FOTO CAPA

O FUTEBOL E A GRATIDÃO

Publicado às 20h05 desta segunda-feira, 6 de novembro de 2017.
O atacante Rodrygo de apenas 16 anos, estreou neste último fim de semana, diante do Atlético-MG na vitória do Santos por 3 a 1, em jogo da 32a. rodada do Campeonato Brasileiro. O "Menino da Vila" entrou nos acréscimos da partida e debutou para os profissionais. O camisa 43 deu uma entrevista ao site oficial do clube nesta segunda-feira (6) e o que mais me chamou a atenção foi a gratidão com que o jogador demonstrou com o seu treinador nas categorias de base - o professor Luciano Santos, atual técnico do sub-17 santista.
"Agradeço a Deus, ao professor Elano, à comissão técnica e ao elenco por tudo que aconteceu nos últimos dias. Também sou grato ao apoio da minha família, amigos, companheiros da base e ao professor Luciano. Todos são muito importantes para mim”.
Luciano e Rodrygo, campeões em 2011.
Luciano Santos dirigiu Rodrygo desde 2010, quando o garoto com apenas 10 anos deixou a cidade de Osasco, onde nasceu, para atuar no sub-11, sob a sua batuta. Coincidência ou não, também foi o ano que o treinador começou a trabalhar nas categorias inferiores do time da Vila. Nesse período foram sete decisões de estadual com quatro conquistas e três vice-campeonatos do comandante técnico entre as categorias sub-11, sub-13 e sub-15. 

O ano passado, com jogadores nascidos em 2001 e 2002, o Santos chegou a mandar nove atletas para a Seleção Brasileira da categoria. Tudo isso, se deve ao bom trabalho executado por Luciano e seus pares. 

strutura.com.br

No Mundial realizado há poucos dias, na Índia, o Santos teve dois representantes e detalhe - no primeiro ano da categoria  - Victor Yan e Yuri Alberto, ambos dirigidos por Luciano Santos há vários anos. 

No Sul-Americano sub-15, que começa hoje, na Argentina, tem três jogadores do Peixe - Cadu, Ivonei e Kaio. Gustavo Roma, outro treinador que faz bom trabalho na base santista há três anos, chegou a ficar sem sete atletas servindo a Seleção canarinho. Além dos três supra-citados- o goleiro Victor, o volante Sandry, o meia Giovanni e o atacante David. 

Mais do que chegar a disputa de títulos, o profissional da base tem o dever de revelar. Se puder fazer, com conquistas, melhor ainda, mas não é o fundamental vencer esses campeonatos. Quantos títulos significativos Neymar, Diego e Robinho obtiveram na base do Santos? Mas se tornaram jogadores de ponta, disputadíssimos por grandes clubes do futebol do Mundo.   

Tão ou até mais importante do que o técnico do time de cima, são os profissionais responsáveis em lapidar talentos e não desperdiça-los. Cafu, por exemplo, capitão da quinta Copa do Mundo conquistada pelo Brasil em 2002, foi reprovado em sete avaliações. Roberto Rivelino, campeão do Mundo, no México em 1970, não foi aproveitado no Palmeiras, para em seguida ser revelado pelo rival de à época, Parque São Jorge. 

Muricy Ramalho quando treinador do Peixe em 2012, costumava dizer que alguns jogadores tinham defeito de fábrica, por isso, o ato de Rodrygo em elogiar Luciano deveria ser uma rotina, mas não é, por isso merece destaque e deveria fazer parte de todas entrevistas daqueles que chegam ao time de cima. Por mais talento que uma pessoa possua, só chegará ao seu objetivo com o auxilio desses reveladores.

A gratidão é o ato de reconhecimento de uma pessoa por alguém que lhe prestou um benefício, um auxílio, um favor. As pessoas felizes lembram o passado com gratidão, alegram-se com o presente e encaram o futuro sem medo.


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by