FOTO CAPA

INTENSIDADE, VELOCIDADE E GOLEADA

Publicado às 08h10 desta segunda-feira, 4 de novembro de 2019.
O Santos soube utilizar bem o fator 'casa' em seu retorno durante duas rodadas e voltou a vencer no Campeonato Brasileiro. Após a vitória sobre o Bahia no meio de semana, o alvinegro da Vila Belmiro goleou o Botafogo pela 30a. rodada do Campeonato Brasileiro por 4 a 1. Os gols foram de Sasha, Marinho e dois de Soteldo. O resultado manteve o Peixe na terceira colocação agora com 58 pontos, a oito rodadas do fim da competição.

Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO informou em primeiríssima mão na noite de quinta-feira (31), Pituca retornou ao meio de campo, recuperado de entorse no tornozelo e foi a maior novidade em relação ao time que havia vencido no meio de semana. Ele entrou na vaga de Alison.

O alvinegro entrou ligado em campo e com dois minutos de jogo, o time da baixada já estava na frente do placar. Sasha, após cruzamento de Sánchez e desvio de Veríssimo abriu a contagem. Aos 14, Marinho 'rabiscou' e em jogada individual fez o segundo. Quando o final do primeiro tempo começava a se aproximar, após cobrança de escanteio, o time da estrela solitária diminuiu com Igor Cássio e as equipes foram para o intervalo com a vantagem mínimo do time da Vila por 2 a 1.

No começo do segundo tempo, o Santos passou alguns sustos. Em um cruzamento, da esquerda para direita o Botafogo, quase empatou, mas Jorge tirou perto da linha do gol.

Porém, bastaram dois ataques certeiros do time da baixada santista que demonstrou a intensidade na marcação e velocidade na transição das linhas que já não se via há algum tempo, para liquidar o jogo e transformá-lo em goleada e ambas com o venezuelano Soteldo finalizando para o fundo do rede. No terceiro gol, após um rebote, Marinho rolou para o camisa 10 e no último gol do jogo, contra-ataque fulminante, Soteldo recebeu de Sasha, tirou o marcador e no canto superior esquerdo de gatito, fechou a 'tampa do caixão dos cariocas'. O gol demorou para ser validado, pois o V.A.R foi acionado, mas não anulou a bela jogada que terminou com a conclusão do camisa 10.

Na próxima quarta-feira (6), o Santos viaja até Florianópolis, onde enfrenta o Avaí, na Ressacada. No fim de semana, o duelo será contra o Goiás no Serra Dourada. Dos 24 pontos que ainda tem a disputar, o Peixe necessita de mais 14 para ultrapassar a sua maior pontuação na era dos pontos corridos (de 2003 para cá), quando no vice-brasileiro de 2016 atingiu incríveis 71 pontos. Na oportunidade, o time era dirigido por Dorival Junior. Com 13 pontos atrás do líder Flamengo, o título há alguns jogos virou uma 'utopia'. O campeonato do alvinegro é a vaga a Libertadores de forma direta.

Por fim, duas observações. A primeira, a partida foi boa para o ataque desencantar. Nos últimos cinco jogos, o ataque havia marcado apenas três gols. Dois diante do Ceará e um contra o Bahia e a segunda, o péssimo público de pouco mais de 7 mil pagantes na Vila. O time faz ótimo campanha e infelizmente, o torcedor abandonou o clube e não prestigia.

FICHA TÉCNICA
SANTOS X BOTAFOGO-RJ
Estádio da Vila Belmiro - Santos (SP)​
Árbitro: Rodrigo Dalonso Ferreira (SC) 
Público e renda: 7.524 presentes/ R$295.827,50
Cartão amarelo: Marinho (SANTOS)
GOLS: Sasha 2' 1ºT (1-0) / Marinho 14' 1ºT (2-0) / Igor Cássio 32' 1ºT (2-1) / Soteldo 22' 2ºT (3-1) / Soteldo 23' 2ºT (4-1)
SANTOS: Everson; Pará, Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Pituca, Evandro (Jobson 20' 2ºT) e Sánchez; Marinho (Lucas Venuto 43' 2ºT) , Soteldo e Sasha (Tailson 31' 2ºT). Técnico: Jorge Sampaoli
BOTAFOGO-RJ: Gatito; Fernando, Carli, Gabriel e Yuri; João Paulo e Wenderson, Gustavo Bochecha (Alex Santana 12' 2ºT), Marcinho(Léo Valencia 29' 2ºT); Victor Rangel (Vinicius Tanque 12' 2ºT) e Igor Cássio. Técnico: Alberto Valentim 
Sasha marcou seu 11o. gol no Brasileiro e é o artilheiro do time no Campeonato.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Everson: Falhou no único gol botafoguense, após cobrança de escanteios. Acelerou o jogo com a saída rápida, inclusive com os pés e contribuiu nos contra-ataques dos últimos gols. - 5,0
Pará: Na parte defensiva 'arrumou' o lado-direito da defesa. Prefere apenas guardar posição. Dificilmente apóia. Vai só na boa. - 6,0
Veríssimo: Dos defensores que tem jogado é o mais rápido. Desvio a bola para Sasha marcar o primeiro gol. Seguro. - 6,5
Gustavo Henrique: Não deu espaços ao ataque botafoguense. - 6,0
Jorge: Estava na jogada do gol botafoguense e não disputou a bola com o autor do gol. Tecnicamente esteve bem, principalmente na segunda etapa. - 6,0
Pituca: Torno a dizer, apesar de melhorar a qualidade na saída de bola, gosto mais o camisa 21 atuando mais a frente e pisando na área. - 6,0
Evandro: Tem bom passe, mas falta velocidade para acelerar o jogo. Um pouco abaixo da atuação do meio de semana. Porém, me parece que é o mais novo titular da posição. Atleta que precisa de uma sequência para ter o ritmo de jogo ideal. Cheguei depois e abaixo nas condições físicas. - 5,5
(Jobson): Volante que distribuiu bem o jogo, mas me preocupa algumas bolas que ele perdeu no clássico diante do SCCP e nesta partida perdeu um, assim que entrou que gerou ataque perigoso ao adversário. - 5,5 
Sánchez: E pensar que o Santos foi o único dos últimos adversários do SCCP a não vencê-lo e esse 'senhor' que ficou de fora neste dia, não pode ficar fora do time. Dono do meio-campo. Distribuiu e 'acelerou' o jogo. - 6,5
Marinho: Um dos melhores do jogo. O camisa 11 arrastou diversas vezes, principalmente no primeiro tempo, a defesa botafoguense pelo lado direito do ataque. Marcou um bonito gol. - 7,0
(Lucas Venuto): Entrou pouco antes do acréscimo. - SEM NOTA
Soteldo: Não fez bom primeiro tempo, mas voltou melhor no segundo tempo e além e puxar bons contra-ataques, fez dois gols. O último muito bonito. - 7,0
Sasha: No lugar certo, no tempo certo. Presença de área muito boa no primeiro gol. Voluntarioso ao longo do jogo e assistência para Soteldo marcar o último gol. - 7,0
(Tailson): Jogou cerca de 15 minutos com os acréscimos. Pouco pegou na bola. - SEM NOTA
Técnico: Jorge Sampaoli: O tempo é o senhor da razão. Começou a repetir o time (só Pituca não foi titular diante do Bahia) e o grupo começa ganhar confiança e principalmente entrosamento. Time mostrou intensidade que teve no começo do ano e também no início do Brasileiro e há algum tempo não era vista. - 6,5

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by