FOTO CAPA

PEQUENA VANTAGEM

Publicado às  03h54 desta quinta-feira, 14 de agosto de 2017.

DIRETO DE GUAYAQUIL: O Santos conquistou um bom resultado na primeira das duas batalhas diante do Barcelona (EQU), pelas quartas de finais da Libertadores da América. O alvinegro largou na frente, mas após uma bola parada levou a igualdade - 1 a 1. Pelo fato de ter marcado gol fora de casa, pode até empatar em 0 a 0, no jogo de volta, que estará classificado as semifinais.

Apesar do auto-falante ter anunciado pouco mais de 30 mil pagantes e como o local comporta 57 mil., existiam sem medo de errar, no mínimo 50 mil pessoas no estádio Monumental Isidro Romero Carbo, empurrando o time da casa. E os equatorianos começaram pressionando, marcando por pressão forte a saída da defesa santista.

Porém, bastaram pouco mais de 12, 15 minutos e o Santos conseguia realizar uma partida inteligente, onde o goleiro Vanderlei não sofria tanto e o time marcava com eficiência e foi assim a tônica dos primeiros 45 minutos.

Veio a etapa complementar e logo de cara, em um lance típico de futevôlei após um contra-ataque, Bruno Henrique abriu o marcador com menos de um minuto. A sensação é de que mesmo com dificuldade de ter velocidade pela direita, já que Copete que executa a função não viajou.

Mas o time de Guayaquil, pressionou muito forte, principalmente com Caicedo, extremamente rápido pela esquerda, mas o gol de empate, por ironia do destino, saiu de uma bola parada, após um cruzamento.

Se o placar que poderia ter sido melhor, não foi ruim, as preocupações ficaram por conta das lesões de Bruno Henrique e Lucas Lima. Ambos deixaram o gramado antes do fim da partida. O primeira com incômoda na parte posterior de uma das coxas e o camisa 10 com dores na perna esquerda. Os dois realizarão exames, assim que chegarem ao Brasil.

Segundo o centroavante Ricardo Oliveira em entrevista que me concedeu após a partida, Bruno não deve ser problema, entretanto, ele não foi tão taxativo ao citar Lucas Lima e limitou-se a dizer apenas que "torce para que não tenha sido nada demais."

Alguns jogadores do Santos, principalmente Lucas Lima, reclamaram do cansaço da viagem, onde o Santos fez uma escala na viagem (O Barcelona vai realizar duas, semana que vem para ir a Baixada). O Peixe tentou a antecipação do clássico diante do SCCP para o sábado (9), porém a "madrinha" CBF não concedeu após consultar a detentora dos direitos de transmissão que "vetou" a possibilidade.

O alvinegro aumentou sua invencibilidade na temporada para 17 jogos, sendo 13 no Brasileiro. Já são 77 dias sem perder no ano.  

Engana-se quem acredita que a classificação já está garantida. Os equatorianos jogam melhor no contra-ataque e tem resultados melhores como visitante nesta edição da competição continental. Caldo de galinha e cautela nunca é demais.

Pelo Brasileiro, o alvinegro volta a campo, sábado (16), diante do Botafogo, no Rio de Janeiro. Victor Ferraz, Lucas Veríssimo e Lucas Lima são desfalques pois levaram o terceiro amarelo diante do SCCP, no último domingo (10).

Lucas Lima deixou o gramado com dores na coxa esquerda e preocupa do departamento médico.


FICHA TÉCNICA
BARCELONA (EQU) 1 X 1 SANTOS
Estádio Monumental Isidro Romero Carbo, Guayaquil (EQU)
Árbitro: Daniel Fedorczuk (URU)
Público/renda: 30.747 pagantes/U$ 531.112,00
Cartões amarelos: Aimar, Gabriel Marques e Esterilla (BAR), Vanderlei e Kayke (SFC)
Gols: Bruno Henrique (1'/2ºT) (0-1), Jonatan Álvez (33'/2ºT) (1-1),
BARCELONA(EQU): Banguera; Pedro Velasco, Aimar, Arreaga e Beder Caicedo; Gabriel Marques, Matías Oyola (Vera, aos 33'/2ºT) e Damián Díaz; Esterilla (José Ayoví, aos 19'/2ºT), Marcos Caicedo (Erick Castillo, aos 26'/2ºT) e Jonatan Álvez. Técnico: Guillermo Almada.
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison, Renato e Lucas Lima (Jean Mota, aos 19'/2ºT); Thiago Ribeiro (Kayke, aos 15'/2ºT), Bruno Henrique (Vladimir Hernández, aos 42'/2ºT) e Ricardo Oliveira. Técnico: Levir Culpi.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Não canso de dizer, o melhor goleiro em atividade no Brasil, voltou a realizar uma excelente partida. Fez três sensacionais defesas. Uma na primeira etapa e duas no segundo. - 8,0 
Victor Ferraz: Jogou no sacrifício. Teve problemas com a velocidade de Caicedo no primeiro tempo. No segundo tempo foi bem na colocação defensiva. - 6,5
Lucas Veríssimo: Tem jogado muita bola. Cometeu apenas um erro, em uma saída de bola no começo do duelo. - 6,5
David Braz: Jogou sério. Bem na saída de bola, ainda deu a assistência de cabeça (passe de futevolei) para o gol de Bruno Henrique. - 7,0
Zeca: Parece ter retomado a confiança e foi figura importante no sistema defensivo. Eficiente na marcação. - 6,5
Alison: Correu muito e fez a cobertura com qualidade pelas laterais. - 6,5
Renato: Bem no posicionamento e distribuição de jogo. - 6,5
Lucas Lima: Chamou a responsabilidade. Saiu lesionado e fez muita falta. - 7,0
(Jean Mota): Não entrou mal, não. Porém, não prendia a bola como o seu antecessor. - 6,5
Thiago Ribeiro: Na parte ofensiva, pouco pareceu, porém recompôs bem no auxílio a marcação pela direita. - 5,5
(Kayke): Não acrescentou absolutamente nada no ataque, onde não realizou uma finalização ou desse assistência aos seus colegas e não recompunha na defesa. - 5,0
Bruno Henrique: Não reeditou o show de domingo diante do SCCP, porém estava no lugar certo e na hora certa para marcar o seu gol. - 7,0
(Vladimir Hernández): Entrou nos minutos finais. - SEM NOTA.
Ricardo Oliveira: Correu muito. Se deslocou, brigou, pouco finalizou, mas foi um leão. - 6,5

Técnico: Levir Culpi: O Santos realizou uma partida com muita inteligência, segurando o adversário. Não contava que com a única alteração que não foi por contusão que fez, jogasse tão mal. - 6,5 

Com o Santos como e onde ele estiver.
VOLTA PARA CASA

Cheguei ao Equador, por volta das 10h30 (horário local, 12h30 do Brasil) do dia do jogo e após poucas horas no hotel, onde gravei com alguns jogadores e reproduzi vídeos em minhas redes sociais, segui para o estádio para acompanhar a partida. Foram 17 horas para eu chegar até Guayaquil, desde o momento que saí da minha residência em Cubatão.

A culpa não é da empresa que fez a logística e é responsável pelos voos com a delegação do clube, muito pelo contrário, já que o Santos conseguiu apenas uma escala, contra duas do Barcelona para ir a Baixada, na semana que vem, entretanto, não dormi na noite passada e nem essa. Na anterior, fiquei por volta de 5 horas no voo de São Paulo a Bogotá e mais 1h45 de Bogotá a Guayaquil, com três horas de espera entre uma conexão e outra.

A van que me levou ao estádio, teve que retornar mais cedo com outros hóspedes e como eu tinha que gravar vídeos com os jogadores para as minhas redes sociais e principalmente para o Mais 90 desta quinta-feira (14) no Esporte Interativo, com isso cheguei tarde para atualizar o blog e sem dormir, vou me dirigir para realizar o check-in do embarque de volta ao Brasil, onde devo chegar apenas na madrugada de sexta-feira.

Na mesma sexta-feira (16), participo da bancada do Mais 90 do Esporte Interativo. Nesta quinta-feira, também participaria, porém minha viagem ao Equador, não está atrelado a isso. 


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by