FOTO CAPA

UNIÃO E CRIATIVIDADE PARA UM SANTOS MELHOR

Publicado às 23h20 deste quinta-feira, 21 de dezembro de 2017.
Novas eleições no Santos sempre significam a possibilidade de retomada do caminho que todos os torcedores querem: o das grandes conquistas. José Carlos Peres e Orlando Rollo são os candidatos da vez, ambos com passagens pelo clube. O presidente eleito trabalhou na gestão de Marcelo Teixeira e a do próprio Modesto Roma Junior, há alguns meses e o seu vice foi da mesa do Conselho Deliberativo na gestão do saudoso LAOR, no biênio 2010/2011. Conversei com os dois antes e após as eleições de 9 de dezembro. Ambos acreditam que possam conseguir levar o clube para a modernidade. 

Uma das questões no Glorioso Alvinegro Praiano é saber se o novo presidente,  terá condições de costurar os retalhos que envolvem a política do clube. Peres teve 32,65% dos votos válidos nas eleições. O clube permanece fragmentado e a união de todas as forças é necessário para avançar.

Embora o candidato de Peres a mesa do Conselho, Otávio Adegas, tenha perdido a eleição por dois votos de diferença para Marcelo Teixeira, o ex-mandatário, dono, ao lado dos irmãos, de um polo estudantil universitário e que comandou o clube por nove anos na década passada, tem afinidade com o presidente que toma posse em 2 de janeiro. Além disso, apesar dos problemas financeiros, Modesto Roma não deixa cinco folhas de salários a serem pagas, como na transição que recebeu em janeiro de 2015 e com isso, "o diabo não será tão feio" quanto possa parecer.

Com pouco ou nenhum dinheiro em caixa, a criatividade vai ser a ordem para a montagem de um bom elenco, junto de alguns jovens oriundos da base e os jogadores que já estão no grupo e permanecerão em 2018. 

O Executivo de Futebol, Gustavo Vieira, tem no seu curriculum ter montado o São Paulo, semifinalista da Copa Libertadores de 2016, com alguns jogadores a custo zero. Mesmo sem ter conquistado o título, o filho de Sócrates e sobrinho de Raí, vai ter que fazer algo parecido novamente, pois à principio o clube não tem nenhuma receita extraordinária prevista e com exceção a Lucas Veríssimo, nenhum jogador para ser vendido a curto prazo com possibilidades de arrecadar um montante significativo. Tem o ala Zeca, que ainda pertence ao clube, mas com a atitude do camisa 37 em abandonar o clube nas rodadas finais do Brasileiro deste ano, será difícil alguém propor 8 milhões de euros ou valores parecidos, como os espanhóis do Atlético de Madrid chegaram a acenar no final de 2015.

Além de montar um time no mínimo competitivo, digno da história do clube, o grande desafio da nova gestão é garantir novas receitas para a instituição. 

Sem julgamentos premeditados e cobranças imediatas. Como disse o amigo e conselheiro reeleito - Wladimir Mattos é necessário ao menos 100 dias para uma avaliação mais justa. 

Valdemir pai de Gabriel Barbosa.
ÁUDIO VAZADO

Como o meu nome foi citado no áudio que vazou na live do instagram da irmã do atacante Gabriel Barbosa, vou transcrever o que conversei com o pai do atacante algumas horas antes do embarque do jogador para o Brasil, na tarde desta quarta-feira (20).

Perguntei ao patriarca da família se as negociações com o jogador estavam avançadas. Como ele disse que não tinha nada certo, não pretendia publicar nada. Como recebi centenas de mensagens ao longo do dia com esta pergunta decidi mudar de ideia.
"Nada de concreto, até porque a janela só abre em Janeiro. A principio, o Gabriel se reapresenta normalmente na Internazionale de Milão, o mês que vem" me disse Valdemir Almeida, pai do atleta.
O Santos tem interesse no atacante revelado na Vila e segue negociando com os italianos o repatriamento por empréstimo do jogador. 

strutura.com.br
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by