FOTO CAPA

RESPEITEM A HISTÓRIA DO SANTOS

Publicado às 22h00 deste domingo, 13 de janeiro de 2019.
Em amistoso disputado na Arena de Itaquera, o Santos empatou com o SCCP em 1 a 1. Os gols da partida foram marcados por Gustagol para os donos da casa e Pedro Henrique (contra) para o Peixe. 

Após a partida, o técnico santista Jorge Sampaoli que estreou no comando da equipe, demonstrou a sua insatisfação com a demora e a falta de reforços que solicitou a direção santista. O treinador foi respeitoso com a história do clube para justificar suas reivindicações.
Quando vim para cá, cheguei para um clube grande, Na Argentina, na Espanha ou no Chile, eu via o Santos como grande. Não posso ver como pequeno. Se não posso estabelecer o que sinto, tenho que expressar o que realmente vejo. Todas as conversas com presidente e direção são para isso, exigindo a todos que estamos num clube grande e há que respeitar.”, disparou Sampaoli, em entrevista coletiva.
O treinador argentino que desembarcou há 10 dias na Vila Belmiro, não participou do almoço que aconteceu com as duas delegações. Durante a coletiva, o comandante técnico justificou a ausência em razão de fortes dores de cabeça e por isso, segundo ele, não compareceu para poder descansar e estar mais disposto para trabalhar na partida.
"Quando eu vim (para o Brasil) foi para uma equipe com história, que me motivou e temos que estar à altura da história de Pelé e Neymar, com equipes grandes, que proponham. Essa expectativa foi expressada ao presidente e ele está em busca de chegar os nossos pedidos. Trabalhamos com isso e que a curto prazo com os trabalhos feitos, possamos cumprir os objetivos e o Santos tenha a chance de competir com clubes de elencos já formados. Queremos que o que pedimos em curto prazo se concretize. Que isso ocorra pronto e que tenhamos o que o Santos merece” finalizou o técnico demonstrando todo seu descontentamento.
O presidente santista José Carlos Peres, na área de entrevista discordou quando perguntado se Sampaoli estava descontente. O mandatário preferiu dizer que é fruto da ansiedade do comandante alvinegro:
"Nós trouxemos ele para fazer uma mudança de cultura no clube. Ele nunca demonstrou insatisfação. Tem pressa, sim."
Sobre a partida, vimos um Santos que valorizou bastante a posse de bola e teve 70% do controle do jogo, mas também não é menos verdade que falta qualidade no material humano para quebrar as linhas tanto pelo meio, como pela beirada do campo.

O treinador deixou no ar que se os reforços que ele pediu, não chegarem, a estadia dele em território brasileiro, pode ser abreviada. 

Que o clube tem problemas financeiros, é fato, mas vai ter que se virar para dar o mínimo do que o argentino exige, se desejar que ele permaneça.

No próximo sábado (19), na Vila, O Peixe enfrenta a Ferroviária pela abertura do Estadual. Por enquanto, o alvinegro realizou apenas a contratação do meia Soteldo. O presidente José Carlos Peres prometeu pelo menos mais dois estrangeiros nesta semana.


Sampaoli respeita a história do clube e quer santos como tal.

FICHA TÉCNICA
SCCP 1 X 1 SANTOS
Arena de Itaquera - São Paulo
Árbitro: Vinícius Furlan (SP)
Público e renda: 32.954 pagantes / R$ 868.451,00
Cartões amarelos: Ramiro, Thiaguinho e Araos (SCCP) Victor Ferraz, Guilherme Nunes, Daniel Guedes, Yuri Alberto (SFC)
Gols: Gustagol (1-0), aos 4'1ºT; Pedro Henrique (contra) (1-1), aos 24'1ºT; 
SCCP: Cássio (Walter, aos 16'2ºT); Fagner (Michel Macedo, aos 16'2ºT), Pedro Henrique (Marllon, aos 16'2ºT), Henrique (Léo Santos, aos 16'2ºT) e Danilo Avelar (Douglas, aos 16'2ºT); Richard (Thiaguinho, aos 16'2ºT) e Ramiro (Araos, aos 16'2ºT); André Luis (Marquinhos, aos 16'2ºT), Jadson (Mateus Vital, aos 16'2ºT) e Sornoza (Gustavo Silva, aos 16'2ºT); Gustagol (Roger, aos 16'2ºT). Técnico: Fábio Carille.
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz (Daniel Guedes, aos 30'2ºT), Luiz Felipe (Fabían Noguera, aos 30'2ºT), Gustavo Henrique e Orinho (Yuri, aos 30'2ºT); Alison (Guilherme Nunes, aos 30'2ºT), Pituca (Copete, aos 21'2ºT) e Jean Mota (Arthur, aos 30'2ºT); Dérlis González (Sánchez, aos 15'2ºT), Felippe Cardoso (Sasha, aos 30'2ºT) e Bruno Henrique (Yuri Alberto, aos 21'2ºT). Técnico: Jorge Sampaoli.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Fez uma linda defesa em cabeçada de Gustagol. - 7,0
Victor Ferraz: Teve dificuldades quando tinha que ter velocidade na marcação. Tem muita técnica no apoio por dentro (pelo meio). - 6,0
(Daniel Guedes): Entrou nos minutos finais, mas ainda levou um cartão. - 5,0
Luiz Felipe: Tem ótima saída de jogo, mas perdeu o tempo da bola em dois cruzamentos a Gustagol, inclusive no gol do adversário. - 5,0
(Fabían Noguera): Acertou três longos lançamentos acertados. Recompôs bem a defesa. Dos jogadores que estavam no banco foi o que entrou melhor. - 6,0 
Gustavo Henrique: Estava junto com Pedro Henrique no gol de empate do Santos. Fez o simples. - 6,5
Orinho: Dificuldades na marcação, mas vou fazer uma ressalva, em alguns momentos faziam dois em cima dele porque Bruno Henrique não recompunha. - 5,0
(Yuri): Pouco jogou. Limitou-se a toques laterais. - 5,0
Alison: A grande surpresa na escalação no lugar de Sanchez. Bem na marcação e na troca de passe curto. - 6,0
(Guilherme Nunes): Também entrou e em seguida levou um cartão ao dar uma entrada mais forte. - 5,0
Pituca: Pisava na bola para diminuir o ritmo de jogo. Seguro na troca de passes. - 6,5
(Copete): Jogador voluntarioso. Ajudou na recomposição. Sem ações ofensivas. - 5,5
Jean Mota: Bom primeiro tempo. Como não é craque, quando precisa uma jogada com um pouco mais de criatividade, acaba tendo mais dificuldade, mas não comprometeu. - 6,5
(Arthur): A bola chegou uma única vez, mas perdeu o tempo da bola na conclusão. - 5,0
Dérlis González: Foi mais assistente de lateral de Victor Ferraz do que agudo no ataque. Peixe era penso e atacou mais pelo outro lado, o esquerdo. - 6,0
(Sánchez): Deu mais qualidade no passe. - 6,0
Felippe Cardoso: Movimentou-se bastante, mas não teve nenhuma chance real de concluir em gol. - 5,5
(Sasha): Tentou abrir espaços aos companheiros. Não foi bafejado pela sorte, pois a bola quase não chegou. - 5,5
Bruno Henrique: Não colaborou na recomposição e sobrecarregou Ourinho. Tentou, mas não estava em tarde inspirada. - 5,5
(Yuri Alberto): Fiquei com a sensação que estava ansioso. Entrou com muita volúpia. Levou um cartão desnecessário.  Teve um gol anulado.- 5,5
Técnico: Jorge Sampaoli: Apesar de pouco tempo de trabalho, vimos um Santos que valoriza a bola, joga mais aproximada, inclusive com marcação na linha alta, algo inimaginável, no ano passado, por exemplo. Não tenho dúvida que conseguirá dar padrão ao time e fará uma equipe competitiva, se lhe derem alguns reforços. - 7,0

strutura.com.br



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by