FOTO CAPA

REABILITADO, MAS...

Publicado às 23h40 desta segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020.
O Santos conquistou sua terceira vitória no estadual de 2020 ao vencer o Botafogo-SP por 2 a 0, na noite desta segunda-feira (10), no estádio da Vila Belmiro para 3.504 testemunhas em jogo válido pela quinta rodada. Os gols do triunfo santista foram de Sánchez e Sasha. 

Com o resultado, o alvinegro da baixada chega a 10 pontos e segue na liderança do grupo A. Além disso, o time segue sem tomar gols em casa e tem a terceira melhor campanha do torneio com o mesmo número de pontos do Palmeiras e atrás do Santo André que tem 12.
A partida marcou os retornos de Alison, Sánchez e Soteldo que não atuaram no clássico e a presença do goleiro Vladimir. Foram as quatro novidades no time. Foi a primeira vez desde que retornou de empréstimo do Avaí que um dos dois remanescentes do elenco do título da Libertadores de 2011, o outro é o ala Pará, fez na meta do gol alvinegro como titular.

O Botafogo-SP realiza até aqui a pior campanha entre todos os participantes da competição e demonstrou porque está tão mal mal temporada. Além do time ter sido presa fácil para o Peixe, não finalizou uma vez sequer contra a meta do goleiro Vladimir. 

O Santos por sua vez, exagerava na morosidade. Não acelerou o jogo, em momento algum e triangulação, única e somente pelo lado esquerdo com Felipe Jonatan bem no apoio, Soteldo que deu a profundidade que o time necessitava e a chegada de um meio-campista, na maioria das vezes Pituca, que podia ter aproveitado mais o espaço que o time de Ribeirão Preto dava para aparecer mais para assistências.

O lado direito tinha Pará que 'planta' mais na marcação e não vai a linha de fundo e com Raniel que não é jogador de lado, não tem o um contra um. Este setor só ganhou um pouco mais de participação, quando ainda na primeira etapa, Soteldo se dirigiu para lá, mas o venezuelano, não tem a mesma eficiência pela direita que tem quando atua pelo lado canhoto.

Ainda assim com 21 minutos de jogo, Felipe Jonatan iniciou o lance, Sasha deu bela assistência e Sánchez abriu o placar. O time da Vila realizou seis finalizações e somente duas em gol, nos primeiros 45 minutos. 

Se no primeiro tempo eu classifiquei o time como lento, essa velocidade diminuiu ainda mais, na segunda etapa. 

Faltam as trocas de bolas e aproximação dos jogadores de meio-campo na criação. O time é muito previsível e espaçado. 

Na etapa complementar, nova jogada individual pela esquerda do campo com Soteldo e Sasha, que se antecipou a zaga e marca seu primeiro gol na temporada para ampliar para 2 a 0.

Com o time do interior inteiro atrás da bola, achei que as alterações sairiam da mesmice, mas em uma delas, Jesualdo sacou Pituca e colocou Jobson para jogar ao lado de Alison? Qual a intenção, se o time interiorano não passava do meio-campo e deixava de forma isolada o ex-santista Diego Cardoso na frente? Sinceramente, me causou decepção.

O campeonato paulista é para realizar testes mesmos e como a distância entre os clubes grandes e os times do interior, com raras exceções, como o Mirasol e Santo André, é gritante, mas me causa muita preocupação a velocidade e a 'imaginação na criação' do Peixe para as finais do Estadual e principalmente para o começo da Libertadores que começa daqui a menos de um mês para o alvinegro e o Campeonato Brasileiro, no segundo semestre.  Tomara que eu esteja muito errado.

O Santos volta a campo no próximo domingo (16), em Araraquara, diante da Ferroviária. Sem jogo neste meio de semana, a comissão técnica tem a oportunidade de melhorar e aprimorar a condição de equipe nos próximos dias.


FICHA TÉCNICA
SANTOS 2 X 0 BOTAFOGO-SP
Estádio da Vila Belmiro - Santos (SP)
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP) 
Público e renda: 3.504 presentes/R$ 115.525,00
Cartões amarelos: Luan Peres, Luiz Felipe (SFC) e Didi (BOT)
GOLS: Carlos Sánchez 20'/1ºT (1-0) e Eduardo Sasha 10'/2ºT (2-0)
SANTOS: Vladimir, Pará, Luiz Felipe, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca (Jobson 34'/2ºT) e Carlos Sánchez; Raniel (Kaio Jorge 23'/2ºT), Soteldo e Eduardo Sasha (Renyer 34'/2ºT). Técnico: Jesualdo Ferreira.
BOTAFOGO-SP: Darley, Caíque Sá, Reginaldo, Jordan e Gilson; Jonata Machado (Gabriel Calabres 37'/2ºT), Edson Júnior (Ferreira 28'/2ºT) e Didi; Francis, Diego Cardoso e Guilherme Romão (Ronald 16'/2ºT). Técnico: Wagner Lopes.

Felipe Jonatan foi uma das opções do time pelo lado esquerdo do campo.

NOTAS DOS JOGADORES DO  SANTOS
Vladimir: Em seu retorno, não fez uma defesa sequer porque o adversário, não chutou uma bola sequer ao gol. Expectador de luxo. - 6,0
Pará: Não apoia muito e se limitou a passes laterais e guardar a posição. - 6,0
Luiz Felipe: Bem nas antecipações e com a bola no chão, sabe jogar. Precisava de uma sequência e está tendo a oportunidade. - 6,5
Luan Peres: Teve uma oportunidade na primeira etapa, mas ainda peca na bola aérea. No chão foi muito bem, novamente. - 6,0
Felipe Jonatan: Um dos melhores da equipe na partida. Avançou bem, começou a jogada do primeiro gol. Dá a condição de Soteldo confundir a defesa, pois ora apoia por dentro e ora vai com muita força a linha de fundo. Tem enorme potencial. - 7,0
Alison: Bem na proteção a defesa, como de costume. Mas teve o trabalho facilitado em razão do time adversário não criar praticamente nada. Ainda peca na transição da saída da primeira linha. - 6,5
Pituca: Teve chances de se aproximar na segunda linha do campo pelo lado esquerdo e fez muito pouco. Perdeu um gol incrível na pequena área. Não foi uma de suas melhores jornadas. Tem condições de se apresentar mais para o jogo. - 5,0
(Jobson):
Sánchez: Acelera o jogo, mas sem um homem de profundidade pela direita, teve a tarefa dificuldade. Muita calma na finalização do primeiro gol. Mostrou ser líder ao sempre orientar Renyer desde sua entrada na partida e sempre que recebia a bola dava ao jovem de 16 anos. - 6,5
Raniel: Novamente fora de sua posição de origem, teve muita dificuldade para finalizar. Recebeu a maioria das bolas de costas. Tem bola para render muito mais, pois protege como poucos para fazer o giro. Nem isso, conseguiu. - 5,0
(Kaio Jorge): Jogou aproximadamente 20 minutos. A exemplo de Raniel, estava fora da sua posição, novamente. Só recebeu bola de costas. Quase deu assistência para o Santos ampliar e marcar o terceiro. - 5,5
Soteldo: Deu trabalho a defensiva do Botinha. Quando foi para o lado direito, caiu de produção. Voltou a render mais, quando apareceu novamente pela esquerda na segunda etapa e deu a assistência para Sasha marcar. - 6,5
Sasha: O melhor do jogo. Muito inteligente. Se desloca e abre muito espaço. Fez isso na assistência do primeiro gol e se antecipou bem demais na finalização do segundo e último tento da partida. - 7,5
(Renyer): Jogou cerca de 13 minutos. Pegou na bola duas vezes apenas. - SEM NOTA
Técnico: Jesualdo Ferreira: Defensivamente, o time é mais equilibrado, mas ainda deixa muito a desejar na velocidade de propositura de jogo. Não entendi a alteração da saída de Pituca por Jobson. Contra um time que se abdicou do ataque trocar um volante pelo outro? Ainda tenho enormes desconfianças sobre seu sistema de jogo. Pela fragilidade do adversário era para 'passar o carro' em cima e golear. - 5,0
strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by