FOTO CAPA

FALTOU POUCO

Publicado à 01h00 desta quarta-feira, 29 de Março de 2018.
O Santos está eliminado do Campeonato Paulista. Mas não foi tão fácil para o time a ser batido e com um poder de investimento e organização, infinitamente superiores ao clube praiano. No tempo normal, o Peixe venceu o Palmeiras por 2 a 1, no Pacaembu, com gols de Sasha e Rodrygo, porém, na cobrança de pênaltis, o alvinegro perdeu por 5 a 3 (Diogo Vitor desperdiçou a sua cobrança). 

Jair Ventura ousou na escalação e mandou a campo quatro atacantes. O jovem Rodrygo de apenas 17 anos, entrou como meia armador na vaga de Diogo Vitor. O cenário criado era de extremismo. Ou o treinador se consagrava ou o time de Vila, levaria uma goleada.

O Palmeiras começou melhor. O Peixe não tinha a posse de bola, mas bastou Daniel Guedes efetuar um cruzamento maravilhoso para Eduardo Sasha abrir o marcador e igualar o confronto. O Pacaembu emudeceu.

Mas, não deu tempo nem de comemorar e após uma lateral, isso mesmo, um arremesso lateral, o Santos sofreu o empate após um chute forte de Bruno Henrique.

Ainda no primeiro tempo e com os atacantes recebendo de costas, pois o meio-campo santista estava bastante desequilibrado, Rodrygo enfrentou a defesa palmeirense, contou com a sorte e tirou de Jailson para desempatar o jogo. O Santos foi para os vestiários com a vantagem parcial no placar - 2 a 1. 

No segundo tempo, pouco produziram os dois times. Nem Vanderlei, tampouco Jaílson, realizaram uma grande defesa e o confronto entre o "primo pobre" e "primo rico" foi para a decisão nos pênaltis.

Na cobrança de tiros livres, Vanderlei acertou três dos cinco cantos, mas não conseguiu pegar nenhuma cobrança. Já o jovem Diogo Vitor parou nas mãos de Jaílson e o Palmeiras vai a decisão.

O Santos foi valente. Foi bacana ver os "meninos" calarem a boca de algumas boçalidades que cravaram que não precisava ter a segunda partida, que o Palmeiras já estava classificado. Encarou de igual pra igual o clube mais rico do país na atualidade. O time fez bonito, sim. Independente da tática "Kamikase", a molecada está de parabéns. 

O problema do clube foram as gestões, que ao longo de décadas, só tomaram decisões equivocadas e que fizeram sangrar os cofres. A instituição ficou muito para trás e vai ter de suar sangue para voltar a disputar em condições de igualdade, as competições com os demais co-irmãos.

Já disse e volto a reafirmar.  Esse elenco com um pouco de coragem de quem administra o clube para dar tiros certeiros em contratações pontuais, com essa molecada madura, tem tudo para brilhar em 2019. Só não podem vender esses meninos, em razão da falta de dinheiro.

O Peixe volta a campo pela Libertadores, semana que vem, dia 5 em Quilmes, diante do Estudiantes (ARG). No Brasileiro, estréia dia 14 diante do Ceará num sábado à noite no Pacaembu.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS (5) 1 X 2 (3) SANTOS
Estádio do Pacaembu, São Paulo (SP)
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
Público e renda: 34.743 pagantes/R$ 1.327.610,00
Cartões amarelos: Felipe Melo e Willian (PAL), Daniel Guedes, David Braz, Lucas Veríssimo, Sasha e Alison (SFC)
GOLS: Sasha (13'/1ºT) (0-1), Bruno Henrique (16'/1ºT) (1-1), Rodrygo (39'/1ºT) (1-2),
Pênaltis: Dudu, Tchê Tchê, Victor Luis, Moisés e Guerra (PAL)
Gabriel Barbosa, Jean Mota,, Arthur (SFC)
PALMEIRAS: Jailson; Tchê Tchê, Antonio Carlos, Thiago Martins e Victor Luis; Felipe Melo, Bruno Henrique (Moisés, aos 30'/2ºT) e Lucas Lima (Guerra, aos 19'/2ºT); Dudu, Keno e Willian (Deyverson, aos 24'/2ºT). Técnico: Roger Machado.
SANTOS: Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison, Renato (Leandro Donizete, aos 41'/2ºT) e Rodrygo (Jean Mota, aos 22'/2ºT); Sasha (Diogo Vitor, aos 32'/2ºT), Arthur e Gabriel Barbosa. Técnico: Jair Ventura.

Rodrygo marcou seu quarto gol na temporada. O talentoso santista fez o gol da vitória no tempo normal.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS 
Vanderlei: A bola do gol palmeirense bateu no chão e ganhou velocidade. Fez duas defesas importantes no primeiro tempo. Acertou o lado de três cobranças nos pênaltis palmeirenses, mas não conseguiu defender nenhuma. - 6,5
Daniel Guedes: Ótima assistência para abrir o placar no gol de Sasha. Depois foi pouco ao ataque. - 6,5
Lucas Veríssimo: Bem colocado. Joga sério. - 6,5
David Braz: Não comprometeu. - 6,0
Dodô: Tem recurso. Nesta noite não deu tanto espaço na marcação. - 7,0
Alison: Sobrecarregado. Não brilhou tanto como ao longo do campeonato e da partida de ida das semifinais. - 6,0
Renato: Em seu 400o. jogo com o manto santista limitou-se mais ao primeiro passe na saída de bola. - 6,0
(Leandro Donizete): Não atuava desde a eliminação da Libertadores em 2017. Poucos minutos em campo. - SEM NOTA.
Rodrygo: O talentoso atacante estava só recebendo bola de costas e pouco estava sendo acionado. Mas jogador diferente e que cresce em momentos decisivos, decide em poucos lances. Rodrygo marcou o gol da vitória após rabisar na defesa palmeirense, contar com a sorte de a bola voltar em um dos seus pés e ter categoria para tirar Jaílson do lance. - 7,5
(Jean Mota): Entrou aos 22 min. da etapa complementar, já que a "jóia" tinha cansado. Fez boas tabelas com Dodô e converteu com categoria sua cobrança de pênalti. - 6,5
Sasha: Um Leão. Apesar da marcação cerrada, a bola não queima em seus pés. Bem colocado para abrir o placar. Cansou na etapa final. - 7,5
(Diogo Vitor): Tentou alguns lances de efeito, mas sem objetividade.Perdeu sua cobrança de penalidade máxima. - 5,0
Arthur: Esforçado, movimentou-se bastante. Teve participação no lance do primeiro gol. Cobrou com maestria sua penalidade máxima. - 5,5
Gabriel Barbosa: Errou quase tudo que tentou. Não vive seu melhor momento. Preciso na cobrança de seu pênalti que abriu a série para o Santos. - 4,5
Técnico: Jair Ventura: Foi para o tudo ou nada ou colocar três atacantes. Poderia ter reequilibrado o meio-campo na segunda etapa quando conseguiu ir para o intervalo na frente. O Peixe viveu muito de chutões. Poderia ter colocado Vecchio, jogador de ótimo passe que parece ter sido defenestrado pelo técnico que depois que o tirou, nunca mais colocou um minuto sequer o argentino. Conseguiu fazer o time mais vibrante. - 6,0

strutura.com.br




 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by