FOTO CAPA

"O SÓCIO É O DONO DO CLUBE E ASSIM DEVE SER TRATADO"

Publicado às 08h40 desta segunda-feira, 27 de novembro de 2017.
A terceira entrevista dos presidenciáveis do Santos FC no Blog do ADEMIR QUINTINO é com o empresário Andres Enrique Rueda Garcia da Santástica União.

Aos 62 anos de idade, Rueda está como conselheiro do Peixe desde 2002. É matemático por formação, empresário do setor de informática, soluções, processos e atendimento. 

Andres fez parte do comitê gestor do Peixe por oito meses. O candidato já atuou em instituições e órgãos de grande porte dos setores financeiro e de tecnologia, tais como Bradesco, Instituto de Pesquisa Tecnológicas da USP e Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), entre outros. Neste último, o empresário foi diretor de sistemas por 20 anos e durante dois anos, acumulou a função de implantador e gestor do ISO e governança corporativa. 

Em 2000, fundou a Uranet Projetos e Sistemas, onde exerce a função de Diretor Presidente da empresa do setor de informática. Além disso, acumula a presidência do Sindicato Patronal Sintelmark ( Sindicato Paulista das Empresas de Telemarketing Direto e Conexos), órgão em que já havia ocupado a vice-presidência por cinco anos.

Blog do ADEMIR QUINTINO: Quais as razões que o levaram a ser candidato a presidência do Santos FC? 
Andres Rueda: "Passei rapidamente pelo Conselho de Gestão e vi que existia uma falta de procedimentos em relação a questões administrativas do clube. Somente uma pessoa mandando, decidindo tudo sozinha, e isso me fez tomar a decisão de montar um grupo com muitos amigos para que juntos possamos colocar o Santos no lugar onde ele merece. Fazer uma administração que prime pela responsabilidade e profissionalismo. Esse foi o embrião da criação da Santástica União. Democracia nas decisões tomadas de forma consensual entre os membros do CG".
BAQ: Por que o associado do clube deve votar no candidato e não nos demais?
Andres: "Porque acredito que estou preparado para realizar a tarefa. São 17 grupos que nos apoiam, e queremos equilibrar o Santos financeiramente e administrativamente de maneira 100% profissional. As propostas de todas as chapas podem ser parecidas, mas o importante é quem vai executa-las. É ter seriedade nesse momento, saber que tem um propósito acima de nós: o Santos. Quem votar em mim estará votando em uma pessoa comprometida no que faz com muita responsabilidade. Isso eu já demonstrei na minha vida profissional. Se queremos realmente profissionalizar o clube, devemos começar pelo maior cargo no clube. Escolher o presidente que tenha maior qualificação para tanto e juntar isso aos três grandes pilares que qualquer postulante ao cargo deve ter: honestidade, competência e credibilidade"
BAQ: De que maneira pretende lidar com a dívida do clube?
Andres: "Primeiro precisamos saber o real valor da dívida. No dia 30 acontece uma reunião do Conselho Deliberativo e espero sair de lá com os números verdadeiros, com o real tamanho da dívida. A partir disso é trabalhar para equacionar  e fazer com que o Santos se torne viável administrativamente e financeiramente, mas temos que ter a responsabilidade de pagar esse montante e tirar o Santos dessa situação que envergonha a todos nós. É uma situação onde  precisamos primeiro saber o tamanho real da dívida do clube para poder equacioná-la. Precisamos dos números verdadeiros, e esses números somente com os balanços e parecer da comissão fiscal."
José Renato Quaresma é o vice de Rueda.
BAQ: Caso vença as eleições, pretende reformar a Vila, construir uma Arena ou tem uma outra alternativa?
Andres: "O Santos tem que tratar bem o seu torcedor, jogar onde for melhor tecnicamente e financeiramente, e fazer com que o seu torcedor reaproxime do clube, jogue onde jogar. Temos que melhorar as condições para que o torcedor e associado sejam melhores tratados independentemente do estádio em que for jogar. Não podemos enganar o sócio, o clube não tem condições financeiras de prometer uma arena nova para o clube. Mesmo com um patrocinador isso nos obrigaria a jogar todos jogos como mandante na arena o que inviabilizaria o rodizio de jogos entre Santos e SP. Reforma na Vila para dar conforto ao torcedor e voltar a ser o alçapão que sempre foi."
BAQ: Caso eleito, o Santos terá um time competitivo? Vai investir em contratações? Se sim, de que tipo? Ou vai apenas investir na base? 
Andres: "O Santos precisa de uma administração completa. Ter um time altamente competitivo, não esquecer da história da sua base que sempre revelou grandes talentos. Vamos investir muito na base para ter os resultados de novos talentos. Porém, tudo será feito com os pés no chão. Não adianta não honrar salários, iludir o torcedor. Temos que ter compromisso com o Santos FC, muito equilíbrio e de forma transparente para o torcedor mostrando sempre a verdade.  O que posso dizer a você novamente é que o Santos terá uma equipe competitiva. Gestores e profissionais serão contratados e engajados no único propósito de sanar dívidas e ter um time que honra a tradição do Santos em campo.
BAQ: Pretende manter a política do clube nas categorias de base da forma que está ou pretende mudar algo?
Andres: "Precisamos melhorar muito. O Santos sempre teve a base como um repositor de peças, e isso deixou de funcionar já faz um tempo. Precisamos imediatamente fazer com que a base volte a suas origens e revelar os grandes nomes da história do Santos. Precisamos acertar os processos e procedimentos de tudo que norteia a base, desde a captação dos jovens para testes, qualificação técnica, avaliação e relacionamento com empresários. Recentemente tivemos uma denúncia na imprensa sobre corrupção na nossa base e até hoje não tivemos respostas da sindicância interna que foi instaurada. Temos a obrigação de melhorar todos os departamentos, inclusive esse que é de fundamental importância para a vida financeira e do futebol do Santos. Temos que considerar nossa base como uma indústria que tem o papel fundamental de gerar craques, que devem gerar frutos no futebol profissional ajudando a ganhar títulos e na hora certa serem vendidos por um valor real de mercado. Somos um time grande com receitas de time intermediário.
BAQ: Em discurso após a inscrição dos sócios, um dos seus apoiadores, Dr. Gazolla disse que é hora de união e deixar as picuinhas de lado. Com a junção dos grupos na SU, você enfrentou problemas? Eles ainda existem? Por que houve a tentativa de união com o candidato Peres e não chegaram a um acordo?   
Andres: "Com tantos grupos tão heterogêneos que compõe a Santástica União sempre é difícil manter o foco principal, mas nós conseguimos superar todas as divergências com o objetivo maior que é o Santos, que eu, você e mais 8 milhões de fanáticos tanto amamos, Quintino. Temos os grupos alinhados com o firme propósito de administrar melhor o clube e equalizar a dívida. Lutamos pela união de todos os grupos de oposição, a mais de um ano. Infelizmente isso não ocorreu. Achar culpados agora, não vai ajudar em nada o processo eleitoral".
 strutura.com.br


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by