FOTO CAPA

ESTÁTICO E SEM PROGRESSO

Publicado às 21h00 deste sábado, 22 de fevereiro de 2020.
O Santos era o único time entre os grandes, que ainda não tinha perdido para clubes do interior, no Estadual. Mas isso, teve fim na tarde deste sábado (22) ao perder para o Ituano por 2 a 0, em Itu. 

O time segue na liderança do seu grupo com os mesmos 11 pontos, mas em sete jogos na temporada, mesmo nas três vitórias, o time segue sem demonstrar nenhuma evolução.

O técnico Jesualdo Ferreira manteve a base do empate diante da Ferroviária, sem gols, semana passada. Apenas o defensor Luiz Felipe, suspenso deu vaga a Lucas Veríssimo que estreou na temporada e Raniel que não foi relacionado em razão de se recuperar do ocorrido no domingo passado, quando passou mal em campo e deu lugar a Arthur.

O Santos segue sendo uma caricatura mal feita de um time de futebol. O time é muito estático, previsível, lento e que marcou míseros seis gols em sete jogos. 

Mesmo com duas semanas cheias para melhorar, não se vê crescimento na forma de jogar, não tem uma jogada ensaiada, linhas compactadas e tudo que se construiu durante 2019, levou poucas rodadas para se perder. 

O elenco basicamente é quase o mesmo, exceto a Victor Ferraz que já não era mais titular quando deixou o clube, além de Gustavo Henrique que foi para o Flamengo e Marinho, contundido desde a primeira rodada.

Apesar de suspeito, me considero uma pessoa conservadora. Mas, baseado em tudo que não se vê no futebol santista, nestes dois meses, temos que reconhecer que a aposta na comissão técnica portuguesa, não deu certo e sinceramente, não vejo perspectiva de que isso possa acontecer. 

São sete jogos com um futebol abaixo da crítica. Nas últimas três semanas, o time teve tempo para trabalhar. Jogos apenas aos fins de semana. 

O time só melhorou um pouco em Itu, no segundo tempo, após levar os dois gols, quando pressionou a marcação no campo adversário, algo que a atual comissão não vê com bons olhos. Mas a confiança também já foi embora e nem diminuir a contagem foi possível.

O time tem dois jogos difíceis e importantes pela frente. O primeiro no outro sábado (29), diante do Palmeiras e na terça-feira (3), diante do Defensor y Justiça na estréia da Libertadores.

Errar é humano. Reconhecer isso, não.

FICHA TÉCNICA
ITUANO 2X0 SANTOS
Estádio: Novelli Júnior, Itu (SP)
Árbitro: Édina Alves Batista
Público e renda: 3.959 presentes / R$ 166.680.00
Cartões amarelos: Gabriel Taliari (ITU), Luizinho (ITU), Suéliton (ITU), Soteldo (SFC) e Jean Mota (SFC)
Gols: Yago 11' 1ºT (1-0) / Corrêa 26' 1ºT (2-0)
ITUANO: Pegorari, Pacheco, Suéliton, Ricardo Silva e Breno Lopes; Baralhas, Serrato, Corrêa; Yago (Gabriel Barros 41' 2T), Gabriel Taliari (Luiz Paulo 26' 2T) e Luizinho (Léo Duarte 31' 2T). Técnico: Vinicius Bergatin.
SANTOS: Everson, Pará (Lucas Venuto 33' 2T), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Pituca (Renyer - Intervalo), Sánchez; Artur (Jean Mota - Intervalo), Soteldo e Sasha. Técnico: Jesualdo Ferreira

Jesualdo Ferreira não consegue extrair resposta do elenco.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Everson: No primeiro, não vou culpar o camisa 22, porém, no segundo gol sofrido, o passo que ele dá para frente comprometeu o lance e tem participação direta no gol levado. Também, não é menos verdade que salvou o time no jogo passado. - 4,5
Pará: Não compromete na marcação, entretanto, não apoia. - 5,0
(Lucas Venuto): Enfim, jogou sua primeira partida em 2020, mas quando entrou a 'vaca já tinha deitado'. - 5,0
Lucas Veríssimo: Teve uma oportunidade de abrir o placar no começo da partida. Sentiu a falta de ritmo, porém é bom jogador e tem liderança. preciso de uma sequência. - 5,0
Luan Peres: Oscilou durante a partida, mas é uma das surpresas positivas boas, nesse início ruim de 2020. - 5,0
Felipe Jonatan: Sente falta de alguém que possa ajudá-lo na marcação, quando dobram a quantidade de jogadores em seu setor. Tenta apoiar, mas vive o dilema de subir e dar espaços.  - 5,0
Alison: Incansável, batalhador. Mas nem a sua garra foi capaz de colaborar para evitar a derrota. - 5,0
Pituca: Ainda não reeditou seu bom futebol da temporada passada. Melhorou um pouco, quando inverteu de posição com Alison. - 5,0
(Renyer): Apenas o terceiro jogo do camisa 43 que entrou cheio de vontade. Ainda desabrochando no time principal, pouco pode fazer. Mas o jovem é o menos culpado. O momento da equipe é que não tem colaborado para que o menino possa desempenhar. - 5,0
Sánchez: Mesmo abaixo da sua capacidade foi um dos poucos que ainda conseguiu produzir algo razoável no primeiro tempo. No segundo tempo, mesmo com o time tendo uma leve melhora, o uruguaio caiu de produção. - 5,5
Artur: Não foi bem sucedido no um contra um. Substituído no intervalo. - 5,0
(Jean Mota): Com sua entrada em campo, o time teve uma significativa melhora na primeira metade do segundo tempo. Depois, caiu com o restante da equipe após 27 minutos. - 5,5
Soteldo: Não rende 10% do que é capaz, quando vai para o meio e tenta enfileirar seus marcadores. - 5,0
Sasha: Novamente, a bola não chegou no comandante de ataque que jogou o tempo todo de co tas. - 5,0
Técnico: Jesualdo Ferreira: Não consegue dar padrão ao time. Equipe desorganizada e sem evolução. - 4,0

strutura.com.br


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by