FOTO CAPA

SAI DA FRENTE QUE O RODRYGO É CHAPA QUENTE

Publicado nesta quarta-feira, 25 de abril de 2018.
O Santos praticamente garantiu a classificação a próxima fase da Libertadores ao vencer o Estudiantes-ARG por 2 a 0, na noite desta terça-feira (25). Foi a terceira vitória em quatro jogos da equipe no grupo 6. Os gols foram de Gabriel Barbosa e Lucas Veríssimo. 

"Sai, sai da frente, sai que o Rodrygo é chapa quente" cantava o torcedor santista antes do jogo. E parece que ele antevia uma performance digna do menino da Vila. O "rayo" foi eleito o melhor jogador em campo pelo patrocinador da competição.

O Peixe acabou tendo um desfalque no ataque. Sasha com um entorse de tornozelo, no sábado (21), diante do Bahia, deu vaga a Copete, que reapareceu no time e ao contrário das últimas vezes, ele não decepcionou. O alvinegro que novamente tinha dificuldade de propor jogo, curiosamente, marcou seu primeiro gol num contra-ataque. E foi o colombiano que fez lindo lançamento a Gabriel Barbosa que quebrou um jejum de oito jogos sem balançar as redes adversárias e abriu o placar.

Daí em diante foi um passeio. Os argentinos não viram a cor da bola. Nem com o "bruxo" contratado pelo Estudiantes, presente na Vila, deu jeito. Quem também estava no templo sagrado que estava com uma atmosfera maravilhosa foi o ex-atacante Jairzinho, o furacão da Copa de 70, pai do técnico Jair Ventura que acompanhou a partida de um dos camarotes térreos.

Na segunda etapa, logo aos quatro minutos, Rodrygo, o nome da partida, deixou o marcador para trás que o parou com falta. Na cobrança, Lucas Veríssimo se antecipou e marcou o segundo gol. Fatura liquidada.

Ainda deu tempo para o "crioulo" da camisa 43 (passou da hora do menino tirar esse número) quase marcar um golaço e novamente pela décima vez consecutiva, deixar o gramado e não completar 90 minutos em campo. Os mais de 10 mil pagantes ficaram de pé e aplaudiram o menino ser substituído por Vitor Bueno.

O Santos só volta a campo na próxima terça-feira (1), novamente pela Copa Libertadores da América. O time enfrenta o Nacional-URU em Montevidéu. Bruno Henrique com estiramento cumpre sua última partida de suspensão na competição. Pelo Brasileiro, o jogo com o Vasco foi adiado para 16 de Julho em razão dos cruz-maltinos jogarem nesta quinta e o Peixe no começo da próxima semana, o que inviabilizou o enfrentamento entre as equipes no fim de semana.

O Peixe teve dificuldade de propor o jogo, mas não sofreu. A qualidade técnica sofrível do adversário contribuiu, mas o segundo tempo do time de Jair Ventura foi interessante e merece elogios. Para não dizer que não falei das flores, a dificuldade de criação vista na etapa inicial, me preocupa bastante. Contra um adversário mais forte, pode ser fatal.

E sobre o Rodrygo, 17 anos, melhor jogador do Santos em uma partida da Libertadores da América. Imagina esse "rayo" daqui a três anos como profissional, o que ele será capaz de fazer?

FICHA TÉCNICA

SANTOS 2 X 0 ESTUDIANTES

Estádio da Vila Belmiro, Santos (SP)

Árbitro: Eber Aquino (FIFA/PAR)
Público/renda: 10.969 pagantes/R$ 409.460,00
Cartões amarelos: Alison (SFC), Lattanzio, Braña, Campi e Dubarbier (EST)
Gols: Gabriel (43'/1ºT) (1-0) E Lucas Veríssimo (4'/2ºT) (2-0)
SANTOS: Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison, Cittadini (Renato, aos 25'/2ºT) e Jean Mota; Rodrygo (Vitor Bueno, aos 35'/2ºT), Copete (Arthur, aos 29'/2ºT) e Gabriel. Técnico: Jair Ventura.
ESTUDIANTES: Andújar; Facundo Sánchez, Schunke, Desábato e Campi; Braña, Lucas Rodríguez (Manga Escobar, aos 23'/2º), Iván Gómez (Gastón Giménez, aos 15'/2ºT) e Dubarbier (Lattanzio, aos 15'/2ºT); Otero e Melano. Técnico: Lucas Bernardi.

Dodô coloca a bola entre as pernas de Desábato.
NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Quase não trabalhou. Expectador de luxo. -6,5
Daniel Guedes: Bem no apoio. O Estudiantes não atacava e o ala avançou bastante. - 7,0
Lucas Veríssimo: Cometeu algumas faltas desnecessárias no começo da partida. Vive ótimo momento, seguro, ainda se aventurou no ataque e marcou de cabeça. - 7,0
David Braz: Como sempre me diz o meu parceiro de futebol, o empresário Alan Otácilio, "aquele feijão com arroz bem temperado". Não inventou e fez o simples. - 6,0
Dodô: Dono de uma habilidade rara, tomou conta da posição. Desfilou e deu até "rolinho" - 7,0
Alison: Tomou um cartão cedo em uma falta desnecessária. Aquela transpiração de sempre e reconhecida pelo torcedor alvinegro. - 6,0
Cittadini: Não apareceu tanto para triangular e fazer o "jogo apoiado" que o treinador Jair Ventura fala tanto. - 6,0
(Renato): Manteve o bom toque de bola a frente da zaga. - 6,0
Jean Mota: Dificuldades de armar o jogo no primeiro tempo. Na segunda etapa, o futebol do camisa 3 melhorou, sobretudo, quando dobra com Dodô na ala esquerda. Bela cobrança de falta na assistência no gol de Veríssimo. - 6,5
Rodrygo: Muito recurso. Sem medo de encarar a marcação. Quase marca um gol maravilhoso. Foi substituído pela 10a. vez seguida. Minutos antes, levou um chute na boca do estômago e vomitou bastante. O "rayo" acabou com a defesa portenha. Faltou apenas o seu gol. O melhor do jogo. - 8,0
(Vitor Bueno): Jogou apenas 10 minutos. - SEM NOTA
Copete:  A disciplina tática de sempre. Deu maravilhoso lançamento para o gol de Gabriel. Precisava de uma atuação desse nível para recuperar a confiança. - 7,0
(Arthur): Jogou apenas 15 minutos, além dos acréscimos. Pouco tempo. - SEM NOTA
Gabriel Barbosa: Se movimentou bastante e teve frieza para concluir o belo lançamento no primeiro gol. Saiu do jejum de oito jogos sem marcar. - 7,0
Técnico: Jair Ventura: Acertou em apostar no esforçado e útil taticamente Copete. Ainda não consegue fazer com que o Santos se imponha, quando tem de propor o jogo. - 6,5

strutura.com.br








 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by