros clubes" afirmou o presidente santista. 
Pouco mais de duas horas após as críticas do presidente santista, Gustavo publicou uma nota no perfil do seu instagram. Na mesma, o beque revelado na Vila no começo da década, não deixou barato o fato de ter tido colocado o seu caráter em dúvida pelo presidente santista e não mediu palavras contra o dirigente:
"É só perceber que dirigentes de outros times, técnicos que passaram pelo clube (Santos) e todo mundo que tem relação com este senhor, sempre reclamam de sua postura." disparou Gustavo.
O defensor deu uma versão bem diferente da que disse o mandatário santista sobre o episódio da não renovação com o Peixe:
"Meu contrato com o Santos foi cumprido rigorosamente. Todas as minhas obrigações e deveres foram feitos. Me espanta o presidente voltar à tona agora um assunto que já foi encerrado há quatro meses e de maneira diferente do que ele disse. Dei prioridade ao Santos desde o meio do ano passado, quando poderia ter assinado um pré-contrato com outro clube, e não o fiz, estive a todo momento à disposição para conversar e negociar, fui capitão do time com muito honra e orgulho, mas os ciclos se encerram. E isso não é sinônimo de desrespeito ao clube." colocou em um dos parágrafos da nota, o defensor.
Gustavo Henrique tinha contrato com o Santos até o fim de janeiro deste ano. Sem um acordo com o alvinegro para uma nova renovação, o jogador podia desde julho de 2019, o direito de assinar um pré-contrato com outra agremiação, já que restariam apenas seis meses para o término do vínculo. 

Presidente José Carlos Peres e o ex-supervisor Paulo Autuori.
Mesmo com a possibilidade de não ter mais o jogador, o que de fato aconteceu, Gustavo Henrique seguiu de titular e foi capitão por diversas vezes da equipe vice-campeã Brasileira, até a última rodada, na primeira semana de dezembro, coincidentemente diante do seu atual clube - o Flamengo. O então superintendente de futebol do Santos, Paulo Autuori ficou do lado de Gustavo Henrique para que ele seguisse atuando e criticou a política de renovação do clube, por não ter conseguido resolver o assunto com o staff do defensor antes:
"Se (o jogador) não tiver continuidade (em um novo contrato) foi por erro de planejamento do clube. Se querem afastar o Gustavo, me afastem primeiro. Enquanto estou aqui, ele joga." disse o dirigente em entrevista coletiva, na segunda quinzena de outubro de 2019. 
Com a aproximação do termino do vínculo e sem nenhuma competição no mês de janeiro, as partes - Santos e jogador, fizeram um acerto para que o atleta pudesse se apresentar ainda durante o mês de janeiro no Flamengo, o que de fato aconteceu. O zagueiro abriu mão de alguns valores em atraso que tinha para receber e por consequência, o Santos o liberou para que o defensor pudesse se apresentar na Gávea. 
A nota publicado pelo jogador em uma de suas redes sociais.

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by