FOTO CAPA

DESILUSÃO

Publicado às 09h45 desta sexta-feira, 16 de novembro de 2018.
Depois de ter realizado quase que um turno inteiro maravilhoso, com a segunda melhor campanha em parte dele, atrás apenas do Palmeiras, o Peixe voltou a derrapar na hora mais decisiva. Nesta quinta-feira (15), no Maracanã, o Santos perdeu seu terceiro jogo seguido, desta vez para o Flamengo, por 1 a 0. O time da cidade maravilhosa dirigido por Dorival Junior não vencia há três jogos. O resultado afasta cada vez mais o time da Vila de uma possibilidade de vaga na Libertadores da América do ano que vem. Faltando quatro jogos para encerrar o Brasileiro, a diferença do alvinegro para o sexto colocado é de quatro pontos. 

O técnico Cuca (que pelas informações que o Blog do ADEMIR QUINTINO colheu não ficará para 2019), apesar do Flamengo ter dois meias de criação - Diego e Éverton Ribeiro e sem poder escalar os três estrangeiros - Sánchez, Derlis e Bryan Ruiz , convocados para defender suas seleções, além das ausências dos zagueiros Lucas Veríssimo e Luiz Felipe, não escalou a equipe com três volantes e apostou em Arthur improvisado na armação com três atacantes. Na zaga, o comandante  santista preferiu novamente a improvisação de Yuri e com isso, o jovem Kaique Rocha, de apenas 17 anos, não estreou nos profissionais e ficou no banco de reservas. 

No primeiro tempo, a transição do meio para o ataque não funcionou. Faltava o coordenador de jogadas. O Flamengo tomou conta do jogo, porém, não é menos verdade, o Peixe conseguiu bloquear a entrada do time rubro-negro na grande área e os cariocas finalizaram com perigo, apenas uma vez.  O time da casa saiu vaiado pelos seus torcedores no intervalo.

Na segunda etapa, o treinador santista sacou Arthur e colocou Jean Mota. Nos primeiros minutos, a condição de levar a bola a frente melhorou um pouco. Rodrygo que pouco tinha sido acionado na primeira etapa, começou a realizar algumas jogadas e o jogo ficou equilibrado. 

Logo em seguida, Dodô sofreu uma lesão no joelho esquerdo e teve que deixar o gramado. Jean Mota foi deslocado para a lateral, já que o Peixe não tem um reserva imediato para a posição e Renato entrou no meio-campo.

Dorival Junior tratou de colocar o rápido Berrio pela direita do ataque e ali saiu o único gol do jogo. Bola no colombiano, o cruzamento para o centro da área e Henrique Dourado, outro que entrou na segunda etapa, abriu o placar.

Minutos antes do time da Gávea marcar o gol, o Peixe perdeu uma ótima oportunidade de sair na frente. Bruno Henrique foi a linha de fundo e cruzou na pequena área. O artilheiro do campeonato Gabriel Barbosa chutou e César defendeu. "O futebol não tolera desaforos".

Quando a partida se aproximava do seu final, Bruno Henrique roubou a bola de Léo Duarte e sobrou para Gabriel Barbosa que sofreu penalidade máxima do zagueiro. O camisa 10 santista que vai embora ao final do campeonato pegou a bola, bateu e o goleiro flamenguista defendeu.

A situação do Santos em termos de classificação a competição continental ficou muito difícil. Com a vitória do Galo sobre o Paraná no meio de semana, fez com que o time mineiro pulasse quatro pontos a frente do alvinegro praiano. Entretanto, os times se enfrentam na penúltima rodada na Vila Belmiro, dia 24. Além de vencer os quatro jogos que lhe restam - América-MG, Botafogo-RJ, Atlético-MG e Sport-PE, o Santos ainda vai depender de o concorrente de Minas Gerais empatar pelo menos mais uma partida e o Furacão do Paraná também, outro que briga pela última vaga no G-6.

A verdade é que fica provado que o Santos tem um até um bom time, bem comandado e Cuca foi o grande responsável de o torcedor santista ter tido tranquilidade quanto a possibilidade de rebaixamento, pois graças a ele, a equipe saiu das últimas posições, onde ficou muito tempo com Jair Ventura, porém, não tem um elenco com peças de reposição a altura em determinadas posições. Não tem um ala esquerdo reserva, quando perde Sanchez não tem um meio-campista para distribuir jogo ao ataque, só para citar duas das carências. 

Além disso, são em jogos decisivos, quando você mais precisa da equipe, que você separa os jogadores com espírito de campeão dos demais. A equipe errou em momentos cruciais. Mesmo com os desfalques, o alvinegro perdeu para a Chapecoense que foi derrotado neste meio de semana, em casa para o Botafogo-RJ. Um time que tem objetivos na competição, não pode se dar ao luxo de perder pontos importantes em uma reta decisiva.

A delegação seguiu do Rio de Janeiro direto para Belo Horizonte. Além das três derrotas seguidas, o time dá sinais de que está em queda na competição, pois dos últimos 15 pontos, conquistou apenas quatro (empate com o Inter no Sul e vitória diante do Fluminense na Vila). 

Para a partida diante do Coelho de Minas, no próximo domingo (18), Cuca não deverá ter Dodô com lesão no joelho esquerdo e que será avaliado nesta sexta-feira (16). Também não poderá contar com os retornos dos estrangeiros que servem as seleções dos seus respectivos países e Yuri também fica de fora, pois recebeu o terceiro amarelo. Os defensores Veríssimo e Luís Felipe também devem seguir como desfalques e outro resultado que não seja o da vitória, na próxima rodada, retira definitivamente a equipe de qualquer possibilidade de um objetivo maior na competição.  

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 1 X 0 SANTOS
Estádio do Maracanã - Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Público e renda: 43.457 pagantes / R$ 1.136.024,00 
Cartões amarelos - Léo Duarte, Rodinei e Pará (FLA); Yuri, Alison, Jean Mota, Gabriel Barbosa e Gustavo Henrique (SFC)
Gol: Henrique Dourado (1-0, 28'/2ºT)
FLAMENGO: César; Rodinei, Léo Duarte, Réver e Pará; Cuéllar, Rômulo (Jean Lucas, 24'/2ºT), Diego e Everton Ribeiro; Vitinho (Berrío, 24'/2ºT) e Uribe (Henrique Dourado, Intervalo) - Técnico: Dorival Júnior
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Yuri e Dodô (Renato, 12'/2ºT); Alison (Sasha, 42'/2ºT), Pituca e Arthur (Jean Mota, Intervalo); Rodrygo, Gabriel Barbosa e Bruno Henrique  - Técnico: Cuca.

Bruno Henrique fez bom segundo-tempo.
NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS 
Vanderlei: Sem culpa no gol sofrido. Saiu errado em uma bola que atingiu o companheiro Gustavo Henrique. Nenhuma grande defesa. - 6,0 
Victor Ferraz: Boas trocas de passes, mas deixou espaços na marcação. - 5,5 
Gustavo Henrique: Foi rebatedor quando precisou. - 6,0
Yuri: Começou bem, inclusive marcando a frente, acompanhando o atacante, entretanto, depois que recebeu o cartão amarelo, não podia mais dar o bote com força, pois poderia ser expulso e teve mais dificuldades. Novamente foi improvisado na função. - 5,0
Dodô: Não conseguiu ir a frente ajudar no apoio, mas dava conta da marcação. Saiu lesionado e preocupa para a próxima rodada. - 5,0
(Renato): Entrou para desempenhar uma função um pouco mais a frente do que normalmente costuma realizar. Pouco apareceu na partida. - 5,0
Alison: Acompanhou bem Diego no primeiro tempo. Porém, o camisa 10 que vive péssimo momento no time da gávea foi quem lançou a bola para Berrio, no único gol do jogo. - 5,5
(Sasha): Pouco mais de cinco minutos em campo. - SEM NOTA 
Pituca: O melhor do meio-campo santista. Uma antecipação na área adversária no primeiro tempo na única jogada de perigo no ataque santista e ótima enfiada de bola para Bruno Henrique em gol perdido de Gabriel Barbosa. - 6,5
Arthur: Ficou perdido na função de armador. Sentiu falta de Sánchez com quem no clássico diante do SCCP, revezou entre o meio e a ponta-direita. Abandonou a posição e tomou algumas decisões erradas. Foi substituído. - 5,0
Jean Mota: Entrou bem no meio. Ajudava na recomposição e deu alternativas para o ataque, porém, quando foi para a lateral deu espaços e em uma delas, Diego achou Berrio em suas costas e originou o gol que deu a vitória ao Flamengo. - 4,5
Rodrygo: Um primeiro tempo discreto. Na segunda etapa, fez uma bela jogada enfileirando a defesa adversária. - 5,5 
Gabriel Barbosa: Apesar de jovem é um dos mais experientes do elenco, em razão de já ter quase cinco anos de profissional, com medalha de ouro em olimpíada inclusive. Perdeu gol feito na pequena área e perdeu um pênalti. Era o momento que o time mais precisava do artilheiro do campeonato. - 4,0
Bruno Henrique:  Não realizava boa partida, porém, ganhou todas no alto, inclusive ajudando a defesa. Tomou a bola de Léo Duarte, no lance do pênalti e deu uma maravilhosa assistência no gol perdido por Gabriel Barbosa. - 6,0
Técnico: Cuca: O maior responsável pelo time ter saído da zona do rebaixamento. Apesar de o presidente do clube ter dito em nota oficial que "os arautos do pessimismo" falaram em rebaixamento, se o time ainda fosse dirigido pelo antecessor Jair Ventura, eu tenho convicção, sem medo de errar, que o drama desta possibilidade estaria vivo. Acertou em tirar Alison da zaga, mas poderia ter dado chance ao jovem Kaique que já demonstrou ter potencial. Insistiu num erro cometido por Ventura, em colocar quatro atacantes. Corrigiu no intervalo. Levou azar ao perder Dodô machucado e ter que improvisar Jean Mota que estava bem no meio, mas deu espaços na marcação. - 5,0


strutura.com.br



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by