FOTO CAPA

SANTOS 100% NO CAMPEONATO E NA VILA BELMIRO

Publicado às 00H01 desta sexta-feira, 
O Santos conseguiu mais um importante resultado ao vencer o Fluminense por 2 a 1, no início da noite desta quinta-feira (2), no Estádio Urbano Caldeira, na Baixada Santista em partida válida pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. O alvinegro praiano ao lado do São Paulo e do Atlético Mineiro, são os únicos times que conseguiram vencer os dois jogos que realizaram na competição até aqui. O Peixe também colecionou sua quarta vitória, em quatro jogos na Vila famosa - Ferroviária, Atlético-GO, Vasco e Fluminense. Os gols da vitória foram de Sasha e Sánchez. Pedro descontou para o time carioca.

Sampaoli manteve a estrutura da base utilizada diante do Grêmio, mas trocou algumas peças. Ele conservou a trinca de zagueiros com Veríssimo mais pela direita e de vez 'em nunca' Sánchez ocupava o setor como ala. Rodrygo entrou aberta pelo mesmo lado na frente e Victor Ferraz, Felipe Jonatan e Jean Lucas ficaram como opções no banco. Jorge também foi outra novidade pelo lado esquerdo defensivo. 

Como o time do Fluminense, não tem bom material humano, mas tem um sistema de jogo, o Santos tinha muitas dificuldades de criar. Até porque Jean Mota que normalmente é o responsável em armar a equipe foi sacrificado 'duplamente' - pois foi recuado como segundo volante e o camisa 41 ainda sofre com dores em um dos joelhos que o incomodam, há algum tempo, revelado na entrevista ao canal 'Pronto, eu falei", no YouTube na última terça-feira (28), deixou a função de armador que cabia a Sánchez, que tem intensidade, mas não é coordenador de jogadas. A bola pouco chegou em Soteldo e no 'rayo' nos primeiros 45 minutos e Rodolfo goleiro do Flu foi pouco exigido.

Na segunda etapa, Sampaoli abriu mão do terceiro zagueiro e sacou Felipe Aguilar, o mais esgotado fisicamente da trinca e com dores para recolocar Victor Ferraz na equipe. O ala que é um dos armadores da equipe 'por dentro' (pelo meio) deu melhor condição para deixar Rodrygo brilhar e o futuro jogador do Real Madrid foi o grande nome da segunda etapa. O camisa 11 deu início a jogada do primeiro gol marcado por Sasha que tem jogado 'espetado' como pedimos há algum tempo e depois de bela jogada de Pituca, Sánchez aumentou o placar.

Quando o resultado do jogo parecia que ficaria dessa forma, Pedro, o goleador da tricolor, diminuiu para os cariocas. Apesar de Rodrygo brilhar no segundo tempo foi a vitória do coleitvo de um time que se ajusta com o passar do tempo e começa a ter padrão, muito pelo desempenho do seu técnico, anos luz a frente da grande maioria do país.

Eu já havia dito na Rádio 9 de Julho (São Paulo) e torno a repetir aqui, o Santos tem tudo para largar bem nesses quatro primeiros jogos. Já saiu com triunfo em dois - Grêmio e Fluminense e tem plenas condições de voltar vitorioso do nordeste, domingo (5), diante do CSA, em Alagoas e no outro fim de semana(12), diante do Vasco, no Pacaembu.

O SCCP provou em 2017 que campeonato longo, com um time que não é favorito, como é o Santos de hoje, se ganha assim, largando bem nas primeiras rodadas para ter uma vantagem significativa, quando a oscilação que todo time passa, vier. 

Na próxima rodada em Maceió, Dérlis que cumpriu suspensão fica à disposição.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 2x1 FLUMINENSE
Estádio de Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Público / Renda: 10.564 pagantes / 294.075,00
Cartões amarelos: Soteldo, Rodrygo, Pituca (SFC), Airton, Allan (FLU)
GOLS: Sasha, 19, 2º T (1-0), Sánchez, 27,2º T (2-0),Pedro, 39, 2º T (2-1) 
SANTOS: Vanderlei; Lucas Veríssimo, Aguilar (Victor Ferraz, intervalo) e Gustavo Henrique; Carlos Sánchez (Cueva, 36, 2º T), Diego Pituca, Soteldo, Jean Mota (Jean Lucas, 15, 2º T) e Jorge; Rodrygo e Eduardo Sasha. Técnico: Jorge Sampaoli
FLUMINENSE: Rodolfo; Gilberto, Nino, Matheus Ferraz e Caio Henrique; Airton (Pedro, 21, 2º T), Bruno Silva e Allan (Pablo Dyego, 43, 2º T); Luciano, Yony González (Léo Arthur, 27, 2º T) e Everaldo. Técnico: Fernando Diniz.

Quatro jogos e quatro vitórias no alçapão da Vila em 2019.

NOTAS DOS JOGADORES DO
SANTOS
Vanderlei: Pouco exigido. Quando chamado deu conta do recado. Ainda tem um dificuldade na saída com os pés na pressão adversária. - 6,0
Lucas Veríssimo: Bem na marcação quando jogou quase que de ala na marcação pela direita e melhor ainda quando voltou para a zaga central na composição da segunda etapa com dois defensores. - 6,5
Aguilar: Bem na marcação e nas antecipações, seu forte. É o defensor mais rápido do elenco. Saiu no intervalo pelo desgaste e com dores. - 6,0
(Victor Ferraz): Melhorou bastante a qualidade no passe da equipe. - 6,5
Gustavo Henrique: Fazia uma partida regular, mas não estava tão bem posicionado no alto, no gol de Pedro marcado pelo time carioca. Independente desse lance, vive bom momento. - 5,5
Sánchez: Não conseguiu ser o armador que o time necessitava na primeira etapa. Quando deixou a função para o segundo tempo, cresceu e ainda marcou um gol de Joelho. - 6,5
(Cueva): Jogou pouco mais de 10 minutos. Ainda assim, o suficiente para perceber que o time joga numa rotação e o peruano em outra. Segue devendo e muito. - 5,5
Pituca: Regular na marcação e deu o bote certo para roubar a bola de Bruno Silva e ganha confiança para chutar de fora da área e a bola bater na trave no segundo gol. - 7,0
Soteldo: Alguns dribles curtos no primeiro tempo, mas abaixo da atuação exuberante de domingo, no Sul do país, diante do Grêmio. - 6,0
Jean Mota: Tem de dar um desconto ao melhor jogador do Paulistão, pois jogou mais recuado do que de costume, pois tira suas principal virtude, a de 'pisar na área' e realizar o chute forte de média distância. E além disso, tem sido sacrificado, pois sente dores em um dos joelhos quando realiza o giro. Foi substituído. - 6,0
(Jean Lucas): Sobra fisicamente. Quase marcou um lindo gol de fora da área. - 6,5
Jorge: Um primeiro tempo discreto e melhorou na segunda etapa. Ainda não está com ritmo de jogo. Muito tempo parado na Europa. Se não tem a marcação como primor, com a bola nos pés, percebe-se que é diferenciado. - 6,5
Rodrygo: Um primeiro tempo de razoável para bom e um segundo tempo brilhante. Com a entrada de Ferraz não tinha tanta obrigação defensiva e foi para cima dos defensores do tricolor carioca. Levou a melhor em quase todas. Ia marcando um gol lindo, mas Rodolfo defendeu, na segunda etapa. Participou dos dois gols. Começou a jogada do segundo e deu a assistência de Sasha no primeiro. - 7,5
Sasha: De dispensado a imprescindível. Tem aproveitado a oportunidade. Não é craque. Mas é voluntarioso e inteligente por isso costuma se posicionar bem. Segundo gol em dois jogos. - 7,0
Técnico: Jorge Sampaoli: Tem acertado ao 'rodar o elenco' pois com a intensidade que o Santos joga não aguenta 38 rodadas com a mesma base de um time titular. Foi feliz ao recolocar Ferraz no time. Com isso, o futebol de Rodrygo e Sánchez cresceram e proporcionaram os gols da segunda etapa. - 7,0




 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by