FOTO CAPA

VANTAGEM E ANGÚSTIA

Publicado às 10h40 desta quinta-feira, 18 de abril de 2019.
O Santos deu um importante passo para a classificação as oitavas de final da Copa do Brasil ao vencer o Clube de Regatas Vasco da Gama por 2 a 0, em jogo de ida, nesta quarta-feira (17) na Vila Belmiro. Os gols foram do 'rayo' Rodrygo e de Jean Mota que voltou a balançar a rede após um mês. 

Com esse resultado, o Peixe pode até perder por um gol de diferença, no Rio de Janeiro, que ainda assim, estará classificado a próxima etapa, quando entram os representantes brasileiros na edição deste ano na Libertadores da América.

Com Soteldo aberto pela esquerda e Rodrygo na direita com Dérlis improvisado de centroavante, o alvinegro que privilegia a posse de bola (60% durante o jogo) tratou de mandar o time ao ataque desde o primeiro minuto. Entretanto, a bola 'transitava' a grande área cruz-maltina e não tinha ninguém para exigir uma grande defesa do arqueiro Gabriel Féliz do Vasco. 

Chega a ser angustiante a falta de um 'especialista' em fazer gols no ataque santista. No elenco, tem os jovens Kaio Jorge, Felippe Cardoso e Yuri Alberto, além de Sasha, mas certamente com uma referência 'espetada' na área adversária, seria uma goleada impiedosa diante de um adversário frágil e de qualidade técnica duvidosa.

Os gols saíram apenas na segunda etapa e dão uma certa tranquilidade para a volta no estádio São Januário, semana que vem. Porém, o avanço a próxima fase poderia ter sido 'sacramentado' já no jogo de ida.

Para o duelo do dia 24, o técnico Jorge Sampaoli terá à disposição, o peruano Cueva, que cumpriu suspensão após ser expulso diante do Atlético-GO.

O futebol você precisa de desempenho e resultado. O segundo, ainda não aconteceu para o time da Vila, neste semestre, mas o Santos dá mostra que tem um estilo de jogo segmentado, bem executado pelo seu técnico Jorge Sampaoli e pode colher frutos disso no Campeonato Brasileiro. Porém, para não dizer que não falei das flores, o resultado poderia vir com mais facilidade se tivesse o 'especialista' na função de fazer gols.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 2 x 0 VASCO
Estádio da Vila Belmiro, Santos (SP)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e Leirson Peng Martins (RS)
Cartões amarelos: Willian Maranhão (VAS); Rodrygo e Gustavo Henrique (SFC)
Público e renda: 8.659 pagantes / R$ 388.682,50
GOLS: Rodrygo, 2'/2°T (1-0) e Jean Mota, 20'/2°T (2-0)
SANTOS: Éverson, Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Diego Pituca; Alison, Carlos Sánchez (Eduardo Sasha, 40'/2°T) e Jean Mota (Jean Lucas, 34'/2°T); Rodrygo, Soteldo e Derlis González (Jorge, 22'/2°T). Técnico: Jorge Sampaoli.
VASCO: Gabriel Félix; Cáceres (Claudio Winck, 33'/2°T), Werley, Ricardo Graça e Danilo Barcelos; Willian Maranhão (Maxi López, 26'/2°T), Raul e Lucas Mineiro; Yago Pikachu (Lucas Santos, 23'/2°T), Yan Sasse e Marrony. Técnico: Alberto Valentim.

Rodrygo abriu o placar e após ser substituído fez a festa da irmã e dos torcedores que aproveitaram para tirar foto com o jogador.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Éverson: Uma boa defesa em toda a partida. Vasco abdicou de atacar. - 6,0
Victor Ferraz: Guardou posição e pouco apareceu no apoio 'por dentro'. - 6,0
Felipe Aguilar: Um dos melhores zagueiros na atualidade jogando no Brasil. Só não é badalado porque não joga em um time da capital, que a mídia olha com mais carinho. Atuando no SCCP, no Flamengo ou Palmeiras, seria ovacionado, assim como foi Balbuena por exemplo e o colombiano tem muito mais recursos. - 6,5
Gustavo Henrique: Assim como seu companheiro de setor, bem na marcação. No fim da partida se aventurou como meio-campista e foi a frente. - 6,5
Pituca: Não apareceu tanto para o jogo como em outras oportunidades. Bem na marcação defensiva. - 6,0
Alison: Um primeiro tempo bem constante. Marcou bem e foi o melhor meio-campista na primeira etapa. Tentou colaborar na construção das jogadas. - 6,5
Sánchez: Alternou bons e alguns momentos discretos na partida. Nos momentos em que apareceu é peça importante pois dá o ritmo ao time. - 6,0
(Sasha): Pouco abastecido pelo meio-campo santista. Quando entrou o jogo já estava decidido. Teve uma única chance para marcar. - 6,0
Jean Mota: O que o Sampaoli colocou na água dele? É outro jogador após trabalhar com o argentino. Confiança recuperada, aparece mais para o jogo com personalidade e marcou um belíssimo gol. - 7,0
(Jean Lucas): Entrou para dar mais proteção ao meio e a defesa. Deu um belo drible entre as pernas do marcador carioca. - 6,0
Rodrygo: Tem muito recurso. Deu trabalho a defesa com seus dribles curtos e teve faro de artilheiro, quando precisou. Um dos melhores do jogo. - 7,0
Soteldo: Apesar da correria empregada desde o primeiro minuto não conseguia a objetividade necessária para concluir a jogada ou assistir um companheiro durante a primeira etapa. No segundo tempo foi bem mais produtivo, deu assistência e realizou sua melhor partida com a camisa santista. - 7,0
Derlis González: É o grande sacrificado no esquema sem centroavante. Joga fora de posição. É muito mais jogador quando atua pelo lado do campo. - 6,0
(Jorge): Pela informação que já publiquei aqui, antes mesmo dele entrar na frente diante dos goianos do Atlético, Jorge não vai atuar de ala e sim como coordenador de jogadas ou extrema pelo lado de campo. Muita habilidade. Precisa readquirir ritmo de jogo. - 6,0
Técnico: Jorge Sampaoli: O time tem uma cara e deve-se muito ao treinador. Teimoso em alguns instantes, mas seu saldo é altamente positivo. - 6,5






 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by