FOTO CAPA

A POSSIBILIDADE DE VOLTAR A LIBERTADORES É QUASE UMA REALIDADE

Publicado às 22h00 deste domingo, 9 de setembro de 2018.
O Santos segue em seu melhor momento na temporada. Na noite deste domingo (9), o Peixe venceu o Paraná, na Vila Capanema, por 2 a 0 com gols de Gabriel Barbosa, que é artilheiro do Campeonato, agora com 12 gols. Foi o terceiro triunfo fora de casa e com o resultado, o alvinegro chega a 8a. colocação e começa a sonhar com a possibilidade de retornar a Libertadores, o ano que vem.

O técnico Cuca surpreendeu na escalação. Em relação ao empate diante do Grêmio, na quinta-feira (6), o Peixe teve as entradas de Yuri, Bryan Ruiz, Bruno Henrique e Derlis para as saídas de Alison, Jean Mota, Sasha e Rodrygo. Alguns dos que saíram foram preservados em razão do desgaste do calendário.

No primeiro tempo, o Santos sofreu da falta de criatividade. O costa-riquenho Bryan Ruiz, bem abaixo técnica e fisicamente, não conseguiu armar o time. No intervalo, Cuca improvisou Rodrygo na coordenação de jogadas e o jogo foi outro, na etapa complementar.

Aos sete minutos do segundo tempo, Rodrygo ganhou a bola (na minha opinião, com falta) e rola para Bruno Henrique. Victor Ferraz recebeu e cruzou para Gabriel Barbosa marcar o primeiro gol da noite. 

No final do jogo, novamente ele, o 'rayo' santista roubou a bola na defesa, deu um drible desconcertante no marcador e deu inicio ao segundo gol. Bola no pé do paraguaio Derlis e cruzamento na medida para Gabriel Barbosa pegar de primeira e dar números finais ao jogo.

O maior responsável pela mudança de ares no futebol santista chama-se Alex Stival, o Cuca. Foi o décimo segundo jogo do time sob o seu comando. Foi a quinta vitória. Teve outros cinco empates e apenas duas derrotas para os mineiros Atlético (no Brasileiro) e Cruzeiro (jogo de ida em sua estréia na Copa do Brasil). Além disso, o time está invicto há oito jogos sem levar gols há sete. A última vez que a defesa foi vazada foi pelas quartas de finais da Copa do Brasil, no Mineirão, na vitória alvinegra por 2 a 1 de virada.

Com o antecessor Jair Ventura, a possibilidade de queda era real. Com o novo técnico, a Libertadores passa a ser uma realidade. O time tem um jogo a menos que os demais, diante do Vasco pelo primeiro turno. Se vencer, encosta no Atlético-MG, o sexto lugar, o último na zona de classificação para a competição continental em 2019.

Pela primeira vez desde que chegou há 36 dias, Cuca poderá ter a semana cheia para treinamentos. O próximo jogo será o clássico diante do São Paulo, no próximo domingo, na Vila Belmiro. Lucas Veríssimo e Sanchez serão reavaliados durante a semana para saberem se poderão voltar ao time. O uruguaio sentiu lesão durante treino antes da partida da seleção de seu país contra o México.

FICHA TÉCNICA
PARANÁ 0 X 2 SANTOS
Estadio da Vila Capanema, em Curitiba (PR) 
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA) 
Público e renda: 4.504 pagantes / R$ 154.300,00
Cartões amarelos: Carlos (27'/1°T), René (31'/2ºT), Alex Santana (9'/2ºT) e Jhonny Lucas (35'/2ºT) (PAR) e Gabriel (6'/2ºT), Yuri (11'/2ºT) e Robson Alves (19'/2ºT) (SFC)
GOLS: Gabriel Barbosa (7'/2ºT) e (32'/2ºT)
PARANÁ: Richard; Júnior, René Santos, Rayan e Igor; Jhonny Lucas, Alex Santana, Nadson (Ortigoza, aos 21'/2ºT) e Caio Henrique (Maicosuel, aos 30'/2ºT); Carlos (Deivid, aos 13'/2ºT) e Grampola. Técnico: Claudinei Oliveira.
SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Robson Bambu e Dodô; Yuri (Renato, aos 29'/2ºT) e Pituca; Bryan Ruiz (Rodrygo, no intervalo), Derlis González, Gabriel Barbosa (Copete, aos 42'/2ºT) e Bruno Henrique. Técnico: Cuca.
Rodrygo voltou a jogar bem e sua entrada foi fundamental para a vitória no Paraná, a terceira fora de casa.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Nenhuma grande defesa. Não foi exigido. - 6,0
Victor Ferraz: Apoia sempre por dentro. Na única vez que foi a linha de fundo deu a assistência do primeiro gol. Seu futebol cresceu com a chegada de Cuca. Se envolveu em uma confusão com o técnico Claudinei Oliveira. algo incomum para ambos. - 7,0
Gustavo Henrique: Bem colocado. Foi bem na bola aérea. - 6,5
Robson Bambu: Terceiro jogo como titular. Fez o arroz com feijão bem temperado, como diz meu amigo e empresário Alan Otacílio. - 6,5
Dodô: Não se destacou, mas também não comprometeu. - 6,0
Yuri: Primeiro jogo no Brasileiro. Precisa de uma sequência para readquirir o ritmo. Errou alguns passes. - 5,5
(Renato): 
Pituca: Não fez bom primeiro tempo. Com a entrada de Rodrygo, ele cresceu. - 6,0
Bryan Ruiz: Discreto. Ainda não justificou o investimento. - 5,0
(Rodrygo): Entrou e mudou o jogo. Mesmo não sendo brilhante, roubou as duas bolas que originaram os gols. No segundo deu um drible desconcertante que Neymar e Pelé assinariam. Fez sua melhor partida nos últimos jogos. O rayo tá voltando. - 7,5
Derlis González: Bem na sua característica veloz. Bela assistência para o gol de Gabriel Barbosa. - 7,0
Gabriel Barbosa: Vive seu melhor momento no ano. São sete gols nos últimos 12 jogos, desde que Cuca chegou. - 7,5
(Copete): Jogou pouco tempo. - SEM NOTA.
Bruno Henrique: Depois de amargar o banco, também realizou o melhor das partidas entre as últimas. Participou do primeiro gol. Tem condições de evoluir. - 6,5
Técnico: Cuca: O maior responsável pela mudança de postura e comportamento do elenco que lutava para não cair. Ainda bem que Cuca cuida muito bem do futebol. Rodou o elenco no começo da partida e enxergou bem ao improvisar Rodrygo e garantir os três pontos na bagagem. - 7,0

strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by