FOTO CAPA

MELANCÓLICO FIM DE TEMPORADA

Publicado às 08h15 desta quinta-feira, 22 de novembro de 2018.
O Santos está prestes a completar um mês sem vitória. A última aconteceu em 27 de outubro, diante do Fluminense por 3 a 0. Nesta quarta-feira (21), diante do Botafogo-RJ, na Vila Belmiro, pela antepenúltima rodada do Brasileiro, a equipe não saiu de um empate em 1 a 1. Foi o quinto jogo seguido sem um triunfo na competição. Nesse período foram quatro derrotas  e apenas um empate. Com o resultado e a vitória do Atlético-MG sobre o Internacional-RS, matematicamente o alvinegro praiano não tem mais nenhuma chance de ir a Libertadores da América e cumprirá tabela nos dois jogos que lhe restam diante de Atlético-MG e Sport-PE.

O técnico Cuca surpreendeu na escalação, ao colocar desde o início da partida, o atacante Felippe Cardoso, que só tinha atuado 20 minutos diante do São Paulo e se recuperou de uma lombalgia. O goleiro Vanderlei com virose deu lugar a Vladimir na meta santista e Luiz Felipe retornou a quarta zaga. 

Apenas 3.620 testemunhas compareceram ao estádio Urbano Caldeira para acompanhar o jogo que foi 'morno'. O Peixe saiu na frente com Rodrygo aos 35 do primeiro tempo, após um bate-rebate dentro da área e o time da estrela solitária, empatou na etapa final com Brener, após o time da Vila voltar bem disperso do intervalo.

Na etapa final, os santistas reclamam de dois pênaltis. Um toque de mão dentro da área e uma dividida entre Igor Rabelo e Gabriel Barbosa. Por falar, no atacante santista, ele teve uma expulsão fake. O atrapalhado Heber Roberto Lopes lhe deu cartão vermelho, após uma dividida com Valência e o botafoguense levar a pior, ao ser atingido no rosto. Porém, após conversar com o assistente, o árbitro voltou atrás e deu apenas um cartão amarelo.

Como não existe nada ruim que não possa piorar, na entrevista coletiva ,Cuca, bem abatido, revelou uma das razões do por quê, não ficará no comando do clube, em 2019. O Blog do ADEMIR QUINTINO, desde o dia 10 de novembro, banca a informação de que o técnico, apesar de ter contrato até dezembro do ano que vem, não ficará após o termino desta da temporada. Perguntado se tinha alguma doença, já que o presidente do clube José Carlos Peres disse em entrevista, que o comandante técnico só deixaria o Santos, por esse motivo, o treinador disse o seguinte:
"Eu tenho um problema de saúde, que possivelmente vai me tirar do Santos,mas não era para ele (presidente) ter falado."
Cuca, descobriu um problema no cardíaco e será submetido a uma cirurgia. Diante do Cruzeiro, em Belo Horizonte, o comandante técnico, teve uma ameaça de infarto e realizou exames que detectaram o problema. 

O final de temporada do Santos está como foi o ano, melancólico, com o jejum de vitorias, sem mais nenhum objetivo na competição, problemas pessoais indevidamente expostos, como o da doença do técnico Cuca, em um 2018 que não deixará nenhuma saudade. Por tudo que aconteceu, não que tenha que ser comemorado, absolutamente, porque pela tradição e a grandeza da instituição não permite isso, mas menos mal que o time permanece na primeira divisão e não foi rebaixado. 

No sábado (24), às 20h, o time volta a campo em sua penúltima apresentação, diante do Atlético Mineiro, na Vila Belmiro.  

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 1 BOTAFOGO-RJ
Estádio da Vila Belmiro - Santos (SP)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Público/renda: 3620 presentes/R$ 64.715,50
Cartões amarelos: Gabigol, Luiz Felipe (SFC); Marcinho, Matheus Fernandes (BOT)
Gols: Rodrygo, (35'/1ºT  - 1 x 0) e Brenner, (14'/2ºT, 1 x 1)
SANTOS: Vladimir, Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Alison, Pituca e Rodrygo (Anderson Ceará, 31'/2ºT); Arthur (Copete, 20'/2ºT), Felipe Cardoso (Sasha, 34'/2ºT) e Gabriel Barbosa - Técnico: Cuca. 
BOTAFOGO-RJ: Gatito Fernández; Marcinho, Marcelo Benevenuto, Igor Rabello e Moisés; Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes e Leo Valencia (Renatinho, 26'/2ºT); Luiz Fernando, Erik (Rodrigo Pimpão, 34'/2ºT) e Brenner (Kieza, 29'/2ºT) - Técnico: Zé Ricardo.

Rodrygo voltou a marcar gol, o que não acontecia há três meses.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vladimir: Foi bem depois de um longo período sem uma oportunidade. Sem culpa no gol e quando exigido deu conta do recado. - 6,5
Victor Ferraz: Participativo. Não comprometeu na defesa e apareceu em algumas tabelas na tentativa de construção de jogadas. - 5,5
Luiz Felipe: Muita qualidade na saída de bola, esteve atento e bem também na marcação. - 6,0
Gustavo Henrique: Alguns erros de passe, mas nada que comprometesse. - 5,5
Dodô: Tentou colaborar do meio pra frente. Na defesa, não sofreu. - 5,5
Alison: Eficiente na marcação a frente da área. - 5,5
Pituca: Não fazia partida ruim, mas teve participação no lance do gol adversário. - 5,0
Rodrygo: Voltou a marcar um gol após 15 jogos. No segundo tempo deu trabalho a defesa botafoguense. Mesmo ainda abaixo do seu talento que é enorme, foi um dos melhores do time. - 6,5
(Anderson Ceará): Valeu pela estréia entre os profissionais. O jovem jogou apenas 15 minutos. - SEM NOTA
Arthur: Novamente deslocado de posição, não tem cacoete de armador. - 5,0
(Copete): Mais eficiente na defesa do que no ataque. Salvou um gol no fim do jogo. - 5,5
Felipe Cardoso: Quase marcou um belo gol. Desentrosado, fazia a parede de pivô. - 6,0 
(Sasha): A exemplo de Anderson Ceará, entrou nos minutos finais. - SEM NOTA
Gabriel Barbosa: Brigou bastante. Como o meio-campo santista não criou, teve poucas chances de finalização. - 5,5
Técnico: Cuca: Parece ter esmorecido junto com o time. Não conseguiu nos últimos jogos, dar aquela motivada característica do seu perfil a beira do gramado. O grande responsável do time não ter caído para a segunda divisão no arranque do final do primeiro turno até a 12a. rodada do returno. - 5,0

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by