FOTO CAPA

FALTAVA A 'ÚLTIMA BOLA' E ELA VEIO NOS ACRÉSCIMOS

Publicado às 21h40 deste sábado, 9 de fevereiro de 2019.
O Santos conquistou sua quinta vitória em seis partidas no Paulistão. Na tarde deste sábado (9), diante de 19 mil presentes (16 mil pagantes), o alvinegro venceu o Mirassol nos acréscimos por 1 a 0 com o gol do 'artilheiro' do campeonato Jean Mota. Foi o quinto gol dele no estadual. O Glorioso da Vila soma 15 pontos e lidera com folga a competição.

O técnico Sampaoli colocou um time alternativo com cinco alterações. As mais significativas foram as estreias do goleiro Evérson e do meia Cueva, além de Sasha que não estava inscrito e que atuou alguns minutos no meio de semana, na Copa do Brasil. O argentino voltou a escalar o time com dois zagueiros. 

Durante os 15 primeiros minutos, o Santos demonstrou novamente as linhas compactas, a marcação alta com os defensores a frente da demarcação que divide o campo, porém, a marcação do time do interior encaixou e o Peixe não conseguia criar jogadas para oferecer perigo contra a meta do Mirassol.

No segundo tempo, mesmo sem realizar troca de jogadores no intervalo, Sampaoli, que faz um bem danado ao futebol brasileiro, arrumou o time que passou a criar demais. Aí apareceu outro problema: A 'última bola' não entrava. O alvinegro desperdiçou um 'caminhão' de chances.

Quando tudo caminhava para o primeiro empate do time no Campeonato Paulista, o uruguaio Sánchez invertou a bola para Soteldo. O venezuelano, que não fazia mal jogo, mas pecava nas 'tomadas de decisão' rolou para Dérlis. O atacante paraguaio, o mais produtivo do time, que havia entrado no segundo tempo fez maravilhosa jogada com dois dribles e mandou para a pequena área. Se González é o mais decisivo, Jean Mota até aqui, tem sido o mais decisivo e marcou o único gol do jogo, aos 49 minutos do segundo tempo. Foi o quinto dele em seis jogos e a 'justiça' no placar do 'próprio da municipalidade paulistana' foi feita. 

O elenco santista não volta para a Baixada. Os jogadores permanecerão na capital em um hotel e nas primeiras horas de domingo (10), embarcam para o Uruguai, onde na terça-feira (12) enfrentarão o River pela Copa Sul-Americana. Cueva é desfalque. O peruano cumpre suspensão, ainda da época que defendia o São Paulo e não poderá ajudar o time de Sampaoli, neste jogo de ida.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 0 MIRASSOL
Estádio do Pacaembu - São Paulo
Árbitro: Douglas Marques das Flores (SP)
Público/renda: 16.634 pagantes (19.261 presentes)/ R$ 522.527,00
Cartões amarelos: Lelê (MIR), Riccieli (MIR), Aguilar (SFC)
GOL: Jean Mota 49’/2ºT (1-0)
SANTOSÉverson; Matheus Ribeiro, Aguilar, Luiz Felipe (Gustavo Henrique 7’/1ºT) e Orinho; Yuri e Pituca; Jean Mota, Soteldo e Cueva (Sanchez 19’/2ºT); Sasha (Derlis (8’/2º T) Técnico: Jorge Sampaoli
MIRASSOL: Tiago Cardoso, Daniel Borges, Riccieli, William Alves, Leandro Amaro e Carlos Renato; Léo Baiano, Wellington Simião, Lelê (Carlão 15’/2ºT) e Jean Carlos (Maílton 37’/2ºT); Rodolfo (Zé Roberto 21’/2ºT) Técnico: Moisés Egert.


Dérlis é o atacante mais produtivo do Santos em 2019. Entrou e colocou fogo no jogo.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Éverson: Demonstrou habilidade com os pés. Não foi exigido devido o adversário abdicar de atacar. - 6,0
Matheus Ribeiro: Aproveitou a oportunidade obtida. Ao contrário de sua primeira passagem pelo clube em 2017, quando era tímido, foi a frente, tentou ajudar no apoio e nos cruzamentos e foi bem em sua reestreia pelo clube. - 6,5
Aguilar: Ainda não é o zagueiro firme que se destacou no Atlético Nacional da Colômbia. Aos poucos se adapta ao estilo de jogo do Brasil. - 6,0
Luiz Felipe: O ótimo defensor técnico do time está 'divorciado' com a 'sorte'. Não é a primeira vez que algum problema impede a sequência do zagueiro santista. Aos sete minutos, o dono da camisa 2 pediu substituição. - SEM NOTA
(Gustavo Henrique): O zagueiro que era apenas rebatedor, ganhou confiança e curte até de armador e atacante nas mãos de Sampaoli. Vive bom momento. - 6,5
Orinho: Teve alguns lampejos, mas ao contrário de Matheus Ribeiro não aproveitou a nova chance. -  5,0
Yuri: Não comprometeu na marcação mas errou alguns passes curtos. - 5,5
Pituca: Vai crescer com Cueva no time. Fizeram boas trocas de passes e ainda arriscou chutes de fora de área perigosos. - 6,5
Jean Mota: Vive sua melhor fase na carreira. Procurou realizar jogadas pelo lado esquerdo no primeiro tempo. Deu uma sumida no começo da etapa final, mas tava no lugar certo, na hora certa para desempatar o jogo. É o jogador mais decisivo do Santos no começo de temporada. Cinco gols em seis jogos. - 7,0
Soteldo: Perdeu um gol incrível, tomadas de decisões erradas, mas buscou jogo o tempo todo. - 5,5
Cueva: Sabe jogar, isso não se discute. O problema do peruano, nunca foi dentro de campo. Vai dar qualidade ao meio-campo. - 6,5
(Sanchez): Entrou na segunda etapa e deu mais qualidade ao meio-campo, além de dar mais velocidade ao jogo. Bela inversão de bola no começo do lance que originou o gol. - 6,5
Sasha: Ainda sente a falta de ritmo. Procurou abrir espaços aos companheiros. Foi substituído. - 6,0
(Derlis): Se Jean Mota é o mais decisivo, Dérlis é o mais produtivo. Corre, rápido, ajuda a recompor e finaliza bem. Foi dele a assistência para o gol de Jean Mota. - 7,0
Técnico: Jorge Sampaoli: Arrumou o time no intervalo. Equipe sentiu falta de um finalizador nato. - 7,0


strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by