FOTO CAPA

VICE-LÍDER DENTRO DE CAMPO, PORÉM, ANTEPENÚLTIMA MÉDIA DE PÚBLICO

Publicado, às 14h30 deste quinta-feira, 18 de julho de 2019.
O Santos faz até o momento um ótimo Campeonato Brasileiro. O time dirigido por Jorge Sampaoli vem de quatro vitórias consecutivas e é o vice-líder, três pontos apenas atrás do primeiro lugar, o Palmeiras. Paralelamente a isso, o torcedor alvinegro que é o quarto colocado em números absolutos nas redes sociais entre os times da série A, não mantém os mesmos registros quando o assunto é a média de público nessas 10 rodadas. O alvinegro é o antepenúltimo lugar com média de 10.779 pagantes.

Nesta semana tenho  registrado nos locais que trabalho e redes sociais, a  minha total indignação com a falta de reconhecimento de parte da imprensa  com a  insistência na polarização da disputa entre o primeiro lugar, o alviverde da capital paulistana e o terceiro lugar, o rubro-negro carioca. O Peixe é o segundo lugar da competição com 23 pontos contra 20 do time da cidade maravilhosa. O atual campeão e líder do Brasileiro 2019 em 10 rodadas tem 26.

Para não dizer que não falei das flores, o octa-campeão brasileiro não tem um estádio que lhe dê condições de ser um dos líderes na média de público, porém, com o esforço de seu torcedor é perfeitamente possível melhorar esses números, principalmente se criar um mecanismo de os proprietários de cadeiras cativas que não forem utilizar, puderem receber um valor de um ingresso que possa ser vendido para outra pessoa usar. O ticket médio cobrado pelo Peixe nestas rodadas é de R$ 33,00.

As melhores média de público são do Flamengo com 50.304, SCCP 35.323 e Palmeiras com 31.468, respectivamente. Em quarto está o São Paulo com 31.431, seguido pelo Fortaleza com 26.313 e Internacional com 25.989. Em sétimo está o Fluminense com 23.933, números parecidos com o do Bahia 23.105, Ceará 22.649 e Cruzeiro com 19.967.

Na 11a. posição entre melhores médias de público está o Botafogo-RJ, próximo adversário do Peixe, no domingo (21), às 11h, no estádio do Engenhão. O cacula da série A - CSA é o 12o. com 16.892. Em seguida, pela ordem vem Atlético-MG com 16.526, o Goiás tem 15,416 e o Vasco é dono de 14.921. O 16o. é o Grêmio com 14.392 e posteriormente vem o Atlético-PR com 14.009. O Peixe vem apenas em 18o., a frente dos catarinenses Avaí, último colocado na classificação geral com média de 7.655 e Chapecoense com 6.817. 

Como mandante, o Peixe teve seu melhor público no empate diante do Internacional, no fim de Maio, na Vila Belmiro com 12.756 pagantes. Os outros jogos que o alvinegro atuou em casa até o momento foram diante de Fluminense e SCCP também no estádio Urbano Caldeira, na Baixada Santista e Vasco da Gama, no Pacaembu.

Entendo, a recessão que o pais atravessa, numa crise econômica e financeira que parecem intermináveis e o fato do Santos ter perdido a oportunidade de também construir sua Arena, às vésperas da Copa do Mundo que aconteceu no país, em 2014. Tanto o templo sagrado do futebol mundial por sua história, a Vila Belmiro, como o melhor estádio localizado em São Paulo, o Pacaembu, não oferecem o conforto que outros concorrentes tem a disposição dos seus sócios e torcedores.  

Porém, para poder contratar, manter um time competitivo, que no momento não tem um patrocinador master e não goza de números parecidos na distribuição das cotas de TV em relação a Flamengo, SCCP e Palmeiras, é necessário que seu torcedor compareça em maior número, até para despertar a atenção de possíveis interessados pela marca. Portanto,  se faz necessário que o público saia dos teclados do celular, notebooks e computadores e vá incentivar sua equipe de fato, no estádio.

O clássico Santos x SCCP teve 11.831 pagantes.
As receitas de bilheteria representam menos de 10% do orçamento do clube anualmente, mas o fato, não é só esse. O incentivo e o carinho do seu torcedor, são combustíveis importantes na luta pela realização e conquista de um sonho e o fim de um jejum de 15 anos, numa ainda 'improvável' conquista contra as poderosas finanças com orçamentos estruturados bem acima da capacidade do Glorioso da Vila, que no momento mais gasta do que arrecada. Ou seja, torcedor, aquele que puder, deixe de acompanhar o seu clube pela TV e vá ao Estádio, incentivar seu time que tem números de campeão até o momento com 77% aproveitamento dos pontos (os campeões normalmente tem 72% nos últimos anos) e uma derrota somente em 10 partidas. 

strutura.com.br


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by